Login Fórum Exploração Suportes&Res Fundamentos Notícias Dados MetaStock Cursos
IBOV DJIA INDFUT ITUB4 VALE3 BBDC4 ABEV3 PETR4 ITSA4 SULA11 SAPR4 MRVE3 ABCB4 ALUP11 SBSP3 CPLE6
Para assinar um de nossos boletins basta clicar aqui


ITSA4 - Gráficos e análise técnica projecao.com
Fundamentus Guia Invest Grafico Bussola
ITSA4: ITAÚSA PN
Suportes   9.89   9.56   9.30   9.29   9.16   8.78   8.61
Resistências   10.68   10.96   11.02   11.03   11.24   11.60   11.70
Data Última Abertura Máxima Mínima PMédio
16/07/2018 - 17:52 10,18 10,11 10,24 10,03 10,14
  Data Bal. P/L P/VPA Div./PL DívLiq/EBIT LC Marg.Liq.
Fundamentos  31/03/2018  9.60  1.76  9%  3.92  1,58  
  Fator Baixa Contratos Baixa Fator Alta Contratos Alta  
Hedge   1.27   0.82   1.40   0.91  

Real: O papel subiu durante o pregão, fechando em R$ 10,18. Projeção altista para R$ 11,13 (Start:R$ 11,48) em um primeiro momento. O STOP LOSS para as posições COMPRADAS (1/3) deve ser abaixo da linha -A- (Valor:R$ 9,39, Stop:R$ 9,05).

Dólar: O ativo subiu no dia de hoje. O STOP LOSS para as posições COMPRADAS (1/3) deve ser abaixo do suporte a US$ 2.40 (Stop:US$ 2.31), sendo que a projeção altista inicial é para a linha -B- (Valor:US$ 3.02. Start:US$ 3.11).

Caso você queira contribuir com o desenvolvimento e manutenção de nosso fórum, entre no endereço abaixo e escolha um valor a partir de R$ 1,00 / mês.
http://www.projecao.com/apoia-se.htm


(20180717) - Comunicando.

"O Santander, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil são as instituições que aparecem na liderança do mais recente Ranking de Instituições por Índice de Reclamações, divulgado nesta segunda-feira (16) pelo Banco Central. No topo do ranking, referente ao segundo trimestre de 2018, está o Santander, com índice de reclamações de 38,14. Nesta lista, são consideradas as instituições com mais de 4 milhões de clientes." (Fonte: Infomoney)

(20180717) - Pelo que eu estou entendendo, o desemprego está bastante elevado e isso se mantém por um prazo longo, sendo que a inflação (custos) está subindo e pelo visto a inadimplência também está em alta. CUIDADO.

"A inadimplência em todo o país atingiu 63,6 milhões de consumidores – 42% da população adulta brasileira -, ao final do primeiro semestre deste ano, de acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O dado leva em conta brasileiros com o CPF restrito pelo atraso no pagamento de contas.

Em junho, houve crescimento de 4,07% na comparação com o mesmo período do ano passado – o último recuo da inadimplência foi registrado em novembro de 2017 (0,89%). Na comparação entre maio e junho, houve alta de 0,61%, a maior variação positiva desde março deste ano." (Fonte: Exame)

(20180713) - Comunicando.

"O faturamento deflacionado da indústria brasileira de materiais de construção caiu 4,7 por cento em junho sobre igual período de 2017, informou nesta quinta-feira Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat)." (Fonte: Reuters)


Análise confeccionada para o dia 17/07/2018



Gráfico Diário em Real de ITSA4

(Clique na imagem para amplia-la ou reduzi-la, linhas e estudos atualizados quinzenalmente)



Gráfico Diário em Dólar de ITSA4

(Clique na imagem para amplia-la ou reduzi-la, linhas e estudos atualizados quinzenalmente)



Analista Responsável: Ricardo Borges Mestre em Economia Empresarial pela UCAM, MBA em Marketing pela FGV, Graduado em Economia pela UCAM, tendo participado, em 2009 na Columbia University of New York, das palestras sobre "Managing Macroeconomic Risk in Emerging Markets", ex-consultor (2003) e analista de mercado (2008) credenciado pela CVM, tendo certificado CNPI desde maio/2008 e passado nas provas CB, CG1, CG2 e CG3, sócio fundador da ANAT, membro da APIMEC, exercendo a profissão de consultor em renda variável desde 1988, operador de mesa de renda variável desde 1992 e diretor da Projeção Consultoria Financeira Ltda. desde 1992, ministra aulas voltadas para investidores e trader's desde 2000 (introdutório, análise técnica, análise fundamentalista e derivativos).

Aviso: Aviso: O analista declara: I. que suas recomendações refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais, e que foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à instituição à qual está vinculado;

O analista, avisa a todos que aplicações em mercados de ações, commodities e seus derivativos tem um elevado risco, portanto o presente relatório é distribuído com o objetivo de prover informações e não representa, em nenhuma hipótese, uma oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer instrumento financeiro, bem como sugestão de investimento.

As opiniões contidas neste relatório foram elaboradas de forma independente, baseadas em estudos gráficos, estatísticos, matemáticos, julgamentos, expectativas, estimativas, notícias e etc e, portanto, estão sujeitas a erros e mudança e impossibilitando garantir que sejam precisas, corretas e completas.

É de exclusiva e total responsabilidade do usuário/investidor a utilização das informações contidas neste relatório bem como a estratégia de investimentos e, dessa forma, o usuário/investidor não poderá pleitear qualquer tipo de indenização por parte do analista. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação porém, o Analista se reserva o direito de, a qualquer tempo e sem aviso prévio, alterar estas informações.

As informações, opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança.

Repetindo e lembrando: o analista não se compromete que os investidores obtenham lucro, nem terá qualquer responsabilidade em caso de perdas, diretas ou indiretas, como conseqüência do uso deste documento. As informações contidas neste relatório podem não ser apropriadas para o perfil de investimento do destinatário. Os investimentos envolvem riscos e os investidores devem ter prudência ao tomar suas decisões pessoais e não devem substituir seus próprios julgamentos por aqueles previstos nesse documento..

Esse relatório não pode ser reproduzido ou redistribuído a qualquer pessoa, no todo ou em parte, para qualquer propósito, sem a prévia autorização por escrito da projecao.com, e esta não se responsabiliza pela atuação contrária ao aqui disposto por parte de terceiros.





IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/07/2018) - Comunicando.

"O faturamento deflacionado da indústria brasileira de materiais de construção caiu 4,7 por cento em junho sobre igual período de 2017, informou nesta quinta-feira Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat)." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1K2282-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/07/2018) - Ruim para as construtoras.

"Aprovado pela Câmara em junho, o projeto que regulamenta a desistência de compra de imóvel na planta foi rejeitado pela CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado nesta terça-feira (10) por 14 votos a 6. A proposta prevê que o consumidor que abdicar do contrato perderá até 50% do valor pago à incorporadora." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/comissao-do-senado-rejeita-multa-de-ate-50-a-quem-desistir-de-compra-de-imovel.shtml







BANCOS e CARTÕES - (10/07/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 1,7% no acumulado do primeiro semestre de 2018, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC divulgados nesta sexta-feira. Na comparação mensal com ajuste sazonal, junho apresentou variação negativa de 4,5% frente a maio. Já quando comparado com o mesmo mês de 2017, o indicador evoluiu 4,5%. No acumulado em 12 meses (julho de 2017 até junho de 2018 frente aos 12 meses antecedentes), houve redução de 3,8%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.valor.com.br/brasil/5643353/inadimplencia-do-consumidor-cai-17-no-semestre-diz-boa-vista-scpc







BANCOS e CARTÕES - (09/07/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 1,7% no acumulado do primeiro semestre de 2018, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC divulgados nesta sexta-feira. Na comparação mensal com ajuste sazonal, junho apresentou variação negativa de 4,5% frente a maio. Já quando comparado com o mesmo mês de 2017, o indicador evoluiu 4,5%. No acumulado em 12 meses (julho de 2017 até junho de 2018 frente aos 12 meses antecedentes), houve redução de 3,8%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.valor.com.br/brasil/5643353/inadimplencia-do-consumidor-cai-17-no-semestre-diz-boa-vista-scpc







BANCOS e CARTÕES - (06/07/2018) - Comunicando.

"A GP vai entrar na briga das fintechs. Segundo o RR apurou, a gestora está negociando a compra de um startup da área financeira nos Estados Unidos especializada em pagamentos digitais. O próximo ato será trazer o negócio para o Brasil." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://relatorioreservado.com.br/a-fintech-da-gp/







BANCOS e CARTÕES - (06/07/2018) - Os bancos estão sendo cercados e pressionados. A concorrência deve aumentar e a lucratividade do setor deve se reduzir no longo prazo.

"O Ministério da Fazenda vê indícios de que o Bradesco tentou usar o Judiciário de má fé, numa tentativa de impor custos à fintech GuiaBolso, além de prejudicar seus próprios clientes, afirma um parecer divulgado por uma secretaria da pasta nesta quinta-feira (05).

A controvérsia tramita na 11ª Vara Cível de São Paulo, em um processo iniciado pelo Bradesco contra o acesso do GuiaBolso a dados de clientes protegidos por sigilo bancário e que também cobra que a fintech apague os dados já coletados.

O Bradesco questiona no Judiciário o acesso a dados de seus clientes pelo GuiaBolso, mas, segundo o parecer da Fazenda, a instituição não tem legitimidade para isso porque o próprio cliente assume a responsabilidade." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/bradesco-prejudicou-concorrencia-em-acao-contra-guiabolso-diz-fazenda/







BANCOS e CARTÕES - (06/07/2018) - Comunicando.

"A quantidade de famílias com dívidas recuou em junho ante maio, na terceira queda seguida, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quinta-feira, 5, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O porcentual de famílias com dívidas foi de 58,6% dos entrevistados em junho, ante 59,1% em maio. Houve redução também na comparação com junho de 2017, quando o indicador alcançou 59,4% do total de famílias.

A proporção das famílias que se declararam muito endividadas diminuiu em relação a maio, passando de 13,4% para 13,0% do total de famílias entrevistadas. Na comparação anual, a queda foi de 1,4 ponto porcentual." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/cnc-proporcao-de-familias-com-dividas-cai-de-591-em-maio-para-586-em-junho/







BANCOS e CARTÕES - (05/07/2018) - Situação ficando difícil para os bancos.

"Mais de cem empresas exportadoras, representadas pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) entraram na Justiça Federal de Brasília contra dez bancos que fariam parte do chamado cartel do câmbio, processo que está sendo investigado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Essa ação, denominada antecipação de provas, é a primeira parte de um processo que visa a cobrar perdas estimadas em mais de R$ 50 bilhões. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,cem-exportadores-enfrentam-dez-bancos-na-justica,70002387297







BANCOS e CARTÕES - (05/07/2018) - Setor bancário segue sendo pressionado por todos os lados para reduzir a sua rentabilidade.

"O relatório final da CPI dos cartões de crédito do Senado, apresentado nesta quarta-feira (4), propõe a criação de taxas que aumentam o custo ao consumidor que cair no rotativo do cartão de crédito ou no cheque especial." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/relatorio-de-cpi-dos-cartoes-propoe-criacao-de-taxa-para-rotativo-e-cheque-especial.shtml







INDÚSTRIA - (05/07/2018) - Comunicando.

"A produção da indústria de bens duráveis recuou 27,4% em maio, ante o mês anterior, a maior queda na série histórica do segmento, iniciada em fevereiro de 2002, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Perante maio de 2017, houve recuo de 11,9%.

O tombo em bens duráveis em maio foi disseminado entre os produtos que compõem essa categoria, com destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (-29,8%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.valor.com.br/brasil/5637487/producao-de-bens-duraveis-cai-27-em-maio-maior-tombo-desde-2002







INDÚSTRIA - (04/07/2018) - Comunicando.

"Afetada pela greve dos caminhoneiros, a indústria brasileira recuou 10,9% no mês de maio, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta quarta-feira (4) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o órgão, a paralisação que durou 11 dias afetou o processo de produção de várias unidades produtivas no mês.

Esta foi a maior queda desde dezembro de 2008, quando a produção industrial caiu 11,2%. Foi também o segundo pior resultado da série histórica iniciada em 2002.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/producao-industrial-recua-109-em-maio-diz-ibge.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/07/2018) - Comunicando.

"No primeiro semestre do ano, o preço dos imóveis residenciais à venda no país teve queda real de 2,59%, de acordo com o Índice FipeZap, que acompanha o preço de imóveis anunciados para venda em 20 cidades brasileiras.

A queda real é registrada quando o valor de um determinado bem tem uma alta menor que o aumento generalizado dos preços, medido pelo IPCA. No período, o preço médio dos imóveis recuou 0,16%. enquanto a inflação esperada no período foi de 2,49%. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/preco-dos-imoveis-tem-queda-real-de-259-no-semestre/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/07/2018) - Mercado imobiliário continua muito ruim ao contrário de muitos números positivos divulgados no início do ano.

"O prolongamento da crise obrigou muita gente a deixar de pagar o financiamento imobiliário e a inadimplência aumentou em 2018. Com estoques altos, nunca houve tantos leilões de imóveis retomados como agora. Mas os bancos enfrentam dificuldade para se livrar das propriedades, que pesam bastante em seu bolso, mesmo elas sendo oferecidas a preços bem abaixo de seu valor de mercado.

Segundo a CEF, a taxa de inadimplência no crédito imobiliário do banco passou de 2,2% em 2015 para 1,63% em 2016, e 1,37% no ano passado. Em 2018, apenas no primeiro trimestre, subiu para 1,93%. A Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) deve divulgar em breve o nível de calote no mercado como um todo, no primeiro semestre deste ano. O mercado espera por um aumento em relação ao último dado fornecido, de 1,5%, referente a 2017.

O site EXAME apurou que também houve aumento da inadimplência no crédito imobiliário dos bancos privados em 2018, mas, procurados, Itaú, Bradesco e Santander disseram que não divulgam esse número por ser “estratégico” ao negócio.

Embora o número de imóveis retomados pela Caixa tenha aumentado significativamente nos últimos anos, a taxa de venda dessas propriedades —seja em leilões, licitações ou venda direta— ficou estagnada. Geralmente, atinge um terço das propriedades oferecidas. Em 2017, dos 28.291 imóveis retomados colocados à venda pela CEF, apenas 10.526 foram efetivamente vendidos. No ano anterior, do total de 17.934 imóveis, somente 4.782 mudaram de dono. Este ano, dos 17.559 imóveis retomados colocados à venda pela Caixa, somente 4.985 foram efetivamente vendidos." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/calote-aumenta-e-bancos-sofrem-para-se-livrar-de-imoveis-retomados/







BANCOS e CARTÕES - (04/07/2018) - Essa briga vai ser dura e se os bancos continuarem sem o poder que tinham antes, vai ser caro para eles.

"Pelo menos 14 grupos empresariais entraram na Justiça paulista, de acordo com levantamento da Folha, na tentativa de evitar a prescrição do prazo para cobrar indenizações de bancos brasileiros e estrangeiros investigados no cartel do câmbio. Vale, Braskem, Usiminas, Gol, Odebrecht e OceanAir foram algumas das empresas que, em ações individuais, acionaram a Justiça, na semana passada.

Entre as instituições estão os brasileiros BTG Pactual, Itaú BBA, Santander e Bradesco (por ter assumido o passivo do HSBC) e estrangeiros como Bank of America Merrill Lynch, Citibank, Credit Suisse, Deutsche Bank, JPMorgan, Morgan Stanley, Standard Chartered e UBS." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/07/14-grupos-entram-na-justica-contra-o-cartel-do-cambio.shtml







INDÚSTRIA - (03/07/2018) - Comunicando.

"O IHS Markit informou que o PMI da indústria brasileira recuou a 49,8 em junho de 50,7 em maio, na primeira vez em que vai abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração desde março de 2017." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1JS1HV-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (02/07/2018) - Comunicando.

"Com a entrada em vigor das novas regras para o uso do cheque especial, a partir de hoje (1º), a expectativa dos bancos é evitar o superendividamento de clientes do serviço e reduzir a inadimplência. Para especialistas ouvidos pela Agência Brasil, as medidas são bem-vindas, mas não atacam o problema estrutural do alto custo do crédito no país.

Para Newton Marques, a alta concentração do sistema bancário no país também dificulta uma redução efetiva nas taxas cobradas. “Além de uma ação mais efetiva do Banco Central em cima das escorchantes taxas de juros, seria fundamental abrir o mercado para a concorrência no setor de crédito, aí eu queria ver os bancos cobrarem tão caro para emprestar”, argumenta." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/mudancas-no-cheque-especial-nao-resolvem-alto-custo-do-credito/







BANCOS e CARTÕES - (02/07/2018) - E a concorrência segue aumentando no setor bancário, que, se a tendência for confirmada no próximo governo, fará com que os grandes bancos percam poder e sua lucratividade tanto pela receita com serviços, como pela com concessão de empréstimos, poderá ser reduzida.

"A partir deste domingo (1), o trabalhador poderá transferir seu salário automaticamente para uma conta não bancária. Antes, a operação só era permitida de banco para banco. A transferência não terá custo para o cliente.

Pela regra anterior, o empregado precisava procurar o banco de sua conta salário (onde o patrão deposita os vencimentos do empregado) para pedir a transferência do dinheiro para uma conta em outro banco. Agora, ele poderá fazer esse pedido na própria instituição para onde quer transferir o salário, inclusive para contas fora de bancos. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/portabilidade-do-salario-para-contas-de-fintechs-passa-a-valer-neste-domingo-entenda.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (28/06/2018) - Inadimplência aumentando.

"No mês passado, 5,5 milhões de companhias estavam na lista de inadimplentes, aponta a Serasa Experian, empresa especializada em informações financeiras. Esse é o maior número de empresas com pagamentos atrasados desde março de 2016, quando o levantamento começou a ser feito.

De janeiro a abril, 5,4 milhões de empresas mensalmente tinham dívidas em atraso. Em maio, mais 100 mil companhias engrossaram essa lista. Em comparação com o mesmo mês de 2017 houve um acréscimo de 400 mil empresas, um aumento de 7,8%. As dívidas com pagamento atrasado também cresceram 4,3% na comparação anual e atingiram R$ 124,3 bilhões." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/inadimplencia-de-empresas-cresce-com-a-greve/







BANCOS e CARTÕES - (28/06/2018) - Bancos pagarão a conta?

"Dois anos depois de entrar em recuperação judicial, a Sete Brasil apresentou ontem (terça-feira) na Justiça carioca um novo plano que prevê a venda de quatro sondas de exploração de petróleo por US$ 550 milhões. Se o plano for aprovado pelos credores, a empresa venderá todos os ativos que lhe sobraram e praticamente deixará de existir liquidando apenas 10% da dívida de R$ 18 bilhões que deixou com grandes bancos e investidores. A expectativa é de que a Sete se torne uma empresa para gerenciar passivos.

Os principais bancos credores são Banco do Brasil, Caixa, Itaú, Santander e Bradesco. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/06/sete-brasil-deve-pagar-apenas-10-das-dividas.shtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/06/2018) - Comunicando.

"O volume de financiamentos imobiliários com recursos da poupança atingiu R$ 4,5 bilhões em maio, o que representa aumento de 9,4% em relação a abril e de 26,1% na comparação com igual período de 2017. O valor é o maior desde dezembro de 2016, segundo dados da Abecip, associação que representa as instituições atuantes no setor. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5623189/credito-imobiliario-com-recursos-da-poupanca-tem-alta-anual-de-26







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/06/2018) - Comunicando.

"O volume de financiamentos imobiliários com recursos da poupança atingiu R$ 4,5 bilhões em maio, o que representa aumento de 9,4% em relação a abril e de 26,1% na comparação com igual período de 2017. O valor é o maior desde dezembro de 2016, segundo dados da Abecip, associação que representa as instituições atuantes no setor. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5623189/credito-imobiliario-com-recursos-da-poupanca-tem-alta-anual-de-26







INDÚSTRIA - (27/06/2018) - Comunicando.

"A greve dos caminhoneiros que parou o País por 11 dias em maio fez a indústria brasileira registrar o pior desempenho de sua história. A produção industrial despencou 13,4% no mês passado na comparação com abril, o que representa um impacto maior que o da crise financeira global, de 2008, quando a queda, em um único mês, foi de 11,2%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,greve-derruba-industria-e-setor-tem-o-pior-mes-da-historia-em-maio-diz-ipea,70002370790







INDÚSTRIA - (27/06/2018) - Comunicando.

"O setor de bens de capital metalmecânicos apurou receita líquida total de R$ 5,8 bilhões durante maio, informou nesta terça-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Essa cifra representou queda de 6,2% sobre o mesmo mês do ano passado e de 3,1% ante abril.

Os embarques, de US$ 519,7 milhões, encolheram 26,4% em comparação anual e 39,7% de um mês para o outro. No mercado interno, a receita líquida totalizou R$ 3,91 bilhões em maio, 2,4% acima de igual período de 2017 e aumento de 29% em relação a abril. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5620509/setor-de-maquinas-tem-queda-de-6-da-receita-em-maio-diz-associacao







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/06/2018) - Comunicando.

"Os lançamentos imobiliários cresceram 22,8% em abril, na comparação com o mesmo período do ano passado,, para 3.814 unidades, segundo o indicador Abrainc-Fipe, realizado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em conjunto com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Enquanto o volume de lançamentos para o segmento de médio e alto padrão aumentou 140%, em abril, o número de unidades para o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, caiu 17,2%.

As vendas aumentaram 19,1%, para 8.962 unidades, em abril e os distratos caíram 13,8%, para 2.617 unidades.

No acumulado de janeiro a abril, a alta de lançamentos foi de 19,4%, para 18.493 unidades. As vendas aumentaram 16%, para 35.220 unidades, de acordo com o indicador Abrainc-Fipe." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5619597/lancamentos-imobiliarios-crescem-23-em-abril-aponta-associacao







INDÚSTRIA - (26/06/2018) - Comunicando.

"O setor de bens de capital metalmecânicos apurou receita líquida total de R$ 5,8 bilhões durante maio, informou nesta terça-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Essa cifra representou queda de 6,2% sobre o mesmo mês do ano passado e de 3,1% ante abril.

Os embarques, de US$ 519,7 milhões, encolheram 26,4% em comparação anual e 39,7% de um mês para o outro. No mercado interno, a receita líquida totalizou R$ 3,91 bilhões em maio, 2,4% acima de igual período de 2017 e aumento de 29% em relação a abril. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5620509/setor-de-maquinas-tem-queda-de-6-da-receita-em-maio-diz-associacao







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/06/2018) - Comunicando.

"Os lançamentos imobiliários cresceram 22,8% em abril, na comparação com o mesmo período do ano passado,, para 3.814 unidades, segundo o indicador Abrainc-Fipe, realizado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em conjunto com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Enquanto o volume de lançamentos para o segmento de médio e alto padrão aumentou 140%, em abril, o número de unidades para o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, caiu 17,2%.

As vendas aumentaram 19,1%, para 8.962 unidades, em abril e os distratos caíram 13,8%, para 2.617 unidades.

No acumulado de janeiro a abril, a alta de lançamentos foi de 19,4%, para 18.493 unidades. As vendas aumentaram 16%, para 35.220 unidades, de acordo com o indicador Abrainc-Fipe." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5619597/lancamentos-imobiliarios-crescem-23-em-abril-aponta-associacao







BANCOS e CARTÕES - (22/06/2018) - Comunicando.

"A recuperação de crédito no Brasil em processos de reestruturação de dívida fica abaixo da média mundial e em muitos casos o credor nem consegue reaver o valor investido. Os motivos vão desde o longo processo de recuperação judicial, que na maioria dos casos ultrapassa o tempo determinado pela lei, até a dificuldade para as companhias conseguirem recursos novos para manter a operação, além da insegurança jurídica que dificulta a negociação de ativos (“distressed assets”) com investidores." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5612073/recuperacao-de-credito-no-brasil-fica-abaixo-da-media-mundial







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/06/2018) - Comunicando.

"O preço médio anunciado de venda dos imóveis comerciais caiu 0,22% em maio. Nos últimos 12 meses, o setor acumula uma retração de 1,85%. O preço médio anunciado de aluguel das salas e conjuntos comerciais diminuiu 0,17% em maio. No acumulado dos últimos 12 meses, a baixa atingiu 3,54%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/fipezap-mercado-de-escritorios-tem-baixa-nos-precos-de-venda-e-locacao-em-maio/







BANCOS e CARTÕES - (21/06/2018) - Venho falando isso há muito tempo e agora a Fitch está concordando comigo.

"Os grandes bancos privados no Brasil, incluindo os líderes Itaú Unibanco e Bradesco, devem sofrer pressão sobre a rentabilidade nos próximos anos, diante do cenário de crescimento econômico ainda fraco do país.

Segundo Esin Celasun, diretora de bancos públicos e privados da Fitch, o baixo crescimento do crédito deve levar os bancos a redobrarem os esforços para cortar custos e ganhar eficiência, isso num cenário em que o Banco Central tem estimulado maior concorrência para tentar diminuir as taxas de juros contadas de pessoas e empresas." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1JG34N-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (19/06/2018) - A concorrência está aumentando e a lucratividade dos bancos com serviços deve ser reduzida.

"O serviço de emissão de boletos de pagamento pode deixar de ser um negócio dominado pelos grandes bancos. A falta de uma rede de agências, principal barreira para a entrada de instituições de pequeno e médio porte nesse mercado, começou a ser derrubada com a nova plataforma de cobrança, que permitirá o pagamento de boletos em toda a rede bancária mesmo após a data de vencimento." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5602805/bancos-pequenos-e-medios-vao-competir-em-emissao-de-boletos







BANCOS e CARTÕES - (19/06/2018) - Concorrência aumentando.

"O Sicredi anunciou nesta segunda-feira (18) a criação de uma conta totalmente digital. Clientes podem optar pela chamada Woop Sicredi Oferta Essencial, gratuita. Ela oferece apenas alguns serviços no pacote, incluindo 4 saques por mês, transferências ilimitadas entre contas Sicredi, débito e poupança.

Para quem quer uma gama mais robusta de serviços, é possível escolher a Oferta Woop. Por R$ 9,90 ao mês, o cliente tem acesso a transferências ilimitadas entre todos os bancos, cartão múltiplo (debito e crédito, sujeito à aprovação), além do que é disponibilizado na opção grátis." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7480125/sicredi-lanca-conta-100-digital-com-opcao-gratuita







ITAÚSA - (14/06/2018) - Continua acreditando que aplicar em ações da empresa é interessante, ela é pouco alavancada, com Dívida Bruta / Pat Líq em 9% e a Dívida Liq / Ebit em 3.92 e a ação não está cara nem pela ótica do retorno em lucro líquido, nem pela ótica da comparação com o valor patrimonial da ação, P/L de 8,71 e o P/VPA de 1,59 (Fonte: Fundamentus). Vale a pena comprar em momentos de correção técnica dos preços.

"A Itaúsa teve lucro líquido consolidado de 2,420 bilhões de reais no primeiro trimestre, alta de 24,8 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira a holding controladora do Itaú Unibanco e de outras empresas como Alpargatas e Duratex.

O lucro do Itaú Unibanco atribuído à Itaúsa no período foi de 2,387 bilhões de reais, representando 97,2 por cento do lucro obtido pela controladora por meio do método de equivalência patrimonial.

Dentre as demais empresas do grupo, o lucro atribuído à Itaúsa no período foi de 15 milhões de reais da Alpargatas, 11 milhões da Duratex e 13 milhões da Elekeiroz. A Itautec deu prejuízo de 1 milhão de reais no período e outras empresas também tiveram perdas de 5 milhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1IG1WL-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/06/2018) - Comunicando.

"Sem crédito para a produção e com sucessivos aumentos dos preços dos insumos, a indústria da construção civil deve continuar estagnada neste ano. “Não vai ter crescimento”, disse o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins. Se os gargalos que impedem a expansão da atividade do setor forem superados a tempo, no melhor dos cenários, ele estima que a construção, que teve contração de 5% em 2017, pode vir a registrar um crescimento de 0,5%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5592313/sem-credito-e-com-alta-do-insumoindustria-da-construcao-pode-estagnar







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/06/2018) - Comunicando.

"Os grandes bancos têm mostrado interesse crescente em leilões de imóveis para desovar o estoque que têm em carteira, afirma André Zukerman, diretor-executivo da Zukerman Leilões. A empresa atua em leilões de varejo da Caixa.

No ano passado, a Zukerman vendeu cerca de 450 imóveis do banco estatal em duas operações, que somaram mais de R$ 70 milhões. A companhia não está envolvida no leilão de 6 mil propriedades anunciado pela instituição financeira." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5593679/empresa-de-leiloes-atrai-interesse-de-bancos-para-desovar-imoveis







BANCOS e CARTÕES - (14/06/2018) - Mais uma notícia dando indícios que a competição finalmente está chegando ao setor bancário e que deverá levar a redução dos juros, preços de serviços e lucratividade das grandes instituições financeiras.

"O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) avança no programa para canalizar o crédito por meio de parcerias com as fintechs e seleciona empresas parceiras. "Estamos apostando fortemente em novos canais de acesso", disse o presidente da instituição, Dyogo Oliveira" (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5592863/bndes-seleciona-fintechs-para-parceria-na-area-de-credito







BANCOS e CARTÕES - (14/06/2018) - E a competição não para de aumentar, podendo no médio prazo reduzir a lucratividade dos grandes bancos.

"Após alcançar a marca de 1,5 milhão de usuários da NuConta, a fintech de cartões de crédito Nubank anuncia a abertura da conta digital para quem não é usuário do cartão.

Lançada em outubro do ano passado, a NuConta funciona como uma conta de pagamentos digital e sem tarifas. A principal vantagem dela é o rendimento automático do dinheiro, igual a 100% do CDI, independentemente da quantia depositada e com liquidez diária." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5592755/banco-digital-nubank-libera-conta-para-publico-em-geral







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/06/2018) - Comunicando.

"O governo quer reduzir pela metade a multa a ser paga por quem comprar imóvel na planta e, depois, desistir do negócio, informa o Estadão. O Palácio do Planalto trabalha para que a penalidade seja de 25% do valor já pago e não 50% como aprovou a Câmara na semana passada. O tema está em debate no Senado, onde o texto começa a tramitar." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7471226/ambev-outras-gigantes-bebidas-pressionam-governo-por-incentivo-fiscal-vale







BANCOS e CARTÕES - (13/06/2018) - Comunicando.

"A inadimplência no comércio carioca cresceu 1,2% em maio em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com o Serviço Central de Proteção ao Crédito do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio). As consultas diminuíram 5,3% e as dívidas quitadas aumentaram 1,1%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/inadimplencia-no-comercio-do-rio-de-janeiro-cresceu-12-em-maio/







BANCOS e CARTÕES - (13/06/2018) - Mais uma decisão ruim aos bancos.

"Uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) pode mudar a forma como os bancos atuam nos casos de cessão fiduciária — a chamada trava bancária, em que a empresa, ao tomar crédito, oferece títulos que têm a receber como garantia do pagamento. A 2ª Câmara de Direito Empresarial, ao julgar processo relativo a uma companhia em recuperação judicial, entendeu que as instituições financeiras só podem se apropriar de valores já vencidos da dívida." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/legislacao/5590101/justica-muda-entendimento-sobre-trava-bancaria







BANCOS e CARTÕES - (13/06/2018) - Custos caindo.

"O presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, afirmou que o banco não tem uma meta de fechamento de agências físicas, mas que o número da rede em dez anos “será muito menor” do que o atual. “Não temos um mandato para fechar agências”, disse ele, durante o CIAB, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

De acordo com Bracher, o papel das agências no contexto atual estará mais voltado para a resolução de problemas dos clientes, digitalizá-los e oferecer conveniência. “A venda de produtos será cada vez mais no digital”, afirmou o executivo.

O Itaú encerrou março com 4.976 agências e postos de atendimento, número inferior ao visto em dezembro, de 4.981. Em um ano, a rede física do banco somava 5.005 unidades." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/itau-nao-ha-meta-para-fechamento-de-agencias-mas-numero-em-10-anos-sera-menor/







BANCOS e CARTÕES - (13/06/2018) - Comunicando.

"A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) de maio, realizada pela FecomercioSP, revelou que 51,1% das famílias da cidade de São Paulo estão endividadas e, dentre elas, 9% não têm condição de pagar as dívidas e ficarão inadimplentes.

Em termos absolutos, 1,99 milhão de famílias paulistanas estão endividadas. Isso representa uma queda de 2,4 pontos porcentuais em relação a abril (53,5%) e de 1,3% p.p. na comparação com o maio do ano passado (52,4%).

A inadimplência permaneceu tecnicamente estável na comparação mensal, passando de 19,4% em abril para 19,3% em maio. São 751 mil famílias que não conseguiram quitar a dívida até a data do vencimento." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/51-das-familias-na-cidade-de-sp-estao-endividadas/







BANCOS e CARTÕES - (13/06/2018) - Mais uma matéria da saga, bencos e a concorrência chegando.

"Gigantes globais de tecnologia podem ser concorrentes do sistema financeiro, à medida que expandem a oferta de serviços e oferecem experiências positivas para usuários, disse nesta terça-feira (12) o presidente-executivo do Itaú Unibanco, Cândido Bracher. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/tecnologia/noticia/gigantes-de-tecnologia-podem-ser-concorrentes-de-sistema-financeiro-diz-presidente-do-itau.ghtml







INDÚSTRIA - (13/06/2018) - A queda não é um bom sinal para a indústria e para a economia brasileira.

"As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – recuaram 19,53% em maio ante o mesmo mês de 2017, para 237,620 mil toneladas, informou nesta terça-feira, 12, a Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). Na comparação com abril, foi apurada queda de 18,17%.

Considerando os dados livres de influência sazonal, a expedição de papelão ondulado retrocedeu 17,81% entre abril e maio, ao passar de 292.850 para 240.689 toneladas. Com o resultado, a expedição registrou em maio de 2018 o menor valor da série histórica desde junho de 2009 (240.174 toneladas).

O volume embarcado em maio totalizou 575,637 m3, com queda de 18,73% no comparativo anual e 18,01% ante abril. O mês de maio contou com um dia útil a mais, de modo que a expedição por dia útil cresceu 16,31% sobre igual mês de 2017.
" (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-papelao-ondulado-cai-1817-em-maio-ante-abril-revela-abpo/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/06/2018) - Comunicando.

"As vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo cresceram 48,7% em abril em comparação com o mesmo mês de 2017, segundo informações da Pesquisa de Mercado Imobiliário do Secovi-SP, sindicato da habitação. Foram 1.802 unidades comercializadas naquele mês, ante 1.212 em igual período de 2017. Na comparação com março, quando foram vendidas 2.613 imóveis novos, houve queda de 31%.

No acumulado em 12 meses (maio de 2017 a abril de 2018), foram vendidas 27.319 unidades, representando aumento de 70,8% em comparação ao mesmo período anterior, quando foram comercializadas 15.997 unidades novas, informa a pesquisa." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5588493/vendas-de-imoveis-novos-em-sao-paulo-tem-alta-anual-de-49-em-abril







BANCOS e CARTÕES - (12/06/2018) - Mais uma matéria da saga, bencos e a concorrência chegando.

"Gigantes globais de tecnologia podem ser concorrentes do sistema financeiro, à medida que expandem a oferta de serviços e oferecem experiências positivas para usuários, disse nesta terça-feira (12) o presidente-executivo do Itaú Unibanco, Cândido Bracher. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/tecnologia/noticia/gigantes-de-tecnologia-podem-ser-concorrentes-de-sistema-financeiro-diz-presidente-do-itau.ghtml







INDÚSTRIA - (12/06/2018) - A queda não é um bom sinal para a indústria e para a economia brasileira.

"As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – recuaram 19,53% em maio ante o mesmo mês de 2017, para 237,620 mil toneladas, informou nesta terça-feira, 12, a Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). Na comparação com abril, foi apurada queda de 18,17%.

Considerando os dados livres de influência sazonal, a expedição de papelão ondulado retrocedeu 17,81% entre abril e maio, ao passar de 292.850 para 240.689 toneladas. Com o resultado, a expedição registrou em maio de 2018 o menor valor da série histórica desde junho de 2009 (240.174 toneladas).

O volume embarcado em maio totalizou 575,637 m3, com queda de 18,73% no comparativo anual e 18,01% ante abril. O mês de maio contou com um dia útil a mais, de modo que a expedição por dia útil cresceu 16,31% sobre igual mês de 2017.
" (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-papelao-ondulado-cai-1817-em-maio-ante-abril-revela-abpo/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/06/2018) - Comunicando.

"As vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo cresceram 48,7% em abril em comparação com o mesmo mês de 2017, segundo informações da Pesquisa de Mercado Imobiliário do Secovi-SP, sindicato da habitação. Foram 1.802 unidades comercializadas naquele mês, ante 1.212 em igual período de 2017. Na comparação com março, quando foram vendidas 2.613 imóveis novos, houve queda de 31%.

No acumulado em 12 meses (maio de 2017 a abril de 2018), foram vendidas 27.319 unidades, representando aumento de 70,8% em comparação ao mesmo período anterior, quando foram comercializadas 15.997 unidades novas, informa a pesquisa." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5588493/vendas-de-imoveis-novos-em-sao-paulo-tem-alta-anual-de-49-em-abril







BANCOS e CARTÕES - (12/06/2018) - Comunicando.

"O número de consumidores inadimplentes atingiu 63,29 milhões em maio, com crescimento de 2,78% em relação ao mesmo período do ano passado." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/numero-de-inadimplentes-passou-de-63-milhoes-em-maio-aponta-spc/







BANCOS e CARTÕES - (11/06/2018) - Comunicando.

"A Associação Brasileira de Criptomoedas e Blockchain (ABCB) pediu que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) proíba os bancos do país de fecharem ou se negarem a abrir contas correntes de instituições ligadas a moedas virtuais, alegando cerceamento da concorrência.

O pedido tem como base um caso no qual o Banco do Brasil fechou a conta corrente da Atlas, uma startup que busca rentabilidade fazendo arbitragem com bitcoins, explorando diferenças de preços entre as várias corretoras que operam com a mais famosa das criptomoedas." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/mercados/a-batalha-das-criptomoedas-contra-os-bancos/







BANCOS e CARTÕES - (08/06/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 4,5% no acumulado 12 meses -- de junho de 2017 até maio de 2018 frente aos 12 meses antecedentes --, informou a Boa Vista SCPC.

Na comparação mensal com ajuste sazonal, maio apresentou aumento de 5,3% frente a abril. Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2017, o indicador evoluiu 5,4%. Na avaliação acumulada no ano a inadimplência caiu 2,8%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5578451/inadimplencia-do-consumidor-cai-no-acumulado-de-12-meses







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/06/2018) - Comunicando.

"Em 2016, ano em que a economia brasileira atingiu o fundo do poço, o setor de construção deixou de movimentar R$ 55,3 bilhões, fechou quatro mil empresas e eliminou 428.603 postos de trabalho em todo o País. Os dados são da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC), referente a 2016, divulgada nesta quinta-feira, 7, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Naquele ano, a atividade de construção totalizou R$ 318,7 bilhões em incorporações, obras e serviços, um tombo de 14,8% em relação a 2015, quando já tinha encolhido 15,9%. O desempenho negativo se refletiu no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que encolheu 3,5%, sob impacto, entre outros fatores, da queda de 10,3% na Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, medida dos investimentos no PIB)." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/ibge-construcao-perde-r-553-bi-em-2016-fecha-4-mil-empresas-e-demite-428-mil/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/06/2018) - Boa notícia para as construtoras e notícia ruim para quem compra imóveis.

"A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira emenda do PT e PCdoB para reduzir a multa pelo distrato imobiliário a 10%. Nos empreendimentos com patrimônio de afetação, o comprador terá direito a receber 50% do valor pago, após dedução antecipada da corretagem. Se o imóvel for de um projeto que não tenha o patrimônio afetado, a penalidade será de 25%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5575937/camara-aprova-multa-de-ate-50-comprador-que-desistir-de-imovel







BANCOS e CARTÕES - (07/06/2018) - Péssima notícia para os bancos que terão custos maiores.

"O Supremo Tribunal Federal (STF) validou cobrança maior sobre os bancos da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da contribuição previdenciária incidente sobre a folha de salários. Os ministros examinaram uma lei de 1989 que impôs adicional de 2,5% na contribuição previdenciária de 20% incidente sobre a folha salarial e também outra lei, de 2003, que aumentou de 3% para 4% a alíquota da Cofins de instituições financeiras. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/politica/noticia/supremo-permite-cobranca-maior-de-contribuicoes-sociais-e-previdenciarias-sobre-bancos.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (07/06/2018) - E a concorrência não para de aumentar e deve reduzir a lucratividade do setor.

"O mercado brasileiro de terminais de pagamento ganhou recentemente o apelido de "guerra das maquininhas", com número de players crescente e estratégias de marketing cada vez mais incisivas na tentativa de abocanhar um mercado promissor - principalmente entre as pequenas e médias empresas. Neste ambiente, a Cielo anunciou hoje sua nova "arma" de comunicação, que coloca a máquina multiuso LIO na linha de frente de seu portfólio. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7461087/guerra-das-maquininhas-cielo-contra-ataca-com-terminal-revolucionario-multiuso







BANCOS e CARTÕES - (06/06/2018) - Comunicando.

"A falência da Laselva deixou algumas das maiores editoras do país com quase R$ 50 milhões em créditos a receber no prelo – a dívida total da rede de livrarias passa dos R$ 130 milhões. A massa falida da Laselva não reúne o patrimônio suficiente para cobrir o débito." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://relatorioreservado.com.br/posfacio-2/







BANCOS e CARTÕES - (06/06/2018) - Comunicando.

"O percentual de famílias com dívidas alcançou 59,1% em maio, representando queda em relação a abril, quando o percentual foi de 60,2%. Houve redução também em relação a maio de 2017, quando o indicador alcançou 60,7% do total de famílias. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/percentual-de-familias-endividadas-cai-puxado-pela-cautela-no-consumo.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/06/2018) - Comunicando.

"De janeiro a maio, o preço dos imóveis residenciais à venda no mercado teve queda real de 1,31%, de acordo com o Índice FipeZap, que acompanha o preço de imóveis anunciados para venda em 20 cidades brasileiras.

A queda real é registrada quando o valor de um determinado bem tem uma alta menor que o aumento generalizado dos preços, medido pelo IPCA. No período, o preço médio dos imóveis recuou 0,10%. enquanto a inflação esperada no período foi de 1,23%. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/preco-dos-imoveis-param-de-cair-em-maio/







ITAÚSA - (05/06/2018) - Comunicando.

"A Itaúsa, holding do grupo Itaú Unibanco, anunciou nesta segunda-feira (4) que concluiu a venda de todas as ações que detém na empresa de energia Elekeiroz para a empresa de private equity HIG Capital.

A operação envolveu 14,261 milhões de ações ordinárias e 16,1 milhões de papéis preferenciais, que em conjunto representam 96,5% do capital da Elekeiroz.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/itausa-conclui-venda-da-elekeiroz-para-hig-capital.ghtml







INDÚSTRIA - (05/06/2018) - Comunicando.

"O nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) da indústria brasileira caiu 0,1 ponto percentual entre março e abril, com ajuste sazonal, chegando a 78,1%. O indicador era de 78,2% em março. Na comparação com abril de 2017, quando o uso da capacidade foi de 76,5%, na série com ajuste sazonal, o Nuci da indústria, portanto, subiu 1,6 ponto percentual. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5568675/utilizacao-da-capacidade-instalada-no-pais-recua-em-abril-aponta-cni







BANCOS e CARTÕES - (05/06/2018) - Comunicando.

"O número de empresas inadimplentes apurado pela Serasa Experian encerrou o mês de abril em aproximadamente 5,4 milhões de CNPJs negativados, patamar semelhante aos registrados entre os meses de janeiro e março deste ano.

Na comparação com o mês de abril de 2017, quando cerca de 5 milhões de CNPJs estavam inadimplentes, houve alta de 8%.

Em relação ao montante acumulado de dívidas pelas empresas, que totalizou R$ 105,2 bilhões em abril, ocorreu uma retração de 10,2% frente ao mesmo mês do ano passado." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/inadimplencia-de-empresas-se-mantem-estavel-pelo-4o-mes-consecutivo-diz-serasa/







INDÚSTRIA - (05/06/2018) - Comunicando.

"As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – cresceram 9,10% em abril ante o mesmo mês de 2017, para 290,368 mil toneladas, informou a Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). Na comparação com março, foi apurado declínio de 4,70%. Com ajuste sazonal, porém, o volume expedido é 0,17% superior ao informado em março." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-papelao-ondulado-cresce-910-em-abril-ante-abril-de-2017-diz-abpo/







INDÚSTRIA - (04/06/2018) - Comunicando.

"A atividade da indústria brasileira voltou a desacelerar em maio, segundo a consultoria IHS Markit. O Índice dos Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) apurado pela entidade baixou para 50,7 pontos, menor valor em 10 meses. Em abril, o indicador havia recuado para 52,3 pontos na mesma série com ajuste sazonal. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5564577/industria-brasileira-desacelera-ritmo-em-maio-apura-markit







BANCOS e CARTÕES - (01/06/2018) - Comunicando.

"A partir desta sexta (1º), passam a valer mudanças que devem ter reflexos nos juros cobrados no cartão de crédito. As novas regras foram anunciadas em abril pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A medida prevê que os bancos não podem mais cobrar juros maiores de clientes que estão no crédito rotativo e ficam inadimplentes. O crédito rotativo é usado por quem não paga o valor total da fatura no vencimento." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/novas-regras-do-cartao-de-credito-passam-a-valer-hoje-veja-o-que-muda/







INDÚSTRIA - (01/06/2018) - Comunicando.

"A indústria brasileira de máquinas e equipamentos teve faturamento de 6,04 bilhões de reais em abril, alta de 19,2 por cento ante a mesma etapa de 2017, informou nesta quarta-feira a entidade que representa o setor, Abimaq.

Em relação a março, porém, o faturamento foi 1,1 por cento menor.

No acumulado de 2018 até abril, o faturamento do segmento somou 22,1 bilhões de reais, avanço de 5,4 por cento contra mesmo intervalo de 2017." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1IV28D-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/05/2018) - Comunicando.

"O mercado imobiliário residencial ampliou as vendas no começo do ano, mas os lançamentos recuaram no período, de acordo com pesquisa realizada pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) em 23 capitais e regiões metropolitanas do País.

As vendas totalizaram 24.712 unidades no primeiro trimestre de 2018, crescimento de 22,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 13 regiões foram registradas altas nas vendas, enquanto 10 regiões tiveram queda.

Os lançamentos atingiram 10.574 unidades no primeiro trimestre, queda de 30,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Houve crescimento em 7 regiões e queda em 15." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-imoveis-cresce-223-no-1o-tri-no-pais-diz-cbic-lancamentos-caem-307/







BANCOS e CARTÕES - (30/05/2018) - Comunicando.

"Inadimplência das empresas cresce 8,4% no Brasil em 12 meses. As empresas da região Sudeste lideraram os novos registros de devedoras em abril no País, com alta de 15,2% na mesma base de comparação." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/mercados/greve-dos-petroleiros-comeca-hoje-e-tudo-para-ler-antes-de-a-bolsa-abrir/







INDÚSTRIA - (30/05/2018) - Comunicando.

"O número de empregados na indústria no trimestre móvel até abril recuou 2,6% ante igual trimestre de 2017. Em relação ao trimestre móvel imediatamente anterior, houve alta de 2,0%, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta terça-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em um trimestre, os piores desempenhos setoriais ficaram com a construção civil (queda de 2,7% no total de empregados, com 185 mil postos a menos) e o comércio (queda de 2,5% no total de empregados, com 439 mil postos a menos). " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/total-de-empregados-na-industria-cai-26-no-trimestre-ate-abril-diz-ibge/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/05/2018) - Comunicando.

"Deputados aprovaram na noite desta segunda-feira, 28, em plenário, requerimento para tramitação em regime de urgência de projeto regulamenta o distrato de imóveis comprados na planta, ou seja, quando o comprador desiste do negócio antes do pagamento integral do imóvel. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/camara-aprova-urgencia-para-projeto-que-regulamenta-distrato-de-imoveis/







BANCOS e CARTÕES - (29/05/2018) - Comunicando.

"O endividamento das famílias apresentou pequena alta na passagem de fevereiro para março de acordo com dados compilados pelo Banco Central (BC). A relação entre o estoque de crédito contratado e a renda líquida anualizada fechou março em 41,36%, ante 41,26% registrado em fevereiro. Em março de 2017, o endividamento era de 41,76%. Em 2017, o endividamento tinha completado o terceiro ano de queda.

Tirando o crédito habitacional da conta, a fatia de endividamento foi de 23,1% em março, avançando de 23% em fevereiro. No mesmo mês de 2017, o percentual era de 23,3%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5554271/endividamento-das-familias-cresce-em-marco-aponta-bc







BANCOS e CARTÕES - (28/05/2018) - Comunicando.

"A inadimplência no segmento de recursos livres caiu a 4,7 por cento em abril, ante 4,8 por cento em março, informou o Banco Central nesta segunda-feira.

No período, o spread bancário no mesmo segmento foi a 33,3 pontos percentuais, ante 33,7 pontos percentuais em março. Já o estoque geral de crédito no país subiu 0,3 por cento ante o mês anterior, a 3,090 trilhões de reais." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/inadimplencia-cai-a-47-em-abril-diz-bc/







BANCOS e CARTÕES - (28/05/2018) - Comunicando.

"O grupo Odebrecht deu toda sua fatia na petroquímica Braskem como garantia para fechar acordo com bancos e receber um novo empréstimo de 2,6 bilhões de reais, o que dá algum fôlego financeiro a um dos maiores conglomerados do país para tentar se reerguer dos efeitos de um escândalo de corrupção.

O acordo anunciado nesta sexta-feira veio no último dia de uma carência de 30 dias, após a Odebrecht ter perdido o prazo inicial para pagar uma dívida de 500 milhões de reais.

Segundo as fontes, a fatia de 38,3 por cento da Odebrecht na Braskem servirá como garantia colateral para mais de 10 bilhões de reais, incluindo o novo desembolso. A Odebrecht tem 50,11 por cento das ações com direito a voto da Braskem e 22,91 por cento dos papéis preferenciais. Segundo dados da Thomson Reuters, a Braskem fechou esta sexta-feira com valor de mercado de 38,4 bilhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1IQ380-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/05/2018) - Comunicando.

"Após uma série de escândalos envolvendo fundos de pensão ligados a empresas públicas, o Conselho Monetário Nacional (CMN) editou nesta sexta-feira, 25, a Resolução nº 4.661, que endurece as regras de investimento das chamadas Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC). Entre as novidades, está a determinação de que os fundos de pensão precisarão designar um profissional específico ou formar um comitê para gerenciamento do risco de investimentos. Além disso, os fundos não poderão mais investir diretamente em imóveis. Para isso, eles serão obrigados a utilizar instrumentos financeiros. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/cmn-proibe-compra-direta-de-imoveis-por-fundos-de-pensao/







BANCOS e CARTÕES - (28/05/2018) - Comunicando.

"A demanda por crédito do consumidor apresentou aumento de 3,8% em abril sobre o mesmo mês de 2017. Em 12 meses, por sua vez, apresenta alta de 2,9%.

Na comparação mensal dessazonalizada, caiu 0,7%, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Por segmento, o Financeiro teve avanço de 8,0% na variação mensal dessazonalizada e o Não Financeiro, queda de 6,5% na mesma base de comparação." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/demanda-por-credito-do-consumidor-cresce-38-em-abril-diz-boa-vista-scpc/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/05/2018) - Comunicando.

"O mercado de salas e conjuntos comerciais teve queda nos preços médios anunciados de venda e locação em quatro capitais em abril, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o site Zap.

O preço médio anunciado de venda dos imóveis comerciais caiu 0,24% em abril. No acumulado dos primeiros quatro meses do ano houve alta de 0,46%. Já nos últimos 12 meses, o setor acumula uma retração de 2,05%.

O preço médio anunciado de aluguel das salas e conjuntos comerciais diminuiu 0,31% em abril. No primeiro quadrimestre, foi registrada queda de 1,07%. E nos últimos 12 meses, a baixa atingiu 3,85%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/escritorios-tem-baixa-nos-precos-de-venda-e-locacao-em-abril-revela-fipezap/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/05/2018) - Comunicando.

"Os financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) totalizaram R$ 4,11 bilhões em abril, o que representa aumento de 8,1% em relação a março e avanço de 31,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado. No primeiro quadrimestre de 2018, o montante financiado somou R$ 15,3 bilhões, alta de 15,9% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado de 12 meses encerrados em abril, o montante financiado chegou a R$ 45,25 bilhões, recuo de 0,3% frente aos 12 meses anteriores." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/credito-imobiliario-cresce-312-e-atinge-r-411-bilhoes-em-abril-diz-abecip/







INDÚSTRIA - (25/05/2018) - Números bem ruins.

"A atividade industrial voltou a cair em abril, com ociosidade elevada e recuo do otimismo dos empresários com relação à evolução da indústria. Isso é o que mostra a pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira, 24, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice que mede a evolução da produção ficou em 48,8 pontos em abril, ante 55,2 pontos registrados em março. O índice de evolução do emprego foi de 49,2 pontos no mesmo período, ante 49,6 pontos no mês anterior.

Com relação à utilização média da capacidade instalada (UCI) pela indústria, o índice manteve-se estável, em 66%. O documento destaca que, embora o índice seja superior aos registrados no mesmo mês de 2016 e 2017, ainda está 3,0 pontos porcentuais abaixo da média histórica para abril, iniciada em abril de 2011. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/atividade-industrial-volta-a-cair-em-abril-mostra-sondagem-da-cni/







BANCOS e CARTÕES - (23/05/2018) - Comunicando.

"A demanda das empresas por crédito aumentou 5,7% em abril no comparativo anual, segundo o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito. Com o resultado, no acumulado do ano a demanda empresarial por crédito subiu 5,7%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/demanda-das-empresas-por-credito-cresce-57-em-abril-diz-serasa/







BANCOS e CARTÕES - (22/05/2018) - Concorrência aumentando.

"Micro e pequenas empresas recorrem a fintechs para juros mais baixos." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/blog/samy-dana/post/2018/05/22/micro-e-pequenas-empresas-recorrem-a-fintechs-para-juros-mais-baixos.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (21/05/2018) - Estou alertando há bastante tempo para esse risco.

"O risco de o grupo Odebrecht não pagar parte de sua dívida pode afetar diretamente os bancos brasileiros, que têm cerca de R$ 47 bilhões a receber da companhia.

Itaú e Bradesco, que fazem parte desses credores, estão na fase final de negociação de um novo empréstimo para a Odebrecht a ser anunciado nesta semana.

Sem caixa, com um prejuízo da ordem de R$ 3 bilhões e uma dúvida lançada sobre os auditores de seu balanço, a empresa deixou de pagar R$ 500 milhões em juros para investidores que compraram títulos no exterior, há cerca de três semanas. Em um ano, a empresa ainda tem outros R$ 3 bilhões em dívidas vencendo. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/05/bancos-esperam-receber-da-odebrecht-r-47-bi-em-dividas.shtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/05/2018) - Positivo.

"Nesta quarta-feira (16), o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) derrubou uma liminar (decisão provisória) que suspendia o andamento de 87 empreendimentos imobiliários na capital.

Essas construções, 22 das quais já foram lançadas, não seguem as regras do zoneamento atual, já que seus projetos foram concebidos antes, e algumas estão em áreas que hoje são consideradas de proteção ambiental.

Segundo a Abrainc (Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias), os lançamentos representam R$ 9,8 bilhões em valor geral de vendas (VGV), com 19,2 mil apartamentos, o equivalente a 67% dos lançamentos no ano passado na cidade." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/05/tj-derruba-liminar-que-afetava-87-lancamentos-de-imoveis-em-sao-paulo.shtml







INDÚSTRIA - (16/05/2018) - Comunicando.

"A indústria paulista gerou 9,5 mil empregos em abril, revelaram nesta quarta-feira, 16, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). O resultado representa uma queda de 0,18% em comparação a igual mês do ano passado na série com ajuste sazonal. Já na comparação sem ajuste sazonal com o mês anterior, foi apurada alta de 0,44%.

No acumulado do ano até abril, a geração de vagas no setor industrial paulista chegou à marca de 32 mil, com expansão de 1,50% na comparação com o período equivalente de 2017. No acumulado em 12 meses, houve queda de 2,34% na série sem ajuste sazonal." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/industria-paulista-tem-saldo-positivo-de-95-mil-vagas-em-abril-diz-fiesp/







ITAÚSA - (16/05/2018) - Comunicando.

"A Itaúsa teve lucro líquido consolidado de 2,420 bilhões de reais no primeiro trimestre, alta de 24,8 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira a holding controladora do Itaú Unibanco e de outras empresas como Alpargatas e Duratex.

O lucro do Itaú Unibanco atribuído à Itaúsa no período foi de 2,387 bilhões de reais, representando 97,2 por cento do lucro obtido pela controladora por meio do método de equivalência patrimonial.

Dentre as demais empresas do grupo, o lucro atribuído à Itaúsa no período foi de 15 milhões de reais da Alpargatas, 11 milhões da Duratex e 13 milhões da Elekeiroz. A Itautec deu prejuízo de 1 milhão de reais no período e outras empresas também tiveram perdas de 5 milhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1IG1WL-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/05/2018) - Comunicando.

"Os profissionais e trabalhadores da construção civil no Estado de São Paulo iniciarão à meia-noite uma greve por tempo indeterminado. O Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo) comunicou a decisão em sua página na internet e atribuiu a medida à “intransigência” do sindicato que representa as empresas do setor, o Sinduscon-SP. A estimativa é de que cerca de 200 obras sejam paradas a partir da 0h desta terça-feira, 15." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/trabalhadores-da-construcao-civil-entram-em-greve-nesta-terca-feira-em-sp/







BANCOS e CARTÕES - (15/05/2018) - Inadimplência aumentando novamente.

"O percentual de famílias paulistanas que não conseguiram quitar suas dívidas na data do vencimento passou de 19,3% em março para 19,4% em abril, tecnicamente estável, informou a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Um ano atrás, esse percentual era de 18,7%, ou seja, houve um acréscimo de 33,1 mil famílias inadimplentes nesse período. A parte mais significativa do atraso (50,7%) é de um período superior a 90 dias. E 24,9% estão com tempo de pagamento de curto prazo, de até 30 dias.

Segundo o levantamento, 53,5% das famílias na cidade de São Paulo possuíam alguma dívida em abril, uma queda de 1,1 ponto porcentual (p.p.) em relação a março (54,6%). O número mais recente, contudo, está 0,6 p.p. acima do apresentado no mesmo mês do ano passado (52,9%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5522627/inadimplencia-das-familias-tem-ligeira-alta-em-abril-diz-fecomerciosp







BANCOS e CARTÕES - (14/05/2018) - Inadimplência aumentando novamente.

"O percentual de famílias paulistanas que não conseguiram quitar suas dívidas na data do vencimento passou de 19,3% em março para 19,4% em abril, tecnicamente estável, informou a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Um ano atrás, esse percentual era de 18,7%, ou seja, houve um acréscimo de 33,1 mil famílias inadimplentes nesse período. A parte mais significativa do atraso (50,7%) é de um período superior a 90 dias. E 24,9% estão com tempo de pagamento de curto prazo, de até 30 dias.

Segundo o levantamento, 53,5% das famílias na cidade de São Paulo possuíam alguma dívida em abril, uma queda de 1,1 ponto porcentual (p.p.) em relação a março (54,6%). O número mais recente, contudo, está 0,6 p.p. acima do apresentado no mesmo mês do ano passado (52,9%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5522627/inadimplencia-das-familias-tem-ligeira-alta-em-abril-diz-fecomerciosp







BANCOS e CARTÕES - (14/05/2018) - Comunicando.

"A Petrobras entrou na Justiça contra oito grandes bancos, entre eles Bradesco, Itaú BBA, Santander, BTG Pactual e Citibank, na esteira de uma investigação conduzida pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que atinge essas instituições, de acordo com o colunista Lauro Jardim, de "O Globo".

Conforme a nota, o Cade investiga esses bancos por formação de cartel de câmbio no mercado brasileiro. As instituições financeiras teriam manipulado taxas em benefício próprio." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5521083/petrobras-vai-justica-contra-grande-bancos-diz-colunista







BANCOS e CARTÕES - (11/05/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 4,5% no acumulado de 12 meses (maio de 2017 até abril de 2018 frente aos 12 meses antecedentes), de acordo com dados nacionais divulgados pela Boa Vista SCPC. Já na avaliação mensal, com ajuste sazonal, abril apresentou retração de 2,9% frente a março. Na comparação do resultado com o mesmo mês no ano passado, o indicador de maus pagadores do país caiu 3,4%. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5518147/curta







BANCOS e CARTÕES - (11/05/2018) - Comunicando.

"A parceria anunciada entre Bradesco e Cielo para a criação do terminal de pagamento "Bradesquinha" foi questionada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O órgão antitruste teme que o lançamento prejudique concorrentes de ambos os setores, dado que o Bradesco é um dos principais acionistas da Cielo. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7415247/guerra-das-maquininhas-cade-cobra-explicacoes-bradesco-cielo







BANCOS e CARTÕES - (11/05/2018) - Concorrência.

"O Itaú anunciou o lançamento do cartão Credicard Zero internacional em evento nesta quinta-feira (10), em São Paulo. O cartão continua com anuidade zero, mas agora será possível usá-lo em qualquer lugar do mundo. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/credito/noticia/7415030/sem-anuidade-cartao-credicard-zero-passa-ser-internacional







BANCOS e CARTÕES - (11/05/2018) - Comunicando.

"O Banco do Brasil (BB) vai entrar no mercado de "maquininhas" para cartões de crédito e débito, assim como anunciou recentemente o Bradesco. Os dois bancos são acionistas da credenciadora Cielo. O presidente do BB, Paulo Caffarelli, afirmou que a instituição vai lançar seu próprio POS, apelidado de "BBzinha", em parceria com a Cielo." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5516405/bb-quer-entrar-no-mercado-de-maquininha-de-cartao-com-bbzinha







BANCOS e CARTÕES - (10/05/2018) - Competição no setor tenderá a crescer nos próximos anos, é o foco do Bacen e não para de ser debatido pela sociedade.

"O BC (Banco Central) lançou nesta quarta-feira (9), em parceria com a Microsoft, IBM e Amazon Web Services, o Lift (Laboratório de Informações Financeiras e Tecnológicas), que funcionará como uma espécie de incubadora do estágio inicial de novos projetos de inovação na área.

A proposta do BC é criar um ambiente adequado para fomentar a expansão das chamadas Fintechs, empresas de tecnologia voltadas ao desenvolvimento de novos produtos e serviços financeiros.

A expectativa é que jovens empresários e mesmo universitários sejam atraídos pela iniciativa." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/05/banco-central-cria-laboratorio-para-empresas-de-tecnologia.shtml







BANCOS e CARTÕES - (10/05/2018) - Comunicando.

"Como reflexo da recuperação lenta do emprego e da renda, o total de brasileiros com alguma conta em atraso chegou a 62,2 milhões em abril, ou 41% da população adulta do País, conforme pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). O número representa uma alta de 3,54% em relação à quantidade de inadimplentes registrada no mesmo mês do ano passado, marcando a sétima alta consecutiva do indicador na comparação interanual. Se comparado a março, o indicador ficou praticamente estável, com leve variação positiva de 0,04%.

O resultado foi influenciado pela revogação de uma lei no Estado de São Paulo que limitava o registro de inadimplência, o que levou a uma inserção abrupta, na base de devedores, de atrasos que estavam represados – só na região Sudeste, o número de inadimplentes teve aumento de 8,56% frente a abril do ano passado." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/inadimplencia-sobe-35-e-chega-a-62-milhoes-de-brasileiros-diz-pesquisa/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/05/2018) - Comunicando.

"As vendas de cimento no mercado interno em abril somaram 4,35 milhões de toneladas, alta de 8,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados foram publicados nesta quarta-feira, 9, pelo Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic).

Já no acumulado dos primeiros quatro meses do ano, as vendas atingiram 16,94 milhões de toneladas, queda de 0,2% frente ao mesmo período do ano passado. Nos últimos 12 meses encerrados em abril, as vendas acumuladas totalizaram 53,5 milhões de toneladas, recuo de 3,7% em relação aos 12 meses anteriores." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/vendas-de-cimento-no-pais-crescem-89-em-abril/







BANCOS e CARTÕES - (08/05/2018) - Acredito que bancos possam estar realizando prejuízos nessas vendas.

"Durante os meses de maio e junho, a plataforma Sold leiloará mais de 140 lotes de casas, apartamentos, terrenos e empreendimentos comerciais e cotas de consórcios, com lances iniciais que variam de R$ 12 mil a R$ 33 milhões.

Os imóveis leiloados são de empresas como Itaú, Banco Inter, Banco Votorantim, Santander, Tecnisa, entre outras. As ofertas têm valores que chegam até 55% abaixo das avaliações de mercado." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7406226/itau-santander-outros-leiloam-imoveis-com-precos-partir-mil







INDÚSTRIA - (08/05/2018) - E o custo não para de aumentar para a indústria.

"De acordo com o Sindigás, a Petrobras informou que fará reajuste entre 5,8% e 8,6% no preço do GLP empresarial (embalagens acima de 13 quilos). O aumento irá variar de acordo com o polo de suprimento e entra em vigor a partir de 0h desta quarta-feira, 8 de maio. Pelas contas do Sindigás, com o novo reajuste, o ágio em relação ao preço praticado no mercado internacional alcança 31%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/petrobras-comunica-aumento-entre-58-e-86-do-glp-industrial-diz-sindigas/







BANCOS e CARTÕES - (08/05/2018) - O aumento da concorrência tem feito as empresas fazerem promoções que pode diminuir a rentabilidade delas.

"A Cielo lançou no domingo, 6, novo plano, chamado Cielo Livre, que dispensa o aluguel dos terminais de POS, conhecidos como “maquininhas” de cartão, caso o lojista atinja determinado volume de vendas ao mês. É o que informou, em entrevista ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), o vice-presidente (VP) de Produtos, Marketing, Negócios e Inovação da Cielo, Danilo Caffaro." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/cielo-lanca-plano-que-isenta-lojista-de-aluguel-de-terminal-pos/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/05/2018) - Comunicando.

"O preço médio dos imóveis residenciais teve uma leve queda de 0,01% na passagem de março para abril, segundo pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) feita com base nos anúncios de 20 cidades no site Zap. O levantamento mostra também que os preços caíram 0,09% no acumulado do ano e recuaram 0,70% nos últimos 12 meses.

Ao considerar a inflação esperada para abril, de 0,31%, o índice registrou queda real de 1,09% . A queda real é registrada quando o valor de um determinado bem tem uma alta menor que o aumento generalizado dos preços, medido pelo IPCA." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/preco-medio-dos-imoveis-residenciais-cai-001-em-abril-revela-fipezap/







BANCOS e CARTÕES - (04/05/2018) - Inadimplência prossegue bastante elevada.

"O número de empresas inadimplentes permaneceu em nível recorde em março, com o setor de Serviços reunindo a maior quantidade de CNPJs negativados, segundo pesquisa da consultoria especializada em informações de crédito Serasa Experian.

Em março, cerca de 5,4 milhões de empresas estavam inadimplentes, um aumento de 9,3% em relação a março de 2017, quando 5 milhões de CNPJs acusavam dívidas em atraso. O nível recorde foi atingido em janeiro e desde então ficou estável. Mas encerrou o 1º trimestre sem dar sinais de recuo.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/com-54-milhoes-de-empresas-com-dividas-em-atraso-inadimplencia-segue-em-nivel-recorde.ghtml







INDÚSTRIA - (03/05/2018) - Comunicando.

"A produção industrial brasileira diminuiu 0,1% no mês de março em comparação com o de fevereiro, na série com ajuste sazonal, conforme divulgou nesta terça-feira, 3, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação anual, em relação a março de 2017, a produção avançou 1,3%. Nos três primeiros meses do ano, a indústria nacional teve aumento da produção da ordem de 3,1%. Nos últimos 12 meses, a produção da indústria acumulou avanço de 2,9%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-cai-01-em-marco/







INDÚSTRIA - (03/05/2018) - Comunicando.

"O índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do Brasil caiu de 53,4 em março para 52,3 em abril com ajuste sazonal, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 2, pela IHS Markit.

O emprego na interrompeu a recuperação em março, após cinco meses seguidos de alta, de acordo com dados de março divulgados nesta quarta-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). As vagas de trabalho no setor caíram 0,2% em relação a fevereiro, já descontados os efeitos de calendário. Ainda assim, o nível de emprego da indústria brasileira em março foi 0,5% superior ao registrado no mesmo mês de 2017. Considerando o período de janeiro a março de 2018, o emprego na indústria também foi 0,5% maior que o acumulado no mesmo período do ano passado.

Após dois meses consecutivos de crescimento, o faturamento industrial voltou a cair em março, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na comparação com o mês anterior – e excluindo os efeitos de calendário -, as vendas das fábricas brasileiras caíram 2,5% no terceiro mês deste ano. Ainda assim, o volume faturado em março pelo setor foi 1,6% superior ao registrado no mesmo mês de 2017. Considerando as vendas de janeiro a março de 2018, o desempenho foi 6,2% superior ao do mesmo período do ano passado.

"A Utilização da Capacidade Instalada aumentou 0,2 ponto percentual entre fevereiro e março de 2018 e alcançou 78,2%, na série livre de efeitos sazonais. O percentual de utilização da capacidade é o maior desde julho de 2015, quando a UCI ficou em 78,5%", informou a entidade. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/pmi-industrial-do-brasil-cai-para-523-em-abril-mostra-ihs-markit/







INDÚSTRIA - (02/05/2018) - Comunicando.

"O índice de gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do Brasil caiu de 53,4 em março para 52,3 em abril com ajuste sazonal, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 2, pela IHS Markit.

O emprego na interrompeu a recuperação em março, após cinco meses seguidos de alta, de acordo com dados de março divulgados nesta quarta-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). As vagas de trabalho no setor caíram 0,2% em relação a fevereiro, já descontados os efeitos de calendário. Ainda assim, o nível de emprego da indústria brasileira em março foi 0,5% superior ao registrado no mesmo mês de 2017. Considerando o período de janeiro a março de 2018, o emprego na indústria também foi 0,5% maior que o acumulado no mesmo período do ano passado.

Após dois meses consecutivos de crescimento, o faturamento industrial voltou a cair em março, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na comparação com o mês anterior – e excluindo os efeitos de calendário -, as vendas das fábricas brasileiras caíram 2,5% no terceiro mês deste ano. Ainda assim, o volume faturado em março pelo setor foi 1,6% superior ao registrado no mesmo mês de 2017. Considerando as vendas de janeiro a março de 2018, o desempenho foi 6,2% superior ao do mesmo período do ano passado.

"A Utilização da Capacidade Instalada aumentou 0,2 ponto percentual entre fevereiro e março de 2018 e alcançou 78,2%, na série livre de efeitos sazonais. O percentual de utilização da capacidade é o maior desde julho de 2015, quando a UCI ficou em 78,5%", informou a entidade. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/pmi-industrial-do-brasil-cai-para-523-em-abril-mostra-ihs-markit/







BANCOS e CARTÕES - (02/05/2018) - Será que realmente a inadimplência está caindo? Tenho minhas dúvidas.

"A empreiteira Andrade Gutierres deixou de pagar na segunda-feira 1,2 bilhão de reais a credores que adquiriram títulos emitidos pela empresa no exterior, revela o jornal O Estado de S. Paulo. O" (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/brasil/o-calote-da-andrade-apple-recomprara-us-100-bilhoes/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/04/2018) - Comunicando.

"Os grandes bancos brasileiros estão reforçando o foco no crédito imobiliário, enquanto tentam acelerar empréstimos para pessoas físicas e compensar a contínua fraqueza na demanda corporativa por novos recursos para investimentos.

O Banco do Brasil começou nos últimos dias a operar com taxa mínima de 8,99 por cento ao ano no financiamento para compra de imóveis residenciais pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). O Santander Brasil anunciou nesta semana que também terá taxa anual a partir de 8,99 por cento na linha de crédito imobiliário com recursos da poupança. A taxa promocional vale até julho.

Mas segundo profissionais do mercado imobiliário, que pediram para não serem citados, esse preço depende de o tomador aceitar um maior relacionamento com o banco. Em caso de descumprimento, a taxa sobe para 11 por cento ao ano.

O Itaú Unibanco também está operando com taxa mínima de 9 por cento ao ano, financiando até 82 por cento do valor do imóvel. Essa oferta vale para financiamento mínimo de 80 mil reais e condicionada ao relacionamento com o banco." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HY31J-OBRBS







ITAÚSA - (27/04/2018) - Comunicando.

"A Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco, assinou nesta quinta-feira, 26, a venda da fabricante de intermediários químicos Elekeiroz para a empresa de investimentos H.I.G. Capital. O valor atribuído à empresa foi de R$ 160 milhões." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/negocios/itau-vende-fabricante-de-produtos-quimicos-por-r-160-milhoes/







BANCOS e CARTÕES - (27/04/2018) - Comunicando.

"A inadimplência no Brasil caiu a 4,8 por cento em março, ante 5,0 por cento em fevereiro, com os empréstimos ficando mais baratos em meio ao ciclo de afrouxamento nos juros conduzido pelo Banco Central. Neste recorte, os juros médios foram a 41,4 por cento ao ano em março, redução de 0,8 ponto percentual sobre fevereiro, interrompendo dois meses de alta consecutiva." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HX2DI-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/04/2018) - Comunicando.

"Os financiamentos de imóveis com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) em março recuaram 5,2 por cento na comparação anual, mas subiram 7,7 por cento ante fevereiro, somando 3,8 bilhões de reais em março, informou nesta quinta-feira a Abecip, instituição que representa as financiadoras de imóveis." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HX3AA-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (27/04/2018) - Essa medida é positiva para os bancos e para a economia como um todo por liberar dinheiro travado para empréstimos.

"O Conselho Monetário Nacional (CMN) reduziu em 20 por cento o valor da contribuição mensal que os bancos devem fazer ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), esperando com isso que haja um repasse da economia para o consumidor." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HX3KZ-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (27/04/2018) - Maior concorrência normalmente gera perda de rentabilidade.

"A regulamentação das fintechs de crédito aprovada nesta quinta-feira pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) deve intensificar a oferta de empréstimos com taxas menores, ampliando a concorrência com os grandes bancos, disseram executivos das plataformas de serviços financeiros." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HX3MC-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (25/04/2018) - Concorrência aumenta e afeta normalmente a rentabilidade do setor no longo prazo.

"A forte concorrência do mercado de maquininhas nos meios de pagamentos sacudiu o mercado de ações no Brasil e nos Estados Unidos nesta terça-feira (24). Aqui, as ações da Cielo (CIEL3) encerraram o pregão em alta de 3,21% após a informação de que a empresa se aliou aos seus sócios, Bradesco e Banco do Brasil, para reforçar a venda de maquininhas. A aposta da Cielo é em um terminal co-branded – ou seja, as tradicionais maquininhas da Cielo ganharão uma nova roupagem com a marca do sócio, segundo informação foi publicada na Coluna do Broad, do Estadão. A estreia da ofensiva, um projeto conjunto da Cielo com os seus acionistas, está sendo com o Bradesco. Na sequência, também virá o Banco do Brasil. A estratégia chega em um momento de concorrência elevada no setor de cartões devido aos novos concorrentes, como PagSeguro, do Uol, e Banco Safra. Ao se unir à marca de seus sócios, a Cielo espera ampliar o engajamento da sua operação e ainda o próprio senso de propriedade da operação." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7390897/guerra-das-maquininhas-entenda-novidade-que-fez-acao-levar-maior







INDÚSTRIA - (25/04/2018) - Comunicando.

"O faturamento da indústria nacional de máquinas e equipamentos alcançou R$ 6,04 bilhões no mês passado, 5,6% a menos do que o montante registrado em março de 2017, informou nesta terça-feira, 24, a Abimaq, entidade que representa as empresas do setor. Na comparação com fevereiro, um mês mais curto, houve alta de 13,8% nas vendas dessa indústria, entre entregas ao mercado doméstico e exportações.

O resultado leva para R$ 15,98 bilhões o total faturado nos três primeiros meses do ano, o que corresponde a um leve crescimento de 0,8% frente ao primeiro trimestre de 2017.

As exportações, que somaram US$ 801,1 milhões no mês passado, caíram 15,2% no comparativo interanual. Por outro lado, as vendas da indústria de máquinas a clientes nacionais subiram, na mesma base comparativa, 2,7%, chegando a R$ 3,41 bilhões no mês passado. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/faturamento-da-industria-de-maquinas-cai-56-em-marco-mostra-abimaq/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/04/2018) - Comunicando.

"O número de lançamentos de imóveis do primeiro bimestre - 6,8 mil unidades - foi o maior da série histórica apurada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

No acumulado de janeiro e fevereiro, houve vendas brutas de 15,9 mil unidades. Com distratos de 4,3 mil unidades, as vendas líquidas chegaram a 11,7 mil unidades." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5478507/numero-de-lancamentos-imobiliarios-do-1-bimestre-e-recorde-diz-fipe







BANCOS e CARTÕES - (24/04/2018) - Vai entrar em recuperação judicial?

"Apesar de correr contra o tempo para evitar uma inadimplência, a Odebrecht S.A. trabalha para postergar por alguns dias o pagamento de R$ 500 milhões em bônus, que vencem amanhã, e transformar o evento em uma situação, apenas, de “calote formal”. No entanto, se ainda assim o grupo não honrar seu compromisso – opção que pessoas próximas à companhia descartam – detentores de 25% dos títulos da dívida podem solicitar a antecipação de todos os pagamentos da Odebrecht Engenharia e Construção (OEC), além dos próprios bonds em questão. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,odebrecht-quer-alguns-dias-para-pagamento-de-divida,70002281215







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/04/2018) - Comunicando.

"O saldo de trabalhadores na indústria brasileira de construção civil em fevereiro caiu 0,1 por cento ante janeiro e 4,19 por cento na comparação anual, para 2,303 milhões, informou nesta sexta-feira o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de São Paulo (Sinduscon-SP)." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HR2GU-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/04/2018) - Comunicando.

"O preço nominal médio dos imóveis residenciais nas principais capitais do País subiu 0,06% em março, mostrando uma ligeira recuperação após cair 0,01% em fevereiro. No acumulado do primeiro trimestre, os preços avançaram 0,24%, enquanto nos últimos 12 meses, recuaram 0,36%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/preco-dos-imoveis-residenciais-sobe-006-em-marco-diz-abecip/







BANCOS e CARTÕES - (19/04/2018) - Concorrência aumentando para o setor bancário.

"O Carrefour vai lançar sua própria “fintech”. Já está testando no Brasil um sistema próprio de pagamentos eletrônicos que servirá como plataforma para a oferta de outros serviços financeiros." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/carrefour-finance/







BANCOS e CARTÕES - (18/04/2018) - Não é atoa que o BACEN começou a combater a concentração bancária no Brasil. Será que eles irão ganhar essa queda de braço?

"Itaú-Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, os quatro maiores conglomerados bancários do país, fecharam o ano de 2017 com 78,5% do mercado de crédito e com 76,35% dos depósitos de correntistas, informou o Banco Central nesta terça-feira (17) por meio do Relatório de Estabilidade Financeira do segundo semestre do ano passado.

Os números ficaram praticamente estáveis em relação aos registrados em junho de 2017, quando essas instituições financeiras detinham 78,65% de todas as operações de crédito e 76,74% dos depósitos bancários.

Em 2007, as quatro maiores instituições financeiras possuíam 54,6% das operações de crédito e 59,34% dos depósitos, indicador que mostra que a concentração bancária era muito menor no país há dez anos." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/quatro-maiores-bancos-detinham-78-do-mercado-de-credito-do-pais-no-fim-de-2017.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (17/04/2018) - Não é atoa que o BACEN começou a combater a concentração bancária no Brasil. Será que eles irão ganhar essa queda de braço?

"Itaú-Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, os quatro maiores conglomerados bancários do país, fecharam o ano de 2017 com 78,5% do mercado de crédito e com 76,35% dos depósitos de correntistas, informou o Banco Central nesta terça-feira (17) por meio do Relatório de Estabilidade Financeira do segundo semestre do ano passado.

Os números ficaram praticamente estáveis em relação aos registrados em junho de 2017, quando essas instituições financeiras detinham 78,65% de todas as operações de crédito e 76,74% dos depósitos bancários.

Em 2007, as quatro maiores instituições financeiras possuíam 54,6% das operações de crédito e 59,34% dos depósitos, indicador que mostra que a concentração bancária era muito menor no país há dez anos." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/quatro-maiores-bancos-detinham-78-do-mercado-de-credito-do-pais-no-fim-de-2017.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/04/2018) - Comunicando.

"Os aluguéis residenciais subiram 0,54% em março na comparação com fevereiro, considerando os valores médios de anúncios em 15 cidades. Essa foi a quarta elevação mensal consecutiva dos valores de locação. No ano, os aluguéis acumulam crescimento de 1,47%, e nos últimos 12 meses, alta de 0,30%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/aluguel-residencial-sobe-054-em-marco-quarta-alta-consecutiva-diz-fipezap/







BANCOS e CARTÕES - (17/04/2018) - O governo e o Bacen estão se esforçando para aumentar a competitividade no setor bancário e isso pode reduzir a lucratividade dos grandes bancos.

"A aprovação do projeto do novo cadastro positivo é essencial para aumentar a concorrência no mercado de crédito, possibilitando que fintechs e bancos menores tenham informações hoje exclusivas dos grandes bancos, diz João Manoel Pinho de Mello, secretário de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência do Ministério da Fazenda. Para ele, a proposta, que pode ser votada hoje pela Câmara dos Deputados, ajudará a baixar os elevados spreads bancários - a diferença entre a taxa cobrada em empréstimos e financiamentos e o custo de captação dos recursos." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5458005/cadastro-positivo-elevara-competicao-e-reduzira-o-spread







INDÚSTRIA - (17/04/2018) - Comunicando.

"A indústria paulista criou 23 mil postos de trabalho no 1º trimestre deste ano, segundo divulgou nesta segunda-feira (16) a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Trata-se do maior saldo para um primeiro trimestre desde 2013, quando foram criadas 34.500 vagas. Somente em março, foram criadas 10 mil novas vagas, segundo o levantamento.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/industria-paulista-cria-23-mil-vagas-no-1-trimestre-melhor-resultado-desde-2013-aponta-fiesp.ghtml







INDÚSTRIA - (16/04/2018) - Comunicando.

"A indústria paulista criou 23 mil postos de trabalho no 1º trimestre deste ano, segundo divulgou nesta segunda-feira (16) a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Trata-se do maior saldo para um primeiro trimestre desde 2013, quando foram criadas 34.500 vagas. Somente em março, foram criadas 10 mil novas vagas, segundo o levantamento.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/industria-paulista-cria-23-mil-vagas-no-1-trimestre-melhor-resultado-desde-2013-aponta-fiesp.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/04/2018) - Comunicando.

"A Caixa Economica Federal anunciou nesta segunda-feira (16) que vai reduzir os juros e aumentar o percentual do valor a ser financiado para compra da casa própria. A taxa mínima cai de 10,25% para 9% ao ano. O percentual do valor a ser financiado sobe de 50 para 70%. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/caixa-anuncia-reducao-de-juros-e-aumento-do-valor-financiado-para-a-casa-propria.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (16/04/2018) - Comunicando.

"A regulamentação do Banco Central, que deve ser divulgada no dia 26, de dois modelos de empresas de tecnologia financeira ("fintechs") voltadas à concessão de crédito deve prever que a sociedade de crédito direto poderá ofertar financiamentos (com finalidade específica, podendo ter garantia) e também será autorizada a vender suas carteiras. O outro modelo que está sendo regulamentado é a sociedade de empréstimo entre pessoas, numa relação direta entre aplicador e tomador. As operações estão limitadas a R$ 50 mil por pessoa." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5454723/fintech-de-credito-podera-vender-carteira







BANCOS e CARTÕES - (16/04/2018) - Notícia ruim para as empresas do setor.

"O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse nesta sexta-feira que a instituição avalia fixar um teto para as tarifas operacionais dos cartões de crédito, como já foi definido recentemente para os de débito. A partir de 1º de outubro, o BC determinou que haverá limitação dos porcentuais da chamada tarifa de intercâmbio dos cartões de débito, que poderão chegar a no máximo 0,8% de cada transação. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,banco-central-estuda-fixar-limite-em-tarifas-de-cartao-de-credito,70002267164







BANCOS e CARTÕES - (16/04/2018) - BACEN segue forçando um incremento na competitividade do setor bancário o que poderá levar a uma redução da lucratividade do setor.

"O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse nesta sexta-feira, 13, que a instituição quer estimular as Fintechs, empresas nascentes de tecnologia financeira, sem regular em demasia o setor. Essas companhias ajudam a dar maior competição ao sistema, além de criarem novos produtos e modelos de negócios com redução de custos em várias áreas, disse." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/ilan-bc-tem-incentivado-fintechs-e-nao-pretende-regular-companhias-em-demasia/







BANCOS e CARTÕES - (16/04/2018) - E o cerco para os grandes bancos no Brasil está se fechando...

"O economista e presidente do Insper, Marcos Lisboa, afirmou nesta sexta-feira que é hora de reavaliar se o Brasil não errou a mão na regulação bancária e criou regras em demasia que levaram a uma elevada concentração do setor e dificultaram o surgimento de bancos pequenos e médios, disse durante evento que discute o risco sistêmico. Lisboa ressaltou que é "discutível e questionável" se o País deveria conceder limite de garantia de depósitos ao sistema bancário equivalente ao que tem os Estados Unidos, economia de renda muito mais alta." (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-pode-ter-errado-a-mao-na-regulacao-bancaria-diz-economista,70002266989







INDÚSTRIA - (13/04/2018) - Comunicando.

"O financiamento de veículos novos no Brasil cresceu 9,6% em março ante igual mês do ano passado, com a realização de 178,7 mil vendas a crédito, mostra levantamento da B3, que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.

Na comparação com fevereiro, mês mais curto, o volume representa avanço maior, de 32,7%. O primeiro trimestre, com isso, terminou com 469 mil unidades financiadas, alta de 14,5% em relação a igual período do ano passado." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/numero-de-veiculos-novos-financiados-cresce-96-em-marco-diz-b3/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/04/2018) - Comunicando.

"As vendas de imóveis novos cresceram 81,5% em fevereiro, na comparação com igual período de 2017, na cidade de São Paulo, para 1.448 unidades. Em relação a janeiro, porém, houve queda de 14,4%.

O Valor Geral de Vendas (VGV) somou R$ 644,6 milhões em fevereiro, com expansão de 16,1% ante o segundo mês do ano passado, mas 6,6% abaixo do de janeiro. Os comparativos foram atualizados pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) de fevereiro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5446777/vendas-de-imoveis-crescem-82-em-fevereiro-informa-secovi







BANCOS e CARTÕES - (12/04/2018) - Comunicando.

"O número de consumidores com contas em atraso e registrados em cadastros de inadimplência cresceu 3,13% em março, na comparação com o mesmo mês de 2017. Foi a sexta alta seguida nesse tipo de comparação. O crescimento também vem acelerando mês a mês, desde que foi registrada a alta de 0,2% em outubro. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e foram divulgados na manhã desta quarta-feira (11)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5445145/spc-inadimplencia-cresce-em-marco-e-621-milhoes-tem-contas-em-atraso







BANCOS e CARTÕES - (12/04/2018) - Comunicando.

"A parcela das famílias paulistanas que possuía algum tipo de dívida chegou a 54,6% em março, numa alta de alta de 1 ponto percentual (p.p.) em relação a fevereiro (53,6%) e de 4,4 p.p. na comparação com o mesmo mês do ano passado (50,2%). A taxa de inadimplentes -- famílias que não conseguiram quitar a dívida na data do vencimento -- também cresceu na passagem de fevereiro para março, de 18,3% para 19,3%. Há um ano, o percentual era de 17,5%. O número de famílias inadimplentes somava 751 mil em março, 74,3 mil a mais do que em igual mês do ano passado. Das famílias inadimplentes, 52,2% têm dívidas com atraso superior a 90 dias e 45,2%, de até três meses." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5444891/fecomerciosp-inadimplencia-de-paulistanos-sobe-para-193-em-marco







BANCOS e CARTÕES - (11/04/2018) - Concorrência não para de crescer.

"Tem “fintech” nova na praça. O Mercado Livre, um dos gigantes do e-commerce, prepara-se para uma metamorfose, tornando-se uma plataforma financeira digital. Recentemente, a empresa passou a oferecer crédito aos vendedores da sua operação de marketplace. É só o começo: o RR apurou que os novos serviços não fi carão restritos às transações de compra e venda no próprio site." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/mercado-mais-livre/







BANCOS e CARTÕES - (11/04/2018) - Começa novamente a complicar a dívida das famílias.

"Segundo a entidade, 54,6 por cento do total das famílias paulistanas tinham dívidas, o que equivalia a uma alta de 4,4 pontos percentuais ante mesma etapa do ano passado. No fim do mês passado havia 2,13 milhões de famílias endividadas na capital paulista, 185 mil a mais em 12 meses. A taxa de famílias que disseram que não conseguiram quitar a dívida na data do vencimento atingiu 19,3 por cento em março alta sequencial de 1 ponto e crescimento de 1,8 ponto contra um ano antes." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1HH3K6-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/04/2018) - Comunicando.

"O Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), divulgado nesta terça-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), subiu 0,14% em março, após uma elevação de 0,30% em fevereiro. O resultado foi o mais baixo para meses de março desde o início do Plano Real. No ano, o índice acumulado ficou em 0,71%. A taxa em 12 meses foi de 3,49%. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/incc-sinapi-sobe-014-em-marco-ante-030-em-fevereiro-mostra-ibge/







INDÚSTRIA - (11/04/2018) - Comunicando.

"As expedições de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado mantêm a trajetória de crescimento no início deste ano e totalizaram 304,828 mil toneladas em março, com expansão de 2,1% na comparação anual, segundo dados preliminares da Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO).

A expedição por dia útil, nessa base de comparação, teve crescimento de 6,02%, embora março deste ano tenha registrado um dia útil a menos (26 dias) que o mesmo mês de 2017.

Frente a fevereiro, houve expansão de 13,2%. Mas, após ajuste sazonal, o desempenho foi negativo em 0,26%, ao passar de 299,445 mil toneladas para 298,672 mil toneladas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5442159/expedicao-de-papelao-ondulado-sobe-21-em-marco-aponta-previa







BANCOS e CARTÕES - (11/04/2018) - Comunicando.

"A mudança nas regras do cheque especial é um marco importante e um esforço do setor bancário na conscientização dos clientes. A afirmação é do presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher.

O executivo afirmou que ainda não é possível saber se a medida terá algum impacto nas margens do banco. "A taxa menor pode reduzir a receita, mas a inadimplência também deve cair", afirmou a jornalistas, após participar de evento promovido pelo Itaú BBA." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5442813/mudanca-na-regra-do-cheque-especial-e-marco-importante-avaliam-bancos







BANCOS e CARTÕES - (11/04/2018) - Comunicando.

"As compras parceladas sem juros no cartão de crédito não vão acabar. A ideia é ter no mercado alternativas a esse tipo de compra, segundo afirmou hoje (10) o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos, no Senado. Goldfajn acrescentou que a diferenciação de preços entre pagamento a prazo e à vista já está acontecendo. “O que se paga à vista não pode ser igual ao que se paga a prazo”, destacou." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/parcelamento-sem-juros-no-cartao-de-credito-nao-vai-acabar-diz-goldfajn/







BANCOS e CARTÕES - (09/04/2018) - Comunicando.

"A pressão que tem sido realizada sobre os bancos para que reduzam as taxas de juros é legítima e já vem tarde. O custo dos empréstimos no país é uma espécie de carcinoma que ignora ciclos, crescimento econômico, conjuntura internacional, lucratividade bancária e medidas de ajuste favoráveis ao setor. Os juros simplesmente não caem, ou, para ser mais preciso, invariavelmente sobem. A recente elevação das taxas, mesmo com a Selic baixando para seu piso histórico, é uma prova de que o sistema bancário se descolou dos fundamentos. Curioso, entretanto, é que a pressão para que os bancos reduzam as taxas surge justamente no momento em que as externalidades fortalecem sua motivação para manter os juros altos ou até avançar “ ”.

Dois candidatos bem situados, Ciro Gomes, pela esquerda, e Jair Bolsonaro, pela direita, são promessas de intervenção no intocável sistema financeiro. Por essas e por outras, os acionistas do Itaú fizeram a maior distribuição de dividendos da história. Melhor o dinheiro no bolso agora antes que surja algum percalço depois. Por uma outra lógica que não a bancária, o momento seria o de baixar os flaps dos juros, fazendo uma sinalização de boa política. Só que o sistema funciona ao contrário. Ao se depararem com o risco de serem abalroados, os bancos sobem ainda mais os juros. Tem nexo. Haverá um novo teste na próxima reunião do Copom, quando é prevista mais uma redução da Selic, desta vez para 6,25%. Se os juros bancários não descerem, e não deverão descer, não será provocação, mas, sim, a lógica do sistema em movimento. Em algum momento é fundamental quebrar essa inércia. Se não forem os próprios bancos a corrigirem suas disfunções, é temerário o que pode acontecer." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/bancos-precisam-reduzir-os-juros-antes-que-algum-interventor-o-faca/







INDÚSTRIA - (09/04/2018) - A rentabilidade das indústrias dos setores afetados tenderão a reduzir.

"A proposta da área econômica do governo de reduzir, em quatro anos, as tarifas de importação de bens de capital, informática e telecomunicações, hoje tributados em 14%, em média, para 4%, gerou protestos dos fabricantes nacionais. Representantes das indústrias reclamaram que não foram procurados pelo Ministério da Fazenda e disseram que a abertura do mercado brasileiro para os importados vai significar o sepultamento da produção nacional." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://oglobo.globo.com/economia/industria-reage-tarifa-menor-para-importacao-22567442







BANCOS e CARTÕES - (09/04/2018) - Comunicando.

"Para Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central brasileiro, é preciso atacar problemas brasileiros “pela raiz” – e um destes problemas é o spread bancário. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7366570/ilan-diz-que-ira-atacar-spread-bancario-pela-raiz?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_content=noticia&utm_campaign=canal_negocios







INDÚSTRIA - (09/04/2018) - Comunicando.

"A demanda por bens industriais recuou 1,6% na passagem de janeiro para fevereiro, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No trimestre móvel encerrado em fevereiro, porém, o Indicador Ipea mensal de Consumo Aparente (CA) de Bens Industriais registrou alta de 1,2%.

Na comparação com fevereiro de 2017, o consumo de bens industriais foi 4,5% maior em fevereiro deste ano. O indicador é obtido através da soma das importações de bens industriais com a produção interna, excluídas as exportações. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,demanda-por-bens-industriais-recuou-1-6-em-fevereiro-ante-janeiro,70002257225







BANCOS e CARTÕES - (06/04/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor cresceu 6,2% em março, na comparação com fevereiro e feito o ajuste sazonal, segundo dados da Boa Vista SCPC. Em relação a março de 2017, no entanto, a inadimplência caiu 6,3%. No acumulado de 12 meses até março, a taxa também registrou redução, de 5,2%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5433755/inadimplencia-do-consumidor-sobe-62-em-marco-segundo-boa-vista-scpc







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/04/2018) - Comunicando.

"A Caixa Econômica Federal realizará mais um leilão de imóveis, no próximo dia 11. O banco oferece aproximadamente 500 propriedades para negociação, tanto em pregões de alienação fiduciária, quanto para licitações abertas. O preço das casas, apartamentos, espaços comerciais e terrenos estão até 85% abaixo do seu valor de mercado, e os lances começam a partir de R$ 29 mil." (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/blogs/radar-imobiliario/caixa-faz-leilao-de-imoveis-com-ate-85-de-reducao-do-preco/







INDÚSTRIA - (05/04/2018) - Comunicando.

"A indústria de produtos e equipamentos elétricos e eletrônicos produziu em fevereiro 13,6% a mais que no mesmo mês do ano passado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) compilados pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). O resultado é composto por um incremento de 29,2% na indústria eletrônica e acréscimo de 0,6% na elétrica. A alta de fevereiro aponta para a décima consecutiva da produção em relação ao mesmo mês do ano anterior. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/producao-da-industria-eletrica-e-eletronica-cresceu-136-em-fevereiro/







BANCOS e CARTÕES - (05/04/2018) - Comunicando.

"A proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso no país cresceu para 25,2% em março, vindo de 24,9% em fevereiro, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quarta-feira (4) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

É a primeira alta mensal do indicador neste ano e desde setembro do ano passado, quando havia passado de 25,9%, em agosto, para 26,5%. Em março de 2017, o índice estava nos mesmos 24,9% do mês passado." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5429151/cnc-percentual-de-familias-inadimplentes-tem-1-alta-desde-setembro







BANCOS e CARTÕES - (04/04/2018) - Comunicando.

"A proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso no país cresceu para 25,2% em março, vindo de 24,9% em fevereiro, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quarta-feira (4) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

É a primeira alta mensal do indicador neste ano e desde setembro do ano passado, quando havia passado de 25,9%, em agosto, para 26,5%. Em março de 2017, o índice estava nos mesmos 24,9% do mês passado." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5429151/cnc-percentual-de-familias-inadimplentes-tem-1-alta-desde-setembro







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/04/2018) - Comunicando.

"Ao considerar a inflação esperada para o acumulado do ano, de 0,76%, o preço dos imóveis residenciais à venda registrou queda real de 0,84% no período, de acordo com o Índice FipeZap, que acompanha o preço de imóveis anunciados para venda em 20 cidades brasileiras. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/precos-de-imoveis-tem-queda-real-de-084-no-ano/







INDÚSTRIA - (03/04/2018) - Comunicando.

"A produção industrial brasileira registrou alta de 0,2 por cento em fevereiro na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção subiu 2,8 por cento. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1HA1GN-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (03/04/2018) - Quem vai ganhar essa queda de braço, o governo ou os grandes bancos?

"Vamos ‘empoderar’ bancos menores, diz presidente do BC. Ilan Goldfajn afirma que apoio a bancos médios e pequenos vai ajudar a aumentar a competição e derrubar taxas de juros." (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,vamos-empoderar-bancos-menores-diz-presidente-do-bc,70002252165







INDÚSTRIA - (03/04/2018) - Comunicando.

"Apesar disso, a utilização da capacidade instalada recuou de 78,1% em janeiro para 78,0% no mês seguinte, de acordo com os dados já ajustados. Para a CNI, a recuperação do setor segue “em ritmo lento”.

Segundo a CNI, o faturamento real subiu 0,5% em fevereiro ante janeiro, já descontados os efeitos sazonais. O crescimento reverte os dados negativos observados nos dois meses anteriores. Na comparação com fevereiro de 2017, a alta foi de 6,5%.

Já o emprego industrial exibiu expansão de 0,1% na passagem de janeiro para fevereiro, também na série dessazonalizada. Mas dados de meses anteriores foram revisados para melhor, incluindo janeiro (-0,5% para 0,1%) e dezembro de 2017 (0,5% para 0,6%).

Com isso, o emprego registra sequência de cinco meses sem resultados negativos, acumulando alta de 1,3% no período." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/capacidade-instalada-da-industria-recua-para-78-em-fevereiro/







INDÚSTRIA - (03/04/2018) - Comunicando.

"O nível de atividade da indústria da transformação paulista avançou 0,8% em fevereiro, na comparação com o mês anterior, já com o ajuste sazonal. Também variou positivamente a série sem ajuste sazonal, com alta de 1,3% em fevereiro. No acumulado do ano, a variação chega a 6,5%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/nivel-de-atividade-da-industria-de-sp-avanca-08-em-fevereiro-diz-fiesp/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/04/2018) - Comunicando.

"s vendas de materiais de construção no varejo em março cresceram 10% em relação a fevereiro e subiram 2% em comparação com o mesmo mês de 2016." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/vendas-de-materiais-de-construcao-no-varejo-crescem-2-em-marco/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/04/2018) - Comunicando.

"Fantasmas das incorporadoras, sobretudo durante a crise econômica, os distratos – como são chamadas as desistências de compra de um imóvel – recuaram no ano passado, mas ainda preocupam. Dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) apontam que o número de unidades residenciais distratadas foi de 40,5 mil, entre janeiro e outubro 2015, para 29,2 mil no acumulado do ano passado até o mesmo mês. Esse é o patamar mais baixo em três anos, quase 28% menor que no mesmo período de três anos atrás, quando os cancelamentos fizeram com que o setor ligasse o sinal de alerta." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/distratos-tem-queda-mas-ainda-preocupam-setor/







BANCOS e CARTÕES - (02/04/2018) - Comunicando.

"O presidente do Banco Central, Ilan Goldafjn, afirmou nesta quinta-feira (29) que mudanças no cheque especial serão anunciadas em abril.

Segundo ele, essas alterações devem ser divulgadas pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), que vem estudando ações para melhorar as condições do cheque especial desde o início deste ano.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/banco-central-anuncia-mudancas-no-cheque-especial-em-abril-diz-goldafjn.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (29/03/2018) - Ótima notícia para os bancos que terão seus recursos liberados para poderem rentabilizar emprestando dinheiro a pessoas e empresas. Muito boa notícia também para o Brasil que poderá ver os juros caírem e assim a economia pode crescer. Boa notícia para quem investe em ativos de risco (renda variável).

"O Banco Central decidiu nesta quarta-feira 28 reduzir de 40% para 25% a alíquota de recolhimento compulsório pelos bancos nos depósitos à vista. No caso da poupança, o recolhimento passou de 21% para 20%, na modalidade rural, e de 24,5% para 20%, nas demais modalidades. As medidas, que foram aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) terão o impacto de liberar 25,7 bilhões de reais ao Sistema Financeiro Nacional. Os novos percentuais entram em vigor em abril. Segundo o BC, a decisão traz a alíquota dos depósitos de poupança aos níveis históricos praticados nos anos anteriores à crise de 2008 e tem o potencial para “induzir a redução do custo do crédito, por meio da liberação de recursos atualmente recolhidos pelas instituições junto ao Banco Central”, afirmou a instituição em nota." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/brasil/a-danca-das-cadeiras-nos-ministerios-nestle-vende-negocio-de-agua/







BANCOS e CARTÕES - (29/03/2018) - Desemprego aumentando em São Paulo, inadimplência crescendo nas empresas, essa recuperação econômica está muito estranha.

"O número de empresas registradas em cadastros de inadimplentes cresceu 6,76% em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano passado. É a quinta vez consecutiva que o indicador acelera em relação a igual período do ano anterior, segundo indicador apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Na comparação mensal, ou seja, entre fevereiro e janeiro de 2018, o volume de empresas com atraso cresceu 0,90%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5414837/inadimplencia-das-empresas-acelera-pelo-5-mes-consecutivo







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/03/2018) - Boa notícia.

"Os lançamentos de imóveis nos 12 meses encerrados em janeiro cresceram 19,5%, ante a média móvel anterior, para 83.827 unidades, segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

No segmento de médio e alto padrão, a expansão foi de 30,1%, enquanto no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, houve alta de 20,1%, de acordo com o indicador Abrainc/Fipe.

As vendas de imóveis novos cresceram 6,3%, para 110.849 unidades. Apesar do aumento dos lançamentos no segmento de médio e alto padrão, houve queda de 9,4% na comercialização dessas unidades. Já as vendas das unidades enquadradas no programa habitacional cresceram 26,8% nos 12 meses encerrados em janeiro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5412397/lancamento-de-imoveis-cresce-195-em-12-meses-ate-janeiro







BANCOS e CARTÕES - (27/03/2018) - Oligopólio forte, mas que o BACEN está combatendo. Quem ganhará essa queda de braço?

"Os cortes na Selic, a taxa básica de juros, e a queda na inadimplência não foram suficientes para segurar os juros médios no segmento de recursos livres em fevereiro —aqueles definidos livremente pelos bancos.

As taxas foram a 42,2% ao ano no mês, acima do patamar de 41,1% de janeiro, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central nesta segunda-feira (26)." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/03/juros-medios-sobem-apesar-de-cortes-na-selic-e-inadimplencia-menor.shtml







BANCOS e CARTÕES - (27/03/2018) - Comunicando.

"Após três meses de queda, os juros do cartão de crédito rotativo voltaram a crescer em fevereiro e atingiram 339,9% ao ano, informou nesta segunda-feira (26) o Banco Central. A alta foi de 5,9 pontos percentuais na comparação com a taxa registrada em janeiro (327,9%). " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/juro-do-cartao-sobe-59-pontos-em-fevereiro-e-atinge-3339-ao-ano-diz-bc.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (27/03/2018) - Comunicando.

"Os dados, divulgados pelo BC nesta segunda-feira, dizem respeito ao segmento de recursos livres, no qual as taxas de juros são livremente definidas pelos bancos. Neste caso, a inadimplência foi a 5 por cento, sobre 5,1 por cento em janeiro. Mesmo assim, os juros médios no segmento de recursos livres foram a 42,2 por cento ao ano em fevereiro, acima do patamar de 41,1 por cento em janeiro." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/inadimplencia-no-mercado-de-credito-atinge-5-em-fevereiro-segundo-bc/







INDÚSTRIA - (27/03/2018) - Comunicando.

"As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – cresceram 3,93% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2017. Ante janeiro, contudo, houve queda de 7,98%, para 269,290 mil toneladas. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 26, pela Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO). Segundo o boletim estatístico da associação, o volume expedido, ajustado sazonalmente, é 0,69% superior. A expedição em fevereiro de 2018 totalizou 531.954 m2, 4,50% acima do mesmo mes do ano anterior." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-papelao-ondulado-aumenta-393-em-fevereiro-diz-abpo/







BANCOS e CARTÕES - (27/03/2018) - Aos poucos o Bacen está aumentando a concorrência nos setores bancários e de cartões, logo é esperado uma queda de rentabilidade no médio / longo prazos se esse quadro não se reverter no próximo governo.

"Ao instituir um teto para a chamada taxa de intercâmbio nas operações com cartões de débito, o Banco Central procurou corrigir distorções com impacto negativo sobre a competição na área de cartões: a concentração bancária em poucas instituições e também a forte verticalização das operações do setor de cartões. O BC entendeu que havia excessos na cobrança da taxa de intercâmbio que vinham inibindo a concorrência no segmento de débito com cartões. A autoridade deixou claro ainda que avalia efeito semelhante sobre o segmento de cartões de crédito, tido como mais complexo." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5408889/analise-bc-mirou-concentracao-bancaria-e-verticalizacao-em-cartoes







BANCOS e CARTÕES - (26/03/2018) - O cerco está se fechando e a lucratividade dos bancos com taxas de serviço ao longo dos próximos anos deve cair.

"O Banco Central anunciou nesta segunda-feira (26) que passará a limitar, a partir de 1º de outubro próximo, a tarifa cobrada pelos emissores de cartão de débito dos estabelecimentos comerciais. Atualmente, não há limite para esse valor.

Segundo circular da instituição, o tarifa de "intercâmbio" média de cartões de débito passará a ser limitada a 0,50% do valor da transação e a tarifa máxima a 0,80% do valor da transação. O objetivo do Banco Central é reduzir o custo do cartão de débito para o comércio.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/bc-limitara-a-partir-de-outubro-tarifa-cobrada-do-comercio-por-operacoes-no-cartao-de-debito.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (26/03/2018) - Bancos preocupados com o aumento da concorrência devido a fintechs.

"Diante da restrição para que o Itaú faça novas aquisições, a holding Itaúsa passa por um momento de transformação. No banco, que representa 90% dos investimentos, a ordem é proteger a parte "nobre" do negócio - leia-se crédito e investimentos - do ataque das fintechs." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5407713/itausa-amplia-foco-enquanto-protege-banco







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/03/2018) - CUIDADO.

"Uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo no fim de fevereiro, vetando o “direito de protocolo”, ameaça a retomada do mercado imobiliário na cidade. Segundo o Secovi-SP, que reúne empresas do setor imobiliário, cerca de 60% dos 14 mil processos na Prefeitura de São Paulo foram afetados pela decisão.

Na lista estão prédios residenciais, salas comerciais, shopping centers, escolas, hospitais, casas e pequenas reformas. O direito de protocolo garantia que projetos encaminhados para licenciamento antes de a nova Lei de Zoneamento entrar vigor, em 2016, pudessem ser validados seguindo a legislação antiga." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/liminar-poe-projetos-imobiliarios-de-sp-em-risco/







INDÚSTRIA - (23/03/2018) - Voltou a piorar.

"O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) da indústria caiu para 64% em fevereiro, ante resultado de 65% em janeiro, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI) na pesquisa mensal de Sondagem Industrial divulgada nesta quinta-feira. O indicador relativo à utilização de capacidade efetiva versus a usual, que considera o UCI comum para o mês, fechou fevereiro em 42,8 pontos, frente a 42,5 em janeiro.

No mesmo levantamento, o índice de evolução da produção industrial ficou em 46,5 pontos em fevereiro. Em janeiro, o resultado foi de 48,4 pontos. Já o indicador da evolução do número de empregados na indústria foi de 49,6 pontos no último mês, ante 48,6 pontos em janeiro. O índice de evolução de mercadorias estocadas foi de 49,7 pontos no mês passado. Em janeiro, esse indicador foi de 49,2 pontos. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5402213/capacidade-utilizada-da-industria-cai-64-em-fevereiro-informa-cni







BANCOS e CARTÕES - (22/03/2018) - Concorrência aumentando.

"Começou nesta terça-feira (20) a campanha publicitária para o lançamento do cartão de crédito do Banco Neon. O produto será oficialmente anunciado na próxima terça-feira (27) durante uma transmissão ao vivo no Facebook às 15h. Se a fintech cumprir todas as promessas feitas no ano passado, o cartão não terá anuidade e oferecerá juros abaixo das taxas praticadas pelo mercado. A bandeira do cartão será Visa e o foco, como os demais produtos da empresa, é no público jovem com pouca educação financeira. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/credito/noticia/7340981/banco-neon-anuncia-cartao-credito-sem-anuidade







BANCOS e CARTÕES - (21/03/2018) - Concorrência aumentando.

"Começou nesta terça-feira (20) a campanha publicitária para o lançamento do cartão de crédito do Banco Neon. O produto será oficialmente anunciado na próxima terça-feira (27) durante uma transmissão ao vivo no Facebook às 15h. Se a fintech cumprir todas as promessas feitas no ano passado, o cartão não terá anuidade e oferecerá juros abaixo das taxas praticadas pelo mercado. A bandeira do cartão será Visa e o foco, como os demais produtos da empresa, é no público jovem com pouca educação financeira. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/credito/noticia/7340981/banco-neon-anuncia-cartao-credito-sem-anuidade







BANCOS e CARTÕES - (19/03/2018) - Concorrência aumentando.

"A partir do dia 1º de julho, os trabalhadores poderão solicitar a transferência de seus salários para contas de pagamentos, geralmente oferecidas por instituições não bancárias. A nova regra, aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) no mês passado, abre espaço para que empresas de tecnologia financeira (as chamadas "fintechs") como Nubank, Mercado Pago e PayPal tentem emplacar suas "carteiras virtuais" como a principal conta a ser usada pelo trabalhador para movimentar seu dinheiro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5392559/fintechs-poderao-ter-conta-salario







INDÚSTRIA - (19/03/2018) - A indústria NÃO está pedindo subsídio, quer apenas decidir onde comprará energia.

"O presidente executivo da Associação de Grandes Consumidores de Energia (Abrace), Edvaldo Santana, disse que o aumento das tarifas será ainda maior para as indústrias, entre 20% e 25%. “Será uma explosão tarifária”, afirmou. “Tivemos um erro brutal de planejamento, com contratação de energia quando não tinha demanda. E o governo e a Aneel não conseguem criar medidas para controlar o crescimento dos encargos setoriais”, afirmou.

Para reduzir o custo da eletricidade, o presidente da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), Reginaldo Medeiros, defende a abertura do mercado livre. Nesse modelo, o consumidor continuaria a ser atendido pela distribuidora, mas poderia optar por comprar energia de outras empresas. “O sistema do mercado livre é mais competitivo. Se alguém tenta passar custos excessivos, perde o cliente”, afirmou, ressaltando que o modelo já é usado em países da Europa e alguns Estados americanos.

Estudo da Abraceel afirma que cerca de 182 mil pequenas e médias indústrias e estabelecimentos comerciais do País poderiam economizar R$ 10,5 bilhões em energia se pudessem migrar para o mercado livre em 2021. O prazo previsto pelo governo é 2026." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/sera-uma-explosao-tarifaria-preve-abrace/







BANCOS e CARTÕES - (19/03/2018) - Comunicando.

"O Senado irá instalar, nos próximos dias, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a cobrança de juros abusivos cobrados pelas operadoras de cartão de crédito. A CPI terá 7 parlamentares e durará seis meses." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/consumo/noticia/7335251/cpi-dos-cartoes-credito-investigara-juros-abusivos-clientes







BANCOS e CARTÕES - (16/03/2018) - Comunicando.

" O Banco Central pretende fazer um esforço maior para reduzir os níveis de recursos que os bancos devem manter obrigatoriamente depositados na autoridade monetária como forma de reduzir os juros dos empréstimos, disse o presidente da instituição, Ilan Goldfajn, em entrevista veiculada nesta quinta-feira." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1GS01S-OBRBS







INDÚSTRIA - (16/03/2018) - Continua pouco competitiva a indústria nacional e o que mantém ela viva é a proteção governamental.

"Com a recuperação da demanda doméstica e a apreciação do real, a participação das importações no mercado brasileiro aumentou enquanto a fatia das exportações na produção industrial brasileira caiu, invertendo, nos dois casos, a tendência registrada nos últimos três anos. De acordo com o estudo “Coeficientes de Abertura Comercial” da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o coeficiente de exportação da indústria da transformação, que mede a participação das vendas externas na produção do setor, passou de 15,7% em 2016 para 15,6% em 2017." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/participacao-das-exportacoes-na-producao-industrial-cai-a-156-em-2017-diz-cni/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/03/2018) - Comunicando.

"O mercado imobiliário na cidade de São Paulo iniciou o ano com um forte crescimento nas vendas e nas ofertas de novos empreendimentos, de acordo com pesquisa do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). As vendas de imóveis residenciais novos atingiram 1.692 unidades, o que representa um aumento de 172% em comparação com o mesmo mês do ano passado, quando as vendas ficaram em 622 unidades.

Já no acumulado dos últimos 12 meses (de fevereiro de 2017 a janeiro de 2018), as vendas totalizaram 24.699 unidades, crescimento de 55,9% em comparação com os 12 meses anteriores (de fevereiro de 2016 a janeiro de 2017).

Por sua vez, os lançamentos de novos projetos corresponderam a 748 unidades em janeiro, um aumento de 1.338% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram lançadas apenas 52 unidades. Na análise de 12 meses, os lançamentos totalizaram 29.353 unidades, expansão de 60,7%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/vendas-e-lancamentos-de-imoveis-tem-forte-crescimento-em-janeiro-diz-secovi-sp/







INDÚSTRIA - (15/03/2018) - Comunicando.

"A indústria paulista criou 2 mil postos de trabalho em fevereiro, na série sem ajuste sazonal, 0,10% a mais do que em janeiro. Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2014, quando haviam sido criadas 7,5 mil novas vagas. Em janeiro do ano passado, houve corte de 3 mil vagas. Segundo os dados do Nível de Emprego do Estado de São Paulo, divulgados hoje (14) pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), no acumulado do ano as vagas novas totalizam 12,5 mil, um aumento de 0,59%. Na série com ajuste sazonal, o índice ficou estável (-0,03%) no mês." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/industria-paulista-cria-2-mil-postos-de-trabalho-em-fevereiro/







BANCOS e CARTÕES - (14/03/2018) - Comunicando.

"A Fitch promoveu diversas ações de rating relacionadas às instituições financeiras brasileiras nesta terça-feira (13), após o rebaixamento da nota soberana do país no mês passado. "Na visão da Fitch, as principais métricas de crédito, capitalização, funding e liquidez do sistema bancário brasileiro, assim como rentabilidade e qualidade dos ativos, vão continuar a se estabilizar em 2018", diz a agência em relatório.

O rating de longo prazo em moeda estrangeira do Bradesco foi rebaixado para BB, de BB+. Já a nota do Banco do Brasil, Caixa, BNDES e outros dois bancos federais (Banco da Amazônia e Banco do Nordeste) foi cortada para BB-, de BB, em linha com a avaliação soberana. A nota do Pan foi rebaixada para B+, de BB-. Já o rating do BTG foi reafirmado em BB-. Na segunda (12), a Fitch já havia rebaixado o rating do Itaú para BB, de BB+." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5382671/fitch-rebaixa-ratings-de-bradesco-caixa-bndes-e-bb







BANCOS e CARTÕES - (12/03/2018) - Comunicando.

"A Visa inicia nesta sexta-feira a edição deste ano do seu programa de aceleração para fintechs, em conjunto com a consultoria Kyvo, representante do centro de inovação norte-americano GSVlabs no Brasil.

O projeto, que faz parte de uma iniciativa global da Visa para desenvolver tecnologia no setor financeiro, foi iniciado em 2017 e terá investimento 3,5 milhões de reais no país ao longo deste ano, disse a consultoria.

O montante não será injetado diretamente nas startups, mas será utilizado em recursos para acelerar as 30 fintechs que serão selecionadas em 2018. A Visa também não terá participação acionária nas startups." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/negocios/visa-investira-r35-mi-em-programa-de-aceleracao-de-fintechs/







ITAÚSA - (09/03/2018) - Comunicando.

"A Itaúsa informou na manhã desta sexta em comunicado ao mercado, ter concedido ao HIG Brasil Partners exclusividade de negociações, por 60 dias, para possível venda do controle acionário da Eleikeiroz. De acordo com o comunicado, a exclusividade não constitui compromisso de celebrar qualquer transação, podendo cada parte, por qualquer razão, cessar as negociações." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7323835/burger-king-brasil-tem-seu-lucro-anual-historia-balancos-construtoras







BANCOS e CARTÕES - (09/03/2018) - Comunicando.

"Variável decisiva nas decisões das instituições financeiras por conceder ou negar crédito, a inadimplência ao consumidor caiu 1,9% em fevereiro, na comparação com janeiro, descontadas as interferências decorrentes da sazonalidade do período. As informações são da Boa Vista SCPC.

Quando se compara o comportamento da inadimplência no mês passado com o de fevereiro de 2017, os atrasos nos pagamentos das contas caíram 2,6%. No acumulado de 12 meses, já incluindo fevereiro, a inadimplência apresenta redução de 3,3%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/inadimplencia-do-consumidor-cai-19-em-fevereiro-diz-boa-vista-scpc/







BANCOS e CARTÕES - (08/03/2018) - Comunicando.

"Pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito Brasil (SPC) aponta que apenas 18,4% dos brasileiros estão com as contas no azul, com sobra de recursos para consumir ou fazer investimentos. De acordo com o levantamento, divulgado hoje (7), 40,1% dos entrevistados apontam estar no “zero a zero”, sem sobra e nem falta de recursos. Já 37,9% assumiram estar no vermelho e não conseguir pagar todas as contas com a renda que possuem. Os demais não souberam opinar." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/apenas-18-dos-brasileiros-estao-com-contas-no-azul/







INDÚSTRIA - (07/03/2018) - Comunicando.

"Em mais um sinal da gradual retomada do investimento, a produção de bens de capital cresceu 18,3% em janeiro, em relação a igual mês de 2017. Foi o nono resultado positivo consecutivo e o mais intenso desde setembro de 2013 (24,1%). Por essa base de comparação, o ritmo se acelerou em relação ao fim do ano passado, quando o segmento crescia 9,2%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5367783/producao-de-bens-de-capital-cresce-183







BANCOS e CARTÕES - (07/03/2018) - Comunicando.

"O percentual de famílias com algum tipo de dívida chegou a 61,2% em fevereiro deste ano, segundo dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC),divulgada hoje (6). A taxa é levemente inferior aos 61,3% de janeiro último, mas superior aos 58,7% de fevereiro de 2017.

O cartão de crédito foi o grande vilão para 77% das famílias que se declararam endividadas na pesquisa. Na sequência, aparecem os carnês (16,5%) e o financiamento de carro (10,7%).

Já o percentual de famílias inadimplentes, com dívidas ou contas em atraso, ficou em 24,9%. Assim como no endividamento, a taxa é levemente menor que a de janeiro deste ano (25%), mas superior aos 24,1% de fevereiro do ano passado.

Já as famílias que não conseguirão pagar suas contas chegam a 9,7%, levemente acima de janeiro (9,5%), mas abaixo de fevereiro de 2017 (10,2%)." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/dividas-do-consumidor-em-fevereiro-e-de-612/







INDÚSTRIA - (07/03/2018) - Comunicando.

"A produção industrial brasileira registrou queda de 2,4 por cento em janeiro na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a produção subiu 5,7 por cento. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/domesticNews/idBRKCN1GI1E3-OBRDN?feedType=RSS&feedName=domesticNews&utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/03/2018) - Comunicando.

"O preço dos imóveis residenciais à venda ficou estável em fevereiro, o que mostra que a esperada recuperação do mercado imobiliário está só começando. O Índice FipeZap, que acompanha o preço de imóveis anunciados para venda em 20 cidades brasileiras, sofreu uma leve queda de 0,05%. Ao considerar a inflação esperada para fevereiro, de 0,33%, o índice registrou queda real de 0,38% ." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/preco-dos-imoveis-sofre-queda-real-de-038-em-fevereiro/







INDÚSTRIA - (06/03/2018) - Comunicando.

"O emprego recuou 0,5% em relação a janeiro do ano passado, enquanto a massa salarial encolheu 0,3%. Já o rendimento médio real teve expansão de 0,2% nessa comparação. Em relação a dezembro, o emprego também apresentou queda de 0,5%, enquanto a massa salarial aumentou 0,5% e o rendimento médio real subiu 0,2%.

Enquanto o emprego recuou, o faturamento real (já descontada a inflação) subiu 7,7% de janeiro de 2017 para este ano, caindo 0,1% na comparação com dezembro. O uso da capacidade instalada também aumentou, passando de 75,9% em janeiro de 2017 para 76,5% no mesmo mês deste ano (era 76,1% em dezembro). " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/emprego-na-industria-cai-05-em-janeiro-ante-janeiro-de-2017/







BANCOS e CARTÕES - (06/03/2018) - Aos poucos o BACEN mostra que deseja concorrência no setor bancário, o que pode afetar a rentabilidade futura do setor.

"Para Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central brasileiro, fintechs necessitam de espaço para se desenvolver. Por isso, a regulação deste tipo de negócio virá de forma a permitir que pequenas empresas financeiras concorram livremente com conglomerados já estabelecidos.

“De uma forma geral, a gente quer ver deixar as inovações saírem, permitir que elas aconteçam, para depois vir a regulamentação”, disse o economista em entrevista ao Brazil Journal." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/credito/noticia/7316708/nao-existe-nada-sem-juros-diz-ilan-sobre-novas-regulacoes







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/03/2018) - Comunicando.

"Os lançamentos imobiliários cresceram 18,2% no ano passado, para 81.585 unidades, segundo levantamento da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas (Fipe), com base em dados de 20 associadas da entidade.

Enquanto os projetos apresentados para os padrões médio e alto tiveram alta de 12,5%, para 16.821 unidades, os direcionados para o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida aumentaram 23,2%, para 64.764 unidades.

As vendas totais tiveram expansão de 6,1%, para 103.690 unidades. A comercialização de unidades para os padrões médio e alto caiu 10,6%, para 34.681 unidades. Já o volume vendido de imóveis enquadrados no Minha Casa, Minha Vida aumentou 28,1%, para 69.009 unidades." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/lancamentos-imobiliarios-sobem-18-em-2017-apontam-entidades.ghtml







INDÚSTRIA - (02/03/2018) - Positivo.

"O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial do Brasil subiu de 51,2 em janeiro para 53,2 em fevereiro, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 1º de março, pela IHS Markit." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/pmi-industrial-do-brasil-sobe-a-532-em-fevereiro-mostra-ihs-markit/







BANCOS e CARTÕES - (01/03/2018) - O cerco está se fechando para os bancos.

"O requerimento para criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pretende investigar os juros cobrados pelas empresas operadoras de cartão de crédito foi protocolado no Senado, nesta quarta-feira. A iniciativa foi apoiada por 35 senadores e é encabeçada por Ataídes Oliveira (PSDB-TO)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/politica/5353221/pedido-para-criar-cpi-dos-cartoes-de-credito-e-protocolado-no-senado







INDÚSTRIA - (01/03/2018) - Comunicando.

"A receita líquida das empresas do setor de máquinas e equipamento somou R$ 4,39 bilhões em janeiro, 1,1% de queda em relação a igual período de 2017 e recuo de 19,1% sobre dezembro.

Internamente, a receita caiu 40,6% na comparação anual e 24,8% ante o mês imediatamente anterior, para R$ 1,75 bilhão. O consumo aparente - produtos nacional mais importados - do setor foi de R$ 6,3 bilhões, queda de 12,8% e 0,9%, respectivamente." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5353207/receita-do-setor-de-maquinas-e-equipamentos-cai-11-em-janeiro







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/03/2018) - Comunicando.

"A construção cortou 281 mil postos de trabalho no período de um ano, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O total de ocupados na atividade encolheu 4,0% no trimestre até janeiro de 2018 ante o mesmo período de 2017." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/construcao-demite-281-mil-empregados-em-1-ano-revela-ibge/







BANCOS e CARTÕES - (28/02/2018) - Comunicando.

"A taxa média de juros no crédito livre subiu de 40,3% ao ano em dezembro para 41,1% ao ano em janeiro, informou nesta terça-feira, 27, o Banco Central (BC). Em janeiro de 2017, essa taxa estava em 52,8% ao ano. Para pessoa física, a taxa média de juros no crédito livre subiu de 55,1% para 55,8% ao ano de dezembro para janeiro, enquanto para pessoa jurídica aumentou de 21,6% para 22,3% ao ano." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/juro-no-credito-livre-sobe-a-411-em-janeiro-cheque-especial-sobe-a-3247/







BANCOS e CARTÕES - (28/02/2018) - Comunicando.

"Aumentou em janeiro a inadimplência média das operações de crédito no sistema financeiro - a taxa foi para 3,4%, ante 3,2% no fim de 2017, conforme dados do Banco Central (BC). Em janeiro do ano passado, contudo, a taxa estava em 3,7%.

Entre as empresas, a taxa média ficou em 3%, ante 2,9% em dezembro e 3,5% em janeiro de 2017. Entre as famílias, subiu para 3,7%, após ficar em 3,5% no mês final de 2017 e marcar 4% no início daquele ano.

Com recursos livres, a inadimplência das empresas se situou em 4,8%, superando os 4,5% em dezembro de 2017. A taxa das famílias fechou janeiro em 5,2%, mesmo patamar do mês anterior. Assim, a inadimplência total com recursos livres saiu de 4,9% para 5%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5349829/bc-inadimplencia-e-juros-das-operacoes-de-credito-tem-alta-em-janeiro







BANCOS e CARTÕES - (28/02/2018) - Acredito que o cerco aos bancos está se fechando. A sua absurda lucratividade por conta dos juros muito elevados como consequência da concentração bancária, pode estar chegando ao fim.

"O Banco Central e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) assinarão memorando de entendimento para procedimentos de cooperação nas análises de atos de concentração no sistema financeiro. A assinatura ocorrerá em cerimônia na quarta-feira, 28, às 12h30 na sede do Cade, em Brasília. O acordo será firmado pelos presidentes do BC, Ilan Goldfajn, e do Cade, Alexandre Barreto." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/bc-e-cade-vao-assinar-memorando-sobre-atos-de-concentracao-bancaria/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/02/2018) - Bons números, se nesse ano continuar assim poderemos ver uma melhora no setor.

"O volume de imóveis vendidos no país cresceu 9,4% no ano passado, na comparação com 2016, segundo levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e do Senai Nacional. Foram vendidas 94.221 unidades em 2017, contra 86.140 unidades de 2016. Os dados foram apresentados hoje (26) na capital paulista.

Segundo o estudo, que levou em conta 23 regiões brasileiras, o número de lançamentos de imóveis aumentou 5,2% em 2017, na comparação com 2016.

As vendas superaram os lançamentos em 11.878 unidades, o que corresponde a 12,6% do total das unidades comercializadas. Com a elevação das vendas, houve redução de 12,3% na oferta de imóveis." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/venda-de-imoveis-cresceu-94-no-ano-passado-diz-pesquisa/







BANCOS e CARTÕES - (27/02/2018) - As empresas de cartões devem estar morrendo de vontade de acabar com os 12 X sem juros, o Itaú inclusive tentou acabar nos cartões do banco mesmo sem ser seguido pelos demais, eu cancelei o meu por exemplo. Pelo visto o BACEN não quer esse fim.

No tal parcelamento "sem juros" a loja ganha os juros que estão embutidos nos preços, mas se eles acabarem quem ganhará os juros serão as empresas de cartões e provavelmente os juros serão bem maiores.

"O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou que a autoridade monetária trabalha para reduzir distorções no mercado de cartão de crédito e os custos do sistema, mas ressaltou que não há planos para se acabar com o parcelamento sem juros no cartão, como chegou a ser noticiado. “O consumidor precisa saber que o parcelamento tem juros, nada é de graça”, disse, ao responder perguntas de empresários em evento da Câmara Espanhola de Comércio no Brasil." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/bc-nao-quer-fim-do-parcelamento-sem-juros-no-cartao-pelo-lojista/







ITAÚSA - (23/02/2018) -

A ação segue interessante para se adquirir em momentos de correção técnica pois está em um preço razoável com P/L de 12,59 e o P/VPA de 1,9 (Fonte: Fundamentus)



"A holding de investimentos Itaúsa registrou lucro líquido de R$ 1,942 bilhão no quarto trimestre de 2017, alta de 2,3% em relação ao ganho apurado no mesmo intervalo de 2016.

O resultado de equivalência patrimonial recorrente entre outubro e dezembro do ano passado totalizou R$ 2,35 bilhões, crescimento de 3,4% na base anual. O resultado recorrente proveniente do setor financeiro foi de R$ 2,245 bilhões, retração de 1,7% na mesma base de comparação." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5332911/lucro-liquido-da-itausa-aumenta-23-no-4-trimestre







INDÚSTRIA - (23/02/2018) - Comunicando.

"A produção industrial, conforme medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deverá registrar queda de 1,8% em janeiro, na comparação com dezembro. A projeção foi apontada pelo Indicador Ipea de Produção Industrial de janeiro, calculado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), informou nesta quinta-feira, 22, o Grupo de Conjuntura do órgão. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-cai-18-em-janeiro-ante-dezembro-diz-ipea/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/02/2018) - Comunicando.

"Após três anos consecutivos em baixa, o mercado imobiliário da cidade de São Paulo voltou a crescer no ano passado. As vendas de imóveis atingiram 23.629 unidades em 2017, expansão de 46,1% em relação a 2016. Os lançamentos de novos projetos totalizaram 28.657 unidades, aumento de 48,0%, e R$ 13,8 bilhões em valor geral de vendas (VGV), avanço de 29%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/mercado-imobiliario-cresce-apos-3-anos-de-recuo-diz-secovi-sp/







ITAÚSA - (20/02/2018) - Comunicando.

"A holding de investimentos Itaúsa registrou lucro líquido de R$ 1,942 bilhão no quarto trimestre de 2017, alta de 2,3% em relação ao ganho apurado no mesmo intervalo de 2016.

O resultado de equivalência patrimonial recorrente entre outubro e dezembro do ano passado totalizou R$ 2,35 bilhões, crescimento de 3,4% na base anual. O resultado recorrente proveniente do setor financeiro foi de R$ 2,245 bilhões, retração de 1,7% na mesma base de comparação." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5332911/lucro-liquido-da-itausa-aumenta-23-no-4-trimestre







ITAÚSA - (20/02/2018) - Comunicando.

"A Itaúsa (ITSA4) informou que seus acionistas aprovaram o pagamento de juros sobre capital próprio e dividendos adicionais em relação aos que já haviam sido declarados como obrigatórios ao exercício de 2017. A remuneração anunciada em 19 de dezembro será paga no próximo dia 7 de março. A holding anunciou JCP "extra" no valor de R$ 0,37400 por ação (com valor líquido de R$ 0,31790 por ação), com retenção de 15% de imposto de renda na fonte. O pagamento ocorre em 7 de março com base na posição acionária do dia 22 de fevereiro.

Além disso, serão pagos dividendos adicionais no valor de R$ 0,29525 por ação, também com base na posição acionária de 22 de fevereiro. A primeira parcela desta remuneração será paga em 7 de março, no valor de R$ 0,11025 por ação, e a segunda parcela em 5 de abril, no valor de R$ 0,18500 por ação.

Os conselheiros da companhia também aprovaram um aumento de capital de R$ 1,370 bilhão, levando o capital social da Itaúsa de R$ 37.145.000.015,80 para R$ 38.515.000.018,60, mediante emissão de novas ações para subscrição.

Serão emitidas 175.641.026 novas ações escriturais, sem valor nominal, sendo 66.355.919 ordinárias e 109.285.107 preferenciais, ambas ao preço de R$ 7,80. Terão direito à subscrição os acionistas titulares de ações na posição acionária de 22 de fevereiro. Segundo a companhia, os recursos obtidos com o aumento de capital serão destinados "ao reforço do capital de giro e à manutenção de adequado nível de liquidez"." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/itausa/noticia/7278363/itausa-aprova-aumento-capital-pagamento-juros-sobre-capital-proprio-dividendos







BANCOS e CARTÕES - (20/02/2018) - Comunicando.

"A parcela de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) em relação ao total de cheques movimentados em janeiro deste ano ficou em 1,92%, aponta a Boa Vista SCPC. O número representa uma queda de 0,15 ponto porcentual em relação aos 2,07% registrados no primeiro mês de 2017. Na comparação com dezembro do ano passado, o porcentual não teve alteração. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/parcela-de-cheques-devolvidos-cai-a-192-em-janeiro-diz-boa-vista-scpc/







INDÚSTRIA - (20/02/2018) - Comunicando.

"As vagas abertas pela indústria de transformação paulista no primeiro mês deste ano foram quase quatro vezes superiores à média registrada nos meses de janeiro nos cinco anos anteriores. O saldo de admissões somou 10,5 mil empregos, enquanto a média nesse período entre 2005 e 2017 havia atingido 2,8 mil.

Esse foi o melhor desempenho já obtido em um mês de janeiro desde 2012, segundo a Pesquisa de Nível de Emprego da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp / Ciesp).

No entanto, comparado a dezembro último, houve pequena elevação de apenas 0,5%. Esse aumento nas contratações foi puxado, principalmente, pelo setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, com a oferta de 2.939 postos, seguido de confecção de artigos do vestuário e acessórios, com 2.123, e produtos de minerais não metálicos, com 1.426. De um total de 22 setores pesquisados, 16 ampliaram o quadro de pessoal." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/emprego-na-industria-paulista-tem-o-melhor-janeiro-desde-2012/







BANCOS e CARTÕES - (20/02/2018) - Me parece que a rentabilidade em serviços do setor bancário pode cair no médio / longo prazos.

"O Next, banco digital do Bradesco, anunciou nesta segunda-feira 19, o lançamento de uma conta corrente gratuita em uma ofensiva para atrair mais usuários para a plataforma, lançada em outubro último. Batizada de “Next na Faixa”, a novidade oferece, sem custo para os clientes, um plano que inclui a própria conta, um cartão de crédito internacional, da bandeira Visa, e benefícios adicionais como, por exemplo, descontos junto a uma rede de parceiros." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/bradesco-faz-ofensiva-em-banco-digital-e-lanca-conta-corrente-gratuita-no-next/







ITAÚSA - (19/02/2018) - Comunicando.

"A holding Itaúsa deve receber R$ 6,6 bilhões do dividendo recorde de R$ 17,5 bilhões que o banco Itaú anunciou que distribuirá aos acionistas referente ao lucro de 2017. A questão é que não há expectativas de que a holding vá fazer grandes compras agora, com a única notícia no radar sendo a OPA da Alpargatas, que mesmo assim não tem expectativa de chegar a R$ 1 bilhão." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7276834/itausa-sobe-forte-com-super-dividendo-pago-pelo-itau-fibria







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/02/2018) - Comunicando.

"O preço médio do aluguel de apartamentos residenciais subiu 0,35 por cento em janeiro, para 28,05 reais por metro quadrado, iniciando 2018 com a maior alta mensal desde fevereiro de 2015, segundo o índice FipeZap, que monitora o valor médio de apartamentos prontos em 15 cidades brasileiras por anúncios na internet." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1G00RM-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (16/02/2018) - Vai ser bom para as empresas de cartão que poderão aumentar suas receitas com juros.

"A indústria de cartões apresentou recentemente ao Banco Central uma proposta de modelo de pagamentos com cartões de crédito como alternativa à modalidade do parcelado sem juros. A proposta, formulada pela Abecs, entidade que representa o setor, dá aos lojistas a opção de oferecer aos consumidores que quiserem fazer compras no cartão em prestações o pagamento financiado pela instituição financeira emissora do cartão.

A proposta é uma resposta à movimentação do Banco Central de mudar regras da indústria de cartões com objetivo de reduzir os custos de transações, inclusive dos juros envolvidos. Após ter determinado em abril passado o limite de 30 dias para uso do rotativo, o BC também planeja reduzir o prazo de repasse de recursos das vendas no cartão, das adquirentes para os lojistas.

Atualmente, o prazo é 30 dias. No ano passado, o regulador chegou a sinalizar intenção de reduzir o limite para dois dias após a compra, como acontece na maioria dos países." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1FZ2PB-OBRBS







ITAÚSA - (14/02/2018) - Comunicando.

"A holding Itaúsa, que iniciou uma temporada de compras no ano passado, deve ficar com R$ 6,6 bilhões do dividendo recorde de R$ 17,5 bilhões que o banco Itaú anunciou que distribuirá aos acionistas referente ao lucro de 2017 - o maior valor absoluto já pago por uma companhia aberta brasileira aos acionistas, segundo levantamento da Economatica. A família Moreira Salles, que divide o controle da instituição financeira, terá direito a R$ 1,5 bilhão do total distribuído." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5320243/itausa-deve-receber-r-66-bi-para-compras







BANCOS e CARTÕES - (14/02/2018) - Comunicando.

"O custo da festa do crédito fácil para veículos do começo da década foi alto para as instituições financeiras. Dados inéditos do Banco Central mostram que o setor teve problemas para receber R$ 38,1 bilhões em financiamentos concedidos em 2010 e 2011, quando era possível comprar um carro zero, sem entrada, parcelado em até cem vezes. Bancos já desistiram de cobrar R$ 22,8 bilhões e reconheceram o valor como prejuízo, mas o setor ainda trabalha para receber outros R$ 15,3 bilhões emprestados naquela época. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,farra-do-credito-de-veiculos-gerou-rombo-de-r-22-8-bi-para-bancos,70002186921







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/02/2018) - Comunicando.

"As vendas de materiais de construção caíram 0,7% em janeiro na comparação anual, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5317525/venda-de-material-de-construcao-cai-em-janeiro-aponta-abramat







BANCOS e CARTÕES - (14/02/2018) - Será um alerta?

"A inadimplência do consumidor aumentou 2,10% em janeiro de 2018 ante o mesmo mês do ano passado. Esse foi o maior crescimento desde junho de 2016, quando a elevação foi de 2,78%. Na comparação mensal com dezembro de 2017 o aumento foi de 0,96%, o maior desde maio de 2017." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/inadimplencia-do-consumidor-abre-o-ano-com-alta-de-210/







BANCOS e CARTÕES - (14/02/2018) - Comunicando.

"Após o sistema financeiro do país ter fechado um recorde de quase 1,5 mil agências em 2017, os maiores bancos de varejo no Brasil planejam suavizar o ciclo de redução do número de agências neste ano, enquanto avaliam qual o melhor uso da rede física para gerar mais receitas.

Segundo dados do Banco Central, os bancos encerraram o ano passado com 21.062 agências em funcionamento, 1.485 a menos do que em 2016, a maior redução da série.

O movimento foi liderado pelo próprio BB, que sozinho fechou 670 agências. O Bradesco encerrou 564 agências, em meio ao forte esforço de ajuste após a compra do HSBC, em 2016. A rede do Itaú Unibanco diminuiu em 125 postos e a Caixa Econômica Federal encerrou 18 agências. O Santander Brasil foi o único entre os cinco maiores do país a ampliar a rede, com 3 agências a mais. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/bancos-fecham-recorde-de-15-mil-agencias-no-brasil-em-2017.ghtml







ITAÚSA - (14/02/2018) - Comunicando.

"A Itautec, empresa de tecnologia controlada pela Itaúsa, registrou no quarto trimestre de 2017 um prejuízo líquido de R$ 5,4 milhões, um aumento de 63,6% em relação à perda de R$ 3,3 milhões registrada no mesmo período do ano anterior.No acumulado do ano, a Itautec registrou prejuízo líquido de R$ 22,6 milhões, aumento de 53%, e uma receita de R$ 1,8 milhão, queda de 77%.

" (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5316817/itautec-tem-prejuizo-63-maior-no-quarto-trimestre







INDÚSTRIA - (08/02/2018) - Melhora, mas ainda não é consistente.

"A demanda interna por bens industriais voltou a crescer no País no último mês de 2017, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente (CA) de Bens Industriais avançou 2,4% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal.

O indicador é obtido pela soma das importações de bens industriais e da produção industrial brasileira, excluídas as exportações. Entre os componentes do consumo aparente, a produção doméstica excluídas as exportações cresceu 2,1% em dezembro em relação a novembro. As importações de bens industriais aumentaram 2,2%.

O Indicador Ipea de Consumo Aparente acumulou uma alta de 4,2% no ano de 2017. O indicador avançou ainda na comparação interanual, com elevação de 9,7% em dezembro de 2017 ante dezembro de 2016. Na passagem do terceiro trimestre para o quarto trimestre do ano passado, o crescimento foi de 2,9%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/demanda-interna-por-bens-industriais-avancou-24-em-dezembro-diz-ipea/







BANCOS e CARTÕES - (07/02/2018) - Mais concorrência, menor rentabilidade. Pode demorar, mas acredito que afetará negativamente a rentabilidade do setor no longo prazo.

"Uma comissão mista da Câmara e do Senado aprovou nesta terça-feira uma medida provisória que prevê a inclusão das plataformas eletrônicas de serviços financeiros, as fintechs, como agentes repassadoras de microcrédito." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1FQ396-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (06/02/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor mostrou crescimento de 1,6% em janeiro na avaliação mensal com ajuste sazonal, informou a Boa Vista SCPC com base em seus dados nacionais, nesta segunda-feira (5).

No acumulado de 12 meses -- fevereiro de 2017 até janeiro de 2018 frente aos 12 meses antecedentes --, o indicador sofreu queda de 3,8%. Na comparação com janeiro de 2017, a queda foi ainda mais expressiva: 6,2%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5307267/inadimplencia-do-consumidor-sobe-em-janeiro-diz-boa-vista-scpc







INDÚSTRIA - (05/02/2018) - Comunicando.

"A atividade dos fabricantes de bens de capital parece ter deixado a crise para trás e, finalmente, está em recuperação disseminada, o que reforça a perspectiva de reação mais consistente dos investimentos produtivos este ano. Segundo análise da Tendências Consultoria, a produção de itens como máquinas, equipamentos e caminhões cresceu 37,2% em dezembro, na comparação com o pior momento do setor, que foi registrado entre o quarto trimestre de 2015 e o primeiro de 2016." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5306077/producao-de-bens-de-capital-supera-crise-e-sobe-37







BANCOS e CARTÕES - (05/02/2018) - Comunicando.

"Os pedidos de falência das empresas caíram 29,2% em janeiro na comparação com dezembro de 2017, segundo os dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Já as falências decretadas subiram 54,2%, os pedidos de recuperação judicial tiveram elevação de 31,8% e as solicitações de recuperação judicial deferidas cresceram 32,3%.

Em 12 meses até janeiro, houve queda de 19% nos pedidos de falência. Os pedidos de recuperação judicial e recuperações judiciais deferidas também recuaram, 20,2% e 17,8%, respectivamente. Por outro lado, as falências decretadas subiram 54,2%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,pedidos-de-falencias-de-empresas-cairam-29-em-janeiro-aponta-scpc,70002175204







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/02/2018) - Comunicando.

"As vendas do varejo de materiais de construção subiram 3% em janeiro, na comparação com o mesmo mês de 2017. Frente a dezembro, o setor registrou queda de 9%, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco)." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/vendas-do-varejo-de-material-de-construcao-crescem-3-em-janeiro-diz-anamaco/







INDÚSTRIA - (02/02/2018) - Vai ficar mais difícil o setor crescer a partir de agora.

"As importações de automóveis para passageiros saltaram 58 por cento em janeiro sobre igual mês do ano passado, a 272 milhões de dólares, num movimento que pode guardar reflexo com o fim do Inovar Auto, divulgou o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta quinta-feira." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/com-fim-de-inovar-auto-importacoes-de-veiculos-saltam-58/







INDÚSTRIA - (02/02/2018) - Positivo.

"A produção industrial brasileira encerrou 2017 com crescimento de 2,5%, após três anos de perdas. Em 2016, houve recuo de 6,4%, seguindo baixa de 8,3% em 2015 e de 3% em 2014. Somente em dezembro de 2017, a indústria avançou 2,8% perante o mês anterior, a maior alta desde junho de 2013 (3,5%). Perante dezembro de 2016, a produção industrial teve alta de 4,3%, a oitava taxa positiva seguida nesse tipo de comparativo." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5299179/ibge-producao-industrial-cresce-25-em-2017-apos-tres-anos-de-queda







INDÚSTRIA - (02/02/2018) - Comunicando.

"O IHS Markit informou que o PMI da indústria brasileira enfraqueceu a 51,2 em janeiro, sobre 52,4 em dezembro, menor patamar desde setembro passado. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/pmi-industrial-do-brasil-desacelera-em-janeiro/







BANCOS e CARTÕES - (01/02/2018) - Comunicando.

"O senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) disse que pretende instaurar e presidir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os juros cobrados pelas operadoras de cartão de crédito. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/politica/5297099/senador-quer-criar-cpi-para-investigar-juros-dos-cartoes-de-credito







INDÚSTRIA - (01/02/2018) - Comunicando.

"A venda de veículos novos no Brasil cresceu 22,9% no resultado parcial de janeiro até o dia 29 em comparação com igual período de 2017, disse nesta quarta-feira, 31, o vice-presidente da Ford para a América do Sul e vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Rogelio Golfarb." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/mercado-de-veiculos-novos-cresceu-229-em-janeiro/







INDÚSTRIA - (01/02/2018) - Comunicando.

"O indicador de nível de atividade (INA) da indústria paulista reverteu três anos consecutivos em queda e fechou 2017 com alta de 3,5%, “impulsionado pelo total de vendas reais, que subiram 7,1% no período, estimuladas pelo aumento da produção física da indústria paulista”, explicaram em nota a Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). “Nos fechamentos de 2014, 2015 e 2016, o recuo do INA foi de -6%, -6,2% e -8,9%, respectivamente. Nesse período, o indicador acumulou perda de cerca de 20%”, explica a nota. As entidades ainda estimam que, no período, a produção física paulista cresceu 3,3%.

Já na avaliação mensal, o INA subiu 1,4% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Sem ajuste sazonal, o indicador registrou queda de 13,9% em dezembro ante novembro, porém avançou 5,7% em relação ao verificado em dezembro de 2016.

Em relação ao uso da capacidade instalada, o nível médio de utilização em dezembro com ajuste sazonal ficou em 75,7%, o que representa ligeira alta em relação a novembro (75,6%). O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) em dezembro de 2016 estava em 75,6% na medida com ajuste sazonal." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/apos-3-anos-de-queda-atividade-da-industria-de-sp-avanca-35-em-2017-diz-fiesp/







BANCOS e CARTÕES - (01/02/2018) - Comunicando.

"As empresas inadimplentes cresceram 5,35% em 2017, com alta de 0,34% em relação a 2016, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). As dívidas em atraso tiveram alta de 3,64% na comparação anual." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/numero-de-empresas-inadimplentes-cresce-535-em-2017-diz-spc/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (31/01/2018) - Comunicando.

"O planejamento do Ministério das Cidades, segundo o RR apurou, prevê um aumento gradativo da entrega de imóveis do Minha Casa, Minha Vida ao longo de 2018. A marca de 75 mil unidades prevista para o primeiro trimestre deverá pular para 100 mil habitações entre julho e setembro. Ou seja: vai chover casa às vésperas da eleição." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/minha-casa-meu-voto/







BANCOS e CARTÕES - (31/01/2018) - Comunicando.

"O porcentual de brasileiros endividados diminuiu na passagem do ano, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A proporção de famílias com contas a pagar recuou de 62,2% em dezembro de 2017 para 61,3% em janeiro de 2018, de acordo com os dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Em relação a janeiro do ano passado, porém, houve um aumento de 2,6 pontos porcentuais na fatia de endividados." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/endividamento-das-familias-diminui-em-janeiro-aponta-cnc/







BANCOS e CARTÕES - (30/01/2018) - Comunicando.

"O colegiado da CVM, órgão regulador do mercado de capitais brasileiro, votou por maioria para que a securitizadora paranaense Barigui leve adiante uma oferta de CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários) que tem como lastro empréstimos com imóveis de garantia, o chamado home equity.

A decisão inédita, anunciada na semana passada, foi bem recebida por especialistas, que esperam que isso possibilite às securitizadoras e bancos levantarem mais recursos para emprestar, ampliando a oferta de crédito no país. A expectativa é que a decisão também dê um impulso ao crédito com imóvel de garantia." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/decisao-da-cvm-deve-impulsionar-credito-com-imovel-de-garantia/







INDÚSTRIA - (30/01/2018) - Comunicando.

"A produção industrial brasileira voltou a registrar crescimento no último mês do ano passado, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de Produção Industrial prevê um avanço de 0,2% em dezembro de 2017 ante novembro do mesmo ano. Como resultado, o setor industrial acumulou uma expansão de 2,5% no ano passado. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-cresceu-25-em-2017-diz-ipea/







BANCOS e CARTÕES - (30/01/2018) - Comunicando.

"O endividamento das famílias brasileiras com o sistema financeiro ficou em 41% em novembro, o mesmo porcentual registrado em outubro, informou nesta segunda-feira, 29, o Banco Central, que divulgou a Nota de Política Monetária e Operações de Crédito de dezembro à imprensa. Se forem descontadas as dívidas imobiliárias, o endividamento manteve-se em 23% no período.

Segundo o BC, o comprometimento de renda das famílias com o Sistema Financeiro Nacional (SFN) ficou estável em 20% de outubro para novembro. Descontados os empréstimos imobiliários, o comprometimento da renda foi de 17,6% para 17,5% no período." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/endividamento-das-familias-fica-em-41-em-novembro-diz-bc/







BANCOS e CARTÕES - (29/01/2018) - Isso poderá ser útil as administradoras de cartões aumentando a sua receita, mas acredito que para o logista não será tão bom.

"O setor de cartões apresentou ao Banco Central (BC) no início deste mês uma proposta para substituir a modalidade conhecida como "parcelado sem juros" dos cartões de crédito por um modelo de crediário a ser oferecido ao consumidor. A mudança viria acompanhada de uma redução no prazo de pagamento aos lojistas, apurou o Valor com duas fontes a par do assunto.

O banco pagaria o lojista em até cinco dias após a operação (D+5) e assumiria o risco. Prestações e despesas com juros ficariam visíveis para o cliente na maquininha do cartão no ato da compra.

No modelo atual, a decisão de oferecer o parcelamento, e com que prazo, é do lojista. O varejista recebe a primeira parcela após 30 dias e o consumidor vai pagando as demais na fatura do cartão.
Segundo dados da Abecs, associação das empresas do setor de cartões, o parcelado representa 55% das transações com cartão de crédito no país." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5287067/setor-de-cartoes-propoe-acabar-com-o-parcelado-sem-juros







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/01/2018) - Comunicando.

"A atividade na indústria da construção civil encerrou 2017 em queda, mas em menor nível do que o apresentado no ano anterior, o que levou os empresários a esperarem resultados melhores em 2018.

O indicador de atividade medido pela Sondagem da Indústria da Construção da Confederação Nacional da Indústria (CNI) ficou em 44,9 pontos em dezembro, encerrando o ano abaixo da linha divisória de 50 pontos, o que indica retração.

Em dezembro de 2016, o índice estava em 37,9 pontos, ainda mais baixo. Em novembro, o indicador mediu 46,8 pontos.

O uso da capacidade instalada caiu em dezembro para 58%, ante 59% no mês anterior.

O ano de 2017 também terminou com o número de empregados em queda no setor da construção, com o indicador passando de 44,9 pontos, em novembro, para 42 pontos em dezembro.

O resultado, porém, é melhor do que a retração no emprego registrada no ano anterior, quando o indicador caiu a 35,5 pontos." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/atividade-da-construcao-civil-encerra-2017-em-queda/







BANCOS e CARTÕES - (29/01/2018) - Pelo visto o aumento dos bancos digitais podem provocar uma redução de crescimento ou até queda na receita de tarifas.

"Depois de dois anos de gestação, o Bradesco lançou, em 2017, o banco digital Next. Responsável pelo projeto e um dos principais cotados para assumir a presidência do Bradesco a partir de fevereiro, o executivo Maurício Minas disse que, diante da concorrência no segmento, o projeto deverá sofrer ajustes.

Apesar de o banco inicialmente ter insistido na cobrança de tarifas, Minas diz que, já nas próximas semanas, uma versão grátis do Next deverá ser lançada." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/negocios/banco-digital-do-bradesco-tera-versao-sem-tarifa-diz-executivo/







BANCOS e CARTÕES - (26/01/2018) - Comunicando.

"O Banco Central estabeleceu como uma de suas metas o aumento do uso de meios eletrônicos de pagamentos no Brasil. De acordo com o presidente da instituição, Ilan Goldfajn, isso passará pela redução no custo das operações com cartões de débito, o que já está sendo discutido entre o BC e as entidades que representam as empresas de cartões e o varejo. O objetivo é baratear o custo do sistema – inclusive para o consumidor – e diminuir a quantidade de dinheiro em espécie que circula no País." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/bc-quer-custo-menor-no-uso-do-cartao-de-debito/







INDÚSTRIA - (26/01/2018) - Produção caiu em relação a novembro, demissões continuam no setor e utilização da capacidade segue bem baixa. Resumindo, setor industrial segue ruim

"O índice que mede o crescimento da produção em relação ao mês anterior ficou em 42,4 pontos em dezembro. O indicador vai de zero a 100 e valores acima de 50 indicam crescimento da produção frente ao mês anterior. Embora o número de novembro tenha sido maior, 50,5 pontos, é a melhor pontuação para o último mês do ano desde os 42,6 marcados em 2011, segundo o relatório da pesquisa divulgado pela CNI.

Já o indicador da evolução do número de empregados na indústria foi de 47,6 pontos no último mês, ante 49 pontos em novembro.

O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) caiu para 64% no mês passado ante resultado de 68% em novembro. O indicador relativo à utilização de capacidade efetivo-usual, que considera o UCI comum para o mês, fechou dezembro em 41,4 pontos, frente a 43,6 pontos em novembro.

O índice de evolução de mercadorias estocadas foi de 46,4 pontos no último mês. Em novembro, esse indicador foi de 48,9 pontos. Esse resultado fez com que o indicador de estoques planejados passasse para 49,5 pontos, ante 49,8 pontos em novembro." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/producao-da-industria-tem-melhor-dezembro-desde-2011-aponta-cni.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (22/01/2018) - Comunicando.

"No radar do setor, a companhia brasileira de processamento de cartões de crédito Stone estaria planejando realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO) em Nova York no segundo semestre deste ano, diz a Reuters, citando três fontes. A Stone Pagamentos discutiu com bancos de investimento uma operação pela qual levantaria recursos e alguns de seus acionistas venderiam parte de suas participações. A companhia ainda não contratou assessores financeiros. A Stone não comentou imediatamente, segundo a Reuters" (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7220422/braskem-salta-com-noticia-novo-acordo-acionistas-ccr-sobe-apos







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/01/2018) - A recuperação será muito lenta pelo visto.

"A Caixa Econômica Federal anunciou um novo leilão de imóveis, que ocorrerá no próximo dia 23. Os preços partem de R$ 100.650 e chegam a R$1.395.869, com descontos que chegam a 70% do valor de mercado para os empreendimentos." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7218204/caixa-leiloa-509-imoveis-com-preco-ate-abaixo-mercado







BANCOS e CARTÕES - (18/01/2018) - Comunicando.

"Grandes bancos no Brasil sugeriram mudanças no cheque especial para redução de taxas de juros, sugerindo que os clientes que usam excessivamente essa linha transfiram dívidas para produtos mais baratos.

A transferência de dívidas do cheque especial para outras linhas não seria obrigatória, mas teria que ter adesão voluntária dos clientes, disseram as fontes, pedindo anonimato porque as discussões não são públicas." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/bancos-sugerem-transferencia-de-dividas-do-cheque-especial/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/01/2018) - ALERTA para o setor.

"Para Meyer Joseph Nigri, fundador e presidente do Conselho da Tecnisa, a MP dos distratos provavelmente será aprovada ainda em fevereiro. Se não for, o Brasil passará no futuro por uma crise “muito pior” que a deixada para trás no fim de 2017. Segundo Nigri, os distratos são extremamente prejudiciais à Construção Civil, pois geram desistências, revenda com descontos muito altos e, na pior das hipóteses, atraso ou cancelamento de obras. “Quando você acaba recebendo uma unidade de volta, os descontos [para vender a outra pessoa] são de até 70%. A perda é muito grande”, exemplifica." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/7209610/brasil-vivera-uma-crise-ainda-pior-dos-distratos-nao-avancar







INDÚSTRIA - (18/01/2018) - Situação ainda piorando na indústria.

"O nível de emprego na indústria paulista recuou 1,62% em 2017 na comparação com o ano anterior, informou o Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). Apesar da queda, a Fiesp pontua que, no ano passado, houve o menor número de vagas fechadas (35 mil) desde 2011, quando o saldo líquido ficou negativo em 1,5 mil postos de trabalho.

Em dezembro, a indústria paulista demitiu 33 mil empregados, representando um recuo de 0,03% ante novembro, na série com ajuste sazonal. Sem ajuste, o declínio foi de 1,53%. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/industria-de-sp-demite-33-mil-em-dezembro-emprego-recua-162-em-2017-diz-fiesp/







BANCOS e CARTÕES - (17/01/2018) - Comunicando.

"Pressionados pelo governo, os bancos assumiram o compromisso de adotar novas regras para o cheque especial com objetivo de reduzir os juros aos clientes." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/bc-pressiona-bancos-por-juros-menores-no-cheque-especial/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/01/2018) - Comunicando.

"No mês de janeiro, a Zuckerman Leilões oferecerá mais de 1.200 oportunidades imobiliárias em seus leilões. São propriedades com valores a partir de R$ 6.900 pertencentes a diversas instituições – principalmente Caixa e Bradesco." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7208648/caixa-bradesco-outros-leiloem-1200-imoveis-partir-900







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/01/2018) - Longe da recuperação ainda.

"Os preços de moradia na cidade de São Paulo caíram no 3º trimestre de 2017, de acordo com dados divulgados no começo do ano pelo Global Property Guide. A queda foi de 0,20% em relação ao trimestre anterior e de 1,13% em relação ao mesmo período do ano anterior, em números ajustados pela inflação. É uma reversão do cenário do trimestre anterior, mas a queda foi relativamente moderada. No mesmo ponto de 2016, o ritmo de redução estava em 8% na medida anual." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/preco-de-moradia-em-sao-paulo-tem-nova-queda-trimestral-e-anual/







INDÚSTRIA - (12/01/2018) - Comunicando.

"A produção industrial em São Paulo subiu 0,7% em novembro ante outubro, acima da média do País no mesmo mês, que foi de 0,2% na mesma comparação, e 7,1% contra igual mês de 2016, informou nesta quinta-feira, 11, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano, o Estado de São Paulo acumula alta de 3% e nos últimos doze meses terminados em novembro, de 2,7%.

" (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,producao-industrial-em-sp-sobe-0-7-em-novembro-acima-da-media-do-pais,70002146894







BANCOS e CARTÕES - (12/01/2018) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 3,5% em 2017, de acordo com os dados nacionais da Boa Vista SCPC. Em dezembro ante novembro, o recuo foi de 4,5%, com ajuste sazonal. Na comparação com igual mês de 2016, o indicador caiu 6%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/inadimplencia-do-consumidor-cai-35-em-2017-diz-boa-vista-scpc/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/01/2018) - Comunicando.

"Venda de cimento no Brasil reduz queda em 2017. As vendas do setor em 2017 caíram 6,4 por cento, para 53,8 milhões de toneladas, o terceiro ano seguido de retração de uma indústria que tem capacidade instalada de cerca de 100 milhões de toneladas.Considerando apenas dezembro, a venda de cimento no país caiu 6,4 por cento sobre um ano antes, para 4,05 milhões de toneladas." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1EZ2OQ-OBRBS







INDÚSTRIA - (08/01/2018) - Comunicando.

"Indústria no Brasil surpreende e cresce pelo 3º mês em novembro com demanda de fim de ano. A produção avançou 0,2 por cento em novembro na comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Em relação ao mesmo mês de 2016, a atividade avançou 4,7 por cento por cento na produção, sétima taxa positiva." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1EU13R-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/01/2018) - Comunicando.

"O preço dos imóveis residenciais anunciado em 20 cidades brasileiras fechou 2017 com queda nominal (sem considerar a inflação) de 0,53%, segundo o Índice FipeZap. Foi o primeiro ano de retração nos preços em 10 anos. Ao considerar a inflação esperada para o ano, de 2,78%, o índice registrou queda real de 3,23%. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis-no-brasil-ficaram-mais-baratos-em-2017/







BANCOS e CARTÕES - (02/01/2018) - Comunicando.

"O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores cresceu 3,71 por cento em novembro ante o mesmo período de 2016, puxado principalmente pelo aumento da inadimplência do setor de serviços, mostraram dados divulgados nesta sexta-feira. As altas mais expressivas da inadimplência foram registradas pelos setores de serviços, com 5,91 por cento, e comércio, com 2,30 por cento. A inadimplência na indústria, por sua vez, subiu 1,88 por cento, enquanto na agricultura recuou 1,7 por cento.

O SPC Brasil e CNDL também calculam o número de dívidas em atraso, que apontou para crescimento de 2,01 por cento em novembro ante o mesmo período de 2016." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1EN18X-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (20/12/2017) - Ótima notícia para os bancos que terão recursos liberados para emprestar e melhorar suas rentabilidades.

"O Banco Central publicou nesta terça-feira (19) uma nota em que informa a redução das alíquotas dos recolhimentos compulsórios sobre recursos à vista e a prazo. No caso dos recursos à vista, a taxa passa de 45% para 40%, enquanto a incidente sobre recursos a prazo cai de 36% para 34%, disse o BC em comunicado.

A medida, que faz parte do programa Agenda BC+ e gera efeito líquido que corresponde à liberação de R$ 6,5 bilhões de recursos depositados, contribuindo para a redução estrutural do volume de depósitos compulsórios, explica a autoridade monetária." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/7150635/reduz-compulsorios-bancos-poderao-ofertar-bilhoes-mais-credito







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/12/2017) - Comunicando.

"A pesquisa mostra que entre janeiro e outubro as vendas de imóveis novos cresceram 5,3% ante igual período do ano passado, para 87.618 unidades.

Já os lançamentos de imóveis novos totalizaram 58.971 unidades entre janeiro e outubro de 2017, alta de 18% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Nos últimos 12 meses, tanto os lançamentos (78,8 mil unidades) quanto as vendas (107,5 mil unidades) de imóveis novos cresceram – respectivamente, 15,8% e 5,1% em relação ao registrado no período imediatamente anterior." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/vendas-de-imoveis-crescem-53-de-janeiro-a-outubro-de-2017/







BANCOS e CARTÕES - (20/12/2017) - CUIDADO ao aplicar recursos em bancos menores.

"Na prática, a provável alteração na cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) não deve trazer nenhuma mudança para o investidor, especialmente para aqueles que detêm menos de R$ 1 milhão em aplicações.

No entanto, se as regras não forem "muito claras e muito bem explicadas", bancos pequenos e médios podem sair no prejuízo e até ficar sem recursos, segundo Betty Grobman, especialista em finanças e investimentos e professora da B3, BSG Treinamento e Saint Paul Escola de Negócios.

Grobman avalia que, sem as informações adequadas, investidores podem ficar "alarmados" com a novidade e retirar dinheiro de aplicações de bancos menores para reaplicar em instituições de maior porte - situação que o levaria a uma perda acumulada. Primeiro, o investidor pagaria mais impostos ao retirar investimentos antes de seu investimento, segundo, teria rendimentos mais baixos em bancos menores. Do outro lado, bancos pequenos e médios podem ficar sem recursos com eventual retirada de grandes volumes.

...Diante deste cenário, Grobman acredita que a medida deve ser decorrente de lobby de grandes instituições financeiras que vêm perdendo clientes para bancos menores e corretoras, cujos investimentos costumam ter rentabilidade maior. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/onde-investir/renda-fixa/noticia/7149667/mudanca-fgc-bancos-pequenos-medios-podem-ficar-sem-recursos-diz







ITAÚSA - (18/12/2017) - Comunicando.

"O Petros, fundo de pensão de empregados da Petrobras, concluiu nesta sexta-feira a venda de 5,76 por cento de participação na Itaúsa para a Fundação Antônio Helena Zerrenner, operação avaliada em 4,5 bilhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1E92Y6-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/12/2017) - Comunicando.

"O preço do aluguel de imóveis residenciais recuou 0,42 por cento entre outubro e novembro, em termos reais, segundo o índice FipeZap, que avalia o valor médio do metro quadrado em 15 cidades brasileiras por anúncios na internet.

No ano, o índice apresenta queda de 3,2 por cento descontada a inflação, informou o FipeZap nesta sexta-feira." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1E90V8-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (18/12/2017) - Concorrência aumentando e portanto a lucratividade tende a cair.

"A Cielo está multiplicando a oferta de soluções e serviços para lojistas como forma de tentar proteger sua liderança no mercado de adquirência em meios de pagamentos, que está entrando numa fase de concorrência aberta no Brasil." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1E92BR-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (13/12/2017) - Comunicando.

"A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) confirmou, em fato relevante publicado no fim da noite desta terça-feira, 12, que o valor por Unit em sua oferta subsequente (follow on) foi precificado em R$ 55,20, sem desconto em relação ao fechamento do pregão de terça.

Com isso, a oferta atingirá um total de cerca de R$ 1,040 bilhão, por meio da emissão de 18.846.177 certificados de depósitos de ações (Units), representativos de uma ação ordinária e quatro papéis preferenciais." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/mercados/sanepar-confirma-preco-por-unit-em-follow-on-em-r-5520/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/12/2017) - Preços continuam em queda real.

"Depois de meses em queda, aos poucos, o preço médio dos imóveis à venda no Brasil volta a subir. Em novembro, o Índice FipeZap, que acompanha o preço de venda de imóveis residenciais em 20 cidades, sofreu uma leve alta, de 0,03%.

No entanto, ao considerar a inflação esperada para o mês, de 0,38%, o índice registrou queda real de 0,35% – o que mostra que o movimento de alta nos preços ainda é lento. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/preco-dos-imoveis-sofre-leve-alta-em-novembro-mostra-fipezap/







BANCOS e CARTÕES - (05/12/2017) - Comunicando.

"A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) captou a quinta alta consecutiva do porcentual de famílias endividadas, de 62,2%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) relativa ao mês de novembro, divulgada nesta segunda-feira, 4. Em comparação a outubro, houve alta de 0,4 ponto porcentual. Em outubro, a taxa foi de 59,6%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/numero-de-familias-endividadas-sobe-para-622-em-novembro/







BANCOS e CARTÕES - (05/12/2017) - Comunicando.

"O mercado de cartões movimentou R$ 308 bilhões no terceiro trimestre, cifra 9% maior que a vista no mesmo intervalo do ano passado, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Trata-se do maior crescimento trimestral desde o segundo trimestre de 2015, quando o setor apresentou expansão de 9,4%, também na comparação anual. Do total das compras com cartões no terceiro trimestre, R$ 189 bilhões corresponderam à modalidade crédito, com alta de 7,6% ante um ano. A taxa de crescimento apresentada, de acordo com a Abecs, é quase o dobro da verificada um ano antes, de 4%. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/mercado-de-cartoes-acelera-e-cresce-9-no-3o-trimestre-ante-um-ano/







BANCOS e CARTÕES - (01/12/2017) - Menos dinheiro para os bancos emprestarem.

"O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou um novo requerimento de liquidez para os bancos e a chamada Razão de Alavancagem. As medidas fazem parte da implementação das regras de Basileia 3. Em nota, o Banco Central (BC) explica que o Indicador de Liquidez de Longo Prazo (NSFR, em inglês) correspondente à razão entre o montante de Recursos Estáveis Disponíveis (ASF) e o montante de Recursos Estáveis Requeridos (RSF), calculados com base nos saldos dos elementos registrados no passivo, patrimônio líquido e exposições da instituição." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5214053/cmn-aprova-nova-razao-de-alavancagem-e-requerimento-de-liquidez-para-bancos







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/12/2017) - Mais notícia ruim para o setor.

"O Ministério Público pediu que o TCU proíba emissão de perpétuo da Caixa a ser comprado pelo FGTS. A idéia original era resolver Basiléia via emissão desse perpétuo, mas a probabilidade do TCU aprovar isso agora é mais baixa e com isso a Caixa vai ter buscar outra solução (vender ativos, restringir crédito imobiliário, entre outros). Segundo o BTG Pactual, sem dúvida, a notícia é negativa para o setor, com impacto maior para as empresas que operam na média/alta renda (Caixa deve seguir com baixa originação no SBPE)." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7114966/mercado-acorda-para-opa-amanha-eletrica-desaba-das-acoes-ibovespa







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/11/2017) - Com o ."Minha Casa Minha Vida" minguando devido a falta de recursos por parte do governo e que tende a piorar nos próximos anos, a situação do setor não será nada confortável.

"As incorporadoras imobiliárias lançaram um total de 6,3 milhões de unidades entre 2008 e 2017, sendo que 77,8% dentro do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, mostrou estudo divulgado nesta terça-feira (28) pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) em parceria com a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas)." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1938864-minha-casa-minha-vida-responde-por-78-dos-lancamentos-imobiliarios-desde-2008.shtml







BANCOS e CARTÕES - (29/11/2017) - Mais concorrência, ruim para bancos públicos como o BB.

"O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 28, um projeto de lei complementar que assegura às cooperativas de crédito a possibilidade de operarem com prefeituras e órgãos municipais. A proposta segue agora ao Senado.Hoje, as prefeituras só podem trabalhar com bancos públicos." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/camara-aprova-que-cooperativas-de-credito-operem-com-prefeituras/







BANCOS e CARTÕES - (29/11/2017) - Mais concorrência a caminho.

"Os bancos brasileiros terão a concorrência de uma “fintech” de peso. O Facebook planeja lançar no país até junho de 2018 sua plataforma de pagamentos móveis. O serviço é utilizado nos Estados Unidos e chegou recentemente à Inglaterra." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/facemoney/







BANCOS e CARTÕES - (28/11/2017) - Comunicando.

"Após uma arrastada negociação, poupadores e instituições financeiras finalmente chegaram a um consenso sobre a remuneração das cadernetas de poupança na década de 1980 e 1990 em meio aos diversos planos econômicos da época. O acordo foi divulgado nesta segunda-feira, 27, pela Advocacia-Geral da União (AGU), mas o valor não foi informado porque o texto final será submetido ao Supremo Tribunal Federal (STF). " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/agu-informa-que-poupadores-e-bancos-chegaram-a-acordo-sobre-planos-economicos/







INDÚSTRIA - (28/11/2017) - Comunicando.

"Ao contrário do que ocorreu nos últimos dois anos, a produção industrial cresceu na passagem de setembro para outubro, de acordo com a Sondagem Industrial divulgada nesta segunda-feira, 27, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala na qual valores acima dos 50 pontos indicam expansão da atividade, o índice de evolução da produção registrou 52,6 pontos no mês passado. Em setembro, o índice havia ficado em 48,1 pontos, indicando redução em relação a agosto.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) subiu 1 ponto porcentual em outubro e chegou a 67%. O nível de ociosidade na indústria ficou 2 p.p. menor que o verificado no mesmo mês do ano passado. "Ainda assim, é um porcentual reduzido, pois está 7 p.p. abaixo da média para o mês entre 2011 (início da série) e 2014", avaliou a CNI, no documento. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,producao-industrial-avanca-para-52-6-pontos-em-outubro-diz-cni,70002098900







BANCOS e CARTÕES - (28/11/2017) - Comunicando.

"A demanda por crédito ao consumidor no País voltou a cair em outubro após aumento de 0,3% em setembro.

De acordo com a Boa Vista SCPC, a procura por crédito cedeu 3,3% no mês passado em relação ao mês anterior, com ajuste sazonal. Na comparação com o décimo mês de 2016, houve queda de 1,8% e, em relação ao acumulado em 12 meses, retração de 2,7%.

Por segmento, as instituições financeiras registraram o recuo mais intenso, de 6,1%, enquanto no segmento não financeiro o declínio foi de 0,3% em 12 meses terminados em outubro." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/demanda-por-credito-cai-33-em-outubro-diz-boa-vista-scpc/







BANCOS e CARTÕES - (27/11/2017) - Comunicando.

"O endividamento das famílias voltou a recuar na passagem de agosto para setembro de acordo com dados compilados pelo Banco Central (BC). A relação entre o estoque de crédito contratado e a renda líquida anualizada fechou setembro em 41,39%, ante 41,48% registrado em agosto. Assim, o patamar de endividamento segue sendo o menor desde meados de 2011. Em setembro de 2016, o endividamento era de 42,73%.

Tirando o crédito habitacional da conta, a fatia de endividamento foi de 22,95% em setembro, recuando de 23,02% em agosto, marcando a menor leitura desde abril de 2007. Em setembro de 2016, o percentual era de 24,12%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5205369/endividamento-das-familias-segue-em-queda-e-renova-minima-desde-2011







BANCOS e CARTÕES - (27/11/2017) - Comunicando.

"A inadimplência média das operações de crédito no sistema financeiro apresentou estabilidade em 3,6% em outubro, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central (BC). Em 2016, apesar da retração econômica e aumento dos juros, a inadimplência subiu apenas 0,3 ponto percentual, para 3,7%.

Entre as empresas, que lideraram os calotes em 2016, a taxa média saiu de 3,3% em setembro para 3,4% um mês depois. Entre as famílias, permaneceu em 3,9%.

Com recursos livres, a inadimplência das empresas se manteve em 5,2%. A taxa das famílias fechou outubro em 5,6%, mesmo patamar de setembro. Assim, a inadimplência total com recursos livres permaneceu em 5,4%.

No crédito direcionado, a inadimplência total subiu de 1,7% para 1,8% em outubro. A taxa para as empresas foi de 1,6% e das pessoas físicas de 2,1%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5205239/bc-inadimplencia-cai-e-juro-medio-das-operacoes-de-credito-tem-alta







BANCOS e CARTÕES - (24/11/2017) - A competição devido a intervenção do BACEN deve provocar redução da rentabilidade das empresas do setor.

"Menos de duas semanas depois das transações feitas com cartão de crédito e débito passarem a ser liquidadas pela Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), a União Nacional das Entidades de Comércio e Serviços (Unecs) enviou reclamação ao Banco Central. Segundo a entidade, desde o dia 13 de novembro, os associados vinham reportando que os pagamentos das vendas feitas com cartão não estavam sendo disponibilizados em suas contas correntes." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5204277/lojistas-reclamam-de-atraso-na-compensacao-de-pagamentos-cartao







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/11/2017) - Comunicando.

"O respiro do mercado imobiliário nos últimos meses, com o aumento das vendas impulsionado pela queda dos juros, fez com que o estoque de imóveis novos na cidade de São Paulo caísse 21,5% em setembro, na comparação com o mesmo mês de 2016." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/estoque-de-imovel-novo-cai-215-em-sp-aponta-secovi-sp/







BANCOS e CARTÕES - (23/11/2017) - E a concorrência no setor está aumentando, logo a lucratividade deve cair.

"A Credicard, do Itaú Unibanco, lançou um cartão de crédito digital, sem anuidade, na esteira de fintechs como o Nubank. Batizado de Credicard Zero, o plástico tem atendimento pelo aplicativo e descontos em empresas parceiras. O limite do cartão parte de 1.000 reais e pode aumentar automaticamente de acordo com o perfil do cliente. Os clientes poderão pedir até quatro cartões adicionais, sem taxas." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/credicard-lanca-cartao-digital-sem-taxa-para-concorrer-com-nubank/







BANCOS e CARTÕES - (16/11/2017) - Comunicando.

"O presidente Michel Temer sancionou a Lei 13.506/2017, que dispõe sobre processo administrativo sancionador no âmbito do Banco Central e da Comissão de Valores Imobiliários (CVM). O texto, que resulta do chamado Projeto de Lei da Leniência, está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira sem vetos. A norma permite que BC e CVM firmem acordos administrativos com empresas, pessoas físicas e bancos para reduzir punições em troca de colaboração com investigações. A lei prevê a extinção de penalidade ou redução de um a dois terços do valor aplicável. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,temer-sanciona-lei-da-leniencia-do-banco-central-e-da-cvm,70002084046







ITAÚSA - (14/11/2017) -

Ação bastante interessante com P/L de 9,36 e o P/VPA de 1,51 (Fonte: Fundamentus), com o lucro relativamente comportado e ultimamente até com ligeiro crescimento. Vale a pena acompanhar para compras em momentos de correção técnica.



"O conglomerado Itaúsa, que controla o banco Itaú Unibanco e as empresas Duratex, Elekeiroz e Itautec, obteve lucro líquido aos seus acionistas de R$ 2,3 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 11% em relação aos R$ 2,1 bilhões registrados no mesmo período de 2016. O lucro líquido antes do imposto de renda e contribuição social teve alta de 13%, somando R$ 2,3 bilhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5184351/lucro-liquido-da-itausa-sobe-11-no-3-trimestre-para-r-23-bilhoes







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/11/2017) - Ainda ruim.

"A venda de cimento no Brasil em outubro caiu 0,5 por cento sobre um ano antes, a 4,6 milhões de toneladas, informou nesta quinta-feira a associação que representa os fabricantes, Snic. Na comparação com setembro, as vendas do mês passado mostraram queda de 3,7 por cento. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1D92UL-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (09/11/2017) - Comunicando.

"O porcentual de famílias endividadas alcançou 61,8% em outubro de 2017, alta de 0,1 ponto porcentual na comparação com setembro, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta quarta-feira, 8, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Em relação a outubro de 2016, quando o indicador alcançava 59,8% do total de famílias entrevistadas, a alta foi de 2 pontos porcentuais." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/porcentual-de-familias-endividadas-cresce-e-fica-em-618-em-outubro-diz-cnc/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/11/2017) - Comunicando.

"Comprar imóveis está – novamente - mais caro em São Paulo. Segundo levantamento do DMI-VivaReal, o preço médio do metro quadrado para compra atingiu R$ 6.923 em outubro, o maior de 2017 até agora e uma valorização de 0,3% frente a setembro. Na comparação com outubro de 2016, houve valorização de 0,7%.

O aluguel, por outro lado, se manteve estável na comparação mensal, o que significa desvalorização de 1,8% frente aos valores médios de outubro de 2016." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/7065030/preco-imovel-alcanca-valor-mais-alto-ano-confira-bairros-mais







INDÚSTRIA - (09/11/2017) - Comunicando.

"Maior parque fabril do país, o Estado de São Paulo registrou crescimento de 5,4% na produção industrial no terceiro trimestre deste ano, frente ao mesmo período do ano passado. Tratou-se do melhor desempenho da indústria paulista desde o segundo trimestre de 2013 (+9,1%).

Ele acrescentou que, nos últimos três meses, pouco mais da metade dos 534 itens industriais de São Paulo apresentaram aumento de produção. O chamado índice de difusão foi de 52,1% em julho; 56,9% em agosto; e 51,1% em setembro. "É um patamar relativamente baixo. Já vimos índices perto de 70%", avaliou.

O setor industrial nacional avançou 3,1% no terceiro trimestre de 2017, frente a igual período do ano anterior. Dos 15 locais pesquisados, 13 tiveram aumento de produção nessa base de comparação.

Além de São Paulo, outros destaques foram Bahia (+5,6%), Mato Grosso (+ 7,4%), Paraná (+6,8%) e Goiás (+3,5%). Por outro lado, as principais perdas entre os dois períodos foram registradas por Espírito Santo (+ 0,2%) e Rio Grande do Sul (-1,4%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5186361/producao-industrial-de-sp-cresce-54-no-3-trimestre







BANCOS e CARTÕES - (08/11/2017) - Risco para o país e para os bancos que emprestaram dinheiro para as empresas.

"Concessionárias de infraestrutura controladas por empreiteiras envolvidas na Operação Lava-Jato terão que ser vendidas ou caminharão para a falência. Segundo o diretor jurídico do Banco Nacional Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marcelo de Siqueira Freitas, com os sócios atuais essas empresas não terão acesso a financiamento de longo prazo e tendem a quebrar.

"Rodovias a serem duplicadas, aeroportos a serem construídos e linhas de metrô inacabadas são os exemplos mais flagrantes que temos hoje no BNDES. E está muito claro: se o controle não for repassado para alguma outra empresa, nós não conseguiremos financiar esse projeto, as instituições privadas também não financiarão e esses projetos vão morrer. Aí é ou recuperação judicial ou falência", disse Freitas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5185769/sem-venda-de-controle-concessionarias-quebram







BANCOS e CARTÕES - (08/11/2017) - Comunicando.

"A inadimplência do consumidor caiu 2,5% nos valores acumulados no ano até outubro em comparação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC divulgados nesta t erça-feira.

Na análise de 12 meses -- de novembro de 2016 a outubro de 2017 -- frente aos 12 meses antecedentes, houve retração 4%, segundo a pesquisa. Na avaliação mensal com ajuste sazonal, a inadimplência apresentou crescimento de 5,1% em relação a setembro. Já quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016, houve queda de 9,9%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5185003/inadimplencia-do-consumidor-cai-25-no-ano-ate-outubro-diz-boa-vista







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/11/2017) - Será que realmente o banco liberará o crédito? Será que a população irá desejar com as condições ofertadas?

"A Caixa Econômica Federal anunciou a liberação de R$ 8,7 bilhões para destravar contratos de crédito imobiliário até 30 de novembro.

O Banco Central registrou 248 queixas sobre a Caixa no primeiro semestre do ano relativas à demora na liberação do financiamento, alta de 9% ante os seis meses anteriores e de 2,5% sobre igual período de 2016.

Nos últimos meses, a Caixa anunciou uma série de restrições ao crédito, como a redução do limite financiado para imóveis usados de até 70% para 50%. A regra passou a valer em 25 de setembro e quem ainda não tivesse assinado o contrato até essa data já deveria se enquadrar no novo modelo. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/11/1933429-caixa-libera-r-87-bi-para-tentar-destravar-credito-imobiliario.shtml







ITAÚSA - (07/11/2017) - Comunicando.

"O conglomerado Itaúsa, que controla o banco Itaú Unibanco e as empresas Duratex, Elekeiroz e Itautec, obteve lucro líquido aos seus acionistas de R$ 2,3 bilhões no terceiro trimestre, aumento de 11% em relação aos R$ 2,1 bilhões registrados no mesmo período de 2016. O lucro líquido antes do imposto de renda e contribuição social teve alta de 13%, somando R$ 2,3 bilhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5184351/lucro-liquido-da-itausa-sobe-11-no-3-trimestre-para-r-23-bilhoes







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/11/2017) - Positivo.

"O corte dos juros e os primeiros sinais de reação da economia já provocam impacto no mercado imobiliário. Na capital paulista, no acumulado de janeiro a agosto, foram vendidos 10.991 imóveis, uma alta de 20,8% em comparação ao mesmo período de 2016 (9.100 unidades), segundo o Secovi-SP, entidade do setor.

No País, as vendas somaram 45.267 unidades de janeiro até agosto, um aumento de 25,5% frente aos mesmos meses de 2016, segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). “O mercado vem ensaiando uma recuperação, embora gradual e lenta”, diz o economista-chefe, do Secovi-SP, Celso Petrucci. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,confianca-e-queda-de-juros-elevam-venda-de-imoveis,70002074377







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/11/2017) - O governo tem recursos para lançar algo?

"O governo tenta destravar o programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) para as famílias de menor renda. O Ministério das Cidades divulgou portaria nesta segunda-feira no "Diário Oficial da União" (DOU) com a seleção dos projetos para construção de 54.089 unidades em municípios de vários Estados brasileiros. A partir de agora, as empresas interessadas na construção dessas unidades têm até 30 dias para apresentação de documentação necessária às instituições financeiras." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5183215/governo-divulga-projetos-para-contratar-54-mil-unidades-do-minha-casa







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/11/2017) - Política monetária restritiva, visto que os bancos públicos terão de devolver esse dinheiro para o governo e vai ser difícil esse tipo de medida no futuro.

Ruim para os bancos públicos que provavelmente terão de devolver esses recursos e dificilmente receberão ajuda no futuro.

O setor de imóveis tenderá a ter menos recursos no futuro devido a empréstimos da Caixa.

"Depois de considerar ilegais os empréstimos do Tesouro Nacional ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a área técnica do Tribunal de Contas da União (TCU) considerou igualmente irregulares repasses, no total de R$ 39 bilhões, realizados à Caixa Econômica, Banco do Brasil (BB), Banco do Nordeste (BNB) e Banco da Amazônia (Basa) nos governos Lula e Dilma." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5182809/tcu-quer-exigir-de-bancos-da-uniao-devolucao-de-r-39-bi







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/11/2017) - Comunicando.

"Com cerca de 70% de participação no crédito imobiliário do país, a Caixa surpreendeu o mercado ao tomar uma série de medidas que restringiram o acesso aos financiamentos da casa própria, inclusive com recursos subsidiados (a juros mais baixos). Veja algumas medidas adotadas este ano:

- Reduziu para 50% o limite de financiamento de imóveis usados;

- Encerrou a linha pró-cotista do FGTS, a mais barata depois do Minha Casa, Minha Vida;

- Passou a adotar limites mensais na liberação do crédito imobiliário;

- Foi o único banco que não reduziu os juros neste ano diante dos cortes da taxa Selic;

- Deixou de ser o banco com as menores taxas para financiar a casa própria (veja a tabela abaixo)

Em agosto, a Caixa reduziu o limite para financiar novas unidades de 90% para 80% do valor do imóvel. Para imóveis usados, o banco fez dois cortes este ano: um primeiro em agosto, de 70% para 60%, e outro em setembro, para 50% do valor do bem.
" (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/sem-recursos-caixa-trava-financiamentos-e-compradores-podem-perder-imovel.ghtml







INDÚSTRIA - (03/11/2017) - Bom.

"A produção industrial brasileira cresceu 0,9% no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre do ano. Na comparação com o terceiro trimestre de 2016, o indicador mostrou avanço de 3,1%. A alta de 2,6% na indústria em setembro ante setembro do ano passado foi o melhor desempenho para o mês desde 2013, quando a produção cresceu 3,7%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-sobe-09-no-3o-trimestre-ante-2o-trimestre-diz-ibge/







INDÚSTRIA - (03/11/2017) - Comunicando.

"Os dados divulgados pelo IHS Markit mostram que o PMI do setor chegou a 51,2 em outubro, sobre 50,9 em setembro, na terceira melhora seguida das condições operacionais. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1D14MR-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (01/11/2017) - Será que o BACEN conseguirá diminuir a concentração bancária? É muito difícil.

"Goldfajn argumentou que o importante não é a existência de quatro ou cinco bancos, mas sim que haja competição no mercado bancário. Ele voltou a citar que o BC tem trabalhado pelo empoderamento dos pequenos bancos e das empresas de tecnologia. “Se queremos mais bancos menores, temos que pensar na democratização das informações. Por isso os deputados têm que olhar com cuidado o projeto do Cadastro Positivo”, afirmou." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/compulsorio-devera-convergir-para-padroes-internacionais-diz-goldfajn/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/11/2017) - Continua piorando.

"A construção cortou 268 mil postos de trabalho no período de um ano, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O total de ocupados na atividade encolheu 3,8% no terceiro trimestre de 2017 ante o mesmo período de 2016." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/construcao-demite-268-mil-empregados-em-um-ano-diz-ibge/







BANCOS e CARTÕES - (30/10/2017) - Será que teremos "investimentos de não residentes" fugindo visto que a receita descobriu que na verdade esses investimentos são de residentes? Será que os bancos vão ser investigados e pagarão multas elevadas por serem cúmplices desses "investimentos de não residentes" ?

"A Receita Federal fez na última quinta-feira uma reunião com as maiores instituições financeiras do país para comunicar que identificou "fortes indícios" de fraude tributária envolvendo alguns investimentos de não residentes no Brasil. Conforme antecipou o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor, na sexta-feira, as investigações indicam que vários investidores podem ser - na verdade - brasileiros em busca dos benefícios fiscais concedidos a estrangeiros que aplicam no país." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5175404/receita-aponta-indicios-de-fraude-em-investimento-de-nao-residentes







BANCOS e CARTÕES - (30/10/2017) - Comunicando.

"Apesar da queda da inflação, do recuo dos juros e da melhora da confiança dos empresários e dos consumidores, o quadro para as micro e pequenas empresas segue difícil. Em agosto, 4,8 milhões de micro e pequenas empresas estavam inadimplentes no País. É uma marca recorde. Em um ano, o número de companhias desse porte que não conseguiram pagar em dia as suas dívidas aumentou 14%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,micros-e-pequenas-tem-inadimplencia-recorde,70002063678







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/10/2017) - Ainda está difícil a recuperação.

"A atividade na construção civil caiu em setembro para 46,4 pontos, segundo dados da Sondagem da Indústria da Construção Civil, divulgada nesta sexta-feira (27) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A queda na atividade acelerou levemente, já que esse índice foi de 46,7 pontos em agosto. No mesmo mês de 2016, o indicador foi de 41,5 pontos." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5173758/construcao-civil-tem-queda-mais-expressiva-em-setembro-segundo-cni







BANCOS e CARTÕES - (30/10/2017) - Boa notícia.

"A inadimplência no Brasil recuou a 5,4 por cento em setembro, menor nível desde dezembro de 2015 (5,3 por cento), refletindo os primeiros sinais de gradual recuperação econômica no país. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1CW1U4-OBRBS







INDÚSTRIA - (27/10/2017) - Voltando a piorar.

"O índice de evolução da produção industrial, medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), ficou em 48,1 pontos em setembro, de acordo com a pesquisa mensal "Sondagem Industrial" divulgada nesta quinta-feira (26). Em agosto, o resultado foi de 54,8 pontos. Já em setembro de 2016, ele foi de 45,8 pontos.

Já o indicador da evolução do número de empregados na indústria foi de 49 pontos no último mês, ante 49,1 pontos em agosto.

O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) caiu para 66% no mês passado ante resultado de 67% em agosto. Em setembro do ano passado, ela era de 66%.O indicador relativo à utilização de capacidade efetiva-usual, que considera o UCI comum para o mês, fechou setembro em 41,8 pontos, frente a 43,4 pontos em agosto. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5171074/producao-industrial-volta-cair-em-setembro-aponta-sondagem-da-cni







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/10/2017) - Está muito difícil a recuperação do setor.

"Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas de poupança atingiram R$ 3,41 bilhões em setembro. O volume representa uma alta de 8,2% em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com dados da Abecip, associação que representa as instituições que atuam no crédito imobiliário. Na comparação com agosto deste ano, porém, houve queda de 22,7%.

No acumulado do ano, o financiamento para a compra da casa própria somou R$ 32,63 bilhões, 2,9% inferior ao observado em igual período de 2016." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5172474/credito-imobiliario-soma-r-341-bilhoes-em-setembro-diz-abecip







INDÚSTRIA - (26/10/2017) - Investimentos em queda?

"A receita líquida das fabricantes brasileiras de máquinas e equipamentos totalizou R$ 5,83 bilhões em setembro, informou nesta quarta-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a queda foi de 5,7%, e sobre agosto, de 4,3%.

A Abimaq também revelou que as exportações do setor geraram R$ 813 milhões no mês passado. O valor representa forte aumento de 32,8% ante igual período do ano passado, mas recuo de 2,7% em relação a agosto. As importações chegaram a R$ 1,17 bilhão, altas de 16,8% e 7%, respectivamente." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5169470/receita-da-industria-de-maquinas-recua-57-em-setembro-aponta-abimaq







BANCOS e CARTÕES - (26/10/2017) - Ótima notícia para o setor bancário que não ficará mais a mercê do MPF e sim de amigos da CVM e do BACEN. Observe que as multas são irrisórias perto da lucratividade dos bancos e dos montantes que eles movimentam.

"A votação no Senado foi feita de maneira expressa. O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (25) o projeto de lei que aumenta o poder de Banco Central e CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em investigações de bancos e empresas por infrações administrativas e em irregularidades em operações no mercado financeiro.

O projeto de lei aumenta as multas a instituições e empresas que cometerem irregularidades. No caso da CVM, a multa máxima poderá chegar a R$ 50 milhões (hoje é R$ 500 mil) e, no Banco Central, a R$ 2 bilhões.

Além das multas, o projeto de lei autoriza as duas entidades a negociar acordos em que empresas e bancos podem reduzir a punição em troca de informações e colaborações para a investigação. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/10/1930216-senado-aprova-projeto-que-da-mais-poder-a-bc-para-investigar-bancos.shtml







INDÚSTRIA - (26/10/2017) - Comunicando.

"A produção industrial brasileira aumentou 0,8% na passagem de agosto para setembro, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Com a estimativa de setembro, a taxa acumulada em 12 meses pela indústria teria um avanço de 0,5%, a primeira alta após 39 meses seguidos de perdas. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/producao-industrial-cresce-08-em-setembro-ante-agosto-diz-ipea/







BANCOS e CARTÕES - (26/10/2017) - Comunicando.

"Sete usinas sucroalcooleiras de Alagoas vinculadas à Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool de Alagoas (CRPAAA) conseguiram ontem proteção judicial contra credores. Além dessas unidades, também entraram em recuperação judicial a Copertrading e outra empresa da cooperativa. No total, as dívidas vencidas do grupo somam R$ 530 milhões. A decisão foi proferida pelo juiz Ayrton de Luna Tenório, da 4ª Vara Cível de Maceió." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/agro/5169882/sete-usinas-de-alagoas-obtem-na-justica-protecao-contra-credores







BANCOS e CARTÕES - (25/10/2017) - Comunicando.

"Com alívio em provisões, lucro de grandes bancos deve crescer 11%. Os grandes bancos brasileiros devem registrar mais um trimestre de lucros em alta na temporada de divulgação de resultados que começa nesta quarta-feira, consolidando a volta de uma rotina interrompida no ano passado com a crise econômica. A melhora, mais uma vez, deve vir da redução nas despesas de provisão contra calotes." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5168284/com-alivio-em-provisoes-lucro-de-grandes-bancos-deve-crescer-11







BANCOS e CARTÕES - (25/10/2017) - Comunicando.

"Conforme aponta o jornal Valor Econômico, a Receita está apertando a fiscalização sobre bancos, após operações "fora da normalidade" na área de câmbio e em provisões de crédito feitas pelos bancos impactarem negativamente o recolhimento por estimativa do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

O aperto nos grandes contribuintes do setor financeiro, na visão do Fisco, já gerou impactos positivos no desempenho da tributação sobre o lucro nos últimos dois meses, aponta o jornal. Em setembro, por exemplo, o recolhimento de IRPJ e CSLL por estimativa mensal cresceu 10,7% ante igual período do ano passado (para R$ 7,3 bilhões), com o aumento sendo puxados pelas instituições financeiras, cuja expansão foi de 18,1% (para R$ 2,4 bilhões). O recolhimento das demais empresas cresceu a um ritmo menor - de 7,4% (para R$ 4,9 bilhões)." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7035272/aceno-temer-mercado-com-eletrobras-balanco-surpreendente-renner-mais-destaques







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/10/2017) - Comunicando.

"As construturas de baixa renda caíram com especulação sobre redução de empréstimos... depois de notícias de que o governo está trabalhando para melhorar os níveis de capital da Caixa Econômica Federal." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7027649/vale-descola-minerio-sobe-construtoras-afundam-ate-com-rumor-risco







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/10/2017) - Será que a Caixa vai continuar financiando imóveis com os problemas que tem?

"A Caixa Econômica Federal precisa de um reforço de R$ 10 bilhões neste ano e mais R$ 10 bilhões em 2018 para cumprir regras internacionais de proteção a crises, segundo apurou o Estadão/Broadcast com três fontes que acompanham o assunto." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/para-cumprir-regra-do-bc-caixa-vai-precisar-de-r-20-bilhoes/







INDÚSTRIA - (20/10/2017) - Comunicando.

"O Brasil criou 34,4 mil vagas de empregos formais em setembro, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Ministério do Trabalho. O resultado é o sexto aumento consecutivo neste ano, segundo o governo, e o melhor resultado para o mês desde 2014, quando as contratações superaram as demissões em 123,8 mil vagas.

A indústria de transformação foi a principal responsável pela geração de empregos em setembro: foram 25,7 mil novos postos de trabalho. Em seguida, a parece o comércio, com 15 mil novas contratações. O setor de serviços abriu 3,7 mil novos empregos e a construção civil, 380." (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/10/1928429-pais-cria-344-mil-vagas-com-carteira-assinada-em-setembro.shtml







INDÚSTRIA - (19/10/2017) - Comunicando.

"A Câmara de Comércio Exterior (Camex) zerou as tarifas de importação de três bens de informática e telecomunicações e de vários bens de capital. Trata-se de máquinas e equipamentos industriais sem fabricação nacional, todos na condição de ex-tarifários, originalmente tributados com taxas como 14% e 16%. A decisão consta de duas resoluções publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira e terá vigência até 30 de junho de 2019. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/camex-zera-tarifas-de-importacao-de-tres-bens-de-informatica-e-telecomunicacoes/







BANCOS e CARTÕES - (19/10/2017) - Comunicando.

"O Ministério das Cidades anunciou que a partir desta quarta-feira (18), as multas de trânsito poderão ser pagas com cartão de débito e parceladas no crédito. Anteriormente, somente as multas aplicadas em veículos registrados no exterior poderiam utilizar deste benefício. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/minhas-financas/consumo/noticia/7023922/multas-transito-poderao-ser-pagas-com-cartao-debito-credito







BANCOS e CARTÕES - (19/10/2017) - Comunicando.

"O plenário da Câmara aprovou há pouco, por 197 a 60 pontos, com 6 abstenções, o texto-base do projeto de lei nº 8.843, o PL da Leniência. A proposta trata do novo marco punitivo para instituições financeiras e do mercado de capitais, reguladas pelo Banco Central e pela CVM.

Uma mudança substancial trazida pelo PL foi a redução da multa a ser aplicada pela CVM. A MP previa penalidade de até R$ 500 milhões, que foi reduzida a um décimo disso no projeto de lei: R$ 50 milhões. Já os parâmetros das multas a serem aplicadas pelo BC foram mantidos no PL: a punição não poderá exceder R$ 2 bilhões ou 0,5% da receita de serviços e de produtos financeiros apurada no ano anterior da infração. Vale o maior valor. Atualmente, a multa máxima é de apenas R$ 250 mil." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/plenario-da-camara-aprova-texto-base-de-projeto-de-lei-da-leniencia-para-bancos/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/10/2017) - Boa notícia para o setor.

"Prévias de resultados divulgadas por empresas do setor imobiliário indicam um reaquecimento do mercado. No terceiro trimestre, seis grandes companhias - Direcional, Even, EZTec, Gafisa, MRV e Tenda - lançaram empreendimentos que somam R$ 3,544 bilhões, 69% mais que no mesmo período de 2016. As vendas tiveram comportamento semelhante: aumento de 63%, para R$ 3,502 bilhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5161302/lancamento-de-imoveis-aumenta-69







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/10/2017) - Aluguel caindo é rentabilidade do imóvel caindo.

"O preço médio de locação dos imóveis no Brasil teve uma queda de 0,29% em setembro, na comparação com agosto, em termos nominais. Nos últimos 12 meses, houve um recuo de 0,66%. Além disso, foi registrada uma diminuição de 0,29% nos valores entre agosto e setembro de 2017. Já o valor médio do aluguel de imóveis foi de R$ 28,36 por metro quadrado no País." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/aluguel-de-imoveis-residenciais-recua-029-em-setembro-diz-fipezap/







BANCOS e CARTÕES - (18/10/2017) - As empresas como J&F, Odebrecht e outras estão fazendo acordos de 5 a 10 BILHÕES, aposto que os bancos farão de 1 a 2 bilhões e ninguém será preso. Positivo para os bancos e seus sócios.

"O deputado federal Pauderney Avelino (DEM-AM) protocolou nesta terça-feira (17) projeto de lei para instituir os acordos de leniência de instituições financeiras com o Banco Central (BC) e Comissão de Valores Mobiliários (CVM), fruto de acordo entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do BC, Ilan Goldfajn, e o governo." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/politica/5158784/novo-projeto-de-leniencia-dos-bancos-propoe-multa-mais-suave







BANCOS e CARTÕES - (17/10/2017) - Comunicando.

"A capacidade de absorção de perda dos bancos privados no Brasil segue adequada apesar do prolongado ambiente operacional desafiador, afirmou nesta segunda-feira a agência de classificação de risco Fitch. A instituição afirma que aplicou um teste de estresse sobre esses bancos e o resultado foi que eles podem absorver uma perda significativa na carteira de crédito sem violar os requisitos mínimos de capital de Nível 1 de 2017. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1CL2NG-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/10/2017) - Comunicando.

"As vendas de imóveis na cidade de São Paulo cresceram 20,8% no acumulado de janeiro a agosto frente ao mesmo período de 2016. Ao todo, foram 10.991 unidades comercializadas no período, segundo dados do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), na Pesquisa do Mercado Imobiliário, que será divulgada hoje. De julho para agosto, a entidade apurou um aumento de 50,6% no número de imóveis vendidos." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/venda-de-imovel-em-sp-cresce-208-diz-secovi/







INDÚSTRIA - (11/10/2017) - Comunicando.

"O estado de São Paulo, maior parque industrial do País, registrou recuo de 1,4% na indústria local na passagem de julho para agosto, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados nesta terça-feira, 10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A média da indústria nacional recuou 0,8% em agosto ante julho, com perdas em seis dos 14 locais pesquisados. Além de São Paulo, os demais resultados negativos ocorreram no Rio Grande do Sul (-1,4%), Minas Gerais (-0,7%), Pará (-0,7%), Paraná (-0,4%) e Ceará (-0,1%). " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,producao-industrial-em-sao-paulo-cai-1-4-de-julho-para-agosto,70002036691







BANCOS e CARTÕES - (11/10/2017) - Bom para os bancos.

"O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta terça (10) que será encaminhado ao Senado um projeto de resolução que prevê o uso de recursos públicos para socorrer bancos em dificuldade, algo que atualmente é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/projeto-preve-que-tesouro-podera-ajudar-banco-em-dificuldade-diz-presidente-do-bc.ghtml







INDÚSTRIA - (11/10/2017) - Comunicando.

"Em setembro as vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens – caixas, acessórios e chapas – cresceram 6,21% na comparação com o mesmo mês de 2016. Na comparação com agosto deste ano, porém, caiu 6,45%, para 299,.927 mil toneladas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 10, pela Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO) e são prévios referentes ao mês, ou seja, a associação divulgará uma atualização.

No acumulado de janeiro a setembro de 2017, as vendas de papelão ondulado tiveram alta de 4,28%, para 2,605 milhões de toneladas em relação ao mesmo período do ano anterior." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/abpo-venda-de-papelao-ondulado-cresce-621-em-setembro-ante-setembro-de-2016/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/10/2017) - Continua diminuindo o setor.

"As vendas de cimento no Brasil em setembro caíram 2,4 por cento sobre o mesmo mês de 2016 e recuaram 5 por cento ante agosto, para 4,786 milhões de toneladas, informou nesta terça-feira a associação que representa os fabricantes do insumo, Snic. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1CF2N5-OBRBS







INDÚSTRIA - (11/10/2017) - Comunicando.

" O setor industrial do Estado de São Paulo gerou 2 mil vagas de emprego em setembro, variação positiva de 0,08% frente a agosto, na série sem ajuste sazonal, segundo dados da pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo divulgados nesta terça-feira pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e do Ciesp (Depecon). Esse é o primeiro setembro positivo desde 2013, quando a taxa foi de 0,03% e o saldo de profissionais contratados chegou a 1 mil." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5151996/industria-de-sp-tem-1-setembro-de-criacao-de-emprego-desde-2013







BANCOS e CARTÕES - (10/10/2017) - Comunicando.

"O número de pessoas que tiveram o nome retirado dos registros de inadimplência em setembro recuou 5,5% na comparação dessazonalizada com o levantamento de agosto, aponta o indicador de recuperação de crédito da Boa Vista SCPC. Nos 12 meses encerrados em setembro, foi verificada uma queda de 3,0% em relação ao período anterior equivalente. Já na comparação com setembro do ano passado, houve recuo de 7,7%, aponta a entidade. No acumulado de 12 meses, apenas a região Sul do País registra alta na recuperação de crédito (5,8%). No Sudeste, houve recuo de 1,8%; seguido por Centro-Oeste, com 7,7%; Nordeste, 7,8%; e Norte, com 11,0% de queda. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/recuperacao-de-credito-cai-55-em-setembro-e-3-em-12-meses-diz-boa-vista-scpc/







BANCOS e CARTÕES - (10/10/2017) - Me pegou de surpresa, eu não esperava.

"A agência de classificação de risco Moody’s alterou a perspectiva do sistema bancário brasileiro de estável para negativa e afirmou que o movimento reflete o risco de que as incertezas políticas possam causar deterioração adicional dos fundamentos financeiros dos bancos, em especial os riscos de ativos e a rentabilidade." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/economia/moodys-rebaixa-perspectiva-do-sistema-bancario-para-negativa/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/10/2017) - Comunicando.

"O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 0,27% em setembro, após avanço de 0,23% um mês antes, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice acumula alta de 2,98% no ano e de 4,25% em 12 meses." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5147854/indice-da-construcao-civil-tem-alta-de-027-em-setembro-aponta-ibge







BANCOS e CARTÕES - (09/10/2017) - Boa notícia para os bancos.

"As consultas por financiamentos para compra da casa própria vêm crescendo a reboque dos sinais de melhora da economia, mas a Caixa Econômica Federal já não é um endereço óbvio para buscar empréstimos.

Com a instituição adotando sucessivos apertos nos critérios para enquadramento e se recusando por enquanto a repassar cortes da Selic, a procura por crédito imobiliário tem se espraiado para rivais, movimento que deve ganhar força nos próximos trimestres. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN1CB2JC-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (09/10/2017) - Mais um presentão para o setor.

"O sistema bancário brasileiro - reconhecidamente saudável e forte apesar da elevada concentração de operações ou talvez por isso mesmo - ganhará do governo um presentão se o Congresso aprovar o projeto que altera as regras que devem ser aplicadas para resolver eventuais problemas nas instituições. Se algum banco ficar mal das pernas, os credores - outros bancos - participarão de discussões de propostas para socorrer o parceiro, não sofrerão o ônus da sucessão porque vão receber a "parte boa" do devedor encrencado e ainda poderão ter a ajuda do Tesouro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5149224/proer-disfarcado-sera-um-presentao-para-bancos







BANCOS e CARTÕES - (06/10/2017) - Boa notícia, mas há divergência com um indicador apresentado ontem que mostrou aumento da inadimplência e endividamento das famílias.

"A inadimplência do consumidor caiu 7,1% em setembro na comparação com agosto na série com ajuste sazonal, informou a Boa Vista SCPC nesta quinta-feira (5). Em relação a igual mês de 2016, a retração foi de 12,1%. O indicador também apresenta recuo no acumulado do ano (-2%) e em 12 meses (-2,6%)." (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,inadimplencia-do-consumidor-cai-7-1-em-setembro-ante-agosto,70002028564







BANCOS e CARTÕES - (05/10/2017) - Crescimento por consumo e famílias se endividando e ficando inadimplentes, isso não é bom.

"A parcela de famílias que se declararam endividadas subiu de 58% para 58,4% entre agosto e setembro, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em sua Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Em setembro de 2016, esta fatia era de 58,2% do total de famílias. O levantamento trouxe ainda que a proporção das famílias com dívidas ou contas em atraso também cresceu no nono mês deste ano. Na comparação mensal, passou de 24,6% para 25% das famílias, o maior patamar desde maio de 2010. Ante setembro de 2016, também houve alta de 0,4 ponto percentual. " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://g1.globo.com/economia/noticia/parcela-de-familias-endividadas-sobe-e-alcanca-584-em-setembro-aponta-cnc.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/10/2017) - Continua ruim a situação do setor pelo visto.

"Os preços de venda de imóveis residenciais caíram 0,07 por cento em setembro ante agosto, acumulando a sétima queda mensal seguida, mostrou o índice FipeZap, que considera apartamentos prontos em 20 cidades brasileiras. No acumulado de 2017, o índice acumula queda nominal de 0,56 por cento. Considerando os últimos 12 meses, o indicador registra baixa nominal de 0,26 por cento. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1C92C0-OBRBS







INDÚSTRIA - (04/10/2017) - Comunicando.

"A produção industrial caiu 0,8% em agosto na comparação com julho, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 3, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado interrompe uma sequência de quatro meses consecutivos de crescimento, quando o indicador acumulou alta de 3,3%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,producao-industrial-cai-0-8-em-agosto-e-interrompe-sequencia-de-4-meses-de-crescimento,70002025303







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/10/2017) - Boa notícia o incremento nas vendas do setor.

"As vendas do varejo de material de construção registraram alta de 7% em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado e ficaram estáveis na comparação com agosto deste ano, segundo pesquisa da Anamaco feita com 530 lojistas entre os dias 26 a 29 de setembro e agora divulgada. No acumulado do ano, há alta de 4,5% nas vendas. Já nos últimos 12 meses o crescimento foi de 1%. " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://www.istoedinheiro.com.br/anamaco-venda-de-material-de-construcao-cresce-7-em-setembro-ante-setembro16/







BANCOS e CARTÕES - (04/10/2017) - Muito boa notícia para os bancos se ela se realizar.

"Em destaque para o setor, além do ânimo do mercado, está a notícia do jornal O Globo de que o Banco Central estuda reduzir compulsório de depósitos a prazo para adequar o mercado brasileiro a padrões internacionais de economias maduras. Segundo a notícia, nada deve ser feito "na correria", muito menos, por motivos conjunturais. O jornal acrescenta, citando uma alta fonte a par dos estudos, que está sendo feita uma revisão, e que não deve haver nenhum grande anúncio. Na avaliação da fonte, níveis são altos e é natural pensar em convergência de médio e longo prazos, que será devagar e de forma bem previsível." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6989244/euforia-bolsa-siderurgicas-disparam-eletrobras-sobe-bancos-saltam-b2w-sobe







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/10/2017) - Será que teremos um incremento na oferta de imóveis?

"Caixa repassa R$ 1 bi em imóveis retomados a fundo privado. Segundo o jornal Valor Econômico, a operação deve ser concluída no máximo até o próximo mês. Ainda de acordo com a reportagem, em 2017, banco pegou de volta 39 mil imóveis, o que corresponde a R$ 6 bilhões." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
https://exame.abril.com.br/mercados/caixa-retoma-imoveis-e-tudo-para-ler-antes-de-a-bolsa-abrir/







INDÚSTRIA - (03/10/2017) - Comunicando.

"Indústria do Brasil encerra 3º tri com manutenção do ritmo de crescimento, mostra PMI. O IHS Markit informou que seu PMI para o setor repetiu em setembro a marca de 50,9 vista em agosto. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1C71K0-OBRBS







INDÚSTRIA - (02/10/2017) - Comunicando.

"As vendas de papelão ondulado subiram 0,87% entre julho e agosto, considerando-se o ajuste sazonal, e totalizaram 320,61 mil toneladas, de acordo com boletim estatístico divulgado nesta sexta-feira pela Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO). Na comparação com agosto de 2016, o crescimento das vendas foi de 8,91%. Frente a julho, sem o ajuste sazonal, houve alta de 8,08%. Diante desse desempenho, no acumulado de janeiro a agosto, as vendas de papelão ondulado exibiram alta de 4,03%, para 2,305 milhões de toneladas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5139020/venda-de-papelao-ondulado-tem-alta-de-087-em-agosto-nota-abpo







INDÚSTRIA - (29/09/2017) - Comunicando.

"Interrompendo uma sequência de quatro altas consecutivas, o Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista recuou 0,6% na passagem de julho para agosto, feito o ajuste sazonal. Na comparação com agosto de 2016, o desempenho ainda é positivo, com alta de 1,5%. No acumulado em 12 meses, houve queda, de 1,6%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5137296/atividade-industrial-paulista-recua-06-em-agosto-diz-fiesp







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/09/2017) - Comunicando.

"Os financiamentos imobiliários concedidos com recursos da caderneta de poupança atingiram R$ 4,42 bilhões em agosto, o que representa uma alta de 4,2% em relação a julho, e de 9,9% na comparação com agosto do ano passado. Os dados são da Abecip, associação que representa as instituições que atuam no setor. No acumulado do ano, porém, o crédito imobiliário ainda registra queda de 4% em relação ao período de janeiro a agosto de 2016, para R$ 29,21 bilhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5137848/credito-imobiliario-cresce-99-em-agosto-para-r-442-bi-diz-abecip







BANCOS e CARTÕES - (28/09/2017) - Juros ainda estão exorbitantemente elevados.

"A taxa de juro média cobrada pelo sistema financeiro nas suas operações de crédito registrou queda de 0,5 ponto percentual, saindo de 29% em julho para 28,5% em agosto. No oitavo mês de 2017, a queda dos juros aconteceu para jurídicas, com baixa marginal de 18,9% para 18,8%. Para as famílias, a taxa ficou em 35,6%, vindo de 36,5%.

Olhando o juro com recursos livres, a taxa para as pessoas físicas saiu de 63,8% ao ano em julho para 62,3% ao ano no mês seguinte. O custo do dinheiro para as empresas recuou de 25,3% para 24,4%. O juro total com recursos livre fechou agosto em 45,6%, vindo de 46,6% um mês antes." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5135506/juro-medio-das-operacoes-de-credito-cai-e-inadimplencia-fica-estavel







INDÚSTRIA - (28/09/2017) - Ainda com elevada ociosidade e demitindo pessoas.

"A produção industrial avançou em agosto, de acordo com a Sondagem feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice que sintetiza a evolução do setor subiu para 54,8 pontos em agosto, de 50,5 pontos em julho. Em agosto de 2016, ele foi de 50,8 pontos.Já o indicador da evolução do número de empregados na indústria foi de 49,1 pontos no último mês, ante 48,2 pontos em julho.

O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) subiu para 67% no mês passado ante resultado de 65% em julho. Em agosto do ano passado, ela era de 66%. O indicador relativo à utilização de capacidade efetiva-usual, que considera o UCI comum para o mês, fechou maio em 43,4 pontos, frente a 40,9 pontos em julho." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5135588/producao-industrial-avanca-em-agosto-segundo-sondagem-cni







BANCOS e CARTÕES - (26/09/2017) - Comunicando.

"O setor de cartões totalizou R$ 580 bilhões no primeiro semestre, montante 6,3% maior que o visto no mesmo período do ano passado, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). O número de transações, considerando tanto os plásticos de débito quanto de crédito, alcançou 6,4 bilhões, alta de 7,1%, na mesma base de comparação. Do total movimentado por cartões na primeira metade do ano, os cartões de crédito somaram R$ 354 bilhões, aumento de 5,1% ante idêntico intervalo do ano passado. Já os plásticos de débito registraram R$ 226 bilhões, aumento de 8,4%, na mesma base de comparação." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/cartoes-movimentam-r-580-bi-no-1o-semestre-alta-de-63-em-um-ano-diz-abecs/







BANCOS e CARTÕES - (25/09/2017) - Comunicando.

"O volume de cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundo no País diminuiu no oitavo mês deste ano. De acordo com a Sereasa Experian, o porcentual foi de 1,82% em agosto em relação ao mesmo mês de 2016, quando fora de 2,18%. O resultado é o menor já registrado neste ano e também o mais baixo para o mês desde 2010 (1,62%).De janeiro a agosto, a porcentagem de cheques devolvidos em relação aos documentos compensados foi de 2,06%, menor que a devolução de 2,36% apurada no mesmo período de 2016. Também neste caso, é o resultado mais baixo para o período desde 2013, quando foi de 2,05%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/serasa-inadimplencia-com-cheque-atinge-182-menor-nivel-para-agosto-em-7-anos/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/09/2017) - Tendo de pagar 50% do valor do imóvel para financiar o restante, será difícil para a maioria dos brasileiros comprarem imóveis, logo também será difícil a venda.

"A Caixa Econômica Federal voltará a reduzir o teto de financiamento de imóveis usados e suspenderá novos contratos transferidos de outros bancos, segundo um documento enviado pelo banco a agentes imobiliários e obtido pela Reuters nesta sexta-feira, 22.

Numa carta enviada a instituições parceiros na véspera, o banco estatal avisa que seu teto de financiamento para imóveis usados cairá para 50% do valor do bem. Ao mesmo tempo, a Caixa informa a suspensão de novos financiamentos com interveniente quitante, operações em que um imóvel já financiado por outro banco é vendido para um terceiro. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,caixa-reduz-teto-de-financiamento-para-imoveis-usados-para-50,70002012628







BANCOS e CARTÕES - (22/09/2017) - Comunicando.

"A Receita Federal apura se os principais bancos privados do país usam de maneira abusiva, com o objetivo de sonegar impostos, o chamado planejamento tributário. Diante disso, segundo a Folha apurou, foi montado um grupo de trabalho com 24 auditores de Brasília e São Paulo, onde há uma delegacia especializada em crimes financeiros, para monitorar essas instituições. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/09/1920706-receita-investiga-se-grandes-bancos-do-pais-estao-sonegando-tributos.shtml







BANCOS e CARTÕES - (21/09/2017) - Comunicando.

"O sistema bancário mundial está passando por transformações sustentadas pelas novas tecnologias. Os movimentos recentes mostram que a tendência mais forte é que empresas fora do setor financeiro passem a oferecer serviços e soluções bancárias. A avaliação é do especialista em inovação Guga Stocco." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5127574/empresas-disputam-servico-bancario







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/09/2017) - Positivo.

"O mercado imobiliário mostrou expansão nas vendas e nos lançamentos em julho, bem como recuo dos distratos, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A pesquisa mostra que, em julho, as vendas líquidas (já descontados os distratos) totalizaram 5.130 unidades, crescimento de 40% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os distratos foram de 2.821 unidades, retração de 35%. Os lançamentos totalizaram 6.628 unidades, um salto de 182%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,vendas-de-imoveis-sobem-40-em-julho-mostram-fipe-e-abrainc,70002006161







BANCOS e CARTÕES - (19/09/2017) - Comunicando.

"Houve queda de 2,3% no número de pessoas que honrou dívidas em atraso e saiu dos registros de inadimplência, na variação acumulada em 12 meses encerrados em agosto (setembro de 2016 a agosto de 2017) ante período equivalente do ano anterior, aponta o indicador de recuperação de crédito da Boa Vista SCPC. Já no acumulado do ano, de janeiro a agosto, houve queda de 1,9% na recuperação de crédito. Em relação ao mês anterior, julho, a Boa Vista verificou alta de 4,5% em agosto na série dessazonalizada. Já na comparação com agosto de 2016, foi apurada queda de 5,2%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://exame.abril.com.br/economia/recuperacao-de-credito-cai-23-em-agosto-em-12-meses/







BANCOS e CARTÕES - (19/09/2017) - Comunicando.

"O indicador de recuperação de crédito medido pela Boa Vista SCPC, aponta alta de 4,5% na comparação de agosto contra julho. Já no acumulado em 12 meses encerrados em agosto há uma queda de 2,3%. No acumulado de janeiro a agosto, a queda é de 1,9%. Em agosto de 2017 sobre agosto do ano passado, a recuperação de crédito no país tem baixa de 5,2%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5124084/curta







BANCOS e CARTÕES - (18/09/2017) - Comunicando.

"Os bancos começam a devolver ao INSS valores que haviam sido pagos após a morte de beneficiários. Mais de R$ 1 bilhão estão pendentes, conforme a análise de 73.556 processos feita em 2016 pelo Ministério da Transparência e a CGU (Controladoria-Geral da União). Cerca de 12% (R$ 119 milhões) foram devolvidos. As instituições financeiras atendem à determinação da Medida Provisória nº 788, de 24 de julho deste ano, de que os bancos devem bloquear de imediato os valores creditados em favor de falecidos. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2017/09/1919082-cgu-quer-que-banco-devolva-ao-inss-beneficio-a-falecido.shtml







BANCOS e CARTÕES - (13/09/2017) - Começa a ficar PREOCUPANTE novamente o crescimento do endividamento e da inadimplência das famílias. Acho que este alento para o setor de consumo pode acabar se continuar assim.

"A proporção de famílias endividadas na cidade de São Paulo cresceu 2,8 pontos percentuais em agosto e chegou a 53,4%, de acordo com pesquisa da Federação do Comércio de Bens e Serviços do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Em relação a agosto do ano passado, quando a taxa era de 51,5%, a alta foi de 1,9 ponto Houve crescimento também na parcela de famílias com dívidas em atraso." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5117006/cresce-total-de-familias-endividadas-em-sp







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/09/2017) - Pelo que eu entendi em uma observação superficial, as empresas somente poderão lançar na DRE a receita proveniente dos pagamentos das mensalidades e entrada, quando efetivamente entregar o imóvel, antes os pagamentos serão considerados dívidas. PÉSSIMO para os sócios minoritários que verão as dívidas da empresa subirem e a receita/lucro cair no curto prazo, mas no longo prazo, será MUITO MAIS realista e fácil de interpretar, os resultados divulgados.

"Incorporadora só deve registrar receita 'nas chaves', confirma órgão. Está praticamente certo que as incorporadoras imobiliárias brasileiras passarão a ter registrar a receita da venda de imóveis na planta para clientes de classe média e classe média alta apenas na entrega das chaves, e não mais ao longo da obra, em um método conhecido como POC (do inglês "percentagem of completion"), como é a prática história adotada no país." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5116848/incorporadora-so-deve-registrar-receita-nas-chaves-confirma-orgao







INDÚSTRIA - (12/09/2017) - Indústria nacional está perdendo competitividade devido a valorização artificial do real.

"A valorização do real em relação ao dólar, que eleva o preço do calçado brasileiro no exterior, tem prejudicado os embarques do setor, na avaliação da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Em agosto, as vendas externas do setor registraram queda de 4,4% em comparação ao mesmo mês do ano passado, chegando a 9,5 milhões de pares. Em valor, as exportações brasileiras de calçados somaram US$ 91,3 milhões no mês de agosto, com alta de 4,2% na mesma base de comparação. No acumulado de janeiro a agosto, as vendas externas de calçados cresceram 0,5% em volume, totalizando 77 milhões de pares. Em valor, houve aumento de 13,2%, para US$ 699,5 milhões. De acordo com a Abicalçados, o preço médio do calçado exportado aumentou em torno de 10% nos últimos 12 meses. Esse aumento, segundo a entidade, tem inibido as vendas externas do produto." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5114844/abicalcados-valorizacao-do-real-afetou-exportacoes-de-calcados







INDÚSTRIA - (08/09/2017) - Comunicando.

"O Estado de São Paulo, maior parque industrial do Brasil, registrou expansão de 1,7% na indústria local na passagem de junho para julho, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados nesta quarta-feira, 6, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-em-sp-sobe-17-em-julho-ante-junho-aponta-ibge/







INDÚSTRIA - (06/09/2017) - Comunicando.

"A produção industrial subiu 0,8% em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a julho de 2016, a produção subiu 2,5%. Nessa comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de um aumento de 0,7% a 2,83%, com mediana positiva de 1,80%. No ano, a indústria teve alta de 0,8%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 1,1%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,producao-industrial-sobe-0-8-em-julho-ante-junho,70001969093







BANCOS e CARTÕES - (06/09/2017) - Dívida das famílias segue alta.

"As famílias com dívidas ou contas em atraso registraram em agosto o maior porcentual do ano na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), atingindo 24,6% dos 18 mil consumidores pesquisados. Divulgada nesta terça-feira, 5, a pesquisa mostrou que o porcentual de famílias que permaneceram inadimplentes (10,1%) também foi o maior do ano, e que o número total de endividados cresceu para 58%, contra 57,1% em julho. Se comparado ao mesmo período do ano passado, no entanto, o índice permanece estável." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/dividas-em-atraso-das-familias-batem-recorde-do-ano-em-agosto-diz-cnc/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/09/2017) - Comunicando.

"As vendas do varejo de materiais de construção cresceram 4% em agosto na comparação com o mesmo período de 2016. Na comparação com julho de 2017, o índice se manteve estável no mês, de acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 4, pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). Com esse resultado, o volume de vendas no acumulado do ano apresenta alta de 3% se comparado ao mesmo período do ano passado, indicando uma inflexão. Nos últimos 12 meses até agosto, o setor teve retração de 2%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/vendas-de-materiais-de-construcao-no-varejo-crescem-4-em-agosto-diz-anamaco/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/09/2017) - Comunicando.

"O preço dos imóveis no país caiu 0,5% de janeiro a agosto deste ano, segundo o Índice FipeZap. Os preços registram queda nominal pelo sexto mês consecutivo. Em agosto, o valor dos imóveis registrou queda de 0,12%, variação ligeiramente menor do que a verificada no mês anterior." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/precos-de-imoveis-caem-pelo-sexto-mes-consecutivo-aponta-fipezap/







INDÚSTRIA - (04/09/2017) - Parando de piorar.

"Segundo a CNI, as horas trabalhadas na produção aumentaram 0,7% em julho, considerando a série livre de efeitos sazonais. "O aumento de julho, insuficiente para reverter a queda do mês anterior, mantém o índice em patamar baixo", avaliou. Na parcial do ano, o indicador recuou 3,3%.

Já o faturamento industrial teve alta de 1,7% em julho deste ano, contra junho.

O emprego industrial, por sua vez, registrou um aumento de 0,1% em julho. Esse foi o terceiro mês sem queda, algo que não acontecia desde o início de 2015. Na comparação do acumulado no ano até julho, entretanto, foi registrado um tombo de 3,7%.

Ao mesmo tempo, a chamada "Utilização da Capacidade Instalada", ou seja, o nível de uso do parque fabril, somou 77,4% em julho, com aumento de 0,3 ponto percentual na comparação com junho.

Por outro lado, a Confederação Nacional da Indústria informou que a massa salarial dos trabalhadores do setor recuou 1,2% de junho para julho, enquanto que o rendimento real recuou 1,4% em julho (série dessazonalizada), após aumento idêntico no mês anterior." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://g1.globo.com/economia/noticia/producao-faturamento-e-emprego-industrial-avancam-em-julho-diz-cni.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/09/2017) - O pior setor foi o de construção com recuo de 7%.

"Ainda assim o PIB da indústria encolheu 2,1% no período. Houve pressão negativa de um recuo de 7,0% registrado pela construção, além de redução de 1,0% na indústria de transformação." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://exame.abril.com.br/economia/construcao-interferiu-no-mau-desempenho-do-pib-industrial/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/09/2017) - Comunicando.

"O volume de crédito imobiliário com recursos da caderneta de poupança cresceu 10,9% em julho, na comparação com o mesmo mês do ano passado, totalizando R$ 4,24 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). No acumulado no ano, entretanto, o montante de R$ 24,79 bilhões em financiamentos imobiliários é 6,2% inferior ao registrado nos 7 primeiros meses de 2016.

No acumulado em 7 meses, foram financiadas aquisições e construções de 99,02 mil imóveis, queda de 16% em relação ao mesmo período de 2016 (117,84 mil unidades)." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://g1.globo.com/economia/noticia/credito-imobiliario-cresce-109-em-julho-aponta-abecip.ghtml







INDÚSTRIA - (01/09/2017) - Comunicando.

"O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista, calculado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), subiu 1% em julho, no comparativo com junho da série com ajuste sazonal. Sem ajuste sazonal, o indicador mostrou crescimento de 3,2% na comparação mensal e de 0,4% em relação a julho do ano passado. No acumulado em 12 meses, o INA ainda mostra queda, de 3,1%, mas o indicador vem crescendo numa média de 1% desde abril, o que levou a Fiesp a subir sua projeção sobre o avanço da atividade industrial paulista no fechamento do ano de 1,7% para a faixa de 2,5% a 3%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/atividade-da-industria-paulista-cresce-1-em-julho-diz-fiesp/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/09/2017) - Comunicando.

"O preço médio do metro quadrado para venda de um apartamento padrão em São Paulo, de 65m², dois dormitórios e uma vaga de garagem, se manteve estável no último mês: média de R$ 6 mil, segundo estudo realizado em julho pelo Imovelweb. Em termos reais, a queda é de 2,5% nos últimos 12 meses.

Atualmente, o aluguel de um apartamento padrão, com 65m², dois dormitórios e uma vaga de garagem, sai em média por R$ 1.700 por mês, enquanto os imóveis de três dormitórios, com 90 m² e uma vaga de garagem, custam R$ 2.170 por mês. O relatório também identificou que os preços registraram, em termos reais (incluindo a inflação), um aumento de 2,8% em 2017. Em termos nominais aumentou 1,6%." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/6917747/preco-metro-quadrado-fica-estavel-aluguel-aumenta-julho







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/09/2017) - Boa notícia para o setor que mostra melhora.

"O financiamento imobiliário com recursos da caderneta de poupança totalizou R$ 4,24 bilhões, alta de 11,7% em relação a junho e de 10,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), este é o maior volume mensal deste ano.

No acumulado do ano, foram financiados R$ 24,79 bilhões, segundo a Abecip, montante 6,2% menor que o apurado em igual período de 2016. Nos 12 meses compreendidos entre agosto de 2016 e julho de 2017, foram aplicados R$ 44,98 bilhões na aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas de poupança, retração de 12,2% em relação ao apurado nos 12 meses precedentes. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,financiamento-imobiliario-em-julho-atinge-maior-volume-mensal-do-ano,70001959726







INDÚSTRIA - (31/08/2017) - Alguns setores serão fortemente afetados pela resolução da OMC, como os setores de autopeças, informática e exportadores.

"A Organização Mundial do Comércio deu um prazo de 90 dias para o Brasil suspender sete programas de apoio à indústria questionados pelo Japão e pela União Europeia e considerados como subsídios ilegais na decisão do Painel que analisou os casos, de acordo com o relatório final obtido pela agência Reuters.

... áreas de telecomunicações, automóveis, informática, além de ajuda a exportadores em geral. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/08/1914265-omc-da-90-dias-para-brasil-suspender-7-programas-de-incentivo-a-industria.shtml







INDÚSTRIA - (31/08/2017) - Qual efeito teremos com a condenação da OMC?

"O faturamento do setor de máquinas e equipamentos do Brasil avançou 1,7 por cento em julho ante mesmo mês no ano anterior, para 5,86 bilhões de reais, informou nesta quarta-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). De acordo com a entidade, o índice de ocupação da capacidade instalada do setor atingiu 73,2 por cento no período ante 67,1 por cento em julho de 2016. Já a carteira de pedidos não acompanhou a tendência e apresentou queda de 8 por cento em julho sobre um ano antes, para o equivalente a 2,5 meses de atividade." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1BA2BO-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (31/08/2017) - A crise parece não ter fim.

"O número de empresas negativadas em julho cresceu 3,31% quando comparado ao mesmo período de 2016. Em relação a junho, a alta foi de 0,08%. As informações foram divulgadas hoje pela SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (SPC/CNDL). Isso porque em julho de 2016, quando comparado ao mesmo período do ano anterior, o número de pessoas jurídicas inadimplentes havia subido 8,65%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5101202/inadimplencia-das-empresas-cresce-em-julho







INDÚSTRIA - (31/08/2017) - Comunicando.

"As vendas de máquinas e implementos agrícolas do Brasil devem crescer entre 10 a 15 por cento este ano, um desempenho menor que o ano passado, mas ainda expressivo em comparação aos demais setores da indústria de máquinas, estimou nesta quarta-feira a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq)." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1BA2QS-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (31/08/2017) - Comunicando.

"Todos os poupadores devem ser ressarcidos por perdas nos planos econômicos. Do lado dos poupadores, o valor total a ser pago é estimado entre R$ 18 bilhões e R$ 26 bilhões. O montante final dependerá de eventuais descontos a serem concedidos. O valor da Febraban pode estar mais próximo de R$ 50 bilhões, mas o número definitivo ainda está sendo trabalhado. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,poupadores-devem-ser-ressarcidos-por-perdas-nos-planos-economicos,70001957503







INDÚSTRIA - (31/08/2017) - Comunicando.

"Entre os programas de incentivo à indústria brasileira condenados pela Organização Mundial de Comércio (OMC) está um que vigora desde 1991: a Lei de Informática. O programa reduz impostos para empresas que desenvolvam ou produzam bens e serviços de informática e automação, e é o programa mais custoso para os cofres públicos, com renúncias de R$ 5,975 bilhões neste ano." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/programas-que-ja-acabaram-tambem-sao-condenados/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/08/2017) - Continua delicada a situação do setor.

"O setor imobiliário continua a apostar em campanhas de descontos de preços, facilidades de pagamento e oferta de benefícios aos clientes para acelerar a venda, principalmente, de unidades prontas. As iniciativas incluem, até mesmo, a comercialização de imóveis pela televisão - campanha da Brasil Brokers, segunda maior rede de imobiliária do país. Mesmo em queda, o volume de estoques prontos do setor segue elevado." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5100148/estoque-alto-exige-mais-publicidade







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/08/2017) - Comunicando.

"O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado (INCC-M) acelerou entre julho e agosto, saindo de alta de 0,22% para elevação de 0,40%, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, 28. O indicador que mede a variação em Materiais, Equipamentos e Serviços também subiu para 0,20%, de 0,03% no mês anterior, assim como índice relativo à Mão de Obra, que passou de 0,37% para 0,56% neste mês." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/incc-m-fica-em-040-em-agosto-ante-022-em-julho-diz-fgv/







BANCOS e CARTÕES - (25/08/2017) - Comunicando.

"A bandeira de cartões Elo, do Bradesco e do Banco do Brasil, atingiu uma participação de mercado de 12 por cento desde sua implementação, acumulando 118 milhões de cartões emitidos, afirmou nesta quinta-feira o director vice-presidente do Bradesco, Marcelo Noronha. " (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1B42GZ-OBRBS







BANCOS e CARTÕES - (25/08/2017) - Comunicando.

"O endividamento das famílias brasileiras com o sistema financeiro passou de 41,5% em maio para 41,6% em junho, conforme dados divulgados nesta quinta-feira, 24, pelo Banco Central, por meio da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito de julho. Se forem descontadas as dívidas imobiliárias, o endividamento foi de 23,1% para 23,2% no mesmo período." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/endividamento-das-familias-sobe-a-416-em-junho-revela-bc/







INDÚSTRIA - (25/08/2017) - A indústria está morrendo no Brasil porque a opção do Lula (PT) e do FHC (PSDB) foi de VALORIZAR artificialmente o REAL mantendo juros ASTRONOMICAMENTE elevados com intuito puramente políticos eleitoreiros e possivelmente as decisões podem ter sido corruptas também...

A pergunta é: Será que o Brasil assim que sair da crise vai continuar subindo juros para beneficiar bancos e especuladores? Será que os brasileiros vão SEMPRE ser o país do futuro?

"Há previsões no Ipea de que até 2020 a indústria participará só com 8,5% do PIB. O setor despencou 10 pontos percentuais em 30 anos. Já está no mesmo patamar de 1947 e vai ficar abaixo de tudo que já se viu na série histórica. E ainda querem dinamitar o BNDES." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://relatorioreservado.com.br/economia-retro/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/08/2017) - Ruim para as construtoras.

"O comprador de imóveis na planta terá direito a desistência com devolução de 100% do valor no prazo de sete dias, informou ao Broadcast o Ministério da Justiça. Essa é uma das regras contidas na chamada MP dos distratos que chegou à Casa Civil após passar pelos ministérios do Planejamento, Fazenda e Justiça.

Outra regra proposta é a da possibilidade de rescisão por parte da própria construtora em caso de atraso no pagamento de 3 ou mais prestações. O limite de retenção nesses casos é de até 30% do valor já pago, desde que isso não ultrapasse 10% do valor do imóvel. A taxa de corretagem também pode ser descontada." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/6906175/consumidor-tera-direito-100-valor-desistencia-imovel-planta-diz-jornal







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/08/2017) - Comunicando.

"Pelo estudo, o índice de nível de atividade da construção aumentou para 44,3 pontos em julho, 1,5 ponto superior ao de junho, e o índice de número de empregados subiu de 41,8 pontos em junho para 42,6 pontos em julho. Os indicadores variam de zero a cem pontos e, quando estão abaixo dos 50 pontos, revelam retração. O nível de utilização da capacidade de operação ficou em 56% em julho, oito pontos porcentuais abaixo da média histórica para o mês, segundo a CNI. O indicador de nível de atividade efetivo em relação ao usual teve uma leve alta, de 29,6 pontos em junho para 30,4 em julho. Na prática, no mês passado, 44% das máquinas, dos equipamentos e do pessoal do setor ficaram parados. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,industria-da-construcao-mantem-desempenho-fraco-em-julho-diz-cni,70001947261







BANCOS e CARTÕES - (24/08/2017) - Mais concorrência, menor lucratividade.

"O Banco Central (BC) fixou, nesta quarta-feira (23), o prazo final em 30 de outubro para a conclusão da primeira fase da liquidação centralizada dos arranjos de pagamentos, como cartões de crédito e débito. A data inicialmente prevista era 4 de setembro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5092316/bc-da-mais-prazo-para-cartoes-terem-liquidacao-centralizada







BANCOS e CARTÕES - (24/08/2017) - Cuidado.

"Historicamente com risco muito baixo, o crédito às grandes empresas virou uma dor de cabeça para os bancos desde o agravamento da crise. O índice de inadimplência no segmento, que era de apenas 0,38% no fim de 2014, quase triplicou e encerrou o ano passado em 1,09%, de acordo com dados do Banco Central. Incluindo as dívidas que tiveram de passar por algum tipo de reestruturação, o índice sobe para 1,53%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5092440/inadimplencia-em-alta-no-segmento-virou-preocupacao







INDÚSTRIA - (23/08/2017) - Não tem nada para comemorar realmente. Demissões continuam, capacidade ainda sub utilizada.

"A Sondagem Industrial, divulgada nesta terça-feira (22) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) sinalizou que o setor voltou a apresentar expansão em julho. O índice de evolução da produção avançou de 47,7 pontos para 50,5 pontos no período. Ficou, desta forma, acima da linha divisória dos 50 pontos que indica aumento na produção quando comparada com o mês anterior. Em junho de 2016, a produção registrou 46,6 pontos. Já o indicador da evolução do número de empregados na indústria ficou em 48,2 pontos em julho, ante 47,6 pontos em junho. O percentual médio de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) permaneceu em 65% no mês passado. Em julho do ano passado, ela também era de 65%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5089904/sondagem-da-industria-indica-expansao-da-producao-em-julho-aponta-cni







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/08/2017) - Mercado prossegue ruim.

"O levantamento engloba escritórios de até 200 metros quadrados (m2) em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

O preço médio anunciado de venda dos imóveis comerciais nessas cidades recuou 0,11% em julho na comparação com junho. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, a retração já atingiu 2,28%, enquanto nos últimos 12 meses houve baixa de 4,08%.

Em julho, a queda nos preços de venda foi puxada pelo resultado negativo do Rio de Janeiro, onde houve retração de 1,01%, e em Porto Alegre, que teve baixa de 0,11%. Já nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte, houve alta de 0,15% e 0,54%, respectivamente." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/mercado-de-salas-e-conjuntos-comerciais-continua-em-baixa-em-julho-diz-fipezap/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/08/2017) - Só agora que eles virão que a situação ainda está piorando?

"O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) revisou a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) do setor de crescimento de 0,5% para queda de 3,5% neste ano. Se a estimativa for confirmada, a redução acumulada, desde 2014, vai superar 16%, segundo a entidade. Será o quarto ano consecutivo de retração do PIB da construção." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5090834/pib-setorial-tera-queda-de-35-diz-sinduscon-sp







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/08/2017) - Boa notícia para o setor, mas o que acontecerá com as novas e regras de financiamento da Caixa?

"O mercado imobiliário vem mostrando recuo dos distratos e crescimento nas vendas líquidas ao longo do ano, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em parceria com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

A pesquisa mostra que, em junho, as vendas líquidas (já descontados os distratos) totalizaram 7.458 unidades, crescimento de 14,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os distratos foram de 2.822 unidades, retração de 26,3%. Os lançamentos totalizaram 9.214 unidades em junho, queda de 9,9%.

Com isso, o mercado completou o primeiro semestre com vendas líquidas de 32.465 unidades, aumento de 17,8% frente o mesmo semestre do ano passado. Nesse período, os distratos atingiram 17.785 unidades, queda de 20%, e os lançamentos alcançaram 30.530 unidades, recuo de 3,5%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,mercado-imobiliario-registra-alta-nas-vendas-do-1-semestre,70001944562







BANCOS e CARTÕES - (22/08/2017) - Demanda por crédito empresarial subindo aos poucos e isso é bom.

"A demanda por crédito empresarial no Brasil subiu 1,2 por cento em julho ante mesmo mês do ano passado, revertendo a tendência de queda registrada no primeiro semestre, informou o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1B127I-OBRBS







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/08/2017) - Preço caindo, mercado ainda fraco.

"O preço médio dos imóveis residenciais no País recuou 0,19% em julho na comparação com junho. A queda foi mais forte do que em junho, quando a retração atingiu 0,09% na comparação com maio. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, os preços mostraram queda de 0,76%. Já nos últimos 12 meses encerrados em julho, houve retração de 1,48%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/queda-no-preco-dos-imoveis-residenciais-no-pais-acelera-para-019-em-julho/







BANCOS e CARTÕES - (21/08/2017) - Não para de ter anúncios de empresas pedindo recuperação judicial com dívidas bilionárias.

"A Justiça aceitou na quinta-feira (17) o pedido de recuperação judicial da UTC, uma das acionistas do aeroporto de Viracopos (SP). Ao recorrer à Justiça em meados de julho, a UTC Participações listou 14 empresas, incluindo a holding e suas subsidiárias, no pedido de recuperação judicial para reestruturar R$ 3,4 bilhões em dívidas." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/justica-aceita-pedido-de-recuperacao-de-11-empresas-do-grupo-utc.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (21/08/2017) - É por isso que a inadimplência dos bancos crescem pouco, a pergunta é, como eles se livram desse crédito sem perdas na lucratividade de seus negócios? Quem está comprando esse crédito podre praticamente pelo preço que valeria se fosse crédito bom? Não vejo o lucro dos bancos cair...

"A piora da inadimplência por causa da recessão gerou um volume bilionário de créditos em atraso no País. O movimento obrigou os bancos a intensificar a venda dessas operações para empresas especializadas em cobrança, em um mercado conhecido como o de “créditos podres” – dívidas que já estão há bastante tempo vencidas e, portanto, de difícil recuperação. A estimativa é que as instituições financeiras movimentem entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões em créditos podres este ano, ante uma média de R$ 20 bilhões a R$ 25 bilhões negociada nos últimos anos, segundo fontes ouvidas pelo ‘Estadão/Broadcast’." (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,nos-ultimos-3-anos-bancos-negociaram-quase-r-200-bi-em-creditos-podres,70001943941







INDÚSTRIA - (18/08/2017) - Comunicando.

"A Câmara de Comércio Exterior (Camex) zerou a alíquota do imposto de importação de uma série de bens de capital e de informática e telecomunicações, segundo decisão publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União. A medida altera as alíquotas vigentes em 30 resoluções da Camex publicadas entre janeiro do ano passado e 5 de julho deste ano e vale para produtos sem similares nacionais (ex-tarifários). " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://exame.abril.com.br/economia/camex-zera-imposto-de-importacao-de-bens-de-capital-e-informatica/







BANCOS e CARTÕES - (18/08/2017) - O pior é que deve continuar esses contínuos pedidos de recuperação judicial.

"A Justiça do Rio informou ter recebido pedido de recuperação judicial das empresas que formam o grupo responsável pela publicação do jornal esportivo carioca 'Lance!'." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5084012/jornal-esportivo-lance-entra-com-pedido-de-recuperacao-judicial







INDÚSTRIA - (17/08/2017) - Voltando a demitir.

"A indústria paulista fechou 2 mil postos de trabalho no mês passado, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira, 16, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Em relação a junho, o desempenho significou uma queda de 0,1% no nível de emprego da indústria de transformação do Estado na série com ajuste sazonal." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/industria-de-sao-paulo-fecha-2-mil-vagas-de-trabalho-em-julho-revela-fiesp/







BANCOS e CARTÕES - (17/08/2017) - Acho difícil a inadimplência estar realmente caindo. Ainda tem muita empresa com problemas e que deve entrar com pedido de recuperação judicial.

"O grupo Bertin entrou na madrugada desta quarta-feira na Justiça com pedido de recuperação judicial para reestruturar dívidas de R$ 7,86 bilhões de dez de suas empresas, principalmente de concessionárias. Com origem no setor frigorífico, o grupo expandiu a atuação para outras áreas, como concessões de infraestrutura." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5082198/dez-empresas-do-grupo-bertin-pedem-recuperacao-judicial







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/08/2017) - Setor ainda bem ruim.

"As vendas da indústria de materiais de construção no País em julho caíram 2,7% em relação ao mesmo mês do ano passado, mas subiram 3,7% ante junho deste ano. No acumulado dos primeiros sete meses deste ano, o setor registrou queda de 6,2% nas vendas ante os mesmos meses do ano anterior. Já no acumulado dos últimos 12 meses encerrados em julho de 2017, o recuo atingiu 8,0% ante os mesmos meses encerrados em julho de 2016." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/abramat-vendas-da-industria-de-materiais-de-construcao-recuam-27-em-julho/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/08/2017) - O que já era ruim ficou ainda pior. Acho que a situação do setor tenderá a piorar e a redução dos juros não compensará essa exigência maior de entrada.

"A Caixa vai reduzir o percentual que poderá ser financiado na compra de um imóvel novo de 90% para 80% do valor da propriedade. As regras vão valer para quem optar pelo financiamento pela tabela SAC (que amortiza a dívida e reduz o valor das prestações ao longo dos anos), a mais utilizada pelo banco público. A partir de agora, quem quiser comprar um imóvel precisará ter 20% do valor imóvel para dar de entrada. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/08/1910369-caixa-reduz-teto-do-financiamento-da-casa-propria-para-80-do-valor-do-imovel.shtml







BANCOS e CARTÕES - (16/08/2017) - Boa notícia.

"O número de consumidores inadimplentes no país chegou a 60,6 milhões em junho, queda de 0,7% em relação a maio, quando eram 61 milhões, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor. Foi o primeiro registro de queda em sete meses. Ainda sim, ao se verificar os números no ano de 2017, a quantidade de inadimplentes em junho é maior que todos os meses do ano, com exceção de maio." (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/numero-de-inadimplentes-tem-primeira-queda-em-7-meses-diz-serasa.ghtml







BANCOS e CARTÕES - (16/08/2017) - Pelo que eu estou entendendo do texto, os bancos vão poder adiar ainda mais o reconhecimento nos resultados, do prejuízo no empréstimo imobiliário, é isso? Se for isso, como vamos saber o REAL resultado de um banco? Ativos que podem não valer nada estarão nas mãos dos bancos reconhecidos em seus balanços a preços elevados.

"Os bancos tinham até um ano para se desfazer desses bens após a retomada, com a possibilidade de prorrogação por mais dois (somam 3 anos), desde que com autorização do Banco Central. A medida Provisória (MP) nº 784, que trata dos acordos de leniência entre instituições financeiras e o Banco Central (BC), pode alongar esse prazo (prazo indefinido), que passará a ser determinado por uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN). Passado o prazo para a venda dos imóveis em balanço, os bancos são obrigados a fazer uma nova avaliação dos bens e fazer a provisão para perda de imóveis não vendidos no leilão, pela diferença do valor da avaliação do bem no momento da execução da dívida e o valor de mercado. Com a crise econômica, houve uma desvalorização no preço dos imóveis, o que teve como reflexo um aumento da provisão para perdas com esses ativos nos balanços dos bancos, além de tornar mais demorada a venda." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5081430/contexto







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/08/2017) - Comunicando.

"O preço médio de locação dos imóveis residenciais no País teve queda nominal de 0,21% em julho na comparação com junho. Já no acumulado dos primeiros sete meses do ano, os aluguéis tiveram alta de 0,26%, enquanto nos últimos 12 meses, houve uma retração de 0,55%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/aluguel-de-imoveis-residenciais-cai-021-em-julho-revela-fipezap/







ITAÚSA - (14/08/2017) -

A ação vale a pena acompanhar para compras em momentos de correção técnica. O P/L está em 8,9 (Fonte: Guiainvest), com lucros relativamente estáveis desde o fim de 2014, mostrando que a ação está barata em relação ao retorno que ela apresenta. O P/VPA em 1,4 indica uma ação no preço.

"A holding Itaúsa, detentora de participações no Itaú Unibanco, na Elekeiroz e na Duratex, informou lucro atribuído aos controladores de R$ 2,19 bilhões no segundo trimestre, queda de 1,8% na comparação anual. A receita da companhia recuou 5,2% de abril a junho, para R$ 1,14 bilhão, ante mesmo período do ano anterior. O resultado de equivalência patrimonial encerrou o período também em queda, de 4,4%, para R$ 2,13 bilhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5071728/lucro-da-itausa-cai-2-no-2-trimestre-para-r-22-bilhoes







BANCOS e CARTÕES - (11/08/2017) - Comunicando.

"Menos brasileiros endividados estão conseguindo "limpar o nome", aponta a Boa Vista SPC. De acordo com o órgão, o indicador de recuperação de crédito apresentou queda de 1,7% nos últimos 12 meses encerrados em julho e de 1,8% no acumulado deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Já na variação mensal, o índice recuou 6,4% ante junho, segundo dados dessazonalizados." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/cai-o-numero-de-brasileiros-endividados-que-conseguem-limpar-o-nome-diz-spc.ghtml







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/08/2017) - Comunicando.

"As vendas internas de cimento totalizaram 4,7 milhões de toneladas, queda de 10,5% na comparação anual, de acordo com dados preliminares do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic). Por dia útil, o recuo, na mesma base, também foi de 10,5%, mas houve alta de 3,3% frente a junho deste ano." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/empresas/5075546/vendas-internas-de-cimento-caem-105-em-julho-aponta-industria







BANCOS e CARTÕES - (11/08/2017) - Acho que o BNDES vai retirar mais rentabilidade dos bancos invadindo um novo espaço.

"O novo diretor financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Thadeu de Freitas, considera acertada a decisão do Banco Central de convidar a instituição de fomento para atuar como "dealer" do BC intermediando transações com títulos públicos em operações compromissadas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5075948/diretor-defende-papel-do-bndes-como-dealer-do-bc







BANCOS e CARTÕES - (11/08/2017) - Comunicando.

"m dos principais esqueletos deixados pelas décadas de 1980 e 1990, a disputa bilionária entre poupadores e bancos sobre as perdas das cadernetas de poupança nos planos econômicos – Cruzado, Bresser, Verão, Collor I e Collor II – caminha para uma solução. A expectativa é de que, nas próximas semanas, seja marcada uma reunião entre as partes envolvidas para sacramentar um acordo, com aval do Supremo Tribunal Federal (STF). O valor total do acordo, no entanto, ainda está em aberto.

Há alguns anos, consultoria contratada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) chegou a citar R$ 341 bilhões como o passivo das instituições financeiras, caso elas perdessem o julgamento no STF. Autoridades da área econômica já falaram em R$ 150 bilhões.

As associações de poupadores calculam valores bem menores. Tanto o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) quanto a Frente Brasileira pelos Poupadores (Febrapo) falam em montantes próximos de R$ 10 bilhões ou R$ 11 bilhões." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/acordo-no-stf-pode-por-fim-a-disputa-entre-poupadores-e-bancos/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/08/2017) - Comunicando.

"O Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), divulgado na manhã desta quarta-feira, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), variou 0,58% em julho, após uma elevação de 0,38% em junho. O índice acumulado no ano foi de 2,46%. Em 12 meses, a taxa ficou em 4,25%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/inccsinapi-sobe-058-em-julho-ante-alta-de-038-em-junho-revela-ibge/







INDÚSTRIA - (10/08/2017) - Como referência de crescimento da indústria, é uma boa notícia.

"Em julho de 2017, as vendas de papelão ondulado utilizados em embalagens – caixas, acessórios e chapas – cresceram 2,60% na comparação com julho de 2016 e 2,23% ante junho de 2017, para 288,258 mil toneladas. No acumulado de janeiro a julho de 2017, as vendas de papelão ondulado sobem 3,07%, para 1,932 milhão de toneladas." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/vendas-de-papelao-ondulado-crescem-260-em-julho-ante-julho-de-2016-diz-abpo/







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/08/2017) - Bom indicador de que o pior pode ter passado para o setor.

"O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, comemorou a criação de 724 empregos no setor da construção civil no mês passado. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostrou o primeiro resultado positivo após 33 meses consecutivos de fechamento do número de vagas no setor." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/construcao-civil-teve-criacao-de-empregos-pela-1a-vez-em-33-meses-mostra-caged/







BANCOS e CARTÕES - (10/08/2017) - Mais concorrência, menor lucratividade normalmente.

"O avanço das 'maquininhas' . Novas concorrentes no mercado de credenciamento de cartões vêm ganhando espaço. Na Bin, o número de maquininhas dobrou no ano passado, diz Henrique Capdeville, principal executivo da FirstData no Brasil" (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5074654/o-avanco-das-maquininhas







INDÚSTRIA - (09/08/2017) - Comunicando.

"O Estado de São Paulo, maior parque industrial do País, registrou expansão de 0,8% na indústria local na passagem de maio para junho, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados nesta terça-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/producao-industrial-em-sp-sobe-08-em-junho-ante-maio-revela-ibge/







INDÚSTRIA - (09/08/2017) - Para aumentar a utilização da capacidade da indústria, o Brasil tem de exportar, o que só ocorrerá se o BACEN permitir que o dólar suba e/ou o consumo interno subir, o que é bastante difícil com o governo reduzindo gastos e investimentos, por não ter recursos e nem crédito, e aumentando impostos.

A melhor e mais fácil solução para a indústria brasileira e para o povo brasileiro, é o BACEN reduzir os juros e liberar o dólar para que ele suba e equilibre livremente a conta corrente externa brasileira.

"O nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) calculado pela Fundação Getulio Vargas, chegou a 74,7% em julho, abaixo da média histórica, iniciada em 2005, de 80,7%. A indústria está mais ociosa que no período mais agudo da crise financeira internacional, pós-quebra do banco Lehman Brothers, quando o uso da capacidade caiu a 77,3%, em março de 2009. Mas está um pouco acima do pior momento, dezembro de 2016, de 72,9%. No auge, em março de 2008, o setor chegou a ocupar 85,4% de sua capacidade." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5073152/uso-da-capacidade-ainda-esta-longe-da-media-historica







BANCOS e CARTÕES - (09/08/2017) - Inadimplência segue elevada.

"O volume de consumidores negativados no País fechou o mês de julho na casa dos 59,4 milhões de pessoas, aponta estimativa elaborada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), com base em dados de todos os participantes do setor de proteção ao crédito. Na comparação com o período equivalente de 2016, quando o número atingiu 58,9 milhões, houve crescimento de 0,84%.

Já os dados isolados da SPC Brasil e da CNDL indicam queda de 1,17% na quantidade de pessoas físicas inadimplentes em julho ante igual mês do ano passado. Na avaliação ante junho, houve queda de 0,66%, mostram os dados da SPC Brasil." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.istoedinheiro.com.br/em-julho-594-milhoes-de-brasileiros-estavam-inadimplentes-afirma-spc-brasil/







INDÚSTRIA - (08/08/2017) - Nada conclusivo os números ainda, mas pelo visto parou de piorar.

"O consumo de bens industriais avançou no País em junho, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de Consumo Aparente (CA) da Indústria – calculado pela produção industrial doméstica mais as importações, excluídas as exportações – cresceu 1,1% em relação a maio.

Entre as grandes categorias econômicas, o setor bens de capital registrou aumento de 4,1%, enquanto a categoria de bens intermediários aumentou em 0,7%. Já os bens de consumo duráveis tiveram recuo de 7,8% em junho ante maio, devolvendo parte do forte crescimento de 10,2% registrado no mês anterior.

O indicador encolheu 3,5% em relação a junho de 2016. As perdas foram generalizadas, com exceção do setor de bens de consumo duráveis, que tiveram alta de 0,8% ante junho do ano passado.

No segundo trimestre de 2017, o consumo de bens industriais aumentou 0,4% em relação aos primeiros três meses do ano. Na comparação com o segundo trimestre do ano passado, entretanto, houve redução de 1,9%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (08/08/2017) - Mais risco de calote.

"Bancos que financiaram a expansão do aeroporto de Viracopos temem um prejuízo de R$ 2,53 bilhões, depois que o consórcio do terminal, em meio à crise, devolveu a concessão. Maior credor com mais de R$ 2 bilhões, o BNDES diz que "avaliará as medidas cabíveis para assegurar seus interesses no momento oportuno".

Outras instituições também têm R$ 423 milhões a receber. Desse valor, Itaú BBA responde por R$ 146,3 milhões, Bradesco e Banco do Brasil têm, cada, R$ 131,4 milhões e o antigo Banco Espírito Santo - atualmente Haitong - possui R$ 14,9 milhões. Esses créditos têm origem no BNDES, mas foram repassados por essas instituições que, por isso, carregam o risco da operação." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/08/2017) - Os números ainda estão longe de apresentar melhora para o setor de construção.

"As vendas de imóveis residenciais novos tiveram, no primeiro semestre, alta de 9,6% na cidade de São Paulo, para 7.888 unidades, de acordo com pesquisa do Secovi-SP, o Sindicato da Habitação. Em junho, porém, houve queda de 11,6%, para 1.853 unidades. Na comparação com maio, a retração foi de 14,6%." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/brasil/5069984/vendas-de-casas-novas-sobem-96-no-1-semestre-em-sp-diz-secovi







INDÚSTRIA - (08/08/2017) - Comunicando.

"A opção contribuiu para que a indústria fechasse o semestre com aumento de 0,5% sobre a produção dos seis primeiros meses de 2016." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/opiniao/5071266/setor-industrial-da-mais-passos-rumo-retomada







BANCOS e CARTÕES - (08/08/2017) - Comunicando.

"Bancos detentores de R$ 1,57 bilhão em dívidas sem garantias da fabricante de produtos de cobre Paranapanema venderam com desconto uma parcela desses créditos a fundos de investimentos e outras instituições financeiras, conforme apurou o Valor." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:
http://www.valor.com.br/financas/5071398/bancos-vendem-divida-nao-vencida







BANCOS e CARTÕES - (07/08/2017) - Positivo para o setor bancário e de varejo, ENTRETANTO houve queda das vendas e redução da demanda por crédito.

"A inadimplência do consumidor brasileiro caiu 0,8% no acumulado até julho, de acordo pesquisa da Boa Vista SCPC divulgada hoje. Na avaliação acumulada em 12 meses — de agosto de 2016 até julho de 2017 frente aos 12 meses antecedentes —, houve retração de 2,8%, diz a instituição. Na avaliação mensal dessazonalizada, a inadimplência subiu 5,1% frente a junho. Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016, houve queda de 0,6%. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (04/08/2017) - Boa notícia.

"Os grandes bancos brasileiros estão bem preparados para as regras de capital de Basileia III, que entram em vigor de forma integral no Brasil em 2019, segundo um relatório da agência de classificação de risco Fitch." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/08/2017) - Comunicando.

"O preço dos imóveis no país caiu 0,38% nos sete primeiros meses do ano, segundo o Índice FipeZap, que acompanha a variação dos valores de apartamentos anunciados para venda em 20 cidades brasileiras. Em julho, o valor dos imóveis registrou queda de 0,15%, mesma variação verificada no mês anterior. Nos últimos 12 meses, o preço do metro quadrado subiu 0,10% no país, bem abaixo da inflação, de 2,62% no período. " (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/08/2017) - Continua caindo o valor do aluguel. Péssimo para quem tem imóveis.

"O preço médio do aluguel residencial no Brasil teve queda nominal de 7,74 por cento em julho ante igual período de 2016, atingindo 22,62 reais por metro quadrado, de acordo com o relatório Dados do Mercado Imobiliário do VivaReal (DMI-VivaReal).Na comparação com junho, quando o valor médio do aluguel estava em 22,81 reais por metro quadrado, a queda foi de 0,82 por cento, indicou a pesquisa.

Para a venda, o preço médio do metro quadrado residencial atingiu 4.844 reais em julho–maior valor para o ano e 0,23 por cento acima de junho deste ano. Contudo, em relação julho de 2016, houve queda nominal de 0,08 por cento, disse a VivaReal." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/08/2017) - Positivo, mas a movimentação de cheques caiu 8,2%.

"O número de cheques devolvidos (segunda apresentação por falta de fundos), como proporção do total de cheques movimentados, atingiu 1,83% em junho, registrando redução significativa em relação a junho de 2016 (-0,28 ponto percentual). Com isso, o percentual atinge o menor nível desde setembro de 2014, quando foi de 1,80%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados também obteve queda (em maio, o nível foi de 2,11% frente a abril), sendo o resultado decorrente da diminuição de 20,5% dos cheques devolvidos e retração de 8,2% para os cheques movimentados." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/08/2017) - Ainda elevado o endividamento das famílias e a inadimplência. Os números seguem ruins, mas se estabilizaram

"O percentual de famílias endividadas no país cresceu de 56,4% em junho para 57,1% em julho deste ano, segundo dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgados hoje (31), no Rio de Janeiro, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Apesar disso, o percentual caiu na comparação com julho de 2016 (57,7%).

O percentual de inadimplentes, isto é, aqueles que têm contas ou dívidas em atraso, chegou a 24,2% em julho deste ano, proporção inferior a junho (24,3%), mas superior a julho de 2016 (22,9%). Ainda segundo a CNC, as famílias que não terão condições de pagar suas dívidas ficaram em 9,4%, abaixo do total de junho (9,6%), mas acima de julho de 2016 (8,7%).

A maior parte das dívidas dos brasileiros é com cartão de crédito (76,8%), seguido por carnês (15,4%), crédito pessoal (11%), financiamento de carro (10,1%) e financiamento de casa (8%). " (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/08/2017) - Acredito que o preço dos imóveis, principalmente os NÃO residenciais, irá melhorar a partir do fim deste ano e início do ano que vem devido a queda brutal nos juros. Os imóveis residenciais não terão tão boa performance porque os preços de venda não caíram muito, apenas pararam de ser negociados.

"Depois de dois anos de crise, com vendas fracas e estoques de imóveis cada vez maiores, as incorporadoras começam a vislumbrar uma retomada. O setor da construção foi um dos que mais sofreram durante a recessão, mas a queda dos juros abre uma nova perspectiva para essas empresas. " (Fonte: O Globo)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (31/07/2017) - Comunicando.

"O indicador de inadimplência de pessoa jurídica calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mostrou que em junho deste ano, houve um crescimento de 4,05% no número de empresas negativadas frente ao mesmo período de 2016. O resultado foi considerado o segundo menor crescimento desde janeiro de 2011, início da série histórica. Na comparação entre junho e maio, sem ajuste sazonal , a variação foi de 0,42%, após um pequeno recuo de 0,16% no mês anterior." (Fonte: Brasil Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (28/07/2017) - Comunicando.

"Os juros bancários médios, com recursos livres, caíram 1,2 ponto percentual em maio, para 46,1% ao ano. Já a inadimplência dessas operações, para pessoas físicas e para empresas, atingiu o patamar de 5,6% em junho... a inadimplência somada caiu menos e voltou ao mesmo patamar de fevereiro deste ano, após ter caído subido em março e abril (5,7%), e maio (5,9%). Esses números ocorrem mesmo após a liberação para saque das contas inativas do FGTS." (Fonte: O Globo)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (28/07/2017) - Comunicando.

"Mais um gigante chinês está em busca de ativos bancários no Brasil. A bola da vez é o Industrial Bank Co.. Trata-se de um dos dez maiores conglomerados financeiros da China, com aproximadamente US$ 800 bilhões em ativos." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (28/07/2017) - Comunicando.

"O nível de devoluções de cheques por insuficiência de fundos no Brasil recuou para 2,13 por cento no primeiro semestre, o menor patamar para o período nos últimos dois anos, informou nesta quinta-feira a empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian.

Um ano antes, a taxa de devolução havia sido de 2,41 por cento, segundo a companhia.

Considerando apenas junho, o percentual de devolução de cheques foi de 1,86 por cento ante 2,15 por cento em maio e 2,36 por cento no mesmo mês de 2016, disse a Serasa." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/07/2017) - Piorando ainda.

"O crédito para compra e construção de imóveis por meio do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) somou R$ 20,6 bilhões de janeiro a junho, queda de 9,1% em relação ao mesmo período de 2016, informou a Abecip.

Embora os números tenham apontado uma diminuição do ritmo de queda – em 2016, o recuo foi de cerca de 40% – também frustraram a Abecip, que passou a prever queda de 3,5% para o crédito imobiliário em 2017, contra previsão anterior de alta de 5%." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (26/07/2017) - Percepção de risco subindo.

"A agência de classificação de risco Moody's rebaixou nesta terça-feira o perfil macroenômico para o sistema bancário brasileiro para "moderado -", ante "moderado", refletindo o recente aumento da turbulência política, que aumenta a suscetibilidade do país ao risco.

A agência disse em comunicado que as investigações de corrupção envolvendo o governo do presidente Michel Temer e as incertezas sobre a continuidade política podem afetar negativamente a incipiente recuperação econômica do país e prejudicar as perspectivas de crescimento a médio prazo." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (26/07/2017) - A inadimplência não parece que será reduzida tão cedo.

"Os credores do Grupo Itapemirim – mais de mil trabalhadores e centenas de fornecedores e bancos – estão perdidos à beira da estrada. O contencioso entre os antigos e os novos acionistas da companhia tem atrasado o processo de recuperação judicial e aumentado as incertezas em relação ao futuro do grupo, que soma um passivo de R$ 1,3 bilhão. De acordo com uma fonte ligada a um dos bancos credores, a previsão de que a empresa começasse a pagar suas dívidas no primeiro trimestre de 2018 é tratada como algo bastante improvável." (Fonte: Relatório Reservado)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/07/2017) - Positivo.

"Levantamento do Estadão/Broadcast com base nos relatórios operacionais de oito empresas listadas na Bolsa (Cyrela, Even, Eztec, Gafisa, Rodobens, MRV, Direcional e Tenda) mostra que os lançamentos totalizaram R$ 5,14 bilhões no primeiro semestre, 10% mais que no mesmo período do ano passado. As vendas líquidas atingiram R$ 5,19 bilhões, alta de 16%.

O avanço no semestre foi encabeçado por MRV, Tenda e Direcional, cujos projetos estão enquadrados no MCMV. Os lançamentos das três companhias alcançaram R$ 3,70 bilhões, alta de 22% na comparação anual, além de responderem por 72% dos lançamentos do grupo de companhias listadas. As vendas do trio atingiram R$ 3,33 bilhões, alta de 22% e equivalente a 64% dos negócios do grupo.

No médio e alto padrão, o cenário é distinto. Os lançamentos consolidados de Cyrela, Even, Eztec, Gafisa e Rodobens foram de R$ 1,44 bilhão no semestre, retração de 13% ante 2016. As vendas totalizaram R$ 1,85 bilhão, alta de 7%. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (21/07/2017) - Acho que está difícil da economia se recuperar e pedido de empréstimo caindo mostra isso.

"A demanda das empresas por crédito caiu 4,5% no primeiro semestre de 2017 em comparação com o primeiro semestre do ano passado, segundo o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito. Foi o pior resultado para um primeiro semestre desde 2013, quando houve retração de 4,7% no acumulado dos primeiros seis meses na demanda empresarial por crédito. Em junho, houve queda de 6,6% na demanda por crédito por parte das empresas ante maio. Na comparação interanual, o recuo é ainda maior, de 10,7%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/07/2017) - O mercado continua ruim.

"O preço dos imóveis residenciais no País recuou 0,09% em junho na comparação com maio. A queda foi mais branda do que em maio, quando a retração atingiu 0,26% na comparação com abril." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/07/2017) - Comunicando.

"O valor do aluguel de apartamentos em 15 cidades do país recuou 0,12 por cento em junho ante o mês anterior, para 28,65 reais o metro quadrado, segundo índice FipeZap divulgado nesta terça-feira.

Com o resultado, o indicador teve queda de 0,70 por cento em termos reais no primeiro semestre sobre um ano antes. Considerando os últimos 12 meses, o recuo chegou a 3,89 por cento, também em termos reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (19/07/2017) - Maior concorrência, lucratividade tende a cair.

"Concorrência em cartões é investigada no Cade. A abertura do mercado de meios de pagamento, que teve início em 2010 com a determinação do fim da exclusividade entre bandeiras e credenciadoras, ainda esbarra em amarras comerciais. A dificuldade imposta por grandes bancos e empresas ligadas, responsáveis por capturar as transações com cartões, tem impedido o avanço da concorrência, especialmente no segmento de antecipação de recebíveis para lojistas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (18/07/2017) - Inadimplência continua alta e acredito que crescente. Ruim.

"O número de empresas inadimplentes no Brasil atingiu o recorde de 5,1 milhões em maio, com dívidas que totalizam 119,2 bilhões de reais, informou empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian nesta segunda-feira, avaliando que a prolongada recessão e dificuldades de acesso ao crédito têm levado ao aumento dos calotes.

O número representa um crescimento de 15,9 por cento em relação a maio do ano passado e é o maior registrado desde o início da pesquisa, em março de 2015, disse a Serasa em comunicado.

O grupo de engenharia UTC Participações, pressionado por dívidas de 3,4 bilhões de reais, apresentou pedido de recuperação judicial nesta segunda-feira, informou a companhia em comunicado." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/07/2017) - Piorando ainda.

"A indústria da construção civil fechou 4.646 postos de trabalho no País em maio, o que representa o 32º mês consecutivo de demissões no setor. Com isso, o número de empregados na área caiu 0,19% na comparação com abril. Já nos últimos 12 meses, a baixa foi de 12,07%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (17/07/2017) - Inadimplência segue crítica.

"Inadimplentes chegam a dever três vezes o valor de seus salários. Número de brasileiros com contas em atraso chegou ao nível recorde de 61 milhões; alguns acumulam mais de 20 dívidas diferentes, aponta o jornal O Estado de S. Paulo." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/07/2017) - Bom, mas não acho que seja reversão.

"Dentre os dez componentes do PIB mensal do banco (Itaú), houve declínio em cinco categorias, sendo a maior retração, de 1,5%, apurada em agropecuária. Já o setor da construção civil mostrou expansão de 1,5%. " (Fonte: UOL)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








ITAÚSA - (13/07/2017) - Comunicando.

"A Alpargatas confirmou nesta quarta-feira o acerto de sua controladora J&F Investimentos para vender a totalidade de sua participação na empresa de calçados para um grupo que inclui Cambuhy Investimentos e Itaúsa, por 3,5 bilhões de reais.

O valor corresponde a 14,25 reais por ação ordinária e 11,40 reais por ação preferencial, afirmou a companhia.

A Itaúsa informou separadamente que pagará metade desse montante, ou 1,75 bilhão de reais, para ficar com uma fatia de 27,12 por cento do capital total da Alpargatas. A empresa pretende contratar dívida para realizar o investimento." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (11/07/2017) - Comunicando.

"A ministra Grace Mendonça, advogada-geral da União, planeja fechar até o início de agosto um acordo entre bancos e consumidores sobre as perdas das cadernetas de poupança durante os planos econômicos das décadas de 1980 e 1990.

O acerto vai prever descontos e parcelamento dos valores e não beneficiará todos os poupadores da época.

Os índices ainda estão sendo fechados. Em ações julgadas pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), houve descontos de até 65% sobre os juros acumulados no período. O acordo sob mediação da AGU (Advocacia-Geral da União), no entanto, pode ser fechado em condições diferentes.

Com essa limitação da abrangência dos beneficiários, os valores em negociação giram em torno de R$ 11 bilhões antes da aplicação dos descontos. Caixa e Banco do Brasil concentram cerca de 70% desse total.

Estimativas da equipe econômica indicam que os bancos teriam de desembolsar cerca de R$ 50 bilhões para indenizar cerca de 1,1 milhão de poupadores se perdessem a disputa, que está sendo discutida no Supremo Tribunal Federal (STF). " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/07/2017) - Setor de construção continua se retraindo.

"As vendas de cimento no País atingiram 4,45 milhões de toneladas em junho, queda de 8,6% em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com dados preliminares divulgados nesta segunda-feira, 10, pelo Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic). Com isso, as vendas no primeiro semestre de 2017 fecharam em 26,0 milhões de toneladas, um recuo de 8,8% em relação ao mesmo período de 2016. Nos últimos 12 meses encerrados em junho, as vendas acumuladas totalizaram 54,9 milhões de toneladas, 9,8% menores do que nos 12 meses anteriores." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (11/07/2017) - Comunicando.

"O valor total das transações com cartão de crédito e débito em 2016 cresceram 3 e 10 por cento, respectivamente, na comparação com o ano anterior, segundo o relatório Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira. Com isso, as transações com cartão de crédito somaram 674 bilhões de reais e as de cartão de débito chegaram a 430 bilhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/07/2017) - Ruim mas esperado.

"A Caixa Econômica Federal informou nesta sexta-feira (7) que não serão liberados novos recursos para a linha de financiamento imobiliário Pró-Cotista neste ano. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/07/2017) - Comunicando.

"Segundo a Serasa, a maior retração do consumidor no primeiro semestre de 2017 deu-se no segmento de material de construção, que registrou queda de 14,4% frente ao primeiro semestre de 2016, diz o indicador." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (07/07/2017) - Dificilmente os bancos perdem no país devido ao oligopólio forte por aqui.

"Os grandes bancos brasileiros reajustaram a maior parte de suas tarifas acima da inflação nos últimos dois anos, quando o país mergulhou na recessão e o mercado de crédito encolheu.

Levantamento feito pelo Valor com 197 tarifas informadas por Itaú Unibanco, Banco do Brasil (BB), Bradesco, Santander e Caixa ao Banco Central (BC) mostra que 119 delas - 60,4% do total - subiram mais que a variação do IPCA entre julho de 2015 e junho deste ano, estimada em 12,19%. Apenas uma teve queda nominal e o restante foi mantido ou aumentou menos que a inflação." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/07/2017) - Mais um índice que mostra resultados ruins para o setor.

"Preço de venda de apartamentos no Brasil tem 4a queda seguida em junho, indica FipeZap. Com esse resultado, que marcou a quarta queda mensal consecutiva nos preços nominais, o índice acumulou baixa de 0,23 por cento no primeiro semestre. Considerando os últimos 12 meses, o índice apresenta alta de 0,31 por cento ante uma inflação acumulada de 3,08 por cento para o período." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/07/2017) - Oferta aumenta e preços caem. Ruim.

"Os lançamentos de imóveis residenciais, comerciais e de loteamentos cresceram 96,6% em abril ante o mesmo período do ano passado, para 3.106 unidades, segundo a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

No mês, houve aumento de 124,4% no volume lançado de unidades de médio e alto padrão e alta de 88,6% nos imóveis enquadrados no programa Minha Casa, Minha Vida.

As vendas tiveram queda de 11,2% em abril, para 2.683 unidades, e as entregas diminuíram 43,8%, para 4.570 unidades. Os distratos responderam por 39,6% das vendas." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (04/07/2017) - Péssimo o aumento da inadimplência.

"O número de pessoas inadimplentes no Brasil em maio subiu para 61 milhões, maior patamar desde o início das medições em 2012, afirmou nesta segunda-feira a empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian.

O número de inadimplentes em maio é 2,5 por cento maior que os 59,5 milhões registrados no mesmo mês do ano passado." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (30/06/2017) - Comunicando.

"No levantamento, que abrange entrevistas com 18 mil consumidores, 56,4% das famílias declararam-se endividadas em junho, percentual menor do que o de maio (57,6%); e de junho do ano passado (58,1%).

No entanto, entre os endividados, a fatia dos que admitiram contas em atraso foi de 24,3%, a maior desde setembro de 2016 (24,6%); e superior às taxas de maio (de 24,2%) e de junho do ano passado (23,5%). Além disso, entre inadimplentes, 9,6% reconheceram não ter condição de quitar seus débitos, fatia superior às de maio (9,5%) e de junho do ano passado (9,1%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (29/06/2017) - Expectativas piorando.

"O Banco Central cortou pela metade sua projeção do crescimento do mercado de crédito no país em 2017, a apenas 1 por cento, contra expectativa anterior de 2 por cento, em meio à intensa crise política que afeta o governo e sinais de recuperação lenta da economia.

Para o estoque de crédito livre, o BC passou a ver estabilidade, contra alta de 2 por cento do cálculo anterior, feito em março. Já para o crédito direcionado, o BC agora enxerga elevação de 1 por cento neste ano, abaixo dos 2 por cento de antes." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (29/06/2017) - Notícia ruim para os bancos.

"Após mudanças no rotativo do cartão de crédito, o Banco Central (BC) está discutindo com os bancos a imposição de um prazo máximo para uso do cheque especial, dentro dos esforços para reduzir os juros das linhas mais caras do país, disseram fontes. Após a restrição ao rotativo, a taxa anual de juro do cartão, que chegou a mais de 500 por cento ao ano, vem caindo, atingindo 363,3 por cento em maio, informou o BC nesta quarta-feira. Enquanto isso, a taxa média praticada pelo sistema financeiro para o cheque especial foi de 328,2 por cento ao ano em maio, segundo o BC." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (29/06/2017) - Ruim.

"As dificuldades financeiras das empresas, sobretudo as de grande porte, ainda ecoam na qualidade do crédito e devem continuar causando volatilidade nos índices de inadimplência.

A inadimplência no crédito livre para empresas teve uma forte alta em maio, de 5,6% para 6%, concentrada nas operações de capital de giro, mostram estatísticas divulgadas ontem pelo Banco Central (BC). A piora no indicador não chegou a provocar uma deterioração na carteira mais ampla de empréstimos dos bancos, mas, mesmo assim, a inadimplência total do mercado subiu de 3,9% para 4,0% - e o índice chegou ao maior percentual da série histórica, iniciada em março de 2011." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/06/2017) - Comunicando.

"Os preços de imóveis comerciais para aluguel e venda caíram em maio, segundo o índice FipeZap Comercial, que monitora conjuntos e salas com até 200 metros quadrados em quatro cidades do país.

No caso vendas, o índice mostrou queda de 0,43 por cento, enquanto os preços dos aluguéis tiveram perda de 0,49 por cento ante abril. No acumulado em 12 meses, os índices tiveram quedas de 4,17 e 5,82 por cento, respectivamente." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/06/2017) - Continua piorando.

"A atividade da construção civil e o emprego no setor tiveram retração em maio, mas o ritmo de queda está menor do que em 2016, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada hoje (27). Em uma escala que vai de zero a 100, o indicador de nível de atividade na indústria da construção ficou em 44,1 pontos e o de número de empregados no setor alcançou 42,7 pontos em maio.

Em maio, o nível de utilização da capacidade operacional da construção civil ficou estável em 55%. Ou seja, 45% das máquinas, equipamentos e pessoal do setor estavam parados em maio. Com isso, a disposição dos empresários para investir continua muito baixa. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (28/06/2017) - Corte de custos continua.

"O avanço dos canais eletrônicos e a busca por eficiência levaram os bancos brasileiros a fechar 929 agências de sua rede física só entre janeiro e maio deste ano. Remodeladas, as agências atuais deixam de ter como objetivo o atendimento ao público para se tornarem espaços de negócios e assessoria de investimentos." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








ITAÚSA - (27/06/2017) - Comunicando.

"A Itaúsa, braço industrial do grupo Itaú Unibanco, informou nesta segunda-feira que aprovou a participação em análises da Cambuhy para compra de participação da J&F na Alpargatas. "A Itaúsa tem por objetivo adquirir 50 por cento da participação detida pela J&F e firmar acordo de acionistas com a Cambuhy para gestão compartilhada da Alpargatas", afirmou a Itaúsa em comunicado." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/06/2017) - Segue piorando.

"Os preços médios de anúncio de aluguel e venda de imóveis comerciais seguem em queda, segundo pesquisa FipeZap divulgada nesta terça-feira (26). Em maio, a queda em 12 meses do valor médio de venda caiu 4,17% - o que, considerando a inflação do período, representa uma queda real de 7,5%. Já os preços dos alugueis caíram 5,82%, ou 9,09% considerando a inflação." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/06/2017) - Comunicando.

"O preço dos imóveis residenciais no País recuou 0,26% em maio na comparação com abril, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 22, pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). A queda dos preços em maio foi mais acentuada do que em abril, quando teve baixa de apenas 0,05% na comparação com março.

Nos primeiros cinco meses de 2017, os preços mostraram queda de 0,48%. O resultado foi mais brando do que nos primeiros cinco meses de 2016, quando a baixa atingiu 1,01%. Já nos últimos 12 meses encerrados em maio, houve retração de 1,73%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (22/06/2017) - Positivo.

"A busca por crédito no País aumentou 7,2%, no último mês de maio, sobre igual período do ano passado e18,6% em comparação ao último mês de abril, segundo o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, houve elevação de 1% comparado ao mesmo período de 2016." (Fonte: Terra)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/06/2017) - Notícia ruim para o setor.

"A Caixa Econômica Federal informou nesta segunda-feira que suspendeu novas contratações da linha Pró-Cotista, que oferece crédito mais barato do mercado, porque os recursos acabaram. O anúncio vem após a Caixa já ter suspendido novas contratações da Pró-Cotista em maio, pela mesma razão. A linha financia a compra de imóveis de até 950 mil reais nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, e de até 800 mil nos outros Estados." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/06/2017) - Comunicando.

"As vendas de imóveis residenciais novos cresceram 2,5%, em abril, na cidade de São Paulo, na comparação anual, para 1.212 unidades, segundo a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, o Sindicato da Habitação. Em relação a março, porém, houve queda de 1,7%. Em abril, o Valor Geral de Vendas (VGV) comercializado foi 26% superior ao do quarto mês de 2016, mas 4% inferior ao de março, ficando em R$ 709,3 milhões." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (16/06/2017) - Preparem-se.

"Bancos já se apresentam para acordo na Lava-Jato. Na antessala da delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, instituições financeiras estão se adiantando e fazendo consultas ao Ministério Público Federal (MPF) em busca de informações mais detalhadas sobre as regras e condições dos acordos de leniência do órgão." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/06/2017) - Comunicando.

"O setor de construção fechou 874 vagas em todo o Brasil no mês de abril, marcando o 31º mês consecutivo de queda no nível de emprego, informou o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP)." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/06/2017) - Comunicando.

"O faturamento deflacionado da indústria brasileira de materiais de construção em maio recuou 6,6 por cento sobre igual mês de 2016, mas cresceu 8,8 por cento ante abril deste ano, informou nesta sexta-feira a entidade que representa o setor, Abramat." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (09/06/2017) - CUIDADO ao adquirir ações de bandos e empresas do setor financeiro. A MP serve para salvar as instituições financeiras de elevadas multas aplicadas pelo MPF, mas mesmo assim as delações afetarão o setor e as ações consequentemente.

"O governo federal decidiu se antecipar às ameaças de uma delação premiada que possa afetar o sistema financeiro ao editar uma medida provisória que dá novos poderes ao Banco Central e à Comissão de Valores Mobiliários para negociar acordos de leniência e punir bancos e operadores envolvidos em fraudes, disse à Reuters uma fonte palaciana.

...a possibilidade cada vez mais concreta de uma delação premiada a ser feita pelo ex-ministro Antonio Palocci que envolveria bancos e operadores do sistema financeiro acelerou a decisão pela publicação.

... Os boatos de que Palocci entregaria fraudes no sistema financeiro correm há mais de um mês.

O texto permite que o processo seja sustado se a instituição investigada “cessar a prática sob investigação ou os seus efeitos lesivos; corrigir as irregularidades apontadas e indenizar os prejuízos, quando for o caso; cumprir as demais condições que forem acordadas no caso concreto”." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/06/2017) - Parece que todos desejam vender imóveis.

"O fundo de pensão dos funcionários da Petrobras já organizou um plano de venda de imóveis, de acordo com a política de investimentos para o período entre 2017 e 2021, disse na semana passada o presidente da entidade, Walter Mendes." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (08/06/2017) - Comunicando.

"As transações com cartões de crédito e débito realizadas no Brasil e no exterior somaram R$ 285 bilhões no primeiro trimestre de 2017, um crescimento de 6% sobre igual período do ano passado. Considerando apenas as transações realizadas no Brasil, o crescimento foi de 5,2%, somando R$ 283 bilhões. O número total de transações chegou a 3,1 bilhões no mesmo período, avançando 7% no comparativo anual. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (08/06/2017) - Risco aumenta.

"O presidente Michel Temer assinou na noite passada Medida Provisória que endurece a fiscalização e sanções que poderão ser adotadas pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em caso de fraudes e que prevê, entre outros, multa de 2 bilhões de reais a instituições financeiras e acordo de leniência.

A MP eleva a multa máxima do BC a bancos e instituições financeiras a até 0,5 por cento da receita de serviços e de produtos financeiros ou 2 bilhões de reais, o maior destes valores, ante apenas 250 mil reais hoje." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (08/06/2017) - Comunicando.

"Enquanto a inadimplência no crédito começa a dar os primeiros sinais de controle, um segmento em particular ainda preocupa as instituições financeiras: o das grandes empresas. O risco de que a crise política, deflagrada pela delação dos controladores da JBS, prejudique o desempenho da economia reacendeu o temor de surgimento de novos casos de calote entre as companhias de maior porte. Além disso, os bancos permanecem em negociação com as empresas investigadas pela Operação Lava-Jato, que dependendo do desfecho pode trazer algum imp" (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (07/06/2017) - Comunicando.

"A quantidade de famílias endividadas na cidade de São Paulo caiu de 52,9% (2,046 milhões de famílias) em abril para 52,4% (2,028 milhões) em maio, interrompendo uma sequência de dois meses em alta, indica a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor da FecomercioSP. Em relação aos 50,1% (1,925 milhão) registrados em igual período do ano passado, porém, houve alta de 2,3 pontos porcentuais. " (Fonte: UOL)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/06/2017) - Situação continua ruim e complicada para o setor.

"O preço médio do metro quadrado residencial para locação no Brasil teve queda nominal de 9,3 por cento em maio ante igual período de 2016, para 22,78 reais, mostrou o levantamento DMI-VivaReal. Na comparação com abril, quando o valor médio estava em 22,86 reais por metro quadrado, houve baixa de 0,32 por cento, indicou a pesquisa, que considera mais de 2 milhões de imóveis para compra ou aluguel em 30 cidades do país." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (05/06/2017) - Acabou essa história de mudar a sede de prestadoras de serviço para cidades que cobram menos ISS. Essa mudança na lei vai reduzir a lucratividade de empresas de serviços como bancos e empresas de catões de crédito por exemplo.

"Nova lei do ISS derruba receita de sedes de bancos. Após a mudança na lei do ISS (Imposto Sobre Serviços), aprovada na última terça-feira (30) pelo Congresso, municípios-sede de empresas financeiras avaliam como sobreviver sem o imposto. " (Fonte: Folha)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/06/2017) - Queda de preços prossegue.

"Em maio, o preço dos imóveis registrado pelo Índice FipeZap sofreu a maior queda mensal da série histórica, que começou em 2012. O recuo foi de 0,16%, abaixo da inflação esperada para o mês, de 0,46%, segundo o Boletim Focus do Banco Central. Nos últimos 12 meses, o preço médio dos imóveis acumulou alta de 0,46%, abaixo da inflação esperada para o período, de 3,75%, segundo o Boletim Focus do Banco Central. Assim, os demais preços da economia subiram mais do que os imóveis, em média, e a queda real foi de 3,17%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/06/2017) - Finalmente... Péssimo para as empresas de cartão de crédito e seus sócios.

"O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (31) a permissão para que comerciantes façam um preço diferente para pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito ou débito. A matéria vai à sanção presidencial." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/06/2017) - Notícia ruim.

"A agência de classificação de risco Moody’s alterou a perspectiva dos ratings de 19 bancos brasileiros e da B3 (novo nome da BM&FBovespa) de estável para negativa. Os ratings foram mantidos." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/06/2017) - Rentabilidade caindo pouco, mas caindo.

"Bradesco, BB e Itaú anunciam redução de juros no crédito após Copom.

O Bradesco informou que reduzirá a partir de segunda-feira a taxa mínima do cheque especial de 9,57% para 9,49% ao mês, enquanto a máxima passará de 13,41% para 13,33% ao mês. No crédito pessoal, o juro mínimo será reduzido de 1,75% para 1,67% ao mês, e a máxima, de 7,58% para 7,50% ao mês. No Banco do Brasil, a redução nas taxas também é válida a partir de segunda-feira. A taxa mínima na linha de conta garantida para empresas cairá de 2,14% para 2,06% ao mês, enquanto a máxima passará de 6,79% para 6,71%. O Itaú Unibanco informou que repassará integralmente aos clientes o corte de um ponto percentual na Selic a partir da próxima quarta-feira, dia 7 de junho. Para pessoas físicas haverá redução nas taxas do empréstimo pessoal, cheque especial, parcelamento de cheque especial e financiamento de veículos. Para as micro e pequenas empresas o repasse será para as taxas do capital de giro. O banco não informou, contudo, as taxas praticadas." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (01/06/2017) - Inadimplência das famílias voltando a piorar.

"A inadimplência das famílias endividadas piorou em maio, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A parcela de famílias endividadas que declararam estar com débitos em atraso no mês foi a maior em oito meses.

No levantamento, feito a partir de entrevistas com 18.000 consumidores em todo o país, 57,6% dos entrevistados afirmaram estar endividados em maio. A fatia é menor do que a de abril, de 58,9%; e a de 58,7%, em maio do ano passado.

Do total de endividados, 24,2% informaram estar com débitos em atraso em maio. Além de ser maior do que o de abril (24,1%); e em maio do ano passado (23,7%), foi o mais elevado para este tópico desde setembro de 2016 (24,6%). Nesta classificação, 9,5% informaram não ter condições de quitar suas dívidas. Embora este percentual seja menor do que o de abril (9,7%) é superior ao de maio do ano passado (9%)." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (31/05/2017) - Comunicando.

"Os pedidos de registro de companhia aberta e de autorização para realização de oferta pública secundária de ações ordinárias do IRB foram protocolados na CVM, informaram os acionistas BB Seguridade, Itaú e Bradesco, em comunicados divulgados ao mercado na segunda-feira." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (31/05/2017) - Comunicando.

" O preço médio de venda de imóveis na cidade de São Paulo ficou estável em torno de 6.050 reais por metro quadrado em abril ante março, conforme levantamento do ImovelWeb com base em cerca de 2 milhões de anúncios. Em 12 meses, a queda real acumulada é de 3,1 por cento." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (29/05/2017) - Concorrência no setor de cartões não para de crescer. Mais competição, menor rentabilidade do setor.

"Em linha com seu perfil discreto de atuação, o Banco Safra lançou sem alarde sua maquininha de processamento de operações com cartões, a SafraPay, para concorrer diretamente com Cielo, do Bradesco e do Banco do Brasil, e Rede, do Itaú. Para brigar nesse mercado em que as duas maiores companhias dominam 85% das operações, o Safra promete taxas “competitivas”. " (Fonte: Estadão)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/05/2017) - Setor industrial piorando como vimos anteriormente e agora vemos que o setor de construção também está piorando.

"A indústria da construção civil continua com a atividade e o emprego em queda no mês de abril. O indicador que mede o nível de atividades ficou em 43,3 pontos (ante 44,5 pontos no mês anterior). O índice do número de empregados também permaneceu em queda, em 42,3 (ante 41,7). A utilização da capacidade instalada foi em média de 56% em abril, mesmo registrado no mês anterior.

O indicador para o número de empregados ficou em 48,2 pontos, o de novos empreendimentos e serviços registrou 49,1 pontos, enquanto o de compras de insumos e matérias-primas ficou em 48,5 pontos. A intenção de investimento ficou em apenas 28,5 pontos, bem abaixo da linha divisória." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/05/2017) - Pelo visto a situação piorará, principalmente para o setor de construção.

"Os setores de construção civil, máquinas e equipamentos e automotivo são os que estão sujeitos a sofrer revisões mais significativas nas projeções de desempenho para 2017 e 2018 por conta da crise política detonada com a divulgação de delações que envolvem o presidente Michel Temer, segundo avaliação da Tendências. " (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/05/2017) - Comunicando.

"Construção civil tem alta nas vendas e queda no nível de emprego. A venda de materiais no setor cresceu 4,2% no primeiro trimestre em relação ao ano passado, mas o emprego formal caiu 14% entre janeiro e abril, de acordo com o IBGE." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (25/05/2017) - Piorando novamente a inadimplência.

"No mês passado, 52,9 por cento das famílias consultadas no levantamento declararam ter algum tipo de dívida, um alta de 2,7 ponto percentual na comparação com março, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) divulgada nesta quarta-feira. Frente a abril de 2016, também houve elevação, de 1,8 ponto.

A inadimplência também subiu pelo segundo mês consecutivo, ao atingir 18,7 por cento em abril, alta de 1,2 ponto percentual. Ante o mesmo período do ano passado, a proporção de famílias com contas em atraso subiu 0,4 ponto percentual." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (24/05/2017) - Comunicando.

"O percentual de cheques devolvidos por falta de fundos caiu em abril, para 2,14%, segundo balanço divulgado hoje (23). Em março, o índice havia sido de 2,34%.

Nos primeiros quatro meses do ano, o percentual de cheques devolvidos em relação aos compensados ficou em 2,19%." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (24/05/2017) - Risco subindo novamente.

"A Standard & Poor’s colocou os ratings de 38 instituições financeiras brasileiras em observação negativa, seguindo a ação realizada ontem com a nota soberana do Brasil, que está “BB”." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (23/05/2017) - Ruim.

"A agência de classificação de risco Fitch afirmou nesta segunda-feira, 22, que a crescente incerteza política desencadeada pelas recentes denúncias de corrupção, que envolvem o presidente Michel Temer, pressionará ainda mais o ambiente operacional dos bancos, enquanto potencialmente aumentará os riscos de qualidade de ativos a médio e longo prazo." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (23/05/2017) - Continuam os indícios de piora da situação econômica do país.

"A demanda do consumidor por crédito caiu 15,1% em abril, ante o mês anterior, após ter subido 20,7% em março, de acordo com indicador da Serasa Experian. Ante abril do ano passado, houve recuo de 5,1%. De janeiro a abril, a demanda recuou 0,7% contra os primeiros quatro meses do ano passado." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/05/2017) - Comunicando.

"O mercado imobiliário, que começava a demonstrar uma recuperação nos últimos meses, deverá sofrer um impacto imediato da crise política, segundo companhias e entidades do setor. "Até o fim deste mês, pode até haver movimento nos plantões de venda, mas sem fechamento de negócios", afirma Flávio Prando, vice-presidente do Secovi-SP (sindicato de habitação paulista). Nos últimos dois dias, as assinaturas de contratos foram adiadas, diz Flavio Amary, presidente da entidade. " (Fonte: Folha)







BANCOS e CARTÕES - (19/05/2017) - Será que as investigações chegarão as decisões do BACEN sobre os juros?

"O presidente Michel Temer antecipou ao empresário Joesley Batista, um dos controladores da JBS, que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) cortaria a taxa Selic em um ponto percentual. A afirmação foi publicada pelo site O Antagonista e posteriormente confirmada pela “Folha de S.Paulo”." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (18/05/2017) - Concorrência não para de subir o que é ruim para as empresas de cartões.

"O serviço puro de processar pagamentos eletrônicos virou uma commodity e as empresas do setor precisarão mostrar valor aos seus clientes se quiserem sobreviver, disse o vice-presidente da holandesa Adyen para a América Latina, Jean Christian Mies.

No ano passado, a Adyen, que chegou ao Brasil em 2011, processou o equivalente a 22 bilhões de reais em pagamentos no país, o dobro do ano anterior e "o plano é dobrar neste ano e nos próximos", disse Mies à Reuters.

As declarações de Mies acontecem no momento em que o Banco Central lidera um ciclo de reformas nas regras do mercado de meios de pagamento, com intenção de ampliar a concorrência e reduzir os juros elevados praticados no setor." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/05/2017) - Comunicando.

"O preço médio do aluguel residencial em 15 cidades brasileiras subiu 0,09 por cento em abril ante março, para 28,67 reais por metro quadrado, mostrou levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap.

No acumulado do ano, o indicador avançou 0,56 por cento. Em 12 meses, contudo, caiu 2,2 por cento. Considerando a inflação em 12 meses - de 4,08 por cento, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE -, o índice acumula baixa de 6,03 por cento." (Fonte: UOL)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








ITAÚSA - (15/05/2017) - A ação está interessante para acompanhar e comprar em momentos de correção técnica, onde o STOP LOSS pode ser curto. O P/L está em 9,3 e o P/VPA em 1,5 (Fonte: Guiainvest).

"A Itaúsa encerrou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido consolidado de 1,916 bilhão de reais, queda de 1,7 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

A holding tem seu resultado composto basicamente pelo resultado de equivalência patrimonial, apurado pelo desempenho de suas controladas Itaú Unibanco, Duratex, Elekeiroz, Itautec e outras áreas. O resultado de equivalência patrimonial recorrente somou 2,214 bilhões de reais, avanço de 5,6 por cento na mesma base comparativa." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (15/05/2017) - Continua notícias de empresas em dificuldade financeira.

"A Odebrecht Óleo e Gás (OOG), empresa de perfuração offshore de petróleo da Odebrecht, obteve consentimento de mais de 60 por cento de seus credores para formalizar um processo de recuperação extrajudicial, que será anunciado na próxima semana, disseram à Reuters nesta sexta-feira duas fontes a par do assunto." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (11/05/2017) - Comunicando.

"O número de consumidores inadimplentes caiu, segundo pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A estimativa é de 59 milhões de pessoas físicas negativadas no País, ao final de abril. De acordo com dados divulgados hoje (10), o número representa 39,19% da população com idade entre 18 e 95 anos.

Na variação anual, o indicador teve queda de 1,6%, comparado ao resultado de abril de 2016. Essa foi a segunda vez, desde o início da série histórica em 2010, que há uma queda anual. Na passagem de março para abril, a inadimplência no País registrou queda de 0,35%." (Fonte: Terra)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/05/2017) - Setor ainda ruim.

"As vendas internas de cimento acumulam retração de 10,1% de janeiro a abril, para 16,962 milhões de toneladas, segundo o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC). A entidade mantém a projeção que as vendas domésticas do insumo terão recuo de 5% a 7% neste ano." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (10/05/2017) - Mais uma empresa quebrando.

"Autoapelidado de o lugar mais feliz do mundo, o parque de diversões mais famoso de São Paulo, o Hopi Hari, se aproxima dos 18 anos de existência à beira da pane seca. Está atolado em uma dívida de R$ 700 milhões, com a luz cortada, sem seguro e “aviso prévio” para fechar as portas. Os quase 300 funcionários não recebem salários desde o dia 5 de fevereiro." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (10/05/2017) - Boa notícia.

"A inadimplência do consumidor caiu 9,1% em abril em relação a março, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta terça-feira, 9, a Boa Vista SCPC. O recuo também foi observado no confronto com abril de 2016, de 11,5%. Em 12 meses, a baixa é de 4,6% e, no ano, de 1,7%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (09/05/2017) - Ruim para as empresas do setor que terão menor receita com juros.

"A taxa de juros do rotativo do cartão de crédito continuou em queda em abril, chegando a 233,9% ao ano e 10,6% ao mês na terceira semana do mês. A taxa é 49% menor do que a praticada no mesmo período de março, que era de 456,6% ao ano (ou 15,4% ao mês)." (Fonte: Terra)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








BANCOS e CARTÕES - (09/05/2017) - Inadimplência diminuindo?

"Plano de recuperação da Shefa propõe deságio de até 60% em parte da dívida. A Agropecuária Tuiuti S/A, dona da marca de leite Shefa, apresentou na sexta-feira plano de recuperação judicial para reestruturar dívidas de R$ 215,365 milhões com credores.

Para evitar um potencial calote, em meio a uma negociação difícil travada com seus credores, o Grupo Aço Cearense protocolou na semana passada pedido de recuperação judicial. Grande comercializador de aços planos no país e também fabricante de aços longos em Marabá (PA), o grupo incluiu passivos de R$ 1,83 bilhão no processo, envolvendo dívidas com bancos e fornecedores." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/05/2017) - Se rendimento cai, normalmente o preço do imóvel também está caindo, mas é difícil detectar a queda nos preços dos imóveis.

"O preço médio do aluguel residencial no Brasil em abril teve queda nominal de 8,56 por cento na comparação anual, atingindo 22,86 reais por metro quadrado, de acordo com o levantamento DMI-Viva Real.

Na comparação com março, o recuo foi de 0,95 por cento, mostrou a pesquisa, que contempla mais de 2 milhões de imóveis usados em 30 cidades de diferentes regiões do país.

O preço médio de venda de imóveis residenciais no Brasil em abril caiu 0,37 por cento em termos nominais frente ao mesmo mês de 2016, mas subiu 0,21 por cento na comparação com março, para 4.810 reais por metro quadrado, segundo o DMI-Viva Real." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/05/2017) - Comunicando.

"As contratações de novos empreendimentos no programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) evoluíram lentamente nos primeiros meses do ano, após as mudanças nas regras e pelos resquícios da crise, segundo o governo.

No primeiro trimestre, foram contratadas 72,6 mil unidades no MCMV, o que corresponde a 12,7% da meta de 570 mil unidades em 2017, de acordo com balanço fornecido pelo Ministério das Cidades a pedido do “Broadcast”." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/05/2017) - Ruim para o setor.

"A Caixa voltou a suspender a contratação de financiamentos pela linha de crédito imobiliário Pró-Cotista, que oferece taxa de juros mais baixas para quem é cotista do FGTS. A linha financia imóveis novos de até 1,5 milhão de reais em todo o país, imóveis usados de até 950 mil reais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, e imóveis usados de até 800 mil reais nos demais estados até o final do ano." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








ITAÚSA - (05/05/2017) - Comunicando.

"A Itaúsa encerrou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido consolidado de 1,916 bilhão de reais, queda de 1,7 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

A holding tem seu resultado composto basicamente pelo resultado de equivalência patrimonial, apurado pelo desempenho de suas controladas Itaú Unibanco, Duratex, Elekeiroz, Itautec e outras áreas. O resultado de equivalência patrimonial recorrente somou 2,214 bilhões de reais, avanço de 5,6 por cento na mesma base comparativa." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/05/2017) - Comunicando.

"O preço médio de venda dos imóveis ficou estável (-0,01%) entre março e abril, de acordo com o Índice FipeZap Ampliado. A pesquisa, que acompanha o preço médio do metro quadrado em 20 cidades brasileiras, apontou que, no ano, a variação do preço das moradias teve alta de 0,69% e foi inferior à inflação acumulada de 4,14%, segundo o IPCA. Isso significa que, nos últimos 12 meses, houve uma desvalorização real de 3,32% no preço dos imóveis. " (Fonte: Estadão)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/04/2017) - Continua ruim.

"As vendas de materiais de construção tiveram queda de 6,5% em março, na comparação anual, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Na comparação com fevereiro, porém, o faturamento deflacionado aumentou 12,2%. No ano, a redução acumulada das vendas é de 6,3% e, nos 12 meses encerrados em março, de 9,1%.

A Abramat informou também que a venda de materiais de base caiu 4,3% e a de acabamento teve queda de 8,8%, na comparação anual, mas nestes segmentos houve alta ante fevereiro de 12,8% e de 12%, respectivamente." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/04/2017) - Continua ruim.

"As vendas de materiais de construção tiveram queda de 6,5% em março, na comparação anual, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Na comparação com fevereiro, porém, o faturamento deflacionado aumentou 12,2%. No ano, a redução acumulada das vendas é de 6,3% e, nos 12 meses encerrados em março, de 9,1%.

A Abramat informou também que a venda de materiais de base caiu 4,3% e a de acabamento teve queda de 8,8%, na comparação anual, mas nestes segmentos houve alta ante fevereiro de 12,8% e de 12%, respectivamente." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/04/2017) - Setor continua se enfraquecendo.

"As vendas de cimento no Brasil em março recuaram 4,4 por cento em relação ao mesmo mês de 2016, para 4,7 milhões de toneladas, informou nesta segunda-feira a entidade que representa os fabricantes, Snic.

No acumulado de janeiro a março, foram vendidas 12,9 milhões de toneladas de cimento no país, volume 8 por cento menor em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Snic." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/04/2017) - Notícia ruim para o setor já combalido.

"O novo Plano Diretor e a Lei de Zoneamento de São Paulo, sancionados no ano passado, tendem a elevar o preço dos imóveis na capital paulista e deslocar os moradores para áreas menos nobres. Segundo o Sindicato da Construção (Sinduscon-SP), as estimativas feitas até agora apontam para aumentos entre 8% e 10% no preço final dos imóveis. Mas há estudos acadêmicos que estimam aumentos de até 15% nos preços,dependendo da região." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/04/2017) - Comunicando.

"Novos shoppings têm mais da metade das lojas vazias. Os centros que vêm sendo abertos no Brasil estão cada vez com mais dificuldade em atrair lojistas, e a taxa de vacância média está em 55%." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/04/2017) - Mais dados mostrando piora expressiva.

"As vendas de imóveis residenciais novos caíram 34,5%, em janeiro, na cidade de São Paulo, na comparação anual, para 622 unidades, segundo a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, o Sindicato da Habitação. Em relação a dezembro, houve queda de 70,7%.

Dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), divulgados pelo Secovi-SP, apontam que foram lançadas apenas 52 unidades residenciais, em janeiro. O “total histórico”, segundo o Secovi-SP, representa queda de 94,6%, na comparação anual, e retração de 97,4% ante dezembro." (Fonte: Valor Econômico)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








ITAÚSA - (05/04/2017) - Comunicando.

"A Itaúsa, braço de investimentos industriais do Itaú Unibanco, informou nesta terça-feira que comprou por 292,3 milhões de dólares uma fatia de 7,65 por cento Nova Transportadora do Sudeste (NTS), empresa de gasoduto cujo controle foi vendido pela Petrobras.

Segundo a Itaúsa, do total investido no negócio, ela pagou 696,9 milhões de reais no ato. Outros 72,3 milhões de dólares serão pagos em cinco anos a ser atualizado no período.

A Itaúsa também adquiriu debêntures conversíveis em ações da NTS, com vencimento em 10 anos e no valor de 442,1 milhões de reais." (Fonte: Reuters)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/04/2017) - Comunicando.

"Os preços dos imóveis ficaram praticamente estáveis no primeiro trimestre do ano, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (4) na pesquisa FipeZap. Os valores, no entanto, subiram menos que a inflação esperada para o período. O estudo mostra que, enquanto os preços subiram 0,09% nos primeiros três meses de 2017, a inflação esperada é de 0,94%, considerando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e as projeções do Boletim Focus para março. Já nos últimos 12 meses terminados em março, os preços tiveram queda real (ou seja, levando em conta a inflação) de 3,62%. Enquanto a variação dos valores foi de 0,77%, a inflação esperada é de 4,55%." (Fonte: G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/04/2017) - Comunicando.

"As vendas de material de construção no varejo brasileiro aumentaram 10% em março na comparação com fevereiro. No comparativo com março do ano passado, houve aumento de 12%, de acordo com pesquisa mensal da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), que entrevistou 530 lojistas entre 28 e 31 de março. No primeiro trimestre do ano, o setor apresentou crescimento de 4% sobre o mesmo período de 2016." (Fonte: Exame)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/03/2017) - Comunicando.

"O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de terça-feira (28) em votação simbólica a Medida Provisória (MP) 751/16, que cria o Programa Cartão Reforma, voltado para subsidiar a compra de materiais de construção destinados à reforma, à ampliação, à promoção da acessibilidade ou à conclusão de obras em imóveis de famílias de baixa renda." (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/03/2017) - Comunicando.

"O Índice Nacional de Custo da Construção -M (INCC-M) registrou inflação de 0,36% em março, abaixo do resultado de fevereiro (0,53%). Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o custo da construção civil teve um aumento acumulado de 5,87% em 12 meses." (Fonte: Terra)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/03/2017) - Comunicando.

"Embora as perspetivas sejam mais otimistas para 2017 do que 2016, a questão dos distratos ainda segue assombrando o setor de construção civil: "existe uma mudança de humor no setor, mas enquanto não vier uma decisão sobre os distratos, vamos focar nos empreendimentos menores. Enquanto não existir uma decisão sobre isso, o setor de construção não terá coragem de lançar grandes empreendimentos", disse o diretor de Relações com Investidores da Eztec (EZTC3), Emílio Fugazza, em entrevista ao Cenário RI, da InfoMoneyTV, nesta terça-feira (28). A gravação pode ser conferida ao final desta matéria. " (Fonte: Infomoney)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:








IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/03/2017) - Comunicando.

"A queda da taxa básica de juro e as medidas recentemente anunciadas pelo governo federal ainda não surtiram o efeito desejado no setor imobiliário e as companhias devem seguir cautelosas para 2017." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/03/2017) - Continua piorando a situação do setor de imóveis e construção, além de outros. Onde está a melhora que alguns estão falando que não consigo encontrar?

"A indústria da construção operou em fevereiro no menor nível de sua capacidade desde janeiro de 2012. De acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 23, pela Confederação Nacional da Indústrias (CNI), o indicador que mede a utilização da capacidade de operação do setor atingiu 53%, o menor da série história da Sondagem Indústria da Construção, iniciada há cinco anos. O indicador é inferior 2 pontos porcentuais em relação a janeiro e 10 pontos porcentuais abaixo da média histórica para o mês de fevereiro.

Além disso, o nível de atividade do setor se mantém muito abaixo do usual para o mês, com 28,8 pontos. Os dados da pesquisa variam de zero a 100 pontos. Valores abaixo de 50 pontos sinalizam atividade abaixo do usual e, quanto menor o valor, mais distante a atividade está do usual." (Fonte: IstoÉ)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/03/2017) - Continua piorando.

"O preço de imóveis comerciais registraram novo recuo em fevereiro. De acordo com o Índice FipeZap Comercial, que acompanha o valor médio de conjuntos e salas comerciais de até 200 m², a queda em casos de venda foi de 0,23%. No mesmo período, preços de locação ficaram 0,20% mais baratos. Na comparação com o acumulado nos últimos 12 meses, os preços de venda têm queda de 2,95, e os de locação, de 7,55%.

Segundo o levantamento, em termos reais, quando a inflação de 5,35% acumulada no período segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as quedas foram de 7,36% para venda, e de 11,75% para locação. O valor médio do m² dos imóveis comerciais anunciados nos municípios monitorados foi de R$ 10.061, para venda, e R$ 42,42 para locação." (Fonte: Jornal Económico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/03/2017) - Ainda ruim.

"As vendas de fevereiro tiveram queda de 15 por cento sobre o mesmo período do ano passado, enquanto na comparação com janeiro houve baixa de 2,7 por cento. O faturamento da indústria brasileira de materiais de construção recuou em fevereiro, em resultado ainda afetado por desemprego, dificuldades de crédito, juros elevados e incerteza política, informou nesta quinta-feira a associação que representa o setor, Abramat." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/03/2017) - Positivo.

"O preço médio dos imóveis anunciados para locação sofreu um pequeno aumento de 0,15% em fevereiro, segundo o Índice FipeZap de Locação, que acompanha a variação nos valores de residências anunciadas em 15 cidades brasileiras. Foi o segundo avanço nominal consecutivo, já que em janeiro houve uma alta de 0,17%. Nos 20 meses anteriores, o índice havia registrado queda." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/03/2017) - Setor continua piorando.

"Os fabricantes de cimento do Brasil continuaram registrando queda de vendas em fevereiro, com recuo de 15,3 por cento no volume comercializado no mês passado sobre o mesmo período de 2016, informou a associação que representa os produtores, Snic. O setor apurou vendas de 3,9 milhões de toneladas de cimento em fevereiro, após 4,6 milhões um ano antes." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/03/2017) - O preço real, descontada a inflação, não para de cair o que é ruim.

"O preço de venda dos imóveis subiram 0,13% de janeiro para fevereiro e, nos últimos 12 meses, a alta acumulada é de 0,84%, ambos abaixo da inflação estimada pelos analistas do mercado financeiro, por meio do Boletim Focus, do Banco Central, de 0,44% e 4,36%, respectivamente. Por enquanto, a prévia da inflação oficial medida pelo IBGE em fevereiro é de 0,54%." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/03/2017) - Continua piorando a situação dos preços e alugues dos imóveis.

"O preço nominal médio do metro quadrado para aluguel de imóveis residenciais no país recuou 8,95 por cento em fevereiro ante o mesmo mês de 2016, a 23,08 reais, mas ficou estável na comparação com janeiro, segundo levantamento do portal imobiliário VivaReal, divulgado nesta sexta-feira.

No caso das vendas, o preço nominal médio do metro quadrado para imóveis residenciais no Brasil recuou pelo terceiro mês consecutivo em fevereiro, para 4.800 reais, menor valor em 12 meses. A queda em relação a fevereiro do ano passado foi de 0,64 por cento, enquanto ante janeiro, o recuo foi de 0,76 por cento." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/02/2017) - Comunicando.

"Ainda na entrevista à Globonews, Meirelles afirmou que o governo já decidiu elevar para R$ 1,5 milhão o limite de financiamento imobiliário via Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) - atualmente, em São Paulo, o teto está em R$ 950 mil. "A classe média vai ser extremamente beneficiada (pela medida)", disse. O ministro não informou quando o novo limite passará a valer." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/02/2017) - Comunicando.

"O valor médio do aluguel de imóveis residenciais no Brasil subiu 0,17 por cento janeiro ante dezembro, em termos nominais, primeiro aumento depois de vinte meses de queda, segundo o índice FipeZap, divulgado nesta quinta-feira." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/02/2017) - Boa notícia

"O governo anunciou nesta segunda-feira mudanças nas regras do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, que incluem reajuste no perfil de renda dos beneficiários das faixas 1,5; 2 e 3, bem como aumento no valor máximo dos imóveis enquadrados.

A meta do MCMV é contratar 610 mil unidades em 2017 em todas as faixas do programa, segundo comunicado divulgado a jornalistas em cerimônia no Palácio do Planalto." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/02/2017) - Só piora a situação para o setor. Se alugueis caem é porque os imóveis valem menos, visto que o aluguel é a receita do investimento.

"O preço médio do aluguel residencial no Brasil em janeiro recuou 9,1 por cento em termos nominais na comparação com igual período de 2016, atingindo 23,08 reais por metro quadrado, menor nível em 12 meses, de acordo com o levantamento DMI-Viva Real. Na comparação com dezembro, houve queda de 1,4 por cento, mostrou a pesquisa, que contempla mais de 2 milhões de imóveis usados em 30 cidades de diferentes regiões do país." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/01/2017) - Notícia ruim, mas confirmando o que já se esperava.

"O preço médio dos imóveis comerciais no Brasil em 2016 caiu, em termos nominais, 3,2 por cento para a venda e 7,9 por cento para locação ante 2015, segundo o índice FipeZap Comercial - que monitora o valor de conjuntos e salas com até 200 metros quadradros nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Considerando uma inflação de 6,29 por cento em 2016, houve queda real de 8,9 por cento no preço de venda e de 13,4 por cento no de locação, mostrou a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com o portal Zap." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/01/2017) - ALERTA.

"Algumas construtoras e incorporadoras podem pedir recuperação ainda no primeiro semestre de 2017, previu nesta terça-feira o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Gilberto de Abreu Filho." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/01/2017) - Comunicando.

"As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo em novembro de 2016 somaram 1.724 unidades, volume 14,4% superior a outubro do mesmo ano e 30,3% inferior a novembro de 2015. No acumulado de janeiro a novembro de 2016, foram comercializadas 14.048 unidades residenciais, volume 18,7% inferior ao total vendido no mesmo período de 2015, de acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 18 pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP). A cidade de São Paulo registrou em novembro de 2016 o total de 3.214 unidades residenciais lançadas, volume 45% superior ao percebido em outubro e 8,8% inferior a novembro de 2015." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/01/2017) - Comunicando.

"Segundo disseram três fontes para a agência Reuters, o governo e representantes da indústria de construção estão perto de um acordo sobre novas regras que dão às empresas o direito de manter uma parcela do valor do imóvel no caso de cancelamento da venda. " (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/01/2017) - Setor de construção continua piorando e o desemprego no Brasil aumentando.

"A indústria de construção civil fechou 58.201 vagas em novembro no Brasil, elevando para 461.849 o total de demissões nos 11 primeiros meses de 2016, segundo pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O mês de novembro marcou a 26ª queda consecutiva do nível de emprego no setor, para 2,582 milhões de trabalhadores, número 2,2 por cento menor que o de outubro e 14,5 por cento inferior a novembro de 2015, de acordo com o SindusCon-SP. No primeiro mês de queda, em outubro de 2014, o setor tinha 3,57 milhões de empregos." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/01/2017) - Comunicando.

"O preço médio dos imóveis subiu apenas 0,57% em 2016, segundo o Índice FipeZap, que acompanha a variação nos valores de apartamentos anunciados para venda em 20 cidades brasileiras. Essa é a menor variação já registrada em um ano desde o início da série histórica, em 2008. A inflação esperada para 2016, medida pelo IPCA, deve ficar em 6,4% , segundo o Boletim Focus do Banco Central. Ou seja, ao considerar o efeito da alta generalizada dos preços, o índice apresentou queda real de 5,48%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/01/2017) - Se a rentabilidade está caindo, é normal que o preço também esteja caindo..

"O preço do aluguel de imóveis residenciais recuou 8,3 por cento no período de outubro a dezembro sobre o mesmo período de 2015, para 23,40 reais o metro quadrado. Na comparação com o terceiro trimestre deste ano, a queda foi de 3,2 por cento. " (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/12/2016) - Se a rentabilidade está caindo, é normal que o preço também esteja caindo..

"O preço do aluguel de imóveis residenciais recuou 8,3 por cento no período de outubro a dezembro sobre o mesmo período de 2015, para 23,40 reais o metro quadrado. Na comparação com o terceiro trimestre deste ano, a queda foi de 3,2 por cento. " (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/12/2016) - Acho difícil ter dinheiro.

" O presidente Michel Temer anunciou nesta quarta-feira a construção de mais 500 mil unidades residenciais pelo programa Minha Casa Minha Vida para 2017. O anúncio foi feito durante cerimônia de entrega de 420 casas dos condomínios Ypê e Itapety, em Mogi das Cruzes (SP), para famílias com renda de até R$ 1.800. O investimento foi da ordem de R$ 110 milhões, de acordo com a secretaria de imprensa da Presidência da República." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/12/2016) - Oferta subindo e vendas caindo é ruim para o setor.

" Os lançamento de imóveis no Brasil em outubro subiram 25,9 por cento ante igual período de 2015, atingindo 4,1 mil unidades. As vendas, contudo, encolheram 2,5 por cento ante outubro de 2015, para 7,5 mil unidades, enquanto as entregas tiveram recuo de 6,6 por cento, para 8,7 mil.Em 12 meses, foram lançados 68,3 mil imóveis, alta de 1,7 na comparação anual. Já os distratos recuaram 4,1 na mesma base, para 45,3 mil, e as vendas encolheram 11,6 por cento para 102,3 mil unidades." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/12/2016) - O preço e a rentabilidade dos imóveis estão caindo com certeza.

"O aluguel caiu 3,21% no acumulado de 2016 e 3,24% nos últimos 12 meses até novembro. Essa variação no último ano foi menor do que a inflação no período, de 6,99%, segundo o Boletim Focus do Banco Central. Ou seja, os demais preços da economia subiram mais do que os imóveis para alugar, e a queda real foi de 9,56%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/12/2016) - Comunicando.

"O setor da construção civil fechou 441 mil vagas de emprego formais entre outubro de 2015 e outubro deste ano. A queda é de 14,66%, de acordo com levantamento do Sindicato da Construção de São Paulo (Sinduscon-SP) divulgado nesta quinta-feira (1). Segundo a pesquisa, o setor emprega agora cerca de 2,64 milhões de pessoas, contra os 3,08 milhões de um ano atrás." (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/12/2016) - Preço dos imóveis continuam caindo de forma real. Mas é importante lembrar que a queda da notícia é a dos anúncios e os imóveis são geralmente vendidos BEM abaixo desses preços em momentos de crise.

"O preço médio dos imóveis subiu apenas 0,45% nos últimos 12 meses encerrados em novembro, segundo o Índice FipeZap, ou seja, ao considerar o efeito da alta generalizada dos preços, o índice apresentou queda real de 6,25%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/11/2016) - Comunicando.

"Neste ano, 15,2% das pessoas, identificadas pelo CPF (Cadastro de Pessoa Física) declararam que estão com prestações do imóvel atrasadas há mais de 30 dias, mostra o levantamento. É quase o triplo do registrado em 2015 (5,6%) e supera essa marca em relação a 2014 (4,2%). “Com a crise, o brasileiro está vendo o sonho da casa própria desabar”, afirma Jair Lantaller, responsável pelo estudo e conselheiro do Geoc. " (Fonte: Estadão)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/11/2016) - Não sei se essas medidas ajudarão muito o setor, acredito que não pois não há dinheiro para o governo financiar obras E os compradores também não tem dinheiro.

"O Ministério das Cidades flexibilizou, nesta terça-feira (29), as regras do Programa Minha Casa, Minha Vida para pequenos construtores, atendendo a reivindicação do setor de aumentar o prazo de inscrição das empresas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), retirando a exigência de construção apenas em áreas pavimentadas. O pedido foi encaminhdo pelo ministro Bruno Araújo. " (Fonte: IG)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/11/2016) - Comunicando.

"O volume de empréstimos concedidos para aquisição e construção da casa própria com recursos da poupança pelos agentes financeiros no âmbito do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) somou R$ 3,6 bilhões em outubro, uma queda de 22,4% na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo divulgou nesta segunda-feira (28) a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança em São Paulo (Abecip). Na comparação com setembro (R$ 3,2 bilhões), entretanto, o valor cresceu 15,6%.No acumulado entre janeiro e outubro, os financiamentos imobiliários atingiram R$ 37,2 bilhões, montante 44,2% menor do que o registrado nos 10 primeiros meses do ano passado. Em 2015, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis caiu 33% e somou R$ 75,6 bilhões." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/11/2016) - Comunicando.

"O Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou nesta quarta-feira (23) o julgamento de diversas ações apresentadas pelo setor industrial para derrubar leis estaduais e municipais que proíbem a produção e comercialização do amianto, material usado para fabricar telhas e caixas d'água.

Relator dos processos, o ministro Edson Fachin votou para manter as leis, deixando a cargo dos estados e municípios regular o tema em seus respectivos territórios. O julgamento, no entanto, foi interrompido com um pedido de vista do ministro Dias Toffoli, que disse precisar de mais tempo para analisar o caso. Ainda não há data prevista para retomada do julgamento." (Fonte: G1)







ITAÚSA - (21/11/2016) - Com P/L de 8 e P/VPA de 1,3 (Fonte: Guiainvest), vale a pena acompanhar os papeis da empresa para compra-los em momentos de correção técnica do mercado.

"Holding Itaúsa reportou nesta terça-feira um lucro líquido consolidado de 2,13 bilhões de reais no terceiro trimestre, cifra 36,3% inferior aos 3,35 bilhões de reais reportados no mesmo período de 2015. No acumulado de janeiro a setembro, o grupo lucrou 6,313 bilhões de reais, 12,5% menos que os 7,215 bilhões de reais apurados nos nove primeiros meses do ano passado. O resultado de equivalência patrimonial recorrente foi de 2,082 bilhões de reais no terceiro trimestre, queda de 8,4 por cento ante o mesmo intervalo de 2015." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/11/2016) - Continua piorando os investimentos em imóveis. .

"O valor médio do aluguel de imóveis residenciais apresentou queda nominal de 0,17% na passagem de setembro para outubro. De acordo com o Índice FipeZap de Locação, que analisa as variações de preços nas principais cidades do País, esta foi 18º mês seguido com resultados negativos. No acumulado de 2016, a queda dos preços médios é de 3,10%, e, nos últimos dozes meses, de 3,80%. Quando a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) nos últimos 12 meses (7,87%) é levada em consideração, a queda real no período foi de 10,82%." (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/11/2016) - Números continuam piorando.

"As vendas de imóveis em setembro no Brasil recuaram 5 por cento ante igual período de 2015. Em 12 meses, foram vendidos 103,2 mil imóveis, 12,7 por cento a menos na comparação anual, conforme o levantamento.

Os lançamentos em setembro caíram 25,2 por cento frente ao mesmo intervalo do ano passado. No acumulado em 12 meses, houve quedas de 1,1 por cento e 0,9 por cento, respectivamente.

Mais cedo, levantamento divulgado pela Fipe em parceria com o portal ZAP mostrou que o valor médio do aluguel de imóveis residenciais em 11 cidades brasileiras caiu 0,17 por cento em outubro ante setembro, para 30,03 reais por metro quadrado. O índice FipeZap acumula queda de 3,1 por cento de janeiro a outubro, e de 3,8 por cento em 12 meses. " (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/11/2016) - Desemprego continua a subir e a crise pelo visto durará até o primeiro semestre do ano que vem.

"O nível de emprego no setor da construção civil do País recuou em 1,14% no último mês de setembro sobre agosto, o que representou o corte de 30.823 trabalhadores. No acumulado do ano até setembro, foram suprimidas 225.069 vagas e, em 12 meses, 460.014. Segundo o levantamento, o setor vem reduzindo as contratações há dois anos e já eliminou, nesse período, 899.913 mil postos de trabalho." (Fonte: Terra)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/11/2016) - Comunicando.

"faturamento das indústrias de materiais de construção no País caiu 8,4% em outubro de 2016 ante o mesmo mês de 2015. Com relação a setembro deste ano, no entanto, houve crescimento de 8,6%, de acordo com pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 11, pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). De janeiro a outubro 2016, houve retração de 12,1% no faturamento em relação ao mesmo período do ano passado. Já na base acumulada dos últimos 12 meses, a queda foi de 13,2%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/11/2016) - Ainda fraco o mercado.

"A venda de cimento no Brasil em outubro recuou 18,1 por cento sobre o mesmo período do ano passado, para 4,63 milhões de toneladas, informou nesta quinta-feira a associação de fabricantes, Snic. No acumulado do ano, as vendas do insumo que representa um dos indicadores de saúde da economia, mostram queda de 13,4 por cento sobre os dez primeiros meses de 2015, a 47,9 milhões de toneladas." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/11/2016) - Muito bom resultado, MAS será que foi uma recuperação devido a parada da greve dos bancos no período anterior ou ela é sustentável?

"As vendas de imóveis residenciais novos na capital paulista em setembro cresceram 23,3 por cento ante o mesmo período de 2015, para 1.717 unidades, no segundo melhor desempenho do ano e reforçando expectativas de melhora na conjuntura econômica do país, informou nesta terça-feira o Secovi-SP. Na comparação com agosto, a alta nas vendas foi de 59,3 por cento.

Além do crescimento nas vendas, os lançamentos em setembro tiveram forte alta na comparação anual, avançando quase 67 por cento, para 2.165 unidades. Sobre agosto, o volume lançado teve expansão de cerca de 84 por cento." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/11/2016) - Boa notícia.

"As taxas de juros do crédito imobiliário com recurso de poupança da Caixa vão ficar mais baratas a partir de amanhã. O banco anunciou nesta terça-feira, 8, que reduzirá em 0,25 ponto porcentual ao ano todas as taxas para pessoas físicas que financiarem imóveis novos ou usados enquadrados no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), independentemente do relacionamento com a instituição. " (Fonte: Estadão)







ITAÚSA - (08/11/2016) - Comunicando.

" holding Itaúsa reportou nesta terça-feira um lucro líquido consolidado de 2,13 bilhões de reais no terceiro trimestre, cifra 36,3% inferior aos 3,35 bilhões de reais reportados no mesmo período de 2015. No acumulado de janeiro a setembro, o grupo lucrou 6,313 bilhões de reais, 12,5% menos que os 7,215 bilhões de reais apurados nos nove primeiros meses do ano passado. O resultado de equivalência patrimonial recorrente foi de 2,082 bilhões de reais no terceiro trimestre, queda de 8,4 por cento ante o mesmo intervalo de 2015." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/11/2016) - Se o valor do aluguel (rentabilidade) dos imóveis está caindo, então é bem provável que o valor do imóvel esteja caindo também visto que os juros do financiamento se mantém praticamente estáveis e sem perspectiva de queda no curto prazo. .

"O preço médio do metro quadrado residencial para aluguel no Brasil recuou 9,58 por cento em outubro ante o mesmo período do ano passado, em termos nominais, para 23,68 reais, conforme levantamento DMI-VivaReal. Na comparação com setembro, quando o valor médio estava em 24,19 reais por metro quadrado, houve queda de 2,11 por cento, mostrou o estudo, que contempla mais de 2 milhões de imóveis para compra ou aluguel em 30 cidades do país." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/11/2016) - Eu acredito que os preços estão caindo MUITO mais do que o FipeZap consegue detectar, pois ele mede pelos anúncios de venda e não pelos preços efetivamente realizados.

"O preço médio dos imóveis subiu apenas 0,11% em outubro, segundo o Índice FipeZap. Pelo sétimo mês seguido, essa variação foi menor do que a inflação. No acumulado entre janeiro e outubro de 2016, os valores aumentaram 0,38%. Nos últimos 12 meses, o Índice FipeZap subiu somente 0,33%. No mesmo período, a inflação medida pelo IPCA deve ficar em 7%, o que significa que, ao considerar o efeito da alta generalizada dos preços, o índice apresentou queda real de 7,03%. " (Fonte: Exame)







ITAÚSA - (03/11/2016) - Comunicando.

"A Itaúsa – Investimentos Itaú S.A. informa que, conjuntamente com Brasil Warrant Administração de Bens e Empresas S.A. e Cambuhy Investimentos Ltda., ingressou formalmente no processo competitivo de aquisição de participação societária na Petrobras Distribuidora S.A. (BR Distribuidora)." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/10/2016) - Comunicando.

"Os 31 dias de greve bancária derrubaram as negociações de crédito para a construção e comercialização de imóveis no País em setembro. O volume de financiamentos atingiu R$ 3,2 bilhões em setembro de 2016, o menor resultado mensal registrado neste ano. O montante representa queda de 41,7% em relação a setembro de 2015 e baixa de 21,5% ante agosto de 2016." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/10/2016) - Comunicando.

"Os preços de imóveis no Brasil devem ter queda real novamente em 2017, aponta um relatório da agência de classificação de risco Fitch Ratings divulgado nesta terça-feira (25). Quando a Fitch fala em queda real de preços, quer dizer que os imóveis continuarão subindo abaixo da inflação no próximo ano." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/10/2016) - Comunicando.

"Foram vendidas 1.078 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo, segundo o Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP. O resultado é 30,2% superior ao total vendido em julho (828 unidades) e 32,9% abaixo do volume de vendas de agosto do ano passado (1.606 unidades). No acumulado de janeiro a agosto, foram comercializadas na capital paulista 9.100 unidades residenciais, volume 26,1% inferior ao total vendido no mesmo período de 2015 (12.306 unidades). O setor encerrou o mês de agosto com 24.411 unidades não vendidas disponíveis, ficando praticamente estável em relação ao mês anterior (24.627 unidades) e 9,4% inferior a agosto de 2015. " (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/10/2016) - Boa notícia o aumento nas vendas, mas os lançamentos aumentaram muito mais.

"As vendas de imóveis residenciais no Brasil em agosto subiram em agosto pela primeira vez em 13 meses, avançando 1,4 por cento sobre o mesmo período do ano passado. Já o número de lançamentos em agosto foi de 4,6 mil unidades no país, um aumento segundo a pesquisa de 70 por cento sobre o mesmo período de 2015. O levantamento também afirma que os cancelamentos de contrados de venda, conhecidos como distratos, subiram 2,8 por cento em agosto sobre um ano antes, para 3,8 mil unidades." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/10/2016) - Comunicando.

"O preço médio de imóveis para alugar caiu apenas 0,14% entre agosto e setembro, segundo o Índice FipeZap de Locação. O preço caiu 2,94% no acumulado de 2016 e 4,28% nos últimos 12 meses... a queda real foi de 11,76%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/10/2016) - Continua piorando a situação do setor pelos indícios.

"A comercialização de cimento no Brasil em setembro recuou 13 por cento sobre o mesmo período do ano passado e caiu 2 por cento na comparação com agosto." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/10/2016) - Péssima notícia para os sócios da empresa e para o setor de construção como um todo porque mostra o quanto o setor está vulnerável.

"Exemplo do momento delicado que o setor imobiliário enfrenta, a PDG Realty mostra dificuldades para chegar a uma solução definitiva para o seu endividamento financeiro. Depois de ter formalizado uma reestruturação em agosto, que envolveu o alongamento do prazo de pagamentos de juros e principal de cerca de R$ 4 bilhões e a entrada de R$ 200 milhões de dinheiro novo na companhia, uma fonte por dentro das negociações disse que a incorporadora vive, mais uma vez, a necessidade de sentar com os principais bancos. Desta vez, o objetivo seria fechar um pacote de renegociação de cerca de R$ 5 bilhões, dentro de uma dívida bruta de aproximadamente R$ 8 bilhões. As tratativas ainda estariam em fase preliminar." (Fonte: Valor Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/10/2016) - Preço do aluguel caindo, ou seja, do rendimento dos imóveis, indica que o preço dos imóveis devem estar caindo.

"O preço médio do metro quadrado para aluguel no Brasil caiu 5,6 por cento no terceiro trimestre frente ao mesmo período de 2015, para 24,19 reais, de acordo com o índice DMI-VivaReal, da plataforma digital para compra e locação VivaReal." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/10/2016) - Imóveis continuam perdendo e MUITO da inflação.

"Os preços dos imóveis registraram queda real de 7,88% nos últimos doze meses terminados em setembro, segundo pesquisa FipeZap divulgada nesta quarta-feira (4). No período, os preços subiram, em média, 0,22%, contra inflação de 8,79%, considerando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).Entre agosto e setembro, os preços dos imóveis tiveram alta de 0,12%, mas o avanço segue abaixo da inflação esperada para o período, de 0,24%. No acumulado do ano, os preços têm aumento de 0,27%, contra inflação de 5,91% esperada para o mesmo intervalo." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/10/2016) - Comunicando.

"A desistência da compra de imóveis na planta atinge cada vez mais o setor imobiliário, segundo o Valor Econômico. Uma avalanche de processos judiciais movidos por consumidores que querem um ressarcimento maior que o do contrato tem agravado a situação já frágil das companhias." (Fonte: Exame)







ITAÚSA - (04/10/2016) - Comunicando.

"A Itaúsa (ITSA4), holding de investimento das famílias Setubal e Vilella, e a Cambuhy Investimentos, empresa de private equity da família Moreira Salles, pretendem fazer uma oferta pela BR Distribuidora, disse a Bloomberg citando duas pessoas com conhecimento direto do assunto. Além deles, a Vitol e as empresas de private equity GP Investimentos e Advent International também estudam fazer uma proposta, diz a agência de notícias. Segundo as informações, a operação pode envolver US$ 6 bilhões. Alguns dos investidores avaliam criar um consórcio, disseram as fontes." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/10/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/09/2016) - Boa notícia para o setor, mas acredito que não irá resolver o problema no curto prazo. Com empresas quebrando muitos compradores estão nervosos em comprar imóveis na planta e os juros são bastante elevados. Ainda tem o problema do desemprego crescente e do excesso de imóveis a venda. "O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quinta-feira uma resolução que prevê que as exigibilidades de aplicação em operações de financiamento habitacional no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) poderão ser atendidas temporariamente mediante a contratação de financiamentos para aquisição de imóveis novos com valor de até 1,5 milhão de reais." (Fonte: Reuters)

Comunicando. "Os financiamentos para aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas de poupança somaram R$ 4 bilhões em agosto, montante 5,2% acima do resultado observado em julho e 31,5% inferior ao registrado em agosto do ano passado." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/09/2016) - PÉSSIMA notícia para as empresas do setor. "O Ministério das Cidades decidiu que a Caixa Econômica Federal está desautorizada a usar recursos do FGTS (Fundo de Garantia de Tempo de Serviço) para financiar a compra de imóveis pelo programa Minha Casa, Minha Vida." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/09/2016) - Ainda em crise. "O segmento de construção civil fechou 31,1 mil postos de trabalho em julho em todo o País. Com isso, o setor encerrou o mês com 2,73 milhões de pessoas empregadas, uma queda de 1,13% em relação a junho." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/09/2016) - Setor continua piorando. "O Índice FipeZap Comercial registrou nova queda nos preços do mercado de imóveis comerciais em agosto. Segundo dados divulgados hoje pela entidade, nos últimos 12 meses, os preços de venda e de locação caíram, respectivamente, 3,25% e 10,77%. Na comparação com o mês de julho de 2016, os preços de venda caíram em média 0,49% e os de locação recuaram 1,01%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/09/2016) - Pelo visto setor está longe do fundo do poço como muitos falam há bastante tempo que estaria. "Em julho deste ano, 828 unidades residenciais novas foram vendidas na cidade de São Paulo, o que representa uma queda de 60,5% em relação ao total comercializado em junho (2.097 unidades) e de 20,5% na comparação com julho do ano passado (1.042 unidades). No acumulado de janeiro a julho, foram comercializadas 8.022 unidades residenciais na capital, 25% a menos que o total vendido no mesmo período de 2015 (10,7 mil unidades)... a cidade de São Paulo registrou um total de 1.099 unidades residenciais novas, com lançamento em julho. O volume é 49,5% menor que o de junho (2.178 unidades) e 33,2% superior ao de julho de 2015 (825 unidades). De janeiro a julho deste ano, foram lançadas 6.830 unidades residenciais no município de São Paulo, com queda de 37,1% em relação ao mesmo período de 2015 (10.852 unidades)." (Fonte: Exame)

Começou ou é caso único? "A construtora Viver entrou com pedido de recuperação judicial na última sexta-feira, num processo que envolve dívidas de cerca de R$ 1 bilhão. Dias antes, a construtora foi alvo de duas execuções judiciais, uma de R$ 15 milhões e outra de R$ 18,5 milhões, referentes a dívidas não pagas pela companhia." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/09/2016) - O valor dos imóveis deve estar caindo forte porque o seu retorno (aluguel) está caindo fortemente. "O preço médio dos alugueis voltou ao nível de 3 anos atrás, segundo o índice FipeZap de Locação divulgado nesta quinta-feira (15). O levantamento aponta que o preço médio do metro quadrado de locação nas cidades pesquisadas em agosto foi de R$ 30,13 - valor registrado nominalmente pela última vez em abril de 2013." (Fonte: G1)

A oferta de imóveis não param de subir, mas a demanda não para de cair, logo conclui-se que os preços devem estar caindo ainda. "Os lançamentos de imóveis no Brasil subiram 92,5% em julho em relação ao mesmo período de 2015, para 2,3 mil unidades, de acordo com levantamento Abrainc/Fipe, divulgado nesta quarta-feira (14). No acumulado do ano até julho, os lançamentos subiram 13,8% na comparação com igual intervalo do ano passado. As vendas, contudo, continuaram caindo. Em julho, o volume comercializado recuou 7,1% ante julho de 2015, para 8 mil unidades. No acumulado do ano até julho, a queda é de 14,5%." (Fonte: UOL)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/09/2016) - Interessante. "A Lava Jato fez ruir o caráter de concentração do mercado da construção, e agora, enquanto as gigantes do setor balançam, empresas médias crescem a ritmo chinês. Esta mudança pode trazer novas configurações para o mercado e fazer com que as grandes empresas tenham cada vez menos espaço, segundo especialistas." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/09/2016) - Setor continua ruim. "Entre julho e agosto, o preço médio do metro quadrado variou apenas 0,05%. O índice acompanha os valores em 20 cidades brasileiras. Nos últimos 12 meses encerrados em agosto, os preços também ficaram praticamente estáveis, com uma queda mínima de 0,03%. A queda real, descontando o aumento generalizado dos preços, foi de 8,24%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/09/2016) - Não tem absolutamente nada que esteja ruim que não possa piorar ainda mais. "As condições do mercado imobiliário atingiram em junho o pior nível do indicador da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A pontuação média do Radar Abrainc-Fipe, em uma escala de zero (menos favorável) e dez (mais favorável), ficou em 2,2 pontos, registrando piso da série histórica, iniciada em 2004. " (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/09/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (31/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/08/2016) - Crise ainda sem perspectiva de abrandar. "A receita das empresas brasileiras de engenharia despencou e teve, no ano passado, o menor volume desde 2008, segundo levantamento publicado ontem pela revista "O Empreiteiro", com dados das 500 maiores companhias do país no setor. Nos últimos dois anos, a queda acumulada na receita é de 43%, caindo de R$ 131 bilhões em 2013, antes do início da Operação Lava-Jato, para R$ 75 bilhões em 2015." (Fonte: O Globo)







ITAÚSA - (22/08/2016) - No penúltimo trimestre do ano passado, a empresa apresentou um lucro anormalmente alto que não se repetiu e dificilmente se repetirá, logo tirando-o e considerando um lucro trimestral em torno de R$ 2 bilhões, teríamos um P / L de 8,15. O P / VPA está em 1,3 (Fonte: Guiainvest) e estes dois múltiplos demonstram que a ação NÃO está cara, logo vale a pena acompanhar o papel para eventuais COMPRAS em momentos de forte correção técnica.

"A holding Itaúsa encerrou o segundo trimestre com lucro líquido consolidado de 2,23 bilhões de reais, avanço de 18 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, divulgou a empresa nesta terça-feira. O resultado de equivalência patrimonial recorrente somou 2,226 bilhões de reais, avanço de 1,8 por cento na mesma base comparativa." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/08/2016) - A rentabilidade dos imóveis está desmoronando, logo é de se esperar que o valor dos mesmos também estejam caindo forte. "O preço médio do aluguel de imóveis continua em queda no Brasil, o que significa que o poder de barganha segue nas mãos dos inquilinos. Em um ano, até julho, o custo de locação caiu 5,23%, segundo o Índice Fipezap de Locação, que acompanha a variação do aluguel em 11 cidades brasileiras. Essa queda no valor de locação ficou muito abaixo do aumento generalizado dos preços, a inflação medida pelo IPCA, de 8,74% no mesmo período. Ou seja, a queda real do aluguel foi, em média, de 12,84% em um ano. Desde o início do ano, o preço também caiu 2,44%, e entre junho e julho, se manteve praticamente estável, com uma pequena queda de 0,67%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/08/2016) - Melhorando em relação ao mês anterior. "A comercialização de cimento no Brasil em julho caiu 11,7 por cento sobre o mesmo período do ano passado, para 5,156 milhões de toneladas, informou nesta terça-feira a associação de fabricantes do material, Snic. Na comparação com junho, as vendas do insumo termômetro da indústria da construção civil cresceram cerca de 11 por cento. Com o resultado do mês passado, o setor encerrou os sete primeiros meses de 2016 com vendas de 33,35 milhões de toneladas, queda anual de 13,1 por cento." (Fonte: Reuters)

Também melhorando em relação ao mês anterior. "O mercado imobiliário paulistano registrou a venda de 2.097 unidades residenciais novas em junho, o que representa uma queda de 19 por cento ante mesma etapa de 2015, informou nesta terça-feira o Secovi-SP. Na comparação com o mês anterior, no entanto, as vendas foram 98 por cento maiores." (Fonte: Reuters)







ITAÚSA - (10/08/2016) - Comunicando. "A holding Itaúsa encerrou o segundo trimestre com lucro líquido consolidado de 2,23 bilhões de reais, avanço de 18 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, divulgou a empresa nesta terça-feira. O resultado de equivalência patrimonial recorrente somou 2,226 bilhões de reais, avanço de 1,8 por cento na mesma base comparativa." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/08/2016) - Comunicando. "Os preços dos imóveis têm queda real (considerando a inflação) de 4,5 em 2016, segundo dados da pesquisa FipeZap divulgados nesta quarta-feira (2). Considerando dados até julho, os preços tiveram alta de 0,09% - abaixo da inflação esperada para o período, de 4,84%. Já na comparação mensal, os preços dos imóveis se mantiveram praticamente estáveis em julho, com leve alta de 0,06% em relação aos valores de junho - também abaixo da inflação esperada para o período, de 0,41%. Já na variação dos doze meses terminados em julho, houve queda real de 8% dos preços. Isso porque, enquanto os valores se mantiveram praticamente estáveis, com leve queda de 0,09%, a inflação esperada para o período é de 8,62%." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/08/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/07/2016) - Comunicando. "O volume de recursos desembolsados pela principal linha de financiamento imobiliário do país caiu à metade no primeiro semestre. Entre janeiro e junho, foram desembolsados para a compra de imóveis pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) 22,6 bilhões de reais, queda de 49,5 por cento ante mesma etapa do ano passado, informou nesta terça-feira a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). " (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/07/2016) - Rentabilidade segue caindo forte. "O valor do aluguel para fins comerciais sofreu recuo de 11,35% no período compreendido entre os últimos doze meses, que foi encerrado no último mês de junho. As informações foram fornecidas pelo índice FipeZap Comercial. Levando em conta apenas os termos reais, que consideram inflação ocorrida dentro do período avaliado, o valor de locação passou por um recuo de 18,56%. Em relação ao valor de imóveis disponíveis para vendas, também foi possível verificar queda. O recuo nominal foi de 3,05%, enquanto os termos reais caíram 10,92%" (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/07/2016) - Rentabilidade segue caindo forte. "O valor do aluguel para fins comerciais sofreu recuo de 11,35% no período compreendido entre os últimos doze meses, que foi encerrado no último mês de junho. As informações foram fornecidas pelo índice FipeZap Comercial. Levando em conta apenas os termos reais, que consideram inflação ocorrida dentro do período avaliado, o valor de locação passou por um recuo de 18,56%. Em relação ao valor de imóveis disponíveis para vendas, também foi possível verificar queda. O recuo nominal foi de 3,05%, enquanto os termos reais caíram 10,92%" (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/07/2016) - O ânimo tem consistência, mas a melhora tende a ser temporária. "As ações de construtoras dispararam nesta segunda-feira (18), após a notícia de que a Caixa Econômica Federal irá elevar o teto do valor de imóveis que podem ser financiados. O IMOB, índice do setor imobiliário, chegou a subir 2,4% durante o dia." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/07/2016) - Quando o preço dos alugueis estão caindo, a rentabilidade dos imóveis está caindo, logo é esperado que o preço deles também caia. A exceção é quando a rentabilidade dos investimentos de renda fixa também estejam caindo, mas isto não está acontecendo no Brasil. "O preço do aluguel residencial fechou o primeiro semestre com a maior queda desde 2007, indicou o Índice FipeZap. Segundo o indicador, o recuo médio em 11 cidades foi de 1,78% nos primeiros seis meses do ano, novo recorde negativo da série histórica, iniciada há nove anos. Se for levada em conta a inflação de 8,84% dos últimos 12 meses, o Índice FipeZap - que considera apenas o preço de novos alugueis - acumula uma queda real de 12,93%." (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/07/2016) - Oferta aumenta e demanda cai, preços dos imóveis devem seguir em baixa. "Os lançamentos de imóveis no Brasil saltaram 218,5 por cento em maio ante mesmo período de 2015, a 5,7 mil unidades, de acordo com o indicador Abrainc Fipe, divulgado nesta quinta-feira. No acumulado do ano, os lançamentos subiram 24,7 por cento na comparação com o período do ano passado. As vendas, no entanto, continuaram apresentando recuo. Em maio, o volume comercializado recuou 4,1 por cento ante 2015, para 8,5 mil unidades, chegando a uma redução de 14,7 por cento no acumulado dos cinco primeiros meses de 2016. Os cancelamentos de vendas (distratos) subiram 1 por cento em maio na comparação anual, e recuaram 3,1 por cento no ano. " (Fonte: Reuters)

Se a rentabilidade dos imóveis está caindo, o preço deles também está. "O preço médio do metro quadrado para aluguel em São Paulo teve desvalorização nominal de 0,8%, no final do segundo trimestre de 2016 na comparação com igual período de 2015, de acordo com estudo realizado pelo site VivaReal com base nos imóveis disponíveis em sua plataforma. Considerando a inflação, os valores apresentaram queda real de 11,59% nos últimos meses. O IGP-M acumulado no período foi de 12,21%. No entanto, na comparação com o primeiro trimestre deste ano, houve valorização nominal de 0,9%, já que em março o valor médio do m² na capital estava em E$ 35,38 e em junho estava em R$ 35,71." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/07/2016) - Continua piorando a situação do setor. "As vendas de materiais de construção caíram 10,8 por cento em junho na comparação anual, informou nesta quarta-feira a Abramat, associação que representa o setor. Assim, no acumulado do ano as vendas caíram 14,3 por cento. A Abramat projeta recuo de 8 por cento em 2016. Em relação a maio, o recuo foi de 3,8 por cento." (Fonte: Reuters)

Continua piorando. "No quinto mês do ano, a venda de imóveis novos caiu 50,7 por cento na comparação anual, a 1.059 unidades. Em relação a abril, o recuo foi de 10,4 por cento. No acumulado do ano, as vendas caíram 27,9 por cento sobre 2015, para 5.097 unidades. Os lançamentos caíram 52,9 por cento em maio na comparação anual, para 1.166 unidades, mas subiram 67,8 por cento em relação a abril, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp) divulgados pelo sindicato. No ano até maio, os 3,6 mil lançamentos representaram queda de 54,4 por cento ante mesma etapa de 2015." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/07/2016) - Conforme esperado e que estamos falando há uns anos, o preço REAL dos imóveis está caindo. "O índice acompanha todo mês os valores do metro quadrado de apartamentos em 20 cidades brasileiras, com base em anúncios na internet. Em um ano, a variação do preço médio dos imóveis foi de - 0,02%, a menor desde o início da série histórica, em janeiro de 2013. A inflação esparada para o mesmo período, segundo o Boletim Focus do Banco Central, é de 8,88%. Ou seja, houve queda real de 8,17% no preço médio do metro quadrado nos últimos 12 meses. Em todas as cidades pesquisadas, a variação do índice ficou abaixo da inflação no mesmo período." (Fonte: Exame)

Comunicando boa notícia, mas NÃO acredito ser uma tendência. "As vendas de material de construção cresceram 5% em junho na comparação com maio, segundo pesquisa divulgada hoje (4) pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). Mesmo com a melhora, o setor do varejo de construção registra queda de 8,5% no acumulado do primeiro semestre deste ano." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/08/2016) - Comunicando. "Os preços dos imóveis têm queda real (considerando a inflação) de 4,5 em 2016, segundo dados da pesquisa FipeZap divulgados nesta quarta-feira (2). Considerando dados até julho, os preços tiveram alta de 0,09% - abaixo da inflação esperada para o período, de 4,84%. Já na comparação mensal, os preços dos imóveis se mantiveram praticamente estáveis em julho, com leve alta de 0,06% em relação aos valores de junho - também abaixo da inflação esperada para o período, de 0,41%. Já na variação dos doze meses terminados em julho, houve queda real de 8% dos preços. Isso porque, enquanto os valores se mantiveram praticamente estáveis, com leve queda de 0,09%, a inflação esperada para o período é de 8,62%." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/07/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/06/2016) - Preços continuam caindo. "O mercado imobiliário continua dando sinais de desaquecimento no Rio. De um total de 80 bairros pesquisados pela consultoria Properati-Hiperdados, 53 registraram preços em queda ou estáveis, para compra e venda, de abril para maio deste ano. Pelo Índice de Preços Properati Hiperdados (IPH-RES/G), que considera os valores gerais dos imóveis (casas e apartamentos), a cidade do Rio sofreu uma queda média de preços de 0,09%, em maio, em relação a abril. Em São Paulo, o recuo foi de 0,26%, em um mês." (Fonte: Extra)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/06/2016) - Péssimas notícias ainda para o setor. "O número de unidades lançadas no mês foi de 1.580, queda de 52,5 por cento na comparação com o mesmo período de 2015. Mas no acumulado do ano, os lançamentos têm alta de 2,9 por cento ante mesmo período do ano passado. Já as vendas recuaram 14,4 por cento em abril ano a ano, a 7.146 unidades. No acumulado de 2016, a queda é de 16 por cento. Em abril, foram distratadas 4.195 unidades, alta de 4,8 por cento na comparação um ano antes. No mercado paulistano, as vendas recuaram 46 por cento em abril ante 2015 enquanto os lançamentos foram 78,7 por cento mais baixos, informou o Secovi-SP esta semana." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/06/2016) - Situação do setor continua piorando. "As vendas e os lançamentos de imóveis residenciais novos na capital paulista registraram queda recorde no acumulado do ano, de acordo com pesquisa do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) em parceria com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). No mês de abril, foram comercializadas 1.182 unidades, volume 46% menor do que no mesmo mês do ano passado. Já no acumulado dos primeiros quatro meses de 2016, as vendas totalizaram 4.038 unidades, recuo de 18% frente ao mesmo período de 2015. Esse é o menor patamar no quadrimestre já registrado pela pesquisa, que é realizada com essa metodologia desde 2004. Os lançamentos em abril somaram 695 unidades, redução de 78,7% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Entre janeiro a abril de 2016, foram lançadas 2.387 unidades na capital paulista queda de 56% em relação ao mesmo período de 2015. " (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/06/2016) - Crise no setor continua a piorar. "As vendas de cimento no Brasil somaram 4,6 milhões de toneladas em maio, queda de 15,2 por cento sobre o mesmo período do ano passado. No acumulado de janeiro a maio, as vendas caíram 13,9 por cento na comparação anual, a 23,2 milhões de toneladas. O resultado de maio ficou praticamente estável em relação a abril, quando atingiu 4,668 milhões de toneladas." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/06/2016) - Redução de poupança significa redução de recursos para construção e venda de imóveis. "O volume de recursos que os investidores sacaram da caderneta de poupança em maio, já descontadas as aplicações, foi de R$ 6,592 bilhões. Segundo dados do Banco Central, a retirada é a maior em 21 anos para o mês - o pior resultado até então havia sido computado no ano passado, de R$ 3,199 bilhões. No acumulado do ano, o saque na poupança também é recorde e chega a R$ 38,888 bilhões." (Fonte: Estadão)

Vai faltar dinheiro para o setor de imóveis. "A Caixa Econômica Federal, o banco estatal no qual o Brasil confia para ajudar a estimular a economia, vai precisar de uma injeção de recursos do governo nos próximos 12 a 18 meses, dizem analistas que estudaram seu balanço. A pior recessão em um século piorou a qualidade da carteira de empréstimos do banco com sede em Brasília, com alta das taxas de inadimplência ao mesmo tempo em que novas normas regulatórias estão elevando as exigências de capital." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/06/2016) - Comunicando. "A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou neste domingo (5) que a 12ª edição do Feirão da Casa Própria em São Paulo movimentou R$ 2,9 bilhões. Ao todo, foram fechados 13,3 mil contratos em três dias de evento no Pavilhão de Exposições do Anhembi." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/06/2016) - Eu NÃO acredito que efetivamente o governo continuará com o programa, ele vai fazer como a Dilma, vai falar mas não agirá. "Depois de protestos de militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que chegaram a invadir o escritório da Presidência da República em São Paulo, na avenida Paulista, o governo informou, por meio do Ministério das Cidades, que vai editar nova portaria divulgando as entidades para contratação de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, modalidade Entidades. O MTST protestou contra uma decisão do ministro das Cidades, Bruno Araújo, que no último dia 17 havia revogado uma portaria da então presidente, Dilma Rousseff, que autorizava a contratação de até 11.250 unidades habitacionais pelo Minha Casa Minha Vida Entidades." (Fonte: http://www.valor.com.br - Valor Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/06/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (31/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/05/2016) - E a situação do setor de construção residencial só piora. "Alegando restrições orçamentárias, o governo do presidente interino, Michel Temer, decidiu acabar com os subsídios concedidos aos mutuários mais pobres dentro do Minha Casa Minha Vida. O programa habitacional deixará de receber recursos do Tesouro Nacional, repassados pela União a fundo perdido, para subsidiar as famílias enquadradas na faixa 1 (renda de até R$ 1.800) - às quais as residências são praticamente doadas - e na faixa 2 (até R$ 3.600) - cujas prestações são bastante reduzidas, facilitando a quitação do financiamento." (Fonte: O Globo)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/05/2016) - Conforme esperado, ACABOU... "O governo do presidente interino Michel Temer suspendeu por completo a terceira etapa do programa habitacional Minha Casa Minha Vida e abandonou a meta traçada pela presidente afastada Dilma Rousseff de contratar 2 milhões de moradias até o fim de 2018, disse o ministro das Cidades, Bruno Araújo, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo publicada nesta sexta-feira." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/05/2016) - )







ITAÚSA - (19/05/2016) - A ação está com um preço interessante, P/L de 6,1 está bem abaixo da rentabilidade oferecida pelos títulos do governo e o P/VPA de 1,1 (Fonte: Guiainvest) é justo. É interessante comprar ações da empresa nos fortes movimentos de correção do mercado, MAS com cuidado porque a empresa tem uma forte participação no setor bancário.

"A holding Itaúsa encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de 1,968 bilhão de reais, avanço de 2 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/05/2016) - Oferta aumentando e demanda caindo, preços tendem a se reduzir. "O estoque de imóveis residenciais e comerciais disponíveis para venda e os cancelamentos de contratos de venda no setor cresceram no Brasil em março, informou nesta terça-feira a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). No fim de março, havia 113.022 unidades imobiliárias disponíveis para compra, alta de 4,5 por cento sobre um ano antes e de 1,5 por cento sobre fevereiro, segundo levantamento da entidade, chegando ao pico desde maio de 2014." (Fonte: Reuters)

Se o valor do aluguem está caindo, é porque o preço do imóvel está caindo ou cairá em breve. "Os preços de locação de imóveis seguem em trajetória de desaceleração e registraram recuo de 0,22% em abril, na comparação com o mês anterior, de acordo com o Índice FipeZap. O preço médio do metro quadrado anunciado entre as 11 cidades pesquisadas ficou em R$ 30,86, contra os R$ 30,93 de março. Com esse resultado, a queda acumulada nos últimos 12 meses chegou a 4,8%, um recorde negativo para a série histórica da pesquisa, iniciada em 2009. Como nesse mesmo período a inflação oficial do país, medida pelo IPCA, acumulou alta de 9,28%, o estudo indica que, entre abril de 2015 e abril de 2016, houve uma queda real de 12,88% nos preços de locação." (Fonte: O Globo)

A crise do setor deve PIORAR. "O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), revogou nesta terça-feira (17) uma portaria editada nos últimos dias do governo Dilma Rousseff (PT) que autorizava a Caixa Federal a contratar a construção de até 11.250 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/05/2016) - Comunicando. "As vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo registraram queda de 16% em março, na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 1.267 unidades, segundo pesquisa do departamento de economia e estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Em relação a fevereiro, houve elevação de 28%." (Fonte: Exame)

Continua piorando. "A comercialização de cimento no mercado doméstico em abril caiu 11,1 por cento sobre mesmo mês do ano passado, para 4,668 milhões e toneladas, informou nesta segunda-feira a entidade que representa os produtores do insumo, Snic. As vendas do primeiro quadrimestre foram de 18,5 milhões de toneladas, queda de 13,9 por cento sobre um ano antes." (Fonte: Reuters)







ITAÚSA - (10/05/2016) - Comunicando. "A holding Itaúsa encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de 1,968 bilhão de reais, avanço de 2 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/05/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/05/2016) - Setor continua PIORANDO. "O volume concedido em financiamentos para compra de imóveis com recursos da caderneta de poupança somou 10,9 bilhões de reais, uma queda de 54,6 por cento ante igual período do ano passado, informou nesta sexta-feira a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Em número de imóveis financiados, a queda foi de 56,4 por cento para 47,8 mil unidades. Em março apenas, os financiamentos somaram 4,42 bilhões de reais, queda de 48 por cento sobre um ano antes, embora tenha subido 37,8 por cento sobre fevereiro. No acumulado de 12 meses até março de 2016, foram 62,4 bilhões concedidos para a aquisição e construção de imóveis com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), exibindo, uma queda de 44,1 por cento sobre um ano antes." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/04/2016) - Continua PÉSSIMA a situação do setor. "O indicador de atividade da construção atingiu 37,5 pontos. O índice de emprego somou 36,6 pontos. De acordo com a CNI, valores abaixo de 50 pontos indicam queda. No mês passado, a indústria da construção operou com 57% da capacidade. Apesar da alta em relação ao registrado em fevereiro (56%). Conforme a Sondagem da Indústria da Construção, os juros altos passaram a ser a principal preocupação do setor. O problema foi mencionado por 39,4% dos empresários. A fraca demanda interna foi o segundo maior problema, citada por 35,7% dos pesquisados. A inadimplência vem em terceiro lugar, com 31,1% das respostas." (Fonte: Terra)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/04/2016) - Comunicando. "O lançamento de imóveis na capital paulista no acumulado de 12 meses, até fevereiro, caiu para 21,2 mil unidades, o menor número desde 2004, quando foram lançados 22,5 mil imóveis. No mesmo período de 2015, foram lançadas 33,7 mil, conforme indicam os dados da última Pesquisa do Mercado Imobiliário, do Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Em fevereiro, a cidade teve 171 unidades lançadas, 82,1% menos que janeiro, quando foram lançadas 956 unidades. Em relação ao mesmo mês em 2015, quando foram lançadas 872 unidades, a redução foi 80,4%. A venda de residências novas caiu 12% em fevereiro, na comparação com janeiro. Foram vendidas 836 unidades em fevereiro, contra 950 em janeiro. Em relação a fevereiro de 2015, quando foram vendidas 872 unidades, houve alta de 14,2%." (Fonte: IstoÉ)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/04/2016) - Comunicando opinião. "A expectativa de manutenção da Selic em dois dígitos pelo menos até 2020 deve segurar o ímpeto do financiamento imobiliário no Brasil nos próximos anos, tanto pelo menor volume de recursos da poupança quanto de instrumentos de mercado, segundo especialistas. disse o presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) e diretor de crédito imobiliário do Santander Brasil, Gilberto Duarte." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/04/2016) - Continua difícil a situação do setor. "comercialização de cimento no Brasil no primeiro trimestre teve queda de 14,5 por cento sobre o mesmo período do ano passado. Em março apenas, as vendas caíram 16,1 por cento sobre o mesmo mês de 2015, para 4,89 milhões de toneladas." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/04/2016) - O setor que está ruim irá piorar. "Com boa parte da clientela envolvida na Operação Lava Jato, o BNDES travou desembolsos de R$ 22 bilhões a projetos de infraestrutura, estimam executivos de bancos e de grandes empresas consultados pelo jornal O Estado de S. Paulo." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/04/2016) - Situação do setor só piora. "Em 2015, as ações judiciais contra incorporadoras dispararam: foram 45% a mais de reclamações, incluindo ações para rescindir contratos já fechados de compras. "Somente em São Paulo, foram 7.686 processos em 2015, contra 5.361 registrados em 2014", diz o levantamento. Dentre as construtoras analisadas, a que mais tem processos na justiça é a PDG, com 1.659; seguida pela Tecnisa, com 1.521; e MRV, com 992." (Fonte: Infomoney)

Se o aluguel está desmoronando, então os preços dos imóveis também está. "O preço médio do metro quadrado para aluguel no Brasil nos três primeiros meses do ano recuou 15,3 por cento em termos reais ante o mesmo período do ano passado e atingiu o menor valor desde o primeiro trimestre de 2013, informou nesta quarta-feira o portal imobiliário VivaReal. O valor médio para locação caiu 5,5 por cento em termos nominais e fechou março a 25 reais, de acordo com o índice DMI-VivaReal." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/04/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (31/03/2016) - E você acredita? Com que dinheiro se o governo está quebrado? O governo vive anunciando mas não cumpre por falta de recursos. "A terceira fase do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, lançada nesta quarta-feira pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, terá recursos totais de 210,6 bilhões de reais para a construção de mais 2 milhões de unidades habitacionais até 2018. Do total de recursos, 41,2 bilhões de reais serão do Orçamento da União, 39,7 bilhões em subsídios do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o restante em financiamentos pelo FGTS, segundo o ministro das Cidades, Gilberto Kassab." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (30/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/03/2016) - Melhorou, mas no meu ponto de vista é por pouco tempo.A população está perdendo emprego, está fortemente endividada, o governo não tem mais recursos para financiar e todos os anúncios otimistas de ajuda devem ser vistos com cautela. "O número de unidades vendidas somou 950, alta de 28,9% sobre janeiro de 2015. Já os lançamentos dispararam 75,1% no período, a 956 unidades. Porém, segundo a entidade, o Valor Geral de Vendas (VGV) caiu 5,4% ante janeiro do ano passado, a R$ 389,5 milhões. Na comparação com dezembro, as vendas e lançamentos mantiveram o tom de fraqueza de 2015, recuando 66,8% e 67,4%, respectivamente. No ano passado, o mercado imobiliário viu uma redução de 37% dos lançamentos, com 12,5 mil unidades a menos do que em 2014. As vendas recuaram 6,6% no período." (Fonte: UOL)

Comunicando. "O volume de empréstimos para compra e construção de imóveis com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) em fevereiro somou 3,2 bilhões, queda de 2,7 por cento sobre o mês anterior e de 50,3 por cento sobre fevereiro de 2015, informou nesta quinta-feira a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). No primeiro bimestre de 2016, os financiamentos no setor somaram 6,5 bilhões de reais, queda de 58,3 por cento na comparação com igual etapa de 2015." (Fonte: Reuters)

Notícia ruim. "A Caixa Econômica Federal informou nesta segunda-feira que subiu as taxas de juros do financiamento imobiliário desde a quinta-feira passada. A taxa de juros efetiva no balcão, cobrada de não clientes do banco, subiu de 9,9 para 11,22 por cento ao ano dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), para imóveis residenciais de até 750 mil reais. Dentro do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), válido para imóveis acima desta faixa de preço, a taxa de balcão para moradias passou de 11,5 para 12,5 por cento ao ano. Com relacionamento, a taxa pode ser de 11 por cento ao ano." (Fonte: Reuters))







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/03/2016) - Quando um rendimento de um ativo, aluguel para imóvel por exemplo, cai, o preço deste tende naturalmente a cair também, quase na mesma proporção. "Para alugar um imóvel residencial na cidade de São Paulo, em fevereiro último, os inquilinos estavam encontrando opções bem mais em conta do que há um ano, segundo aponta pesquisa mensal de locação do Secovi (Sindicato da Habitação). O estudo foi divulgado hoje e leva em conta contratos novos. O valor médio caiu 2,9% na relação com fevereiro de 2015. No acumulado dos 12 meses, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M)), que serve de base de cálculo para a renovação dos contratos de aluguel, atingiu 12,1%, o que mostra que os proprietários estão abrindo mão de um ganho real de 15%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/03/2016) - Se o valor do aluguem (rendimento) está desmoronando, então é bem provável que o valor do próprio imóvel também esteja desmoronando. "A redução no mercado de venda de imóveis no Rio em 2015 levou à migração dessas unidades para a locação e com o aumento da oferta, o preço médio do aluguel do metro quadrado na cidade registrou queda de 12,4% no ano passado. Os dados foram divulgados nesta terça pelo Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio)." (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (11/03/2016) - Comunicando. "As vendas de unidades novas na cidade de São Paulo caíram 6,6% no ano de 2015 ante o ano anterior, para 20,148 mil unidades, segundo pesquisa do departamento de economia e estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação)." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (09/03/2016) - Será que a Caixa tem dinheiro para emprestar... Nos anos passados, ela anunciou e não liberou o dinheiro, o que acha que vai acontecer agora que o banco tem menos dinheiro ainda? "A Caixa anunciou nesta terça-feira (8) que irá aumentar o teto para financiamento de imóveis usados de 50% para 70% para trabalhadores privados e de 60% para 80% para trabalhadores públicos. Os novos tetos passam a vigorar a partir do dia 24 de março." (Fonte: Exame)

Indícios de que a crise continua. "As vendas de cimento no Brasil em fevereiro caíram 6,1 por cento na comparação anual, a 4,6 milhões de toneladas, informou nesta terça-feira o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento(Snic). Nos primeiros dois meses do ano, as vendas caíram 13,8 por cento sobre o mesmo período de 2015, para 9 milhões de toneladas." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/03/2016) - Continua a perder valor os imóveis... O mesmo pessoal que disse que não haveria estouro de bolha, agora fala que os imóveis estão baratos e é para comprar... Sempre do mesmo. "O preço dos imóveis registrou queda real de 8,85% nos últimos 12 meses, de acordo com o índice FipeZap de fevereiro." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/03/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/02/2016) - )







ITAÚSA - (29/02/2016) - P/L de 5 e P/VPA de 0,9 (Fonte: Guiainvest), vale a pena acompanhar o papel para efetuar compras em momentos de correção técnica.

"A Itaúsa (ITSA4) registrou um lucro líquido de R$ 8,87 bilhões em 2015. O Conselho de Administração da companhia ainda aprovou dividendos complementares de R$ 0,0755 por ação e juros sobre capital próprio adicionais de R$ 0,090355, a serem pagos em 29/fevereiro, segundo comunicado ao mercado. A Itaúsa vai propor ainda aumento de capital com bonificação 10% em ações, a ser discutida em reunião marcada para 29 de abril. " (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/02/2016) - Continua piorando a situação do setor, EVITE ter ações neste momento. "O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis caiu 63,9 por cento em janeiro na comparação anual, a 3,3 bilhões de reais, informou nesta quinta-feira a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Em relação a dezembro, o recuo foi de 30,9 por cento." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (25/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (24/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (23/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/02/2016) - Acompanhando a crise no setor. "A Votorantim Cimentos registrou queda de 10% em seu desempenho no último ano e prevê que a retomada do consumo de cimento e concreto se dê apenas em 2017. De acordo com informações do Valor Econômico, para passar por 2016, a maior cimenteira do país cortou custos, desativou fornos antigos e pequenos, freou planos de expansão, se desfez de ativos e paralisou as fábricas de Ribeirão Grande e Cubatão." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/02/2016) - Situação ainda piorando para as empresas do setor e devem continuar assim. "Os cancelamentos de contratos de compra de imóveis na planta no Brasil, os chamados distratos, cresceram 10,7% em 2015 quando comparados ao ano anterior." (Fonte: Exame)

Mais notícias ruins para o setor. "O faturamento da indústria de materiais de construção caiu 20,5% em janeiro ante o mesmo mês de 2015, segundo dados deflacionados da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Foi a 24ª queda consecutiva, de acordo com a entidade. Na comparação com dezembro de 2015, porém, houve expansão, de 5%." (Fonte: http://www.valor.com.br - Valor Econômico)







ITAÚSA - (19/02/2016) - Comunicando. "A Itaúsa (ITSA4) registrou um lucro líquido de R$ 8,87 bilhões em 2015. O Conselho de Administração da companhia ainda aprovou dividendos complementares de R$ 0,0755 por ação e juros sobre capital próprio adicionais de R$ 0,090355, a serem pagos em 29/fevereiro, segundo comunicado ao mercado. A Itaúsa vai propor ainda aumento de capital com bonificação 10% em ações, a ser discutida em reunião marcada para 29 de abril. " (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (17/02/2016) - Comunicando. "Em relatório, a agência de classificação de risco Moody's disse que a receita do setor de construção deve cair 10% em 2016 e que a desaceleração econômica do Brasil deve adiar a recuperação do setor de construção civil para, pelo menos, até meados de 2017. Segundo a agência, a Cyrela (CYRE3) parece relativamente bem posicionada para resistir à situação, enquanto PDG Realty (PDGR3) e Viver (VIVR3) vão continuar lutando para enfrentar a carga pesada de endividamento de curto prazo." (Fonte: Infomoney)

Muito ruim. "Os preços dos imóveis no Brasil caíram entre 15% e 20% em 2015 e o setor imobiliário continuará "sob pressão" até meados de 2017, segundo as projeções divulgadas nesta terça-feira pela agência de qualificação de riscos Moody's." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (16/02/2016) - Setor continua péssimo. "A venda de cimento no Brasil no mês passado despencou 20,9 por cento sobre janeiro de 2015, para 4,4 milhões de toneladas, informou nesta segunda-feira a associação que representa os fabricantes do setor, Snic." (Fonte: Reuters)

Se o valor dos alugueis (rentabilidade) está desmoronando, então o valor dos imóveis também está. "O preço do aluguel teve recuo de 12,98% nos últimos 12 meses, segundo o Índice de Locação FipeZap. A queda é real, pois já foi descontada a inflação, que atingiu o patamar de 10,71%. No mesmo período, a queda nominal, ou seja, que representa a diminuição do valor, foi de 3,66%." (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/02/2016) - A crise no setor está se agravando. NÃO recomendo ter ações ou títulos de empresas do setor ou que operam no setor, MAS a compra de imóveis podem ter descontos expressivos se encontrar pessoas muito endividadas. "As vendas de materiais de construção tiveram forte queda no primeiro mês de 2016, com a manutenção de condições negativas vistas em 2015 e com a entidade que representa o setor citando fraqueza tanto no segmento do varejo como no de construtoras. A Abramat afirmou nesta sexta-feira que as vendas caíram 20,5 por cento janeiro na comparação com o mesmo mês em 2015. O recuo tanto dos materiais de base (-19,9 por cento) quanto de acabamento (-21,4 por cento) pressionou os resultados consolidados." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (10/02/2016) - PÉSSIMA notícia para as empresas do setor de construção residencial e para quem deseja vender seu imóvel. Os preços devem cair com menos financiamento. "A Caixa Econômica Federal está ampliando o rigor na concessão de empréstimo imobiliário, na esteira de sucessivos resgates na caderneta de poupança, principal fonte de recursos para o setor. Embora formalmente o banco estatal ainda exiba condições inalteradas, a aprovação dos pedidos de financiamento está sendo mais rigorosa e demorada, segundo profissionais do mercado imobiliário, de construtoras e da própria Caixa." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (03/02/2016) - Como venho falando há algum tempo... Olha que este é o preço anunciado e não o que realmente é vendido, que deve ser uns 20% como li há algum tempo atrás, mas não me lembro onde. Se isto for verdade o preço dos imóveis caíram uns 30% no período.. "Enquanto a valorização dos imóveis foi de apenas 0,85% nesses 12 meses, a inflação, medida pelo IPCA, deve encerrar o período com aumento de 10,48%, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central. Ao considerar o efeito da inflação, portanto, o índice mostra que os imóveis tiveram queda real de 8,71% no período (12 meses)." (Fonte: Exame)

Comunicando. "As vendas de material de construção no varejo tiveram retração de 8% em janeiro, em relação a dezembro de 2015. Na comparação com janeiro do ano passado, o desempenho ficou 6% abaixo e o foi o menor registrado no período nos últimos cinco anos." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (02/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (01/02/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (29/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (28/01/2016) - Outra notícia ruim para o setor. "O volume de empréstimos imobiliários no Brasil em 2015 concedidos com recursos da caderneta de poupança somou 75,6 bilhões de reais, queda de 33 por cento ante o ano anterior, informou nesta terça-feira a Abecip, entidade do setor. Para 2016, os financiamentos do setor no país devem cair mais 20,6 por cento, para 60 bilhões de reais, previu a Abecip." (Fonte: Reuters)

Mais realidades sobre o setor. "A inadimplência no crédito imobiliário aumentou no ano passado, refletindo o cenário atual de juros altos e aumento do desemprego, mas ainda não é um ponto de atenção no setor, de acordo com Gilberto Duarte, presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) e diretor de crédito imobiliário do Santander. O indicador, considerando atrasos acima de 90 dias, passou de 1,4% em 2014 para 1,9% no ano passado, considerando garantia hipotecária e alienação fiduciária." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (27/01/2016) - A situação está piorando e deve continuar assim este ano. "O volume de empréstimos no Brasil caiu 33% no último ano, o valor equivale a R$ 75,6 bilhões, ante R$ 112,9 bilhões em 2013. Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a previsão para 2016 é que a queda continue e que os empréstimos fiquem ainda mais caros." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (26/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (22/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (21/01/2016) - Os preços continuam caindo e a rentabilidade (aluguel) também. "Segundo o levantamento, 48% dos consumidores que fecharam negócios pelo site ao longo de 2015 conseguiram reduções nos preços inicialmente anunciados ao concluir a transação, tanto no caso das compras, quanto de aluguéis. Na maior parte das negociações (58%) foi obtido até 10% de desconto sobre o valor anunciado. Ao observar apenas os dados sobre compras, 17% dos consumidores conseguiram descontos de mais de 15%: 9% conseguiram de 15% a 20% de desconto, 4% negociaram preços de 20% a 30% menores do que os anunciados e 5% conseguiram reduzir o valor do contrato em mais de 30%. Já em relação aos aluguéis, os descontos obtidos foram ainda maiores: 27% dos usuários conseguiram descontos superiores a 15%. Entre eles, 10% obtiveram preços de 15% a 20% menores, 7% negociaram preços de 20% a 30% mais baixos e 10% conseguiram contratos até 30% mais baratos do que o anunciado." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (20/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (19/01/2016) - CUIDADO, ainda não é hora de investir em imóveis e no mercado como um todo. "A perspectiva para o mercado imobiliário residencial e de hipotecas no Brasil se deteriorou em 2016 em comparação com o ano passado, disse a agência de classificação de risco Fitch, afirmando que a recessão econômica e os juros altos pesam sobre o setor no país. O setor no Brasil tem uma perspectiva estável/negativa, enquanto a maioria dos países em relatório anual da Fitch possuem perspectiva estável ou estável/positiva. "No Brasil, a crise econômica, a queda na renda real das famílias, o crédito cada vez mais restrito e restrições de acessibilidade significam que esperamos um novo declínio de preços em termos reais de cerca de 10 por cento neste ano", disse a Fitch." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (18/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (15/01/2016) - Se a rentabilidade (aluguel) está caindo e as alternativas de investimento (Selic) subindo, então os preços dos ativos (imóveis), devem estar caindo. "O preço médio de locação residencial de imóveis terminou 2015 com queda de 3,34%, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Foi a primeira vez que o indicador terminou o ano com resultado negativo desde o início da série histórica, em 2008, segundo o Índice FipeZap de Locação. Como a inflação medida pelo IPCA (IBGE) no período atingiu 10,67%, o preço médio do aluguel pesquisado em 9 cidades apresentou queda real de 12,66% no ano passado. A pesquisa considera apenas os novos contratos." (Fonte: G1)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (14/01/2016) - Comunicando. "As vendas de imóveis novos na cidade de São Paulo atingiram o pior desempenho dos últimos 11 anos, no acumulado de janeiro a novembro de 2015. De acordo com balanço divulgado nesta quarta-feira (13) pelo Secovi-SP, o sindicato da habitação, foram fechados 17.283 contratos, número que é 5,7% menor que o de igual período de 2014 e o menor já registrado desde 2004. Em novembro, os negócios melhoraram com a venda de 2.473 imóveis, 122,4% cima do que em outubro e o segundo maior número de vendas do ano. No entanto, o resultado não foi suficiente para evitar o recuo de 17,2% sobre o mesmo mês de 2014. " (Fonte: Brasil Econômico)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (13/01/2016) - Comunicando dados ruins. "A venda de cimento no Brasil em 2015 caiu para níveis vistos pela última vez em 2011. A comercialização de cimento no Brasil no ano passado somou 64,4 milhões de toneladas, queda de 9,2 por cento sobre 2014. Atualmente, a indústria tem uma capacidade instalada de produção de cerca de 85 milhões de toneladas anuais de cimento. Considerando apenas dezembro, a venda de cimento no país despencou 13 por cento na comparação anual, a 4,54 milhões de toneladas. Ante novembro, houve queda de 7,4 por cento." (Fonte: Exame)

Comunicando. "O faturamento das empresas que produzem material de construção caiu 12,6% ao longo de 2015, segundo levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV) feito a pedido da Associação Brasileira da Indústria dos Materiais de Construção (Abramat). Entre novembro e dezembro houve recuo de 13,7% e, na comparação com o mesmo mês de 2014, a queda chegou a 16%." (Fonte: Exame)

Comunicando mais números ruins. "No penúltimo mês de 2015, foram vendidas 2.473 imóveis residenciais, queda 17,2 por cento em relação a novembro de 2014, mas avanço de 122,4 por cento sobre outubro, disse a entidade. Assim, no acumulado do ano as vendas têm recuo de 5,7 por cento sobre o mesmo período de 2014. O valor geral de vendas (VGV) de novembro foi de 1,3 bilhão de reais no período, 23,1 por cento abaixo do mesmo período de 2014 e avanço de 107,2 por cento na comparação com outubro." (Fonte: Reuters)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (12/01/2016) - Deve continuar piorando este ano. "O índice de atividade da construção imobiliária (IACI) encerrou 2015 com retração de 13,2%, após ter registrado quedas de 8,7% e 5,2% em 2014 e 2013, respectivamente, de acordo com dados do Monitor da Construção Civil (MCI), composto por um conjunto de índices elaborado em parceria entre a Tendências e a Criactive. Entre os tipos de obra, o IACI residencial registrou queda de 12,4% em 2015. A atividade no segmento comercial teve retração ainda mais intensa, no patamar de 18,6%. Considerando apenas o mês de dezembro, o IACI mostrou queda de 2,3% ante novembro, de acordo com dados livres de efeitos sazonais. Na comparação com dezembro de 2014, o índice recuou 10,7%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (08/01/2016) - Comunicando opinião de terceiros. "O mercado imobiliário tende a continuar no vermelho em 2016. Essa é a previsão do economista do FipeZap, Raoni Costa. Depois da perda real de 8,48% em 2015 diante da inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a expectativa é que o preço de vendas de imóveis continue avançando em ritmo muito mais baixo do que a inflação. No meio do ano, a Fipe lançou um estudo apontando queda nominal de 5% no preço dos imóveis em 2016, o que levaria a uma perda real de mais de 10% em 2016 segundo as expectativas para a inflação, que hoje estão na casa dos 7%." (Fonte: Exame)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (07/01/2016) - E os preços devem continuar caindo em 2016 visto que os juros deverão se manter exorbitantemente elevados. "O preço do imóvel no Rio de Janeiro caiu 1,36% no ano passado, primeira baixa nos últimos sete anos. A cidade, porém, ainda tem o bairro mais caro do país: o Leblon, com R$ 22.478/m².Um dos campeões nacionais de valorização, o preço do metro quadrado dos imóveis residenciais do município de São Paulo teve alta de 2,51% em 2015, o menor avanço em sete anos. "Isso afetou não só São Paulo. Na média de 20 cidades que acompanhamos, a alta foi de apenas 1,32%. Se considerarmos que a inflação foi de mais de 10%, tivemos queda real de preços", afirma Zyberstajn. (Preço dos imóveis no Brasil tem queda real de 8,48% em 2015)" (Fonte: Folha)

Uma coisa é o governo fazer um lindo discursos sobre o lançamento do PAC X, a outra é ter dinheiro. Acho que ficará no discurso e o PAC X não sairá do papel, sendo que as construtoras vão penar para receber o dinheiro que o governo deve a elas. "Segundo o setor de construção civil, o governo não precisa de muito esforço para estimular o segmento como tentativa de reanimar a economia brasileira. A principal reivindicação do setor é o pagamento de quase R$ 7 bilhões em atrasos das obras públicas, o que já seria suficiente para dar fôlego às construtoras. "Colocar em dia os pagamentos dos atrasos já seria um novo PAC", afirma José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic)." (Fonte: Infomoney)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (06/01/2016) - )







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (05/01/2016) - A crise do setor parece estar longe do fim. "As vendas de material de construção no varejo encerraram o ano de 2015 com queda de 5,8% e faturamento de R$ 56,5 bilhões, marcando a primeira retração do segmento nos últimos 12 anos. Considerando apenas o mês de dezembro, as vendas tiveram alta de 3% em relação a novembro e recuaram 7% na comparação com igual intervalo do ano passado. " (Fonte: IstoÉ)







IMÓVEIS e CONSTRUÇÃO - (04/01/2016) - )












  Ricardo Borges Financial Training
+55 21 98655-8009 (somente de 11:00hs até às 18:00hs)
 Email - ricardoborges@ricardoborges.com
 
Anuncie Aqui I Consultoria I Conteúdos Sites I Cursos On Line I Política de Privacidade I Termos de Uso