Login Fórum Exploração Suportes&Res Fundamentos Notícias Dados MetaStock Cursos
IBOV DJIA INDFUT ITUB4 VALE3 BBDC4 ABEV3 PETR4 ITSA4 SULA11 SAPR4 MRVE3 ABCB4 ALUP11 SBSP3 CPLE6
Para assinar um de nossos boletins basta clicar aqui


ABEV3 - Gráficos e análise técnica projecao.com
Fundamentus Guia Invest Grafico Bussola
ABEV3: AMBEV ON
Suportes   18.43   18.41   17.91   17.90   17.84   17.80   17.79
Resistências   18.99   19.02   19.08   19.10   19.13   19.22   19.34
Sup. dólar   4.79   4.71   4.61   4.60   4.59   4.58   4.56
Res. dólar   5.04   5.07   5.12   5.13   5.16   5.30   5.78
Data Última Abertura Máxima Mínima PMédio
16/07/2018 - 17:52 18,99 18,53 19,03 18,53 18,85
  Data Bal. P/L P/VPA Div./PL DívLiq/EBIT LC Marg.Liq.
Fundamentos  31/03/2018  37.90  5.94  9%  -  0,94  
  Fator Baixa Contratos Baixa Fator Alta Contratos Alta  
Hedge   0.56   0.36   0.04   0.03  

Real: A ação subiu no dia de hoje, encerrando junto a máxima do pregão. Não tenho opinião formada sobre o papel.

Dólar: Encerrando junto a máxima do dia, as cotações subiram rompendo a linha -A- durante o pregão. É para ficar COMPRADO em 1/3 das posições desejadas e adquirir mais 1/3 se a linha -B- (Valor:US$ 5.16. Start:US$ 5.28) for quebrada para cima. O STOP LOSS das atuais posições deve ser com a quebra de US$ 4.65 (Stop:US$ 4.53).

Caso você queira contribuir com o desenvolvimento e manutenção de nosso fórum, entre no endereço abaixo e escolha um valor a partir de R$ 1,00 / mês.
http://www.projecao.com/apoia-se.htm


(20180712) - Comunicando.

"Um dos setores afetados pelo "Bolsa Caminhoneiro" do governo, as empresas produtoras de refrigerantes recuperaram benefício fiscal perdido durante a crise dos transportes de maio, que culminou em um anúncio de redução no preço do diesel. Nesta terça-feira (10), o Senado aprovou um projeto que restabelece condições especiais ao segmento, suspendendo trechos de um decreto editado pelo presidente Michel Temer. A medida deve promover impactos fiscais negativos ao governo, que esperava arrecadar R$ 740 milhões somente neste ano com a alteração." (Fonte: Infomoney)

(20180706) - Concorrência aumentando para a Ambev.

"O dono de bar Arthur Santi serviu por vários anos aos clientes garrafas geladas de Skol, uma das marcas mais populares de cerveja do país e uma das principais da cervejaria Ambev.

No ano passado, a rival Heineken fez uma oferta que Santi não pôde recusar. Ele estava abrindo um novo bar no mesmo bairro popular de São Paulo, e a cervejaria holandesa queria que seus produtos fossem oferecidos com destaque no novo empreendimento." (Fonte: Exame)

(20180621) - Comunicando.

"A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira propostas que sustam o decreto presidencial que reduziu incentivos fiscais na produção de insumos para a indústria de bebidas na Zona Franca de Manaus e que fazia parte de pacote do governo para encerrar a greve dos caminhoneiros.

O decreto 9.394/2018 reduziu de 20 para 4 por cento a alíquota de IPI incidente sobre o extrato concentrado para produção de refrigerantes, o que, na prática encarecia a compra do insumo na Zona Franca por empresas como Coca-Cola e Ambev." (Fonte: Reuters)


Análise confeccionada para o dia 17/07/2018



Gráfico Diário em Real de ABEV3

(Clique na imagem para amplia-la ou reduzi-la, linhas e estudos atualizados quinzenalmente)



Gráfico Diário em Dólar de ABEV3

(Clique na imagem para amplia-la ou reduzi-la, linhas e estudos atualizados quinzenalmente)



Analista Responsável: Ricardo Borges Mestre em Economia Empresarial pela UCAM, MBA em Marketing pela FGV, Graduado em Economia pela UCAM, tendo participado, em 2009 na Columbia University of New York, das palestras sobre "Managing Macroeconomic Risk in Emerging Markets", ex-consultor (2003) e analista de mercado (2008) credenciado pela CVM, tendo certificado CNPI desde maio/2008 e passado nas provas CB, CG1, CG2 e CG3, sócio fundador da ANAT, membro da APIMEC, exercendo a profissão de consultor em renda variável desde 1988, operador de mesa de renda variável desde 1992 e diretor da Projeção Consultoria Financeira Ltda. desde 1992, ministra aulas voltadas para investidores e trader's desde 2000 (introdutório, análise técnica, análise fundamentalista e derivativos).

Aviso: Aviso: O analista declara: I. que suas recomendações refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais, e que foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à instituição à qual está vinculado;

O analista, avisa a todos que aplicações em mercados de ações, commodities e seus derivativos tem um elevado risco, portanto o presente relatório é distribuído com o objetivo de prover informações e não representa, em nenhuma hipótese, uma oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer instrumento financeiro, bem como sugestão de investimento.

As opiniões contidas neste relatório foram elaboradas de forma independente, baseadas em estudos gráficos, estatísticos, matemáticos, julgamentos, expectativas, estimativas, notícias e etc e, portanto, estão sujeitas a erros e mudança e impossibilitando garantir que sejam precisas, corretas e completas.

É de exclusiva e total responsabilidade do usuário/investidor a utilização das informações contidas neste relatório bem como a estratégia de investimentos e, dessa forma, o usuário/investidor não poderá pleitear qualquer tipo de indenização por parte do analista. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação porém, o Analista se reserva o direito de, a qualquer tempo e sem aviso prévio, alterar estas informações.

As informações, opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança.

Repetindo e lembrando: o analista não se compromete que os investidores obtenham lucro, nem terá qualquer responsabilidade em caso de perdas, diretas ou indiretas, como conseqüência do uso deste documento. As informações contidas neste relatório podem não ser apropriadas para o perfil de investimento do destinatário. Os investimentos envolvem riscos e os investidores devem ter prudência ao tomar suas decisões pessoais e não devem substituir seus próprios julgamentos por aqueles previstos nesse documento..

Esse relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído a qualquer pessoa, no todo ou em parte, para qualquer propósito, sem a prévia autorização por escrito da projecao.com, e esta não se responsabiliza pela atuação contrária ao aqui disposto por parte de terceiros.





AMBEV - (12/07/2018) - Comunicando.

"Um dos setores afetados pelo "Bolsa Caminhoneiro" do governo, as empresas produtoras de refrigerantes recuperaram benefício fiscal perdido durante a crise dos transportes de maio, que culminou em um anúncio de redução no preço do diesel. Nesta terça-feira (10), o Senado aprovou um projeto que restabelece condições especiais ao segmento, suspendendo trechos de um decreto editado pelo presidente Michel Temer. A medida deve promover impactos fiscais negativos ao governo, que esperava arrecadar R$ 740 milhões somente neste ano com a alteração." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7512667/suzano-sobe-com-dolar-petrobras-cai-com-derrocada-petroleo-embraer







AMBEV - (06/07/2018) - Concorrência aumentando para a Ambev.

"O dono de bar Arthur Santi serviu por vários anos aos clientes garrafas geladas de Skol, uma das marcas mais populares de cerveja do país e uma das principais da cervejaria Ambev.

No ano passado, a rival Heineken fez uma oferta que Santi não pôde recusar. Ele estava abrindo um novo bar no mesmo bairro popular de São Paulo, e a cervejaria holandesa queria que seus produtos fossem oferecidos com destaque no novo empreendimento." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/negocios/bar-por-bar-heineken-enfrenta-ab-inbev-no-brasil/







BEBIDAS - (21/06/2018) - Comunicando.

"A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira propostas que sustam o decreto presidencial que reduziu incentivos fiscais na produção de insumos para a indústria de bebidas na Zona Franca de Manaus e que fazia parte de pacote do governo para encerrar a greve dos caminhoneiros.

O decreto 9.394/2018 reduziu de 20 para 4 por cento a alíquota de IPI incidente sobre o extrato concentrado para produção de refrigerantes, o que, na prática encarecia a compra do insumo na Zona Franca por empresas como Coca-Cola e Ambev." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1JG2W2-OBRBS







AMBEV - (13/06/2018) - Ruim para a empresa.

"De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, 59 fabricantes de refrigerantes, entre elas as gigantes Ambev, Coca-Cola e Pepsi, ameaçam cortar 15 mil empregos diretos caso seja mantido o decreto que praticamente acaba com o incentivo fiscal para a fabricação do xarope dos refrigerantes na Zona Franca de Manaus." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7471226/ambev-outras-gigantes-bebidas-pressionam-governo-por-incentivo-fiscal-vale







AMBEV - (23/05/2018) -

Gosto das cervejas da empresa e até gosto da empresa, mas ser sócio dela com o péssimo retorno sobre os investimentos que oferece aos sócios e vendo que a ação está muito cara em relação ao seu patrimônio líquido, NÃO recomendo. P/L de 41,73 e o P/VPA de 6,54 (Fonte: Fundamentus).

Observando o gráfico dos lucros, mesmo se considerarmos o maior lucro acumulado de 12 meses, o P/L seria de 22,8, ainda muito elevado.



"A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 2,516 bilhões no 1º trimestre, o que representa uma alta de 14,4% na comparação com os 3 primeiros meses do ano passado (R$ 2,199 bilhões). O ganho, entretanto, foi menor do que o registrado no 4º trimestre (R$ 3,299 bilhões). Já o lucro líquido ajustado foi de R$ 2,6 bilhões no 1º trimestre, alta de 12,7% na comparação anual, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (9).

A companhia atribuiu o resultado à redução das despesas financeiras e a um " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/ambev-tem-lucro-de-r-25-bilhoes-no-1-trimestre-alta-de-144.ghtml







AMBEV - (18/05/2018) - Comunicando.

"Segundo Valor Econômico, a Ambev perdeu parte de uma disputa fiscal bilionária ontem no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). A Receita Federal cobra Imposto de Renda (IRPJ) e CSLL sobre os valores de ágio utilizados pela companhia entre 2011 e 2013 - proveniente da incorporação da InBev Holding Brasil, no processo de fusão entre a Ambev e a Interbrew. De acordo com o Formulário de Referência, a autuação é de R$2,8 bilhões, mas ainda não se sabe quanto a empresa teria que arcar após o julgamento.

A chance de perda do caso já era considerada possível pela Ambev e a empresa informa que se tiver que arcar com a autuação, a Anheuser-Busch Inbev reembolsará o valor proporcional (70%) ao seu benefício decorrente da amortização do ágio referido, bem como dos respectivos custos." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7427553/petrobras-cai-olho-cessao-onerosa-bancos-afundam-mais-acoes-ibovespa







AMBEV - (09/05/2018) - Comunicando.

"A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 2,516 bilhões no 1º trimestre, o que representa uma alta de 14,4% na comparação com os 3 primeiros meses do ano passado (R$ 2,199 bilhões). O ganho, entretanto, foi menor do que o registrado no 4º trimestre (R$ 3,299 bilhões). Já o lucro líquido ajustado foi de R$ 2,6 bilhões no 1º trimestre, alta de 12,7% na comparação anual, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (9).

A companhia atribuiu o resultado à redução das despesas financeiras e a um "crescimento orgânico do Ebtida" consolidado de todas as operações – o lucro de juros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, que subiu 10,1% no 1º trimestre, atingindo R$ 4,638 bilhões. A margem Ebitda ajustado subiu 1,2 ponto percentual para 39,9%.

Segundo dados da Nielsen, as vendas totais de cerveja caíram 1,7% em volume em 2017 ante o ano anterior, enquanto que o faturamento cresceu 1,6%, impulsionado pelo crescimento de 13% das vendas de cervejas premium e artesanais, o que segundo os analistas confirma uma tendência mundial de beber menos, mas melhor. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/ambev-tem-lucro-de-r-25-bilhoes-no-1-trimestre-alta-de-144.ghtml







AMBEV - (09/04/2018) - Comunicando.

"As ações da Ambev registram expressiva queda, após o Credit Suisse publicar uma prévia para o balanço do primeiro trimestre. Os analistas esperam volumes de cerveja no Brasil caindo 8% na base anual, devido a: (i) clima desfavorável; (ii) carnaval antecipado; e (iii) base de comparação mais forte em termos de participação de mercado (Ambev teve um desempenho superior versus restante da indústria no primeiro trimestre de 2017).

Além disso, segundo dados da Nielsen, a Ambev mostrando uma ligeira perda de participação. Olhando para refrigerantes, os analistas também esperam uma queda no volume. Mesmo com volumes mais fracos, os analistas esperam um crescimento razoável no Ebitda consolidado de 6% ao ano." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7366017/eletrobras-desaba-eletropaulo-salta-recomendacoes-fazem-gol-disparar-cair







BEBIDAS - (28/03/2018) - Comunicando.

"A Justiça Federal de Goiás decidiu, em uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal, que as cervejarias Ambev, Brasil Kirin (Heineken) e Cervejaria Petrópolis terão que trocar os rótulos de suas cervejas para informar todos os ingredientes usados em suas formulações." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5412691/fabricantes-de-cerveja-terao-que-incluir-ingredientes-nos-rotulos







AMBEV - (27/03/2018) - Comunicando.

"O conselho de administração da Ambev vai propor na assembleia geral ordinária de acionistas, marcada para o dia 27 de abril, a ratificação do pagamento de R$ 4,7 bilhões em dividendos e juros sobre o capital próprio relativos aos resultados de 2017, já aprovado pelo conselho em reuniões anteriores." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5410815/ambev-vai-propor-pagamento-de-r-47-bilhoes-em-dividendos







AMBEV - (08/03/2018) - Pelo visto teremos mais um grande player atuando na área da Ambev em um futuro longínquo.



"A Coca-Cola planeja produzir sua primeira bebida alcoólica em 125 anos de história da empresa. E o lançamento deve ocorrer no Japão.

A empresa tenta entrar no mercado crescente de "chu-hi" - bebidas aromatizadas enlatadas feitas com água gaseificada e shochu, um destilado japonês. Geralmente, o produto possui teor alcóolico de 3% a 8%.

O chu-hi é tido como uma alternativa para a cerveja no Japão e é popular especialmente entre as mulheres. As principais empresas de bebidas do Japão, como Kirin, Suntory e Asahi, têm variedades da empresa." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5368433/coca-cola-prepara-se-para-lancar-primeira-bebida-alcoolica







AMBEV - (07/03/2018) -

As ações da Ambev tem sempre o mesmo problema, oferecem um retorno em lucro muito pior do que os títulos do tesouro nacional, os P/L de 48,28 e o P/VPA de 7,69 (Fonte: Fundamentus) me desanimam em recomendar as ações da empresa.

Só para compreendermos, se o lucro acumulado de 12 meses da empresa fosse de quase R$ 27 BILHÕES, então ele estaria oferecendo uma rentabilidade semelhante ao que os títulos do tesouro oferecem aos investidores, MAS o MELHOR resultado que ela ofereceu foi de R$ 13 BILHÕES entre 2015 e 2016, logo NÃO vale a pena ser sócio dela.



"A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 7,850 bilhões em 2017, 40% menor que os R$ 13,1 bilhões registrados em 2016.

Já no último trimestre, o lucro líquido teve queda de 31,7% - passou de R$ 4,833 bilhões no 3º trimestre para R$ 3,299 bilhões.

O lucro líquido ajustado, que exclui eventos extraordinários do resultado, foi de R$ 4,506 bilhões no 4º trimestre, alta de 23,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. No ano, a alta foi de 2,1% - de R$ 11,949 bilhões em 2016 para R$ 12,199 bilhões em 2017.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado subiu para R$ 7,296 bilhões no último trimestre de 2017, ante R$ 6,014 bilhões no 4º trimestre de 2016, alta de 22%.

No Brasil, os volumes de produção cresceram 2,9%, enquanto a receita líquida por hectolitro aumentou 10,7%. Na América Latina Sul, os volumes cresceram 5,8% e a receita líquida por hectolitro subiu 15,9%.

No Brasil, o destaque foram as vendas de cerveja, que registraram crescimento de 15,2% na receita líquida e de 5,1% nos volumes na comparação com o mesmo período do ano anterior, acima do desempenho da indústria, que ficou estável. No consolidado do ano, o volume de vendas de cerveja no Brasil cresceu 0,7% em 2017 ante 2016 – também acima da indústria." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/lucro-liquido-da-ambev-cai-40-em-2017.ghtml







AMBEV - (01/03/2018) - Comunicando.

"A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 7,850 bilhões em 2017, 40% menor que os R$ 13,1 bilhões registrados em 2016.

Já no último trimestre, o lucro líquido teve queda de 31,7% - passou de R$ 4,833 bilhões no 3º trimestre para R$ 3,299 bilhões.

O lucro líquido ajustado, que exclui eventos extraordinários do resultado, foi de R$ 4,506 bilhões no 4º trimestre, alta de 23,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. No ano, a alta foi de 2,1% - de R$ 11,949 bilhões em 2016 para R$ 12,199 bilhões em 2017.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado subiu para R$ 7,296 bilhões no último trimestre de 2017, ante R$ 6,014 bilhões no 4º trimestre de 2016, alta de 22%.

No Brasil, os volumes de produção cresceram 2,9%, enquanto a receita líquida por hectolitro aumentou 10,7%. Na América Latina Sul, os volumes cresceram 5,8% e a receita líquida por hectolitro subiu 15,9%.

No Brasil, o destaque foram as vendas de cerveja, que registraram crescimento de 15,2% na receita líquida e de 5,1% nos volumes na comparação com o mesmo período do ano anterior, acima do desempenho da indústria, que ficou estável. No consolidado do ano, o volume de vendas de cerveja no Brasil cresceu 0,7% em 2017 ante 2016 – também acima da indústria." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/lucro-liquido-da-ambev-cai-40-em-2017.ghtml







AMBEV - (23/01/2018) - Comunicando.

"O empresário Marcel Telles, um dos três nomes por trás do império formado pela AB InBev, Burger King e Heinz na 3G, renunciou ao seu assento no Conselho de Administração da Ambev. O Conselho elegeu Milton Seligman para ocupar o cargo antes ocupado por Telles até a AGO (Assembleia Geral Ordinária) de 2020, segundo comunicado ao mercado referente à reunião do conselho do dia 11 de janeiro. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7220511/marcel-telles-renuncia-conselho-ambev-eleva-bradesco-btg-upside-para







AMBEV - (22/01/2018) - Comunicando.

"A Ambev concluiu a compra de 30% da Tenedora, titular de quase a totalidade da Cervecería Nacional Dominicana, passando a deter agora 85% da companhia. Anunciada pela Ambev no mês passado, a operação envolveu o pagamento de US$ 926,5 milhões à E. León Jimenez (ELJ), que possui fatia de 15% na companhia." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7217633/novas-opcoes-para-acordo-embraer-boeing-recomendacoes-petrobras-compliance-jbs







AMBEV - (04/12/2017) - Comunicando.

"A AmBev informou nesta sexta-feira que a E. León Jimenes (ELJ), sua sócia na Tenedora -holding dona da Cervecería Nacional Dominicana-, exerceu parcialmente uma opção de venda de aproximadamente 30 por cento do capital da Tenedora.

Com isso, a AmBev pagará à ELJ 926,5 milhões de dólares e passará a ser titular de aproximadamente 85 por cento da Tenedora, deixando a ELJ com os 15 por cento remanescentes." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/negocios/ambev-paga-us9265-mi-a-elj-e-amplia-fatia-em-cervejaria/







AMBEV - (30/10/2017) - A ação (P/L de 37,22) tem subido com o Ibovespa e tem ficado cada vez mais cara em relação a rentabilidade oferecida pelos títulos do tesouro (P/L de 12.76). Além disso, se observarmos a relação P/VPA de 7,01 (Fonte: Fundamentus) vemos uma ação bastante cara em relação ao seu valor patrimonial. Esse preço caro NÃO é somente devido ao acorno no Refis, ele se mantém assim durante muito tempo. Prefiro sugerir compra de outros ativos ou de títulos do tesouro.

"A Ambev registrou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 223 mil no terceiro trimestre, praticamente zerando os ganhos de R$ 3,06 bilhões obtidos no mesmo período de 2016. O resultado da companhia foi afetado principalmente por um ajuste tributário de R$ 2,97 bilhões por conta da adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), o chamado Refis. O lucro líquido ajustado da companhia, que exclui a provisão do Refis, subiu 1,2%, para R$ 3,24 bilhões.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda na sigla em inglês) ajustado subiu 13,8% no período, para R$ 4,55 bilhões.

A Ambev viu a queda nas vendas de cerveja no Brasil atingir diretamente seus resultados operacionais do terceiro trimestre, com o volume de bebidas caindo 4% no país, para 24,67 milhões de hectolitros. A queda foi influenciada diretamente pelo recuo de 5,4% do volume de cerveja no Brasil, para 18,49 milhões de hectolitros." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5170214/ambev-quase-zera-lucro-no-trimestre-devido-ao-refis







AMBEV - (26/10/2017) - Comunicando.

"A Ambev registrou lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 223 mil no terceiro trimestre, praticamente zerando os ganhos de R$ 3,06 bilhões obtidos no mesmo período de 2016. O resultado da companhia foi afetado principalmente por um ajuste tributário de R$ 2,97 bilhões por conta da adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), o chamado Refis. O lucro líquido ajustado da companhia, que exclui a provisão do Refis, subiu 1,2%, para R$ 3,24 bilhões.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda na sigla em inglês) ajustado subiu 13,8% no período, para R$ 4,55 bilhões.

A Ambev viu a queda nas vendas de cerveja no Brasil atingir diretamente seus resultados operacionais do terceiro trimestre, com o volume de bebidas caindo 4% no país, para 24,67 milhões de hectolitros. A queda foi influenciada diretamente pelo recuo de 5,4% do volume de cerveja no Brasil, para 18,49 milhões de hectolitros." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5170214/ambev-quase-zera-lucro-no-trimestre-devido-ao-refis







AMBEV - (03/10/2017) - Comunicando.

"No noticiário, a companhia informou ter aderido ao Programa Especial de Regularização Tributária envolvendo contingências tributárias da companhia e suas subsidiárias, disse a empresa em comunicado ao mercado no site da CVM. As contingências relevantes já eram divulgadas no seu Formulário de Referência anual e nos seus informes financeiros. O valor global envolvido é de aproximadamente R$ 3,5 bilhões e cerca de R$ 1,0 bilhões será pago ainda em 2017. O restante será pago em 145 parcelas mensais a partir de janeiro de 2018. O impacto na demonstração de resultados será uma despesa de aproximadamente R$ 3,1 bilhões, sem efeitos relevantes sobre o Ebitda, declarou a companhia." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6985563/compra-fundamentalista-grafica-acao-b2w-dispara-petrobras-ignora-queda-petroleo







AMBEV - (02/10/2017) - Comunicando.

"A fabricante de bebidas Ambev (ABEV3.SA) informou nesta sexta-feira a adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), que envolve contingências tributárias de cerca de 3,5 bilhões de reais. Desse total, aproximadamente 1 bilhão de reais serão pagos em 2017 e o restante em 145 parcelas mensais a partir de janeiro de 2018. Segundo a companhia, o impacto no balanço será uma despesa de aproximadamente 3,1 bilhões de reais. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1C436R-OBRBS







AMBEV - (28/07/2017) -

Eu prefiro comprar títulos do tesouro nacional que apresentam uma melhor rentabilidade do que as ações da empresa. O P/L está em 25,1, com os lucros relativamente estáveis desde 2015 e o P/VPA em 6,3 (Fonte: Guiainvest), ou seja, a ação está cara.NÃO indico.

"A Ambev teve lucro líquido de R$ 2,125 bilhões no segundo trimestre, queda de 2,2% ante mesmo período do ano passado.

A companhia, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, teve geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 3,943 bilhões no período, baixa de 6,2% na comparação anual." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (28/07/2017) - Ruim para a Ambev e para as empresas do setor de bebidas.

"A Ambev diminuiu em 1,3% as vendas em volume de cerveja no Brasil nos meses de abril a junho deste ano ante igual período do ano passado. A queda, segundo a companhia, foi menor que a da média da indústria de cerveja. A fabricante de bebidas citou dados da Nielsen apontando que, no mesmo período, a totalidade das cervejarias encolheu volumes em 2,7%.

Já o volume de refrigerantes e outras bebidas não-alcoólicas caiu 14,1% no segundo trimestre, chegando a 5,548 milhões de hectolitros entre abril e junho deste ano. A Ambev afirmou que, neste mercado, seu desempenho foi pior que a média. A empresa informou que, de acordo com a Nielsen, a indústria de refrigerantes caiu 9,7%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (28/07/2017) - Comunicando.

"Após fechar o segundo trimestre com queda no lucro e na receita, a Ambev já tem desenhada a estratégia para recuperar o crescimento no terceiro trimestre: vai aumentar os preços da cerveja e gastar menos com matérias-primas - alguns insumos, como o alumínio e cevada, estão mais baratos e o câmbio, mais favorável.

Bernardo Paiva, presidente da Ambev, disse em teleconferência que o reajuste será feito em linha com a inflação. No acumulado de 12 meses até junho, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 2,93% para a cerveja consumida em casa e de 3,88% para a cerveja consumida fora do domicílio." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (27/07/2017) - Comunicando.

"A Ambev teve lucro líquido de R$ 2,125 bilhões no segundo trimestre, queda de 2,2% ante mesmo período do ano passado.

A companhia, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, teve geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 3,943 bilhões no período, baixa de 6,2% na comparação anual." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (27/06/2017) - Reduzindo preços e provavelmente lucratividade.

"... Nas andanças pelo País, conversando com donos de bares e supermercados, o executivo entendeu que era preciso evitar que o cliente trocasse a Ambev por marcas mais baratas – especialmente num cenário em que a Kirin, dona da Schin, fazia promoções agressivas. Segundo analistas, o “pulo do gato” da Ambev foi achar um jeito de oferecer suas principais marcas, como Brahma e Skol, a preços mais baixos que os das rivais." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (31/05/2017) - Comunicando.

"A maior parte das fabricantes de bebidas alcoólicas mistas (unem destilado ou cerveja a sucos, chás e refrigerantes) perdeu vendas para a Ambev, dona de Skol Beats, em 2016. A cervejaria triplicou sua participação de mercado em um ano e ultrapassou, pela primeira vez, a concorrente Smirnoff Ice, controlada pela Diageo, tomando a liderança." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (10/05/2017) - Embora as ações da empresa tenham subido bem menos do que o Ibovespa nos últimos 12 meses, a ação continua bastante cara com P/L de 23,8 e P/VPA de 6,1 (Fonte: Guiainvest). NÃO indico.

"A Ambev registrou lucro líquido de R$ 2,199 bilhões no primeiro trimestre de 2017, em queda de 20,4% ante o lucro líquido de R$ 2,766 bilhões no primeiro trimestre de 2016, segundo demonstração de resultados divulgada pela companhia na madrugada desta quinta-feira.

O Ebitda ajustado da empresa no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 4,356 bilhões, um recuo de 17,3% sobre o resultado de um ano antes, R$ 5,264 bilhões.

Segundo os dados arquivados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a receita líquida da empresa no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 11,241 bilhões, em queda de 2,7% ante os R$ 11,565 bilhões no primeiro trimestre de 2016.

O lucro operacional da Ambev no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 3,500 bilhões, em queda de 20,4% sobre os R$ 4,401 bilhões do mesmo trimestre do ano anterior.

A despesa financeira líquida da companhia caiu 25,5% no primeiro trimestre de 2017, para R$ 872 milhões, ante R$ 1,171 bilhão no primeiro trimestre de 2016." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (10/05/2017) - Ruim para a Ambev se mudar.

"Após reunião na manhã desta terça-feira do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do presidente da Ambev, Bernardo Paiva, os dois lados desconversaram sobre o “jabuti” incluído na medida provisória (MP) do Refis e que retira incentivos fiscais da empresa pela produção de refrigerantes na zona franca de Manaus.

Rodrigo Maia afirmou que a reunião tratou do projeto de convalidação dos incentivos fiscais dos Estados. Já a Ambev, por meio de sua assessoria, disse que o assunto foi uma pauta ampla, sobre o que a empresa espera para este ano diante dos indicadores atuais da economia e logo após a companhia apresentar seu balanço do 1º trimestre.

A reunião ocorre menos de uma semana após comissão mista do Congresso aprovar emenda à MP do Refis, dentro do parecer do deputado Newton Cardoso (PMDB-MG), para reduzir os incentivos tributários para fabricantes de refrigerantes na zona franca de Manaus, entre eles a Ambev, Coca-Cola, Brasil Kirin e Pepsi.

Essas fabricantes recebem créditos de 20% do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os extratos e concentrados produzidos e que são utilizados para abater impostos de outros produtos fabricados fora da região, como cervejas, por exemplo. A emenda reduz os créditos a 4% e veda a utilização para outros produtos, tirando parte da atratividade. A renúncia de receita do governo federal com esses incentivos chega a R$ 7 bilhões por ano." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (04/05/2017) - Comunicando.

"A Ambev registrou lucro líquido de R$ 2,199 bilhões no primeiro trimestre de 2017, em queda de 20,4% ante o lucro líquido de R$ 2,766 bilhões no primeiro trimestre de 2016, segundo demonstração de resultados divulgada pela companhia na madrugada desta quinta-feira.

O Ebitda ajustado da empresa no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 4,356 bilhões, um recuo de 17,3% sobre o resultado de um ano antes, R$ 5,264 bilhões.

Segundo os dados arquivados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a receita líquida da empresa no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 11,241 bilhões, em queda de 2,7% ante os R$ 11,565 bilhões no primeiro trimestre de 2016.

O lucro operacional da Ambev no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 3,500 bilhões, em queda de 20,4% sobre os R$ 4,401 bilhões do mesmo trimestre do ano anterior.

A despesa financeira líquida da companhia caiu 25,5% no primeiro trimestre de 2017, para R$ 872 milhões, ante R$ 1,171 bilhão no primeiro trimestre de 2016." (Fonte: Valor Econômico)







AMBEV - (17/04/2017) - Comunicando.

"Segundo informações da coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, a Ambev comunicou nesta quarta-feira ao governador Luiz Fernando Pezão sua decisão de não construir uma fábrica de latas em Santa Cruz, orçada em US$ 500 milhões. O motivo da desistência seria o questionamento da oposição a
Pezão sobre abrir mão de cerca de R$ 650 milhões em ICMS." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (17/04/2017) - Comunicando.

"Segundo informações da coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, a Ambev comunicou nesta quarta-feira ao governador Luiz Fernando Pezão sua decisão de não construir uma fábrica de latas em Santa Cruz, orçada em US$ 500 milhões. O motivo da desistência seria o questionamento da oposição a
Pezão sobre abrir mão de cerca de R$ 650 milhões em ICMS." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (13/04/2017) - Comunicando.

"Nada como a concorrência. Segundo relatório recém-elaborado pelo Bradesco, ao longo de 2016 a AmBev reajustou seus preços em apenas 1%. O índice ficou abaixou do aumento promovido pela Heineken (2%) – ambos bem inferiores à inflação de 2016 (6,29%). Como se não bastasse este confronto direto, que ganhou mais levedura com a venda da Brasil Kirin para os holandeses, a empresa de Jorge Paulo Lemann está segurando seus preços na tentativa de recuperar o terreno perdido em 2016. No ano passado, a AmBev amargou uma redução das vendas de 6,6% e uma queda de market share de 67,5% para 66,3%. Parte do mercado que deixou pelo caminho foi absorvida pela própria Brasil Kirin, que aumentou o volume de cerveja comercializado em 1,3%. Vale lembrar que cada pontinho percentual perdido representa mais de R$ 800 milhões de receita anual que escorrem pelo ralo." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (06/04/2017) - Comunicando.

"O governo do Rio enviou nesta quarta à Assembleia Legislativa proposta de projeto de lei que garante incentivo fiscal de até R$ 650 milhões à Ambev. A proposta prevê a postergação do pagamento de ICMS da unidade por um período de 20 anos, até o valor de R$ 650 milhões. Ao final do prazo será pago com uma correção de 3% ao ano." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








AMBEV - (27/03/2017) - Como falo há anos e mantenho minha opinião as ações da empresa está ainda MUITO caras, mesmo com a queda nos preços nos últimos 12 meses. O P/L está em 22,1 e o P/VPA em 6,2 (Fonte: Guiainvest) com lucros relativamente estáveis desde o fim de 2014. NÃO adquira ações da empresa pois tem outras mais atraentes.

"A AmBev teve lucro líquido atribuível aos sócios controladores de R$ 4,672 bilhões no quarto trimestre de 2016, 12,5% acima dos R$ 4,153 bilhões no quarto trimestre de 2015. No ano de 2016 como um todo, o lucro líquido atribuível aos controladores foi de R$ 12,546 bilhões, 1% acima dos R$ 12,423 bilhões de 2015. As informações foram divulgadas pela companhia na madrugada desta quinta-feira.

A receita líquida de vendas teve declínio de 13,9% no quarto trimestre de 2016, para R$ 13,177 bilhões, ante R$ 15,296 bilhões em igual período de 2015. A receita total em 2016 foi de R$ 45,602 bilhões, 2,4% menor que os R$ 46,720 bilhões em 2015.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou em R$ 6,014 bilhões no último trimestre de 2016, importância 25% inferior aos R$ 8,021 bilhões no mesmo intervalo de 2015. No ano fechado de 2106, o Ebitda da companhia ficou em R$ 19,483 bilhões, queda de 12,4% sobre os R$ 22,209 bilhões em 2015. A margem Ebitda também recuou nas duas comparações: de 52,4% no quarto trimestre de 2015 para 45,6% no mesmo período do ano passado, e de 47,5% em 2015 para 42,7% em 2016." (Fonte: Valor Econômico)







AMBEV - (27/03/2017) - Comunicando.

"A Ambev encontrou uma "fraqueza material" nos seus controles e procedimentos de divulgação de informações em 2016, segundo o balanço anual entregue ao regulador do mercado de capitais americano." (Fonte: Valor Econômico)







AMBEV - (23/03/2017) - Comunicando.

"O mercado brasileiro de cerveja deu alguns sinais de recuperação no primeiro bimestre de 2017, embora não existam dados fechados do volume total vendido no país no período. Informações do varejo indicam crescimento de até 40% nas vendas de algumas marcas de neste ano, em comparação a 2016. Para os meses de março e abril, supermercados elevaram as encomendas em 4,5% em relação ao mesmo intervalo do ano passado. " (Fonte: Valor Econômico)







AMBEV - (20/03/2017) - Comunicando.

"o Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, envia nesta sexta-feira à Assembleia Legislativa do
estado projeto que concede incentivos fiscais à AB Inbev para construção de uma fábrica de latas de alumínio, disse Ancelmo Gois, colunista de O Globo. O projeto é orçado em R$ 650 milhões e vinha sendo disputado pelo México, diz o colunista." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (02/03/2017) - Comunicando.

"A AmBev teve lucro líquido atribuível aos sócios controladores de R$ 4,672 bilhões no quarto trimestre de 2016, 12,5% acima dos R$ 4,153 bilhões no quarto trimestre de 2015. No ano de 2016 como um todo, o lucro líquido atribuível aos controladores foi de R$ 12,546 bilhões, 1% acima dos R$ 12,423 bilhões de 2015. As informações foram divulgadas pela companhia na madrugada desta quinta-feira.

A receita líquida de vendas teve declínio de 13,9% no quarto trimestre de 2016, para R$ 13,177 bilhões, ante R$ 15,296 bilhões em igual período de 2015. A receita total em 2016 foi de R$ 45,602 bilhões, 2,4% menor que os R$ 46,720 bilhões em 2015.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou em R$ 6,014 bilhões no último trimestre de 2016, importância 25% inferior aos R$ 8,021 bilhões no mesmo intervalo de 2015. No ano fechado de 2106, o Ebitda da companhia ficou em R$ 19,483 bilhões, queda de 12,4% sobre os R$ 22,209 bilhões em 2015. A margem Ebitda também recuou nas duas comparações: de 52,4% no quarto trimestre de 2015 para 45,6% no mesmo período do ano passado, e de 47,5% em 2015 para 42,7% em 2016." (Fonte: Valor Econômico)







AMBEV - (26/12/2016) - Comunicando.

"A Justiça do Rio de Janeiro determinou que a Ambev deposite 40 milhões de reais para o Estado como garantia de pagamento de dívida atrelada ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), segundo nota divulgada nesta sexta-feira pelo governo estadual. A decisão foi tomada pelo juiz João Luiz Amorim Franco, da 11ª Vara da Fazenda Pública, que acatou ação movida pela Procuradoria Geral do Estado. O governo estadual poderá usar até 70 por cento dos recursos depositados pela empresa de bebidas para pagamento de dívidas." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (05/12/2016) - Comunicando.

"O conselho de administração da Ambev aprovou nesta quinta-feira (1º) o pagamento de R$ 3,5 bilhões em juros sobre capital próprio referentes ao exercício de 2016, correspondente a R$ 0,22 por ação. O pagamento dos proventos será realizado em 29 de dezembro aos acionistas com posição no dia 21 de dezembro no que se refere à BM&FBovespa e 27 de dezembro em relação à Bolsa de Nova York." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (05/12/2016) - Comunicando.

"Dados do Sicobe de novembro mostram queda de 4% da produção de cerveja na comparação anual em novembro, retornando para patamares de 2011." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (23/11/2016) - Comunicando.

"Até Jorge Paulo Lemann está sentindo a crise no Brasil. Segundo a Folha, ele comentou com o presidente do Bradesco que “a vida está dura e difícil até para vender cerveja”. Lemann é dono da Ambev." (Fonte: Exame)







AMBEV - (07/11/2016) - A ação é muito cara há muito tempo e deve continuar assim por um bom tempo. Cara significa que ela apresenta um péssimo retorno sobre o dinheiro investido e a ação também vale muito mais do que o seu valor em patrimônio líquido. O P/L está em 22,2 e o P/VPA em 5,7 (Fonte: Guiainvest). Continuo recomendando NÃO comprar ações da empresa.

"A companhia de bebidas Ambev teve lucro líquido ajustado de cerca de 3,2 bilhões de reais no terceiro trimestre, crescimento de 3,6 por cento sobre o desempenho apresentado no mesmo período de 2015.

A empresa apurou geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de aproximadamente 4 bilhões de reais de julho a setembro, uma queda de quase 20 por cento no comparativo anual." (Fonte: Exame)







AMBEV - (04/11/2016) - Comunicando.

"A Brasil Kirin vende Macacu Bebidas para a Ambev por R$ 486 milhões. " (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (03/11/2016) - Comunicando.

"A produção de cerveja no Brasil abriu o último trimestre do ano em baixa, recuando 2 por cento em outubro sobre o mesmo mês de 2015, a 12,542 milhões de hectolitros, segundo dados disponibilizados pela Receita Federal. Já a produção de refrigerantes no mês passado despencou 13,4 por cento no mesmo comparativo, a 12,089 milhões de hectolitros. Ante setembro, porém, a produção de cerveja do país em outubro subiu 3,8 por cento e o volume produzido de refrigerante teve incremento de 6,4 por cento." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (03/11/2016) - Comunicando.

"A Coca-Cola, Ambev e Britvic mostraram interesse preliminar em compra de participação na fabricante brasileira de sucos Natural One, afirmaram duas fontes com conhecimento direto do assunto à Reuters. " (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (31/10/2016) - Comunicando.

"A companhia de bebidas Ambev teve lucro líquido ajustado de cerca de 3,2 bilhões de reais no terceiro trimestre, crescimento de 3,6 por cento sobre o desempenho apresentado no mesmo período de 2015.

A empresa apurou geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de aproximadamente 4 bilhões de reais de julho a setembro, uma queda de quase 20 por cento no comparativo anual." (Fonte: Exame)







AMBEV - (20/10/2016) - Comunicando.

"A Ambev (ABEV3) anunciou nesta noite que seu conselho de administração, em reunião realizada hoje, aprovou a distribuição de dividendos de R$ 0,16 por ação, totalizando R$ 2,4 bilhões, com base no balanço extraordinário de 30 de setembro de 2016. Os pagamentos serão efetuados a partir de 25 de novembro de 2016, com base na posição acionária de 31 de outubro de 2016 no que se refere à BM&FBovespa e 3 de novembro no que se refere à Nyse. As ações e os ADRs (American Depositary Receipts) da companhia passarão a ser negociados ex-dividendos a partir de 1° de novembro de 2016. " (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (14/10/2016) - Comunicando.

"Ambev, Heineken, Coca-Cola e outras produtoras bebidas lutam contra uma mudança no sistema de monitoramento da produção para fins de tributação que, segundo elas, deixará a indústria exposta a fraudes e colocará segredos comerciais em risco. No novo Bloco K, as empresas ficarão responsáveis por informar à Receita, manualmente, a quantidade de ingredientes comprados e os volumes produzidos por elas." (Fonte: Exame)







BEBIDAS - (05/10/2016) - Comunicando.

"No mês de setembro, a produção ficou estável, na comparação com o mesmo período de 2015, totalizando 1,207 bilhão de litros. Já no acumulado do trimestre, a produção de cerveja ficou 0,9% abaixo do volume apresentado no mesmoperíodo do ano passado. De julho a setembro deste ano, a produção somou 3,259 bilhões de litros. " (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (01/09/2016) - Comunicando. "A produção de cerveja no Brasil em agosto somou 10,856 milhões de hectolitros ante 10,977 milhões produzidos no mesmo período do ano passado, segundo dados disponibilizados pela Receita Federal. Já a produção de refrigerantes foi de 11,538 milhões de hectolitros em agosto ante 11,756 milhões na comparação anual." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (05/08/2016) - O lucro acumulado dos últimos 12 meses da empresa vem caindo levemente desde o meio de 2015, mas as cotações na bolsa vem se mantido relativamente estáveis, o P/L das ações está em 23,7 e o P/VPA em 6,4 (Fonte: Guiainvest), com os dois múltiplos mostrando uma ação bastante cara, logo NÃO recomendo ter ações da empresa.

"A maior cervejaria da América Latina, Ambev, teve queda de 22,4 por cento no lucro líquido do segundo trimestre, a 2,195 bilhões de reais, em resultado marcado por queda nas vendas em volume e que trouxe corte na perspectiva de receita da empresa no Brasil neste ano. A Ambev, que viu as vendas vem volume recuarem 6 por cento no segundo trimestre, pressionadas principalmente por quedas no Brasil e Argentina, apurou crescimento na receita líquida de 4,7 por cento, a 10,377 bilhões de reais, ajudada por produtos premium e "iniciativas de gestão de receita". " (Fonte: Exame)







AMBEV - (29/07/2016) - Comunicando. "A maior cervejaria da América Latina, Ambev, teve queda de 22,4 por cento no lucro líquido do segundo trimestre, a 2,195 bilhões de reais, em resultado marcado por queda nas vendas em volume e que trouxe corte na perspectiva de receita da empresa no Brasil neste ano. A Ambev, que viu as vendas vem volume recuarem 6 por cento no segundo trimestre, pressionadas principalmente por quedas no Brasil e Argentina, apurou crescimento na receita líquida de 4,7 por cento, a 10,377 bilhões de reais, ajudada por produtos premium e "iniciativas de gestão de receita". " (Fonte: Exame)







AMBEV - (04/07/2016) - Comunicando. "A indústria de bebidas do país, liderada pela Ambev produziu 9,642 milhões de hectolitros de cerveja em junho, quedas de 1,2 por cento sobre um ano antes e de 4 por cento sobre maio. Apesar disso, a produção da bebida no segundo trimestre deste ano cresceu 3,2 por cento sobre o fraco desempenho mostrado no mesmo período de 2015, para cerca de 29 milhões de hectolitros, segundo os dados do sistema da Receita de acompanhamento do setor. A produção de refrigerantes, enquanto isso foi de 9,563 milhões de hectolitros no mês passado, quedas de 8,16 por cento sobre junho do ano passado e de 16 por cento sobre maio desde ano. Desde pelo menos 2011, a produção de refrigerante do país em um único mês nunca tinha ficado abaixo dos 10 milhões de hectolitros." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (01/07/2016) - Comunicando. "Segundo o Valor, a União Europeia abriu nesta quinta-feira uma investigação formal antitruste sobre práticas da AB InBev, controladora da Ambev (ABEV3), no mercado de cervejas da Bélgica. A UE cita preocupações de que isso poderia estar impedindo as importações de cervejas de mercados mais baratos nos países vizinhos. A Comissão Europeia investigará se a empresa abusou do seu domínio de mercado para restringir a importação de cerveja de mercados mais baratos, como Holanda e França, para o mercado belga, mais caro." (Fonte: Infomoney)

Comunicando. "A produção de cerveja no Brasil em junho somou 9,642 milhões de hectolitros ante 9,759 milhões produzidos no mesmo período do ano passado, segundo dados disponibilizados pela Receita Federal. Já a produção de refrigerantes foi de 9,563 milhões de hectolitros em junho ante 10,412 milhões na comparação anual." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (13/05/2016) - Comunicando. "A Ambev vai transferir para a sua controladora, a Anheuser-Busch InBev, as suas operações no Equador, Peru e Colômbia, de acordo com fato relevante divulgado nesta quinta-feira pela companhia brasileira. Ao mesmo tempo, a Ambev irá receber de sua controladora a operação da SABMiller no Panamá." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (10/05/2016) - A ação prossegue MUITO CARA, prefiro recomendar a compra de títulos do tesouro, o P/L está em 23,1 e o P/VPA em 6 (Fonte: Guiainvest), NÃO recomendo ter ações da empresa.

"A gigante de bebidas Ambev teve lucro líquido ajustado de 2,9 bilhões de reais de janeiro a março, queda de 2,4 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, informou nesta quarta-feira. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado ficou em 5,26 bilhões de reais, avanço anual de 3,8 por cento." (Fonte: Exame)







AMBEV - (04/05/2016) - Comunicando. "A gigante de bebidas Ambev teve lucro líquido ajustado de 2,9 bilhões de reais de janeiro a março, queda de 2,4 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, informou nesta quarta-feira. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado ficou em 5,26 bilhões de reais, avanço anual de 3,8 por cento." (Fonte: Exame)







AMBEV - (26/04/2016) - Comunicando. "A AmBev anunciou a aquisição da fabricante da marca de sucos 'do bem', por valor não revelado. "A transação não é material para a Ambev e, em momento oportuno, daremos mais detalhes", disse a empresa. Criada em 2007 no Rio de Janeiro, a do bem hoje tem operações na França, Espanha e Portugal. A companhia produz sucos e chás embalados e barras de cereais." (Fonte: Exame)







AMBEV - (11/04/2016) - Comunicando, mas acredito que não será aprovada pelo CADE já que temos um quase monopólio no Brasil por parte da Ambev. "A Ambev pretende comprar a fábrica da Brasil Kirin, do grupo japonês Kirin Holdings, dedicada à produção e envase de bebidas em Cachoeiras de Macacu, no Rio de Janeiro. O negócio foi divulgado em publicação no Diário Oficial da União desta sexta-feira (8) pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que deu publicidade à operação, ainda não aprovada pelo órgão antitruste." (Fonte: UOL)

Comunicando. "A fabricação de refrigerantes no Brasil pode ter mais um ano de queda na produção em 2016. Depois de um recuo de quase 6% no volume de bebida produzido em 2015, pior resultado em cinco anos, o setor vê o risco de uma nova retração igual ou até superior em 2016, conforme o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas (ABIR), Alexandre Jobim." (Fonte: Exame)







AMBEV - (07/04/2016) - Comunicando. "A Ambev apresentou a seus acionistas uma proposta para incorporar as subsidiárias Cervejarias Reunidas Skol Caracu e Eagle Distribuidora de Bebidas. O objetivo, de acordo com a fabricante de bebidas, "é simplificar ainda mais a sua estrutura societária e reduzir custos operacionais e administrativos"." (Fonte: Exame)







AMBEV - (04/04/2016) - Comunicando resultado bastante ruim de produção. "A produção brasileira de cerveja recuou 18% em março, em relação ao mesmo mês de 2015, totalizando 916,9 milhões de litros. Os dados são do Sistema de Controle da Produção de Bebidas (Sicobe), da Receita Federal. De janeiro a março, a produção somou 3,34 bilhões de litros, o que representa recuo de 6,8% na comparação com igual período de 2015." (Fonte: http://www.valor.com.br - Valor Econômico)







AMBEV - (02/03/2016) - Comunicando. "A produção brasileira de cerveja caiu 2,91% em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com dados prévios do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe), da Receita Federal. No mês, foram produzidos 1,125 bilhão de litros de cerveja." (Fonte: Brasil Econômico)







AMBEV - (02/03/2016) - A ação continua MUITO CARA apresentando um P/L de 22,2 e um P/VPA de 5,7 (Fonte: Guiainvest), portanto continuo recomendando NÃO ser sócio da empresa. Além disto os impostos estão subindo para o setor e com a crise está difícil repassar os custos para o consumidor final.

"A Ambev teve lucro líquido de 4,259 bilhões de reais no quarto trimestre, queda ante os 4,659 bilhões de reais no mesmo período de 2014. A companhia de bebidas teve resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 8,02 bilhões de reais, alta os 6,8 bilhões de reais de um ano antes." (Fonte: Reuters) "Enquanto isso, a receita líquida registrou uma alta de 25% nos três últimos meses de 2015, ficando em R$ 15,30 bilhões, ao passo que, no acumulado do ano passado, a evolução da receita foi de 22,7%, passando de R$ 38,08 bilhões em 2014 para R$ 46,72 bilhões. Segundo a companhia, a melhora ocorreu por conta de crescimentos de vendas no Brasil (+7,0%), América Central e Caribe (+10,0%), América Latina Sul (+24,7%) e no Canadá (+4,0%). O Ebitda (lucro antes de juros impostos depreciação e amortização) ajustado atingiu R$ 8,02 bilhões no quarto trimestre do ano passado, o que corresponde a uma alta de 7% em comparação com o mesmo período em 2014, mas que provocou uma compressão de margem bruta e Ebitda de 40 pontos-base e 170 pontos-base, respectivamente. No acumulado do ano, o indicador ajustado chegou a R$ 22.210 milhões (+12,4%)." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (01/03/2016) - Comunicando. "A produção de cerveja no Brasil em fevereiro somou 11,257 milhões de hectolitros ante 11,595 milhões produzidos no mesmo período do ano passado, segundo dados disponibilizados pela Receita Federal. Já a produção de refrigerantes foi de 11,167 milhões de hectolitros em fevereiro ante 11,890 milhões na comparação anual." (Fonte: Reuters)







AMBEV - (25/02/2016) - Comunicando. "A Ambev teve lucro líquido de 4,259 bilhões de reais no quarto trimestre, queda ante os 4,659 bilhões de reais no mesmo período de 2014. A companhia de bebidas teve resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 8,02 bilhões de reais, alta os 6,8 bilhões de reais de um ano antes." (Fonte: Reuters) "Enquanto isso, a receita líquida registrou uma alta de 25% nos três últimos meses de 2015, ficando em R$ 15,30 bilhões, ao passo que, no acumulado do ano passado, a evolução da receita foi de 22,7%, passando de R$ 38,08 bilhões em 2014 para R$ 46,72 bilhões. Segundo a companhia, a melhora ocorreu por conta de crescimentos de vendas no Brasil (+7,0%), América Central e Caribe (+10,0%), América Latina Sul (+24,7%) e no Canadá (+4,0%). O Ebitda (lucro antes de juros impostos depreciação e amortização) ajustado atingiu R$ 8,02 bilhões no quarto trimestre do ano passado, o que corresponde a uma alta de 7% em comparação com o mesmo período em 2014, mas que provocou uma compressão de margem bruta e Ebitda de 40 pontos-base e 170 pontos-base, respectivamente. No acumulado do ano, o indicador ajustado chegou a R$ 22.210 milhões (+12,4%)." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (02/02/2016) - Piorando para a empresa a situação devido ao aumento de impostos, mas ainda temos de ver os resultados no balanço, pois o aumento de preços em um quase monopólio pode até aumentar os lucros da empresa. "A produção de cervejas no Brasil atingiu 1,29 bilhão de litros em janeiro, queda de 0,75% em relação a igual período de 2015. Os dados são do Sistema de Controle da Produção de Bebidas (Sicobe), da Receita Federal. A queda é reflexo do ambiente macroeconômico, com inflação alta, aumento do nível de desemprego e diminuição da renda real das famílias. Outro fator que dificulta a retomada do setor é o aumento da alíquota de ICMS para cervejas realizado por dez Estados, que leva ao aumento de preços ao consumidor. Em São Paulo, por exemplo, a alíquota subiu de 18% para 20%. A fabricação de refrigerantes diminuiu 11,8% no primeiro mês de 2016, para 1,21 bilhão de litros." (Fonte: http://www.valor.com.br - Valor Econômico)







AMBEV - (18/01/2016) - Comunicando. "A Ambev (ABEV3) informou na noite desta sexta-feira (15) que seu Conselho de Administração aprovou a distribuição de juros sobre capital próprio de R$ 0,13 por ação, que serão deduzidos do resultado acumulado de 2015. Considerando a tributação que ocorre, o valor líquido que deverá ser pago será R$ 0,1105 por papel, com exceção dos acionistas pessoas jurídica. O pagamento ocorrerá no dia 29 de fevereiro, considerando a base acionária de 29 de janeiro." (Fonte: Infomoney)







AMBEV - (05/01/2016) - Comunicando notícias ruins para as empresas do setor de bebidas. "A produção brasileira de cerveja caiu 0,93% em dezembro de 2015 na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Com isso, o setor encerrou o ano com queda de 1,99% na produção, que foi de 13,855 bilhões de litros de cerveja de janeiro a dezembro. É a segunda vez desde 2010 que o setor cervejeiro apresenta retração anual. Em 2013, que havia sido o pior ano até o momento, também houve recuo de 1,99%. Nos canais de autosserviço, como supermercados, por exemplo, o volume vendido de bebidas alcoólicas caiu 2,1% até agosto de 2015 ante igual período do ano anterior, segundo dados da Nielsen. Nas não-alcoólicas, como refrigerantes, o recuo foi ainda maior: de 3,9%. Outro fator relevante é a alta de custos diante do impacto da depreciação do real em insumos dolarizados, caso do alumínio." (Fonte: IstoÉ)












  Ricardo Borges Financial Training
+55 21 98655-8009 (somente de 11:00hs até às 18:00hs)
 Email - ricardoborges@ricardoborges.com
 
Anuncie Aqui I Consultoria I Conteúdos Sites I Cursos On Line I Política de Privacidade I Termos de Uso

Fórum projecao.com

Debates em tempo real sobre investimento em ações e futuros na B3.

Venha participar!!!

Notícias Comentadas

Principais notícias para quem quer acompanhar o mercado e manchetes dos jornais econômicos.
Aperte aqui e saiba mais!!!

Boletim diário Insider

Análises Ibovespa, dólar, DJIA, principais ações e as indicadas por nós.

Aperte aqui e saiba mais!!!

apoia.se projecao.com

Ajude o projecao.com a manter e melhorar o grupo de debates.

Aperte aqui e saiba mais!!!

 Anúncios projecao.com Apoie o projecao.com -> Aqui